Cedenir Postal é o novo presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bento Gonçalves

Chapa 2 vence por uma diferença de 17 votos

Associados do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bento Gonçalves, com área de extensão em Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Pinto Bandeira (STRBG) tem novo presidente. O agricultor Cedenir Postal, chapa 2, morador da linha São Luiz, distrito de Tuiuty ganhou a eleição por 17 votos. Postal é filiado ao sindicato há mais de 15 anos. A eleição foi realizada durante esta segunda-feira, dia 26 entre às 9h e às 15h e registou 747 votos, 359 votos para a chapa 1, com o candidato Ivandro Lerin, e 376 votos, para a chapa 2, de Cedenir Postal. Foram três votos brancos e nove nulos.

Embora o Sindicato tenha uma base de mais de quatro mil associados, apenas 1.042 tinham suas contribuições pagas até março deste ano, quando o prazo para o novo processo eleitoral passou a correr. Votaram associados de Bento, Pinto Bandeira, Monte Belo e Santa Tereza e houve urnas em oito locais diferentes: sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STRBG), Monte Belo do Sul na sub-sede do Sindicato, Pinto Bandeira no Salão Paroquial da Comunidade, Santa Tereza, no Salão Paroquial interior de Bento nas localidades de Tuiuty, no Salão Paroquial, Faria Lemos, no Salão da Comunidade, Vale dos Vinhedos, no Salão da Comunidade 8 de Graciema e em São Pedro, no Salão Paroquial da comunidade.

Após o pleito eleitoral, que foi realiza do pela Fetag (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do RS), a chapa 2 foi oficialmente empossada e inicia o trabalho nesta terça-feira, dia 27.

Nova diretoria:

CHAPA 2 – Diretoria efetiva: Presidente – Cedenir Postal; 1ºVice Presidente – Ivone Frá Osmarin; 2º Vice Presidente- Terezinha Belitzki Tonet; Secretário Geral – Gema Pilan Toniolo; 1º Secretário- Cassiano Buffon; 2º Secretário – Maria Cantelli Merlo; Tesoureiro Geral – Valdir Zorrer; 1º Tesoureiro – Fabiano Orsatto; 2º Tesoureiro- Geraldo João Rasera; Suplente do vice-presidente: Carlos de Costa; Suplente do 2º Secretário: David Benatti; Suplente do 2º Tesoureiro: Gabriel Petroli; Conselho fiscal efetivo: Auri Flamia, Elias Pellicioli, Gabriel Cimadon; Conselho Fiscal suplente: Carlos Baretti, Ivanor Passaia, Aelite Maria Comachio Trentin.

Fotos: Felipe Machado

Brasil assume lugar de destaque no cenário internacional do enoturismo

A representante do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Ivane Fávero, é a nova presidente da Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur)

Os destinos do chamado turismo do vinho das principais regiões do mundo serão conduzidos por uma brasileira. A mestre em turismo Ivane Fávero foi eleita presidente da Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur) e, nos próximos dois anos, estará à frente da entidade como representante do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), ao lado de uma diretoria com membros de países como França, Argentina, Espanha, Uruguai Portugal e Itália. A confirmação ocorreu na última sexta-feira (23), durante o Congresso Europeu de Enoturismo e Assembleia da Aenotur, realizados em Torgiano, na região de Umbria, na Itália.

A ex-secretária de turismo de Bento Gonçalves e Garibaldi ocupava a vice-presidência para a América Latina da entidade e passa a desempenhar o mais alto cargo do enoturismo mundial. “Temos um longo trabalho pela frente no sentido de provermos em conjunto todos os destinos enoturísticos. O objetivo principal da criação da Aenotur é termos uma plataforma única para divulgar esses destinos e o Brasil está inserido neste contexto”, adianta Ivane.

Ivane lembra que a entidade surgiu em 2014 como resultado do Congresso Latino Americano de Enoturismo, após reuniões com representantes de Portugal e Espanha. “O fato do Brasil estar na presidência da Aenotur nos coloca definitivamente no mapa do enoturismo mundial. Podemos dizer que já somos referência de qualidade na oferta enoturística mundial”, afirma. A nova presidente informa que entre os principais objetivos é qualificar cada vez mais os produtos enoturísticos e ampliar o número de associados. “Me sinto honrada, agradecida pela escolha de todos os membros associados na assembleia, mas também sinto a responsabilidade deste cargo perante o Brasil e os principais destinos enoturísticos do mundo. Precisamos fortalecer cada vez mais este importante segmento que tanto contribui com o desenvolvimento territorial”, acrescenta.

