Linha Jansen 32 festeja Colono e Motorista

A Capela Nossa Senhora da Misericórdia da Linha Jansen 32 de Pinto Bandeira promove a 33ª Festa em homenagem ao Colono e Motorista, na terça-feira, dia 25. O evento inicia às 9h30min com procissão motorizada saindo da Capela São Pedro Linha 28.Em segui da bênção dos carros, máquinas e demais veículos em frente ao Salão da Linha 32. Às10h30min missa cantada pelo Coral da Comunidade. Ao meio dia almoço com o seguinte cardápio: sopa de capeletti, galeto, churrasco, salada verde, maionese, pão, vinho, biscoito e café. Para encerrar o dia festivo, às 14h animação com o conjunto Ge verson Carreli e Grupo.

Capela Nossa Senhora do Rosário festeja o Dia do Colono

A Capela Nossa Senhora do Rosário de Monte Belo do Sul festeja a tradicional festa do Colono, na terça-feira, dia 25 com jantar. No cardápio: sopa de capeletti, leitão, churrasco, maionese, salada, pão, vinho, refrigerante e sobremesa. Valor de R$ 40,00 por pessoa.

FestiQueijo para curtir nos fíndis de julho

Entre as tradicionais festas, o FestiQueijo se destaca como um dos melhores eventos gastronômicos da região. Presente nos invernos de Carlos Barbosa desde 1987, o evento chega a sua 28ª edição, contando com mais de 40 tipos de queijos, além de pratos da culinária típica italiana, vinhos e espumantes. O festival também é uma oportunidade para moradores e visitantes conferirem as diversas atrações artísticas que se revezam no palco principal do salão. É possível conhecer os lançamentos das empresas expositoras e participar da Feira de Compras. Estão inclusos no ingresso: variedades de queijo, a tradicional gastronomia italiana, suco de uva, refrigerante, água e café, além de uma seleção de vinhos e espumantes da região. Quanto custa Às sextas-feiras e domingos, a entrada custa R$ 110. Aos sábados, o ingresso é R$ 120. Crianças até sete anos têm entrada gratuita; as de oito a 12 anos pagam R$ 55.

Fotos: Divulgação

1º Festival do Cordeiro em Monte Belo do Sul

Nos dia 22, 23 e 24 de setembro, em Monte Belo do Sul, será realizado o Iº Festival do Cordeiro. Um evento diferenciado em que essa cidade, que é o berço da elaboração dos vinhos e o Paraíso da Serra Gaúcha, irá receber os turistas com diversas atividades e eventos envolvendo mais de 30 propriedades, agroindústrias e cantinas.

No dia 22, sexta feira, teremos uma serenata na Praça onde nossos visitantes irão curtir boa música, pratos típicos, vinhos e espumantes produzidos nas cantinas locais. No dia 23, sábado a noite, teremos um jantar a base de cordeiro harmonizado com nossos vinhos e espumantes. O menu está sendo preparado com muito carinho pelo Chef Nadir Barcelos, do Bristrô da Conga de Porto Alegre, junto com o Mestre Assador, André Souza, dos Assados Campeiro . Nesse dia a festa fica por conta da Banda Ragazzi Dei Monti, grupo musical Ítalo Brasileiro que tem em seu repertório um jeito muito especial, tocando músicas que vão desde o popular ao romântico e, com muita intensidade, o folclore italiano. Um show imperdível.

E no dia 24, domingo, teremos o Concurso do MELHOR ASSADOR do Festival. Pela manhã os assadores inscritos receberão cortes de cordeiro para servirem no nosso almoço. Haverá premiações para o MELHOR ASSADOR, o MELHOR ASSADO e o DESTAQUE do Festival. O Mestre Cuteleiro, Adelar Fillipon, já está confeccionando em sua forja, com mais de 200 anos de tradição, as facas que serão os Prêmios destes destaques.

