Inscrições de trabalhos para o Simpósio Internacional Vinho e Saúde são prorrogadas para início de maio

Terceira edição do evento ocorrerá entre 1º e 3 de junho, em Bento Gonçalves (RS). Pesquisas serão avaliadas por comissão científica

Foram prorrogadas até o dia 5 de maio as inscrições de trabalhos do III Simpósio Internacional Vinho e Saúde. Os interessados devem apresentar suas pesquisas no site www.simposiovinhoesaude.com.br. Os estudos serão avaliados por uma comissão científica e os aprovados nas modalidades pôster e oral farão a apresentação durante o evento, entre os dias 1º e 3 de junho, na Fundação Casa das Artes, em Bento Gonçalves (RS). A programação do Simpósio Internacional Vinho e Saúde contará ainda com um espaço para pesquisas inéditas. As selecionadas serão publicadas em revista científica e as melhores nas modalidades pôster e oral serão premiadas.

Além da exposição de trabalhos, estão confirmados 11 palestrantes brasileiros e seis internacionais. Estudos ligados às prevenções de doenças cardiovasculares e de envelhecimento precoce, diminuição do risco de aparecimento de enfermidades neurológicas e auxílio na redução de peso são alguns dos temas que serão apresentados pelos especialistas.

Desconto para grupos

As inscrições para o público também devem ser feitas pelo site do evento. O segundo lote de matrículas segue até 20 de maio. Os valores variam de R$ 100 a R$ 250. Após essa data, até a realização do evento, as inscrições passam a custar de R$ 130 a R$ 300. Grupos a partir de 10 pessoas têm 20% de desconto. Para a obtenção do benefício, o grupo deverá enviar a lista de inscritos para o e-mail info@simposiovinhoesaude.com.br.

Além de profissionais das áreas da saúde e educação, a iniciativa tem como público-alvo enólogos, agrônomos e demais pessoas ligadas à vitivinicultura, formadores de opinião, imprensa e outros profissionais com afinidade ao tema.

O III Simpósio Internacional Vinho e Saúde é uma realização do Ibravin com apoio da Associação Brasileira de Enologia (ABE), da Embrapa Uva e Vinho, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – fundação do Ministério da Educação (MEC) – e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs).

Programe-se
III Simpósio Internacional Vinho e Saúde – Os Benefícios da Uva e Seus Derivados
Quando: 1° a 3 de junho de 2017
Onde: Fundação Casa das Artes (Rua Henry Hugo Dreher, 127 – bairro Planalto), em Bento Gonçalves (RS)
Palestrantes confirmados:
Alexandre Sérgio Silva (UFPB)

Andressa Bernardi (Fiocruz)

Carlos Paviani (Ibravin)

Caroline Dani (IPA)

César Fraga (UC Davis – Estados Unidos)

Daniel Araki Ribeiro (UNIFESP)

David Vauzour (University of Reading, Reino Unido)

Katya Rigatto (UFGRS)

Marilde Terezinha Bordignon (UFSC)

Mauro Celso Zanus (Embrapa Uva e Vinho)

Mirian Salvador (UCS)

Patrizia Orteiza (UC Davis – Estados Unidos)

Philippe Jandet (University of Reims – França)

Protásio Lemos da Luz (InCor)

Raul Zamora Ros (Universidade de Barcelona – Espanha)

Rosa María Lamuela Raventós (Universidade de Barcelona – Espanha)

Vitor Manfroi (UFRGS)

Inscrições: www.simposiovinhoesaude.com.br. Grupos a partir de 10 pessoas têm 20% de desconto e devem enviar a lista dos inscritos para o e-mail info@simposiovinhoesaude.com.br
Submissão de trabalhos: inscrições até o dia 5 de maio, pelo site do evento

Categoria Até 20/mai No local

Estudantes de graduação R$ 100 R$ 130

Estudantes de pós-graduação R$ 130 R$ 160

Profissionais do setor vitivinícola R$ 200 R$ 250

Demais profissionais R$ 250 R$ 300

Fotos: Banco de imagens do Ibravin

Estratégias para planejar o desenvolvimento sustentável das Regiões dos Campos de Cima da Serra, Hortênsias e Serra serão discutidas em maio

No dia 8 de maio, com a participação de lideranças, autoridades, empresários e técnicos, acontece o II Seminário sobre Inteligência Territorial para o Desenvolvimento Agropecuário Sustentável das Regiões dos Campos de Cima da Serra, Hortênsias e Serra, no Auditório da Universidade de Caxias do Sul (UCS), em Canela (RS).