Para o diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Paviani, a eleição de Ivane no cargo de presidente da Aenotur deverá alavancar ainda mais a atividade no Brasil. De acordo com o último Censo Vinícola realizado no país, cerca de 30% das vinícolas tem projetos relacionados ao turismo de experiência. “O Ibravin acredita que investir no enoturismo é agregar valor à produção, atrair novos consumidores e fortalecer toda a cadeia produtiva vitivinícola”, sintetiza. O dirigente lembra da trajetória de Ivane à frente das secretarias de turismo nos municípios da Serra Gaúcha e, agora, no recém-criado Comitê de Enoturismo do Ibravin, que a credenciam para o cargo.

A nova diretoria da Aenotur é formada pelo presidente da Rede Europeia de Cidades do Vinho (Recevin), José Calixto, na vice-presidência, e pelo representante da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), Jose Arruda, como secretário geral. Também integram a diretoria as prefeitas das cidades espanholas de Alcázar de San Juan e Cambados, Rosa Melchor e Fátima Abal, respectivamente, o presidente da Iter Vitis France – ONG dedicada ao desenvolvimento do enoturismo na Europa –, Pierre Verdier, o prefeito da cidade portuguesa de Viana do Castelo, José Maria Costa, e o presidente de honra da Città Del Vino – organização que representa as cidades do vinho da Itália –, Paolo Benvenutti. Gonzalo Merino, dirigente da Bodegas Argentinas, e Wilson Torres Chavez, presidente da Associação de Turismo Enológico do Uruguai, representam a América Latina na Aenotur.

Quem é Ivane Fávero
Ivane Fávero possui graduação em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1991); especialização em Gerenciamento do Desenvolvimento Turístico pela Universidade de Caxias do Sul (2000); mestrado em Turismo pela Universidade de Caxias do Sul (2004), MBA em Planejamento e Marketing do Turismo pela George Washington University (2009) e especialização em Gestão Pública Municipal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Foi presidente da Associação Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo (Anseditur), além de vice-presidente para a América Latina da Aenotur. Atua nas áreas de gestão do turismo, planejamento, políticas, turismo rural e turismo sustentável.

Fotos: Alexandra Ungaratto

Trabalhadores já sacaram mais de R$ 37 bilhões de contas inativas do FGTS

Saques podem ser feitos no máximo até o dia 31 de julho

Os saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) já somaram R$ 37 bilhões, divulgou na sexta-feira (23) a Caixa Econômica Federal. O montante corresponde a 84,8% dos R$ 43,2 bilhões autorizados para serem retirados por meio da Medida Provisória 763. Até a última quarta-feira (21), 22,1 milhões de trabalhadores haviam retirado os recursos. O total equivale a 72% dos 30,2 milhões de trabalhadores beneficiados pela medida provisória. Se for levado em conta apenas os trabalhadores nascidos de janeiro a novembro, para quem os recursos foram disponibilizados até agora, 79,7% efetuaram o saque. O saque dos beneficiários nascidos em dezembro começa em 14 de julho. Esse será o quinto e último lote de retiradas. Independentemente das próximas datas, quem fez aniversário nos meses anteriores ainda podem sacar os valores ou transferi-los para suas contas-correntes, mas a data limite para todos os trabalhadores vai até 31 de julho.

Quem pode sacar

Pode fazer o saque quem teve contratos de trabalho encerrados sem justa causa até 31 de dezembro de 2015. Valores até R$ 1,5 mil podem ser sacados nos terminais de autoatendimento com a Senha do Cidadão. Para valores de até R$ 3 mil, o saque pode ser feito com o Cartão do Cidadão e a senha no autoatendimento, em lotéricas e correspondentes Caixa. Acima de R$ 3 mil, os saques devem ser feitos nas agências do banco. A transferência de recursos de contas inativas do FGTS da Caixa para outros bancos poderá ser feita sem a cobrança de taxas, a pedido do trabalhador.

