Terceira Geração: O desafio de manter o legado familiar dentro da propriedade rural na Cooperativa Aurora

A sucessão familiar é um dos grandes desafios da atualidade no âmbito rural. Neste ambiente, é costumeiro os filhos herdarem dos pais suas propriedades com a responsabilidade de seguir em frente com as atividades da família.

Em Monte Belo do Sul, no 100 da Leopoldina, a família Battistello tem levado adiante a transição e a sucessão rural. Felipe, 26 anos, o filho mais velho se prepara para assumir a propriedade da família.

Associados à Cooperativa Aurora desde 1983, o primeiro a ser sócio foi seu avó Arside Betinelli, já falecido. Em seguida seu genro,Fernando Battistello, 61 anos, em 1988. Em 2008 Felipe. Uma família inteira envolvida na produção de uvas.

Fernando Battistello é casado com Sônia, 52 anos. Juntos o casal tem dois tem dois filhos, Giovanni, 21 anos e Felipe. A sogra de Fernando, Ires Baggio Bettinelli, 71 anos mora com a família e também é associada da Cooperativa Aurora. Segundo Fernando, foram muitas as dificuldades enfrentadas. “A crise de 95 foi um momento que marcou pelo nascimento do nosso filho, época de safra, sem recursos financeiros. Tínhamos propostas para sairmos da Cooperativa, mas resolvemos ficar e enfrentar as dificuldades juntos e hoje estamos aqui e, felizmente, a agricultura que desenvolvemos é destaque de produtividade e qualidade”, conta. “A melhor das garantias, é que temos segurança de entrega da uva. Hoje temos uma empresa sólida que nos dá orgulho e satisfação em fazer parte da família Aurora” diz Fernando. “Comecei a participar mais assiduamente das reuniões e assembleias, hoje sou suplente da Ala Sul do Núcleo de Monte Belo da Cooperativa e procuro estar a parte dos assuntos e situações da Aurora” explica.

Ao ver o pai trabalhar e cuidar da propriedade Felipe, despertou em si a vontade de levar adiante tudo o que ele construiu “cresci vendo meu pai trabalhar nisso e, aos poucos, fui entrando no negócio. Eu acho que é uma coisa natural e, pelo valor dado as coisas que saem daqui, é normal surgir interesse em continuar fazendo o que ele faz. Tenho orgulho em ser sócio da Aurora e seguir os passos do meu avô e pai”, pontua. Sônia, a mãe, se sente realizada em ver o filho Felipe seguindo e aprendendo com o pai.

Felipe cursa horticultura no IFRS. Giovanni, o filho mais novo estuda Engenharia Civil e Matemática, e trabalha em uma empresa na região. Nas horas de folga ajuda nos os pais nos afazeres de casa.

Itacir Pozza, presidente da Aurora diz que o maior prêmio da Cooperativa é valorizar o produtor e incentivá-lo a ficar na propriedade rural “A maioria dos cooperados tem mais de 60 anos de idade. Penso que este é o momento de recebermos bem esses jovens e mostrarmos para ele que não só a qualidade de vida mas o próprio ganho financeiro na produção da uva que reserva um futuro mais promissor. Por isso queremos valorizar o nosso produtor e incentivá-loa ficar na propriedade rural”.

Fotos: Marlove Perin

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.