Esta segunda edição já irá apresentar os resultados das proposições do primeiro evento, que ocorreu em novembro de 2016 e já promoveu uma grande articulação entre os municípios participantes. Para Alexandre Hoffmann, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho e um dos organizadores do Seminário, mesmo num curto espaço de tempo foram obtidos avanços importantes. “A partir da demanda já foi elaborado e apresentado um projeto especial sobre Inteligência Territorial, que, após sua aprovação, será coordenado pela Embrapa Monitoramento por Satélite, e prevê estudos para identificar estratégias de organização da informação para o bom planejamento de propostas para o desenvolvimento sustentável da agropecuária desse território”, antecipa Hoffmann, que fará a abertura do evento abordando os desdobramentos da primeira edição.

Na sequência, acontece a palestra Conversão de campo nativo e o desenvolvimento sustentável, que será apresentada pelo professor Wellington Pacheco Barros, de Porto Alegre, RS, com a participação, como debatedor, do Deputado Federal Luiz Carlos Heinze, que integra a Comissão de Agricultura da Câmara Federal. A experiência mineira com o Cadastro Multifinalitário urbano e rural para Planejamento do Uso da Terra e Ordenamento Territorial e a apresentação das ações desenvolvidas pelo Codeter Campos de Cima da Serra, uma estrutura de governança e perspectivas de ação para o desenvolvimento rural, também integram a programação.

Promovido pela Associação dos Municípios de Turismo da Serra (Amserra), pelo CREA-RS e pela Embrapa, o evento tem vagas limitadas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas antecipadamente no endereço: http://perguntas.cnpuv.embrapa.br/index.php/426928/lang-pt-BR.

Serviço:

O que: II Seminário sobre Inteligência Territorial para o Desenvolvimento Agropecuário Sustentável das Regiões dos Campos de Cima da Serra, Hortênsias e Serra

Data: 8 de maio

Local: UCS – Campus Universitário da Região das Hortênsias – Sala 108 – Canela – RS

Inscrições: http://perguntas.cnpuv.embrapa.br/index.php/426928/lang-pt-BR.

Informações: 54-34558087 – Embrapa Uva e Vinho

Fotos: Divulgação

Vinícola Aurora é eleita melhor fornecedora de bebidas alcoólicas do varejo goiano

Está é a quarta vez que a vinícola recebe o prêmio da Associação Goiana de Supermercados, resultado da votação de todo o setor varejista no Estado de Goiás

A Vinícola Aurora recebeu, na noite desta terça-feira (25 de abril), o troféu Carrinho de Ouro AGOS 2017 como Melhor Fornecedora de Bebidas Alcoólicas do varejo de Goiás. Este é o quarto ano consecutivo que a maior vinícola do Brasil conquista essa premiação, promovida pela Associação Goiana de Supermercados e considerada o reconhecimento máximo do setor no Estado. Os representantes da Aurora na região, Gabriel Peres e Júlio Penha Peres, receberam o troféu na cerimônia, em nome da vinícola.

O Carrinho de Ouro AGOS premia empresas e pessoas, varejistas e fornecedores que, no ano anterior, se destacaram em suas áreas de atuação. A escolha dos melhores em cada uma das categorias resulta de uma ampla pesquisa realizada pela empresa EPOM – Pesquisa de Opinião de Mercado. Podem votar todos os supermercados e fornecedores associados à AGOS e empresas, de todo o Estado, que se inscreveram para participar.