Fotos: Divulgação

Lei que permite descontos para compras feitas em dinheiro é sancionada

Os lojistas não serão obrigados a oferecer desconto aos consumidores nas compras feitas em dinheiro, após a sanção da lei que permite cobrar preços diferentes para um mesmo produto dependendo da forma de pagamento (cartão, dinheiro ou cheque). A informação é do Ministério da Fazenda.

O presidente Michel Temer sancionou a lei, nesta segunda-feira (26), só exige, caso o comerciante opte por oferecer o desconto, que o aviso esteja em local visível. Em caso de descumprimento, os comerciantes estarão sujeitos às punições previstas no Código de Defesa do Consumidor. A lei que regulamenta a diferenciação de preços tem como origem a Medida Provisória (MP) 764/2016. A cerimônia de assinatura da sanção presidencial ocorreu no fim da manhã desta segunda-feira, no Palácio do Planalto.

Além de permitir que os comerciantes cobrem preços diferenciados para um mesmo produto em função da forma de pagamento, a medida possibilita a variação do valor em função do prazo de pagamento. Antes da lei, a diferenciação de preços era proibida. A prática, porém, já era comum no comércio.

A diferenciação de preços já estava valendo, uma vez que ela foi apresentada por meio de MP. No entanto, como sofreu alterações durante a tramitação no Legislativo, precisou ser sancionada pela presidência da República para virar lei. A MP foi apresentada pelo Executivo, em meio a um pacote de medidas macroeconômicas que foram publicadas sob a justificativa de possibilitar o aumento da produtividade no país.

A expectativa é de que, ao permitir a diferenciação de preços, ela estimule a queda do valor médio cobrado pelos produtos, de forma a evitar que consumidores que não usam o cartão como forma de pagamento paguem as taxas dos cartões, quando embutidas nos preços dos produtos.

De acordo com o superintendente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Everton Correia, hoje a taxa cobrada nas operações com cartão varia de 5% a 7%.

Fotos: Divulgação

Após decisão do TJ, Prefeitura de Monte Belo repassa R$ 2,3 milhões retidos para Ditália Móveis

A Prefeitura Municipal de Monte Belo do Sul repassou oficialmente nesta segunda-feira, 26, o valor de R$ 2,3 milhões que estava retido nos cofres públicos para uma conta de Recuperação Judicial da Ditália Móveis Ltda. O repasse aconteceu em virtude de determinação judicial, após decisão no último dia 25 de maio, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.
Conforme o prefeito Adenir Dallé (PMDB), que seguiu a determinação da justiça, “é uma empresa muito importante, talvez as pessoas que não tem um filho ou um parente na Ditália não deem tanta importância. Ela dá emprego e retorno para fazermos saúde e educação”, afirmou.
O valor estava retido e só poderia ser liberado, mediante apresentação de certidões negativas de débitos do INSS e FGTS, o que até então não havia sido possível, desde a última decisão da Justiça.
O recurso é originário dos benefícios fiscais oferecidos pelo Município desde a implantação da empresa em Monte Belo do Sul. Entre os incentivos, o município comprometeu-se a devolver percentual do investimento da empresa através do reembolso mensal de parcela do ICMS incrementado pela sua atividade, conforme previsto na Lei Municipal.
“Sempre fui a favor das empresas, pois elas são importantes. Não podemos perder empresas importantes no município. Queremos também trazer novas empresas para o nosso município”, acrescentou ainda Dallé.
Um projeto de incentivo chegou a tramitar na Câmara de Vereadores, porém, depois de aprovado, em nova tramitação foi vetado, até qualquer decisão judicial.
A Ditália Móveis já teve mais de 400 funcionários e desde a crise financeira, conta com cerca de 200.

