Tecnovitis foi lançada em evento no distrito de São Pedro

A Tecnovitis 2017 – Feira de Tecnologia para a Viticultura – que ocorre de 6 a 8 de dezembro do próximo ano, no Vale dos Vinhedos, foi lançada oficialmente no dia 4 de dezembro. A solenidade foi realizado em um almoço, promovido pelo Sindicato Rural da Serra Gaúcha, no Salão da Comunidade do distrito de São Pedro, em Bento Gonçalves (RS). A Feira abrange apresentação de tecnologias, comercialização de produtos e serviços para o setor, testes práticos com produtos fitossanitários, dinâmica com tratores, pulverizadores e outros equipamento, além de palestras técnicas e visitas guiadas ao parreiral modelo.

No mesmo dia, o presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, entidade promotora do evento, El­son Schneider, assumiu o cargo por mais três anos. Também ocorreu o juramento da diretoria, conduzido pelo diretor administrativo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), Francisco Lineu Schar­dong. “No dia 7 de dezembro, com­pletamos três anos de existência, com muitas conquistas e desafios ainda a serem superados.”, enfatiza Schneider. De acordo com o presi­dente, uma das principais conquis­tas foi a realização da Tecnovitis. “A Feira é a união de toda a cadeia produtiva da uva para o diálogo e desenvolvimento”, completa.

O coordenador da Tecnovitis 2017, Claimar Zonta revela que a Feira deve impactar positivamente na cadeia produtora de uva e vinho. “A segunda edição deve ter um cres­cimento de cerca de 150% no núme­ro de visitantes”. Em 2015 foram 8 mil pessoas e em 2017 deve chegar a 20 mil. “A expressividade da pri­meira edição nos faz acreditar no sucesso da edição do próximo ano e hoje faz parte do calendário oficial de eventos do município”, afirma.

Zonta explica que um dos objetivos da Tecnovitis é estimular o crescimento do setor vitícola, apresentando técnicas, equipamentos, produtos e serviços especializados. “Também queremos estreitar laços entre produtores, fornecedores e equipe técnica” explica. O foco é deixar a cadeia produtiva mais fortalecida, em quantidade e qualidade. “Temos uma estimativa de interessados de diversas partes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além de outros estados que vem mostrando crescimento no cultivo da uva”, completa.

Durante o evento, na presença de diversas autoridades e representantes de entidades ligadas ao setor, foi assinado o protocolo de intenção para o convênio da máquina de colher uva. O presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, Elson Schneider, explica que o protocolo de intenção é um ato para criar um convênio de trabalho para viabilizar a máquina, ocorrendo a validade agronômica e estudos de impacto econômico que irá causar na cadeia produtiva e a indústria. Segundo Schneider, a máquina é um importante fator para os agricultores terem o trabalho facilitado e agilizado, melhorando a qualidade de vida dos mesmos.

Fotos: Tecnovitis

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 + 20 =