Época de colheita do caqui

Na propriedade do agricultor Jandir Rigon, na Linha Jacinto em Pinto Bandeira estão plantados quatro hectares de caqui, 2,4 hectares, com produtividade. Ele espera colher 30 toneladas da fruta aproximadamente. A colheita esta em andamento com as variedades Fuyu (chocolate branco) e Kyoto segue até o mês de maio. A variedade Fuyu, porém, terá quebra. “Esta abaixo do esperado em função do abortamento floral”diz Maicon, filho de Jandir.

Em toda a região de Pinto Bandeira, existem hoje 100 hectares cultivados com caqui – 40 produtores, segundo a Emater. No estado, 1.395 produtores plantam a fruta em uma área de 1.795,60 hectares. O preço pago pelo quilo da fruta varia entre R$ 1,50 e R$ 2,50, dependendo da variedade e da época.

“Na safra deste ano, embora as frutas apresentem calibre e sabor satisfatórios, houve uma redução na produção de aproximadamente 20% da variedade Fuyu em função do abortamento das flores. Isto se deve ao fato desta variedade ser apirena, ou seja, não possuir semente, e em função da ocorrência de precipitações no mês de outubro acima da média” explica Melissa Maxwell Bock, engenheira agrônomo da Emater.

De acordo com dados da Emater, além das perdas de produção em função do clima, a safra do caqui também sofre este ano com a incidência da doença antracnose “Na variedade kioto o maior problema é a Antracnose que tem acarretado severos danos à cultura fazendo com que muitos produtores deixem de produzi-la” explica Melissa. Como principal orientação pós-colheita, a agrônoma destaca os cuidados nos tratamentos e na poda dos caquizeiros. “Realizar os tratamentos com fungicidas, além de prestar atenção na poda para evitar que a doença se espalhe é fundamental”, complementa.

Fotos: Marlove Perin

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.