Fotos: Divulgação

Brasil expõe 28 novos rótulos no maior parque temático de vinhos do mundo

Inaugurado há um ano, La Cité du Vin, em Bordeaux, na França, proporciona experiências culturais e sensoriais aos visitantes. Nos primeiros 12 meses de atuação, mais de 400 mil pessoas passaram pelo local

Imagine um espaço com mais de 13 mil m², projetado em um prédio com design inspirado em um decanter, dedicado exclusivamente ao universo do vinho. Há um ano, o centro cultural La Cité du Vin (A Cidade do Vinho, em português), em Bordeaux, na França, possibilita que os amantes da bebida de Baco conheçam mais sobre os principais produtores mundiais. E, desde sua inauguração, em junho de 2016, os rótulos verde-amarelos estão sob os holofotes no espaço.

Neste período, 425 mil visitantes de 150 nacionalidades passaram pelo local e puderam conferir 15 produtos de 14 vinícolas brasileiras. Com um rodízio de rótulos a cada ano, novas opções de 12 empresas gaúchas chegarão até o início do mês de julho para se somar ao portfólio do que é considerado o maior parque temático de vinhos do mundo. A participação brasileira é viabilizada pelo projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Aurora, Campos de Cima, Casa Perini, Casa Valduga, Domno, Don Giovanni, Lidio Carraro, Miolo Wine Group, Mioranza, Nova Aliança, Peterlongo e Salton enviaram 504 garrafas de 28 rótulos para serem degustados. A expectativa é que até junho de 2018 outras 450 mil pessoas visitem o local.

“La Cité du Vin foca na história mundial do vinho e proporciona aos visitantes experiências sensoriais com os produtos. A representatividade do Brasil no espaço o coloca em uma importante vitrine, ao lado de grandes países produtores. Inserimos a categoria no principal museu de vinhos do mundo”, comemora o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini. “Neste ano dobramos o número de amostras, sendo que 70% dos produtos enviados foram de espumantes das vinícolas associados ao Wines of Brasil. Utilizamos como estratégia a preferência por espumantes devido a aceitação do produto no mercado Externo, constatado também no aumento das exportações da categoria, e as mais de mil medalhas conquistas em concursos internacionais”, completa o dirigente.

Em 2016, as comercializações de vinhos e espumantes no mercado externo cresceram 45% em valor e 43% em volume em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os principais destinos dos rótulos verde-amarelos foram Paraguai, Estados Unidos, Reino Unido, Colômbia, China, Holanda, Japão, Alemanha, Finlândia e Canadá.

Conheça os rótulos brasileiros que estarão no La Cité du Vin:

Aurora
– Aurora Reserva Merlot
– Aurora Moscatel Branco Espumante
– Aurora Procedências Pinot Noir Espumante

Campos de Cima
– Campos de Cima Brut

Casa Perini
– Casa Perini Moscatel

Casa Valduga
– Casa Valduga Brut 130
– Casa Valduga Raízes Cabernet Franc

Domno
– Ponto Nero Brut

Don Giovanni
– Don Giovanni Ouro Extra Brut

Lidio Carraro
– Lidio Carraro Agnus Merlot
– Lidio Carraro Agnus Cabernet Sauvignon
– Lidio Carraro Dádivas Chardonnay
– Lidio Carraro Faces do Brasil Pinot Noir Rosé
– Lidio Carraro Dádivas Brut

Miolo Wine Group
– Miolo Cuvée Tradition Brut
– Miolo Lote 43

Mioranza
– RIOBRAVO Moscatel
– RIOBRAVO Brut

Nova Aliança
– Nova Aliança Moscatel

Peterlongo
– Privillege Brut Rosé
– Presence Moscatel Rosé
– Presence Demi-Sec
– Armando Memória Tannat

Salton
– Salton Intenso Marselan
– Brazil Intenso Brut
– Salton Poética
– Salton Reserva Ouro
– Salton Paradoxo

Fotos: Anaka/La Cité du Vin, divulgação

Suco de uva 100% é pauta em programa da Rede Globo

Preferência no paladar dos brasileiros, o suco de uva 100% vem ganhando cada vez mais espaço na mesa dos consumidores por suas características únicas, que vão além da cor, do aroma e do sabor. A bebida é altamente nutritiva e promove inúmeros benefícios à saúde.