A Vinícola Aurora, sediada em Bento Gonçalves (RS), é líder no mercado brasileiro em vinhos finos, suco de uva integral e coolers. Está presente em todo o território nacional e exporta para mais de 20 países parte do seu portfólio, composto por 13 marcas e mais de 200 itens.

Fotos: Divulgação

Venda de vinhos brasileiros tem recuo de 20% no trimestre

Números mostram retração em todos os produtos vinícolas no período. Redução foi de 30% no vinho fino, 21% nos espumantes, 22% no vinho de mesa e 15% nos sucos

O Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) divulgou os dados de comercialização do primeiro trimestre deste ano. Os números mostram a queda de 20,3% em relação ao mesmo período de 2016, se considerado o desempenho total do setor. De janeiro a março foram vendidos 61,3 milhões de litros, enquanto no ano passado foi registrada a venda de 77 milhões de litros. Nos produtos vitivinícolas com maior volume de elaboração – o vinho de mesa e os sucos de uva prontos para o consumo – a redução foi de 22,1% e 15,3%, respectivamente. No vinho fino o recuo foi ainda maior, de 30,5%, enquanto o espumante registrou queda de 21,1%.

Para o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, a carga tributária que incide sobre o vinho brasileiro, o crescente aumento dos custos em toda a cadeia, aliados ao momento econômico e à diminuição na renda das famílias explicam o resultado negativo do primeiro trimestre de 2017. Scottá cita ainda como os principais motivos o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), fixado em 10% sobre o valor de venda do produto desde 2015, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), além da Substituição Tributária (ST), que dificulta a venda entre os estados e que antecipa o pagamento dos impostos.

“Neste cenário estamos perdendo espaço para o vinho importado, que hoje já ocupa 40% do mercado brasileiro, se considerarmos todos os produtos. As nossas condições de competitividade não são as ideais porque temos custos maiores e encargos tributários elevados”, diz o presidente. A participação dos rótulos importados no mercado brasileiro de vinhos finos (incluindo vinhos tranquilos e espumantes), que no primeiro trimestre de 2016 era de 73,1%, chegou a 84,6% neste ano. Scottá acrescenta que cerca de 50% do valor de uma garrafa produzida no Brasil, em média, é composto por tributos, podendo ocorrer variações entre os estados de acordo com a alíquota de ICMS.

O dirigente destaca, ainda, o grande volume de vinhos finos importados a valores cada vez menores no país e que acabam competindo com o vinho de mesa engarrafado. Os aumentos na importação das bebidas referidas por Scottá foram de 48,5% para os vinhos tranquilos e de 44% na venda de espumantes. A queda no valor dos vinhos importados foi de 16,5% nos primeiros três meses do ano, com preço médio por litro de US$ 2,79. Em 2016, no mesmo período, esse valor era de US$ 3,35.

O vice-presidente do Ibravin, Oscar Ló, também justifica a queda na comercialização em função dos altos custos de produção da última safra, que registrou quebra de 57% no volume colhido, e que acabou impactando no preço dos produtos nos pontos de venda. Segundo o dirigente, que também preside a Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho), a perspectiva é de que nos próximos meses ocorra a recuperação na comercialização. “A chegada do frio também pode ajudar a aquecer as vendas, em especial nos vinhos tranquilos”, acredita. Ló prevê que, ao final do ano, os volumes de vendas deverão ficar próximos aos de 2016 e acrescenta que o momento econômico do país também influenciou nos resultados do primeiro trimestre.

Ibravin busca redução da carga tributária
O Ibravin vem trabalhando junto ao Governo Federal e aos governos estaduais para a redução da tributação de vinhos. Em 2016, o setor conquistou a inclusão das micro e pequenas vinícolas no Simples Nacional. A medida passa a vigorar a partir de 2018. O trabalho junto aos estados é focado na diminuição da Margem de Valor Agregado (MVA) que compõe as alíquotas de ICMS, além da suspensão da ST.

