Viticultura: uma profissão que passa de pai para filha

Gerações de produtores familiares que trabalham no cultivo de parreirais que há 34 anos contam com a parceria da Cooperativa Aurora

Ela transporta um legado espiritual e material no seu quotidiano. Por escolha própria ela administra a propriedade vinícola da família. O mundo do vinho é tradicionalmente masculino, e poucas vezes, salvo exceção como a de, Daiane Perin, 33 anos, tem uma mulher no comando da propriedade que cultiva cinco hectares de vinhedos, na localidade de Caravaggio em Monte Belo do Sul. Filha única dos agricultores, Arlindo Perin, 75 anos, e Lourdes Perin, 68 anos, que além do gosto pela vitivinicultura também transferiam para a filha a importância de ter o respaldo técnico e a garantia do escoamento da safra por isso, há 34 anos, a família é associada da Cooperativa Vinícola Aurora. “Daiane faz parte de uma nova era e traz consigo a grande novidade de abertura para novos conhecimentos na terra, que há gerações está transpassando na família Perin e, sempre em parceira com a Cooperativa Aurora”, diz orgulho o patriarca da propriedade, Perin.

Já a mãe, Lourdes, entende que a filha faz parte de uma nova geração que traz consigo a grande novidade de abertura para outras realidades da produção familiar, que há gerações veio da Itália. “O mundo do vinho vai mudando com o tempo, mas mantém suas raízes na cultura da plantação dos parreirais familiares. Aí está com a filha, aquela que podemos e devemos contar para construir a próxima geração vinhateira”.

Desde criança que o vinho é vivido na casa da Daiane de forma especial. Das brincadeiras de criança ao trabalho nos parreirais, na propriedade da família foram criando laços que ficam na sua memória no seu coração e consequentemente despertam vontades de permanecer na terra e dar continuidade ao trabalho da família Perin, em parceria com os incentivos da Cooperativa Aurora. “Gosto de mexer na terra e estar perto dela. Confesso não é fácil os desafios diários, mas junto com a família com o auxilio da Aurora conseguimos levar as coisas diante. Assim nos tornamos uma grande família que caminha junto. Desta forma trabalhamos sabendo onde vamos escoar a nossa safra”, afirma Daiane.

Fotos: Divulgação