Na manhã deste sábado (24), o suco de uva 100% do Brasil foi pauta ao vivo do programa semanal É de Casa, da Rede Globo. Apresentado por Zeca Camargo, Patrícia Poeta, Ana Furtado, André Marques e Cissa Guimarães e dirigido por Boninho, a atração televisiva levou aos seus estúdios, no Rio de Janeiro, o representante do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o jornalista especializado no setor, Maurício Roloff.

Em uma conversa descontraída com Ana Furtado, Roloff contou sobre as diferenças entre os produtos 100%, néctar, refresco e em pó, as distintas tonalidades do suco de uva 100% (tintos, brancos e rosés) e também sobre os benefícios que a bebida, assim como o vinho, proporciona à saúde.

Estudos ligados à prevenção de doenças cardiovasculares e de envelhecimento precoce, diminuição do risco de aparecimento de enfermidades neurológicas e cancerígenas, melhora na cognição, auxílio na redução de peso e aumento no desempenho de esportistas são algumas das vantagens já comprovadas por pesquisadores de todo o mundo.

“A gente encara a uva como uma superfruta da saúde. Esses benefícios são muito comentados quando se fala de vinho, naquela dose regular, moderada, indicada pelo cardiologista. No suco de uva também tem esses benefícios à saúde, com a vantagem de que não tem restrição nenhuma, é para família toda, qualquer um pode tomar suco de uva sem qualquer restrição”, disse em rede nacional o representante do Ibravin.

Não é exagero dizer que o suco de uva servido na mesa dos consumidores é resultado do esforço de muitas famílias. O perfil das propriedades que cultivam as uvas para a bebida 100% é proveniente da agricultura familiar. Ao todo, mais de 15 mil famílias estão envolvidas no cultivo. Hoje o suco 100% é de extrema importância para a cadeia produtiva – 50% da safra é destinada para a sua elaboração –, o que exigiu dos produtores investimento em tecnologia para garantir volume e, principalmente, qualidade em suas marcas.

Entenda as diferenciações do produto:
Nos sucos de uva 100% do Brasil, o único ingrediente é a fruta, sem adição de açúcar, conservantes, sabores ou aromas artificiais. É por isso que eles são nutritivos e têm inúmeros benefícios para a saúde. Nem tudo que tem uva é suco. Fique atento aos diferentes tipos de produtos.

Suco de uva 100%: 100% uva, sem adição de açúcar, conservantes, corantes ou aromatizantes.

Néctar: 50% uva, diluído em água e adoçado.

Bebida/Refresco: 30% uva, diluído em água e adoçado, podendo ser colorido e aromatizado artificialmente.

Em pó: pode não conter uva em sua composição.

Conheça alguns dos benefícios da uva e seus derivados à saúde:
– Prevenção de doenças cardiovasculares e redução da pressão arterial;
– Diminuição dos índices do mau colesterol (LDL) e aumento do bom colesterol (HDL) no sangue;
– Redução de danos oxidativos em estruturas cerebrais, podendo reduzir o risco do aparecimento de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e Parkinson;
– Melhora na cognição e na memória;
– Ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como os de pulmão, intestino, mama e cólon;
– Favorece as funções hepáticas do fígado;
– Redução de riscos de doenças renais;
– Auxilia no combate à obesidade;
– Acelera o metabolismo, reduzindo o ácido úrico, e, consequentemente, combatendo a fadiga;
– Aumenta o desempenho de atletas;
– Melhora a circulação periférica favorecendo a nutrição para os músculos;
– Repara as células do corpo, reduzindo os efeitos do envelhecimento e auxiliando em doenças associadas ao envelhecimento;
– Auxilia no funcionamento da flora intestinal;
– Fortalece o sistema imunológico, já que possui ativos com poder anti-inflamatório e antimicrobiano.

Fotos: Divulgação

Vinícola Aurora participa do ExpoVinhos Vitória 2017 Dias 28 e 29 de junho, na Arena Camburi

O Salão Internacional de Vinhos de Vitória (ExpoVinhos) chega à sua nona edição, que será realizada nos dias 28 e 29 de junho na capital capixaba, este ano em novo local, na Arena Camburi. A Vinícola Aurora, maior e mais premiada vinícola do Brasil, participa mais uma vez desse evento, levando vários rótulos premiados à degustação do público e da crítica especializada.