Os números do primeiro trimestre
* Vinho de mesa apresentou queda de 22,1%, com a venda de 27,4 milhões de litros;
* Vinho fino recuou 30,5%, com a comercialização de 2 milhões de litros;
* Sucos de uva prontos para o consumo tiveram retração de 15,3%, com 20,5 milhões de litros negociados;
* Nos espumantes a redução foi de 21,1%, com a comercialização de 1,7 milhão de litros;
* Se somados todos os vinhos e espumantes, a redução nas vendas foi de 22,7%, com 31,2 milhões de litros;
* Na soma de todos os produtos, incluindo os derivados da uva e do vinho, os néctares, vinagres, destilados, entre outros, a queda foi de 20,3% (61,3 milhões de litros);
* Foram importados 20,1 milhões de vinhos (alta de 48,5%) e 829 mil litros de espumante (crescimento de 43,9%);
* A participação dos rótulos importados no mercado de vinho fino brasileiro foi de 84,6% no primeiro trimestre. Se forem considerados todos os produtos os importados têm participação de 40,2%.

Fotos: Divulgação

Credifácil inova com Plano Safra

Empresa oferece um vasto portfólio de serviços financeiros, possui duas lojas, uma na Marechal Deodoro e a outra na rua Félix da Cunha

Empresa oferece um vasto portfólio de serviços financeiros, possui duas lojas, uma na Marechal Deodoro e a outra na rua Félix da Cunha 180 dias. Há doze anos no mercado bento-gonçalvense, a Credifácil já é referência em credibilidade. Prova disso são as centenas de clientes que contratam crédito pré-aprovado com segurança e confiança. A Credifácil trabalha com empréstimos a aposentados, pensionistas e do INSS, portabilidade, crédito no carnê para pessoas físicas e empresas, planos de safra, seguros e consórcios de imóveis, motos e automóveis. Além desses serviços, a empresa ainda presta consultoria para quem é investidor.

Para a construção dessa história de sucesso, é importante ressaltar a confiança depositada pela carteira de clientes, que vem aumentando consideravelmente. A empresa tem como objetivo oferecer produtos e serviços por meio de um atendimento personalizado e adequado às necessidades do perfil de cada cliente. Toda a equipe é qualificada e certificada pelo Febraban, o que resulta em um serviço de qualidade, transparente e confiável. “Queremos oferecer ao público uma estrutura ágil, ética e inovadora. Quem não conhece a Credifácil pode vir até a empresa. Será uma excelente oportunidade de conferir nossos serviços”, convida a proprietária, Marli Rodrigues Miranda. Para contratar um dos serviços oferecidos ou esclarecer dúvidas, a Credifácil está disponível: de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 18h sem fechar ao meio dia.

Fotos: Divulgação

Festival de rock em Pinto Bandeira

O município de Pinto Bandeira será ponto de encontro dos amantes do rock and roll no domingo, dia 30 de abril. O festival Pinto Stock é uma das principais atrações da Semana do município, em comemoração a sua emancipação política. O evento, que acontece na praça central, terá encontro de carros antigos, a partir das 10h, e food trucks, chopp artesanal e expositores. A novidade para este ano são as churrasqueiras espalhadas pela praça para quem quiser curtir o evento assando seu churrasco e aproveitar as atrações o dia todo. Também haverá Espaço Kids.

Com shows locais e bandas ícones do estilo no Rio Grande do Sul – Malvinas Rock Band, Hot Pants, Hard Rockets, Locos Live – Ramones Tribute, Só Creedance e Mamonas Assassinas Cover – o Pinto Stock chega neste ano à sua décima edição. Em 2016, o Pinto Stock reuniu mais de cinco mil pessoas. O evento é promovido pela Prefeitura de Pinto Bandeira, com organização do músico Diego Soligo “A sensação é de orgulho diante de todas as dificuldades enfrentadas, conseguimos manter e melhorar a cada ano o festival. O mais bacana do Pinto Stock é quando os músicos trazem seus filhos para curtir o evento. Isso é manter vivo o espírito rock and roll, as crianças serão o futuro do festival” comenta Diego.