Nos dias 23 e 24 as propriedades estarão abertas para receber os turistas. Vans irão conduzir os visitantes e os roteiros serão diversificados onde poderão ver como são elaborados nossos vinhos, espumantes e sucos. Poderão conhecer a tanoaria, que produz as pipas para o armazenamento dos vinhos, o museu da colonização italiana na região, a fabricação das massas, doces e geleias, visitar os parreirais, saborear nossos produtos sentados nos gramados degustando um bom vinho ou espumante. Muitas propriedades, além de estarem abertas para a visitação, terão cardápios especiais para almoços e cafés coloniais, mas é preciso se antecipar para fazer as reservas. Entre as atividades teremos surpresas especiais que só quem estiver por aqui vai poder assistir. Um super concurso de fotografia, curso de degustação de vinhos, apresentações de dança e música, exposição fotográfica e sorteios especiais. Destacando ainda a Feira do Agricultor no Salão Paroquial, com os produtos típicos da região, artesanatos, pães, biscoitos, geleias, doces, temperos e uma praça de alimentação para a degustação dos vinhos, espumantes e sucos. Maiores informações pelo email montebelodosul.rs@gmail.com ou pelos telefones 54 99172.7921 ou 51 99634.2533.

Conheça a história do pintobandeirense Moacir De Toni, motorista de caminhão há quase 55 anos

Moacir De Toni, conhecido por Titi, é um exemplo de amor ao trabalho. Aos 73 anos de idade é considerado o motorista mais velho de Pinto Bandeira. Há 53 anos é caminhoneiro e ainda desbrava as rodovias do país transportando cargas de frutas

A rotina de um motorista realmente não é nada fácil. Mas Moacir, que começou com 15 anos de idade, não gostava da colônia, sempre gostou de caminhão, ajudava a transportar barro na olaria do pai tem uma receita para driblar as dificuldades da profissão: o bom humor. Com 20 anos de idade, já com a carteira em mãos, começou a viajar para o São Paulo e para o Norte e foi neste momento que iniciava uma história de amor intenso ao que faz. Foi pioneiro a viajar para Manaus com o caminhoneiro e vizinho Isidoro Bigolin, 71 anos, hoje aposentado. Para De Toni, o melhor amigo dele é o caminhão “O segredo para eu estar na estrada há tantos anos é porque eu gosto muito do que faço. Caso contrário, não aguentaria. Eu gosto muito de caminhão. Pra mim, de fato, é uma paixão. Não sei quanto tempo ainda vou, um mês ou dois, ou dez anos. Enquanto eu não atrapalhar ninguém e não colocar a vida de ninguém em risco, eu continuo”, afirma.

Casado há 52 anos com Rosa Comiotto, tem duas filhas Gabriela e Sabrine e uma neta, Marina, diz que a família dá o maior apoio com a decisão de continuar dirigindo, mesmo com idade avançada. “Todos me apoiam. Eles têm satisfação de estarem comigo. Me querem muito bem e todos me gostam muito, embora se preocupem por viajar sozinho” diz. Ele viaja toda semana para São Paulo e de lá segue para o Nordeste. “Não temos uma raiz, estamos sempre em movimento, não temos lugar fixo. Chego a ficar 20 dias fora de casa. São 20 dias fora, então a saudade é constante” lembra De Toni que já chegou a ficar mais de 70 dias fora de casa. Conta que em todos esses anos sofreu apenas dois assaltos, em um levou uma facada e em outro um tiro. “Se eu puder, quero dirigir até os meus 80 anos. Eu estou pedindo a Deus que me dê muitos anos ainda. Tenho saúde e condições física e mental para dirigir”, brinca. De Toni revela que prefere dirigir à noite, já que tem menos movimento e que para ele não existe lugar ruim. “A estrada contribuiu para a minha vida. A amizade que se faz na estrada é muito grande, sempre estamos conversando com alguém, são todos amigos da gente”, diz o motorista, que completa: “A estrada é a minha vida, é minha alegria, tudo o que eu tenho conquistei com o meu trabalho. Nada cai do céu”, diz. “Ele motiva todos, muitas pessoas aprenderam a dirigir com ele e outros viajam juntos para conhecer lugares, todos que o conhecem acabam se apaixonando. Ele é excepcional e dedicado” diz a filha Gabriele. Foram vários modelos até chegar no caminhão que dirige hoje, um Mercedes 2425. O motorista ainda tem mais três carretas. “É impressionante a disposição que tem para trabalhar. Sua experiência com sua eficiência serve de exemplo para nós”, concluiu a filha mais velha Sabrine.

De Toni conta que em uma viagem que fez para o Rio de Janeiro foi procurado pela defesa civil para transportar mortos. “Fiquei abalado porque havia crianças mortas. Foi um deslizamento que aconteceu em Angra dos Reis e como estava a caminho fiz o frete” recorda.