Um dos destaques promete ser o Aurora Reserva Merlot, que na sua safra 2013 foi eleito um dos TOP Five da ExpoVinhos na categoria Tintos do Novo Mundo. Na safra 2015, foi o tinto brasileiro para participar do programa MasterChef Brasil. O rótulo estará no evento com os outros tintos da linha Reserva: Cabernet Sauvignon e Tannat. O ícone Aurora Millésime Cabernet Sauvignon 2012, vinho emblemático considerado o melhor Cabernet Sauvignon do país no Anuário Vinhos do Brasil, será um dos grandes destaques do salão, assim como a linha Aurora Pinto Bandeira, com vinhos elaborados com as uvas cultivadas na área de terroir da vinícola, com Indicação de Procedência Pinto Bandeira: Chardonnay, Pinot Noir e o espumante Aurora Pinto Bandeira Extra Brut Método Tradicional, com 24 meses de contato com as leveduras.

Os vinhos da Vinícola Aurora que representam a América do Sul, os Pequenas Partilhas Notáveis da América, são outras opções da vinícola no evento. Todos são elaborados pelos enólogos da Aurora nos países de origem e em vinícolas parceiras selecionadas pela empresa para esse projeto. São eles: Tannat do Uruguai, Carmenère do Chile, Malbec da Argentina e o Cabernet Franc do Brasil. Os vinhos da linha Aurora Varietal, mais frescos e jovens, também estarão ali representados em 3 rótulos: Pinot Noir 2017, Chardonnay 2017, ambos sem estágio em carvalho, e o de sobremesa Aurora Colheita Tardia, elaborado com Malvasia Bianca, com excelente acidez e frescor em perfeita harmonia com seu delicado dulçor.

A Vinícola Aurora é líder no mercado brasileiro em vinhos finos e possui 13 marcas em seu portfólio. Os vinhos tranquilos da marca Marcus James, que acabam de ganhar novas e exclusivas garrafas, estarão presentes no salão.

O IX Salão Internacional de Vinhos de Vitória conta com uma feira no formato wine tasting, cursos para profissionais a serviço do vinho, palestras e o prêmio Top Five, que elege os cinco melhores vinhos em seis categorias.

Fotos: Roali Majola

UCS enfoca Design Thinking no 12º Seminário de Gerenciamento de Projetos

Ciclo de workshops e palestras ocorre até sábado, no UCS Teatro. Realização é da seção estadual do Project Management Institute (PMI), entidade presente em 185 países, com 650 mil profissionais de gestão de projetos associados

Identificar perspectivas, expectativas e necessidades implícitas do cliente e stakeholders de projetos por meio do Design Thinking – conjunto de métodos e processos para abordar problemas, analisar informações, criar e adaptar soluções – será o enfoque do workshop apresentado pelo professor-pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e do Programa de Empreendedorismo da Universidade de Caxias do Sul, Mateus Panizzon, no 12º Seminário de Gerenciamento de Projetos. A apresentação ocorre nesta quinta, dia 22, das 8h às 12h, no UCS Teatro.

Apoiado pela UCS, o seminário é realizado pela seção estadual do Project Management Institute (PMI), associação internacional, sem fins lucrativos, de profissionais de gestão de projetos. Com sede na Filadélfia (EUA, a entidade reúne 650 mil integrantes, de 185 países, tendo como principias objetivos formular padrões profissionais de gestão de projetos e promover a atividade como profissão por meio de programas de certificação.

A programação do evento se iniciou nesta quarta, com um workshop sobre coaching executivo com a mentora organizacional e professora universitária de MBA e cursos in company, Magda Targa. Um terceiro workshop, sobre gestão do tempo, ocorre na sexta. No sábado, haverá um conjunto de palestras, com abertura a cargo do coordenador-executivo do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação – TecnoUCS, Enor Tonolli Jr. Ingressos e detalhes sobre asdiferentes atividades podem ser obtidos pelo site www.sympla.com.br/pmirs-serra.

Programe-se:

Workshop ‘Design Thinking aplicado ao Planejamento do Escopo: como mapear as necessidades implícitas?’