Fotos: Divulgação

Dia do Vinho 2017 toca o “coração” do Rio Grande do Sul e chega ao Vale do São Francisco

Regiões do Vale Central gaúcho e Nordeste brasileiro ampliam ainda mais a diversidade da programação que vai de 19 de maio a 4 de junho. Em 2016, mais de 45 mil pessoas participaram das atividades comemorativas à data

Mais duas regiões se unem para conferir proporções continentais à programação do Dia do Vinho 2017. O evento, que desde edições anteriores já agregava três grandes polos de enogastronomia e turismo no Sul e no Sudeste do Brasil, ganha agora novas adesões em solo gaúcho e no Nordeste do país. Este ano, entram em cena o Vale Central – conhecido como “coração” do Rio Grande do Sul, onde estão os municípios de Santa Maria, São João do Polêsine, Itaara e Silveira Martins – e o histórico Vale do Rio São Francisco, na divisa entre os estados de Bahia e Pernambuco. Os novos participantes se somam a 10 municípios na região Uva e Vinho da Serra Gaúcha, a vinícolas associadas na Campanha Gaúcha, a Porto Alegre e ao Roteiro de São Roque, no interior paulista, para ampliar ainda mais a diversidade de empreendimentos e atrações oferecidos ao público de 19 de maio a 4 de junho.

No ano passado, mais de 45 mil pessoas participaram das cerca de 300 atividades inseridas na programação. A rede hoteleira da região da Uva e do Vinho, por sua vez, registrou ocupação superior a 90% nos três finais de semana do evento.

O Dia do Vinho é realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul (Seapi-RS) e pelo Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (Segh) – Região Uva e Vinho, como resultado do Projeto Eventos Integrados e Integradores – reinterpretação da concepção de evento, fomentado pelo Ministério do Turismo. A lei que instituiu o Dia do Vinho no Rio Grande do Sul no primeiro domingo de junho de cada ano foi promulgada em 12 de dezembro de 2003. O projeto partiu do então deputado estadual Iradir Pietroski. Já existe um pleito dos setores de vitivinicultura, turismo e gastronomia no sentido de oficializar a celebração da data também em nível nacional.

Duas semanas de atividades e descontos especiais
Na prática, a expansão territorial da iniciativa para movimentar três cadeias econômicas simultaneamente já chegou antes. E para lembrar que a proposta cresceu também no calendário, passando de uma semana para 15 dias de atividades, o Dia do Vinho 2017 chama o público com o tema Duas semanas para celebrar grandes momentos.

“Mais do que um evento, o Dia do Vinho é uma grande programação, integrando municípios e empreendimentos de gastronomia, hospedagem, turismo e vinícolas, a maioria deles familiares, para apresentar ao público algumas das melhores atrações enoturísticas que podem ser aproveitadas o ano inteiro nestas regiões”, explica o presidente do Segh Uva e Vinho, João Leidens.

Para se ter ideia da variedade de opções a turistas, enófilos, curiosos, viajantes, iniciados ou não nas delícias da gastronomia e das bebidas derivadas da uva com as sutilezas de cada região, só na Serra Gaúcha estão engajados os municípios de Antônio Prado, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Veranópolis e Vila Flores.

“Além de tudo, é um ano para se comemorar a safra espetacular que tivemos, com qualidade e fartura, aproveitando para descobrir essa riqueza de características de cada região que é o melhor do Brasil. Imagine que se pode provar o que foi elaborado na Campanha Gaúcha, passando pelo Vale Central do Rio Grande do Sul, subindo à Serra Gaúcha, avançando para São Roque, lá no Sudeste, e depois de milhares de quilômetros, chegar no Vale do São Francisco”, observa o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá.

Informações e programação disponíveis online
A programação completa do Dia do Vinho 2017 será divulgada nos próximos dias e estará disponível no site www.diadovinho.com.br. As ações, novidades, informações e respostas do próprio público serão marcadas nas redes sociais com a hashtag #diadovinho2017. O Dia do Vinho está nas redes sociais em facebook.com/diadovinhoe instagram.com/diadovinho2017.