Quando: quinta, dia 22, das 8h às 12h

Resumo: Com base nas melhores práticas da Escola de Design de Standford, este workshop fornece métodos e ferramentas para identificar as perspectivas, expectativas e as necessidades implícitas do cliente e stakeholders de projetos. Através desta abordagem solucionaremos uma situação relacionada ao Gerenciamento de Projetos.

Instrutor: Mateus Panizzon – Professor-Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade de Caxias do Sul e membro da MESA – Manufacturing Enterprise Solutions Association. Professor do Programa de Empreendedorismo da UCS, atua com o método Lean Startup para a geração de negócios inovadores. É facilitador certificado em Pedagogia da Inovação pela TUAS – Finlândia.

Workshop ‘Gestão do Tempo: Turbinando a Produtividade Pessoal’

Quando: sexta, dia 23, das 13h30 às 17h30

Resumo: Como ser produtivo no trabalho, em casa, em atividades terceiras e com lazer ao mesmo tempo.

Instrutor: Alex Rosa – membro ativo do comitê de planejamento estratégico do PMI-RS; membro de um PMO (Escritório de Projetos) de uma empresa de gestão de projetos de Engenharia.

PALESTRAS

Quando: sábado, dia 24, das 8h às 13h

8h: Credenciamento

8h30: Abertura – Fabio Giordani (PMI-RS) e Enor Tonolli (TecnoUCS/StartUCS)

8h45: Gestão do Tempo e Produtividade – Alex Rosa (Metroll)

9h25: Gestão de Riscos Corporativos – Edenilson Luz dos Reis (Circulo Estratégico Consultoria)

10h05: Inovação Multilateral – Caroline Capitani (Ilegra)

10h45: Coffee time

11h15: Gerenciamento de Projetos na Indústria do Agronegócio – Geraldo Virgilio Bampi (Grupo Silvestrin)

11h55: Homenagem a filiados e divulgação dos próximos eventos do PMI-RS

12h10: Keynote Organizações Exponenciais: e agora GP?! – Guilherme Souto (DXC Technology)12h50: Encerramento e sorteio de brindes

Fotos: Divulgação

Caxias do Sul registrou o fechamento de 146 postos de trabalho em maio

Carta Mensal do Mercado de Trabalho foi divulgada nesta quarta pelo Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul

O Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul (UCS) divulgou nesta quarta, dia 21, a Carta Mensal do Mercado de Trabalho Formal de Maio de 2017 para a região de abrangência da UCS, abrangendo os municípios de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Canela, Farroupilha, Flores da Cunha, Guaporé, Nova Prata, São Sebastião do Caí, Veranópolis e Vacaria.

Os dados da Carta são extraídos da base de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e Previdência Social. A publicação está disponível na página do Observatório do Trabalho no site da Universidade de Caxias do Sul.

Em Caxias do Sul foram fechados 146 postos de trabalho no mês de maio. O número representa um decréscimo de 0,10% sobre o total de empregos formais. O setor que mais fechou postos de trabalho foi o da Agropecuária, com 140 vínculos encerrados, seguido pela Construção Civil, com 76 vagas fechadas.

Nesse mesmo período, o Comércio foi o setor que mais abriu postos de trabalho, com 120 vagas. Com estas, o total de empregos abertos a cidade no ano chegou a 1.544 postos. Nos últimos 12 meses foram encerrados 3.270 postos de trabalho em Caxias do Sul, um decréscimo de 2,11%. Os setores que mais fecharam postos de trabalho foram o de Serviços, com 1.255 vagas encerradas, e a Indústria de Transformação, com 1.209 desligamentos. O setor que obteve maior crescimento relativo foi a Agropecuária, de 7,35%.

Em Bento Gonçalves foram fechados 50 postos de trabalho no mês de maio, um decréscimo de 0,13% sobre o total de empregos formais. Nesse período, os setores que mais fecharam postos de trabalho foram a Indústria de Transformação, com 60 vagas a menos, seguido pelos Serviços, com 19 vínculos encerrados. O saldo acumulado no ano é de 49 vínculos criados. Nos últimos 12 meses foram fechados 1.312 postos de trabalho no município, um decréscimo de 3,25%, sendo a Indústria da Transformação o setor que mais encerrou vagas, com o fim de 597 vínculos.

Fotos: Divulgação