A edição do Dia do Vinho 2017 tem o apoio das prefeituras municipais de Antônio Prado, Bento Gonçalves, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Veranópolis e Vila Flores, além da Associação Farroupilhense de Produtores de Vinhos, Espumantes, Sucos e Derivados (Afavin), Associação dos Produtores de Vinhos de Pinto Bandeira (Asprovinho), Sindicato da Indústria do Vinho, do Mosto de Uva, dos Vinagres e Bebidas Derivados da Uva e do Vinho do Rio Grande do Sul (Sindivinho-RS), Roteiro dos Vinhos de São Roque (SP), Associação Vinhos da Campanha, Atuaserra, Aenotur, Bento Phoenix Eventos e o patrocínio máster de Verallia.

Fotos: Tatiana Cavagnolli

Embrapa e Ibravin apresentam dados da produção de uva no Rio Grande do Sul

Informações do Cadastro Vitícola 2013-2015 serão mostradas na próxima segunda-feira (24), em evento para dirigentes, viticultores e imprensa. Resultado do estudo possibilita avaliação das últimas duas décadas da viticultura gaúcha

Na próxima segunda-feira, dia 24 de abril, a partir das 9h30min, a Embrapa Uva e Vinho e o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) apresentam o Cadastro Vitícola 2013-2015, no Auditório da Empresa de Pesquisa, em Bento Gonçalves (RS). A nova edição foi realizada pelas entidades promotoras, com o apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul (Seapi-RS) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O Cadastro Vitícola 2013-2015 é uma sistematização de informações dos vinhedos declaradas pelos viticultores do estado do Rio Grande do Sul. A edição apresenta, além de uma análise criteriosa sobre os dados cadastrais, mapas com a distribuição espacial dos vinhedos georreferenciados, informações históricas de dados e gráficos da viticultura gaúcha nos últimos 20 anos e os números detalhados de área das propriedades e dos vinhedos, cultivares por microrregião e por município e vinhedos por variedades.

A pesquisadora e coordenadora do Cadastro Vitícola, Loiva Maria Ribeiro de Mello, que irá fazer uma apresentação da edição no evento, antecipa que se constata uma mudança na viticultura no Estado, que está avançando para regiões mais planas, nas quais é possível a mecanização do cultivo. “A viticultura tradicional da Serra Gaúcha é essencialmente de agricultura familiar, instalada em pequenas propriedades de topografia acidentada. Agora, com o avanço do plantio na Serra do Sudeste, por exemplo, as propriedades possuem maior área de produção ”, destaca a pesquisadora.

“O cadastro é fundamental para termos uma visão macro da produção de uvas no Estado, a fim de que as estratégias e políticas setoriais sejam assertivas. Essa realidade precisa ser monitorada permanentemente”, sinaliza o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá. O dirigente também reforça a importância de implantação dessa ferramenta em todos os estados produtores de uva.

Desde o ano 2000, a coordenação técnica do Cadastro Vitícola é realizada pela Embrapa Uva e Vinho, por delegação do Mapa. O projeto é financiado pela Embrapa e pelo Ibravin, com recursos do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis) e conta com o apoio de outras instituições e entidades (sindicatos de produtores, Emater/RS e associações de produtores). Após o evento, o cadastro e todas as suas possibilidades de buscas a partir de filtros estabelecidos estarão disponíveis para consulta, impressão ou exportação na página da Embrapa Uva e Vinho (https://www.embrapa.br/uva-e-vinho/cadastro-viticola).

Serviço

O que: Lançamento Cadastro Vitícola 2013/2015

Quando: 24 de abril de 2017, 9h30min

Onde: Auditório do Centro Técnico da Embrapa Uva e Vinho (Rua Livramento, 515), em Bento Gonçalves (RS)

Legenda: Mudanças na viticultura gaúcha, como o avanço de produção em regiões mais planas, a exemplo da Serra do Sudeste, serão apresentadas segunda-feira na Embrapa Uva e Vinho

Fotos: Silvia Tonon

Monte Belo do Sul promove “Polentaço”

Uma das atrações da edição é o “tombo da polenta gigante de 800kg”, que ocorre no sábado e domingo

A cidade de Monte Belo do Sul recebe no próximo mês, entre os dias 19 e 21 de maio, o 9º Polentaço. Uma das principais atrações da edição é o “tombo da polenta gigante”,que ocorre no sábado e domingo. Uma polenta de 800 kg será preparada, virada (coma ajuda de um guindaste) e degustada pela plateia. A Festa da Polenta tem como destaque a exposição de esculturas de polenta, que é a única do mundo. O 9º Polentaço ocorre na Sociedade 24 de maio, praça Padre José Ferlin, Salão Paroquial e Igreja Matriz São Francisco de Assis. A entrada é franca.

Programação

Sexta-feira, dia 19

18h – 4º Cantare in Monte Belo

20h – Abertura oficial do Evento

21h – Café comPolenta com Jeverson Carelli

Sábado, dia 20

10h às 17h30min – Encontro de Motos Monte Belo em Duas Rodas – Shows com as Bandasde Rock Black Adder, Lennon Z and The SickBoys Trio e Malvinas Rock Band

12h – Café comPolenta com som ambiente

17h – Show com Projeto Monte Belo Música, Canto e Dança

17h30min – TOMBO DA POLENTA GIGANTE DE 800 KG

18h – Show com Paloma eMiqui

20h – Café com polentaRagazzi Dei Monti

Domingo, dia 21

9h – Missa em Ação deGraças

12h – Café com Polenta comGera & Jonas

13h30min – Shows de Dança Italiana com BalloD’Italia

14h30min – Show de Dança

15h – TOMBO DA POLENTAGIGANTE DE 800 KG

15h30min – Projeto MonteBelo Música, Canto e Dança e Grupo Vicentino

16h30min- Premiação daexposição de Esculturas de Polenta e Torneio de Bochas – Modelo 48

17h – Encerramento com show de AdrianaDe Los Santos e banda

Fotos: Merlo Fotografias

Câmara de Monte Belo do Sul aprova dois projetos na Sessão Ordinária de terça-feira

Os dois projetos de lei apreciados na Sessão Ordinária desta terça-feira (18), foram aprovados pelos vereadores da Câmara Municipal de Monte Belo do Sul.

Foi aprovado por unanimidade o Projeto de Lei nº 025/2017, de autoria do Poder Executivo, que concede abono salarial aos agentes comunitários de saúde, vinculados ao Programa Estratégia de Saúde da Família-ESF, e dá outras providências. É concedido aos Agentes Comunitários de Saúde, vinculados à equipe de Estratégia de Saúde da Família – ESF, um abono salarial de R$1.014,00. Segundo a justificativa o abono salarial representa um incentivo adicional a ser pago aos Agentes Comunitários de Saúde como forma de estímulo financeiro. O referido abono está embasado na Portaria GM/SM nº 674, de 03 de junho de 2013.

O último projeto de autoria do Executivo previsto na Ordem do Dia, o Projeto de Lei nº 026/2017,também foi aprovado por unanimidade pelos vereadores. O projeto autoriza o executivo a prorrogar contrato administrativo para atender necessidade temporária de excepcional interesse público e dá outras providências. Fica o Poder executivo autorizado a prorrogar o contrato por tempo determinado para atender necessidade temporária,o seguinte cargo: Servente/Merendeira – 40h semanais.

Os dois projetos de lei aprovados seguem agora para sanção do prefeito Adenir José Dallé.

Requerimentos

Por fim, foram aprovados dois requerimentos:

Da Bancada do PTB, o requerimento n°64/17 requer junto ao Poder Executivo, resposta por escrito, sobre pedido de cópia de todo o processo administrativo de inexigibilidade, processo 002/2017 de 09/02/2047.

Do vereador Adair Cecconi – PTB, o requerimento nº63/17 requer afastamento das Comissões Técnicas Permanentes, das quais faz parte nesta Casa.