Família se dedica à produção de rosas

Plantio das mudas começou em junho para ser transplantado no final de outubro para restauro do caminho das rosas

Desde 2009 a família Casagranda, Linha Jacinto, interior de Pinto Bandeira se dedicada ao cultivo de rosas. A agricultora e dona de casa, Salete, 48 anos, é apaixonada por rosas, conta que iniciou o plantio da flor para embelezar o quintal e depois foi cultivando novas mudas. Ela, o marido Dirceu, 55 anos, o filho

Paulo César, 32 anos, e a nora Vaniqueli, 25 anos, trabalham no cultivo de uvas e dedica o resto do tempo no cultivo das flores. Em parceria com a Prefeitura Municipal de Pinto Bandeira para o restauro do caminho das rosas, umas das metas do governo do Prefeito Hadair Ferrari, a família plantou aproximadamente
16 mil mudas de rosas, todas da mesma cor. O plantio começou na metade do mês de junho para ser transplantado no final de outubro. “É um trabalho gratificante, gosto muito do que faço” diz Salete. “Quando você esta envolvido na comunidade, você gosta, não tem porque deixar de fazer, você acaba se envolvendo, não importando o serviço que dá” complementa
Dirceu.
A ideia sugerida pelo prefeito é motivar voluntariamente as famílias a participarem do restauro do caminho das rosas. Inicialmente de Pinto Bandeira a linha 28 “Queremos que as pessoas trabalhem por um dia como voluntários em fazer roçadas, manutenção e replantar as roseiras. É uma forma de união e de economizarmos” explica o Prefeito.

Dicas e cuidados básicos de como plantar rosas

Todas as flores precisam de cuidados. Porém, algumas precisam mais do que outras, como as rosas. As roseiras devem ser plantadas em solo rico em húmus e, preferencialmente, argiloso. As covas devem ter 30 cm de profundidade. Regue sempre quando o sol estiver mais forte, ao meio-dia, até começar a floração. A partir daí, regue somente em períodos de seca. Recomenda-se aplicar fungicidas quando a primeira folha apontar, pois a incidência de doenças
é maior.

Adubação
Recomenda-se fazer de 2 a 3 adubações anuais. A primeira deve acontecer logo após a poda anual. Já a segunda, deve ser entre novembro e dezembro. E a terceira adubação pode acontecer entre janeiro e fevereiro. Deve-se espalhar o adubo com uma boa distância entre o caule e as raízes.

Poda
A primeira poda deve ser feita após um ano do plantio e ser repetida todos os anos. O melhor período para podar as roseiras é entre julho e agosto. Após a primeira floração, é necessário fazer uma poda de limpeza, cortando de duas a três folhas abaixo do botão, sempre na diagonal. As podas são necessárias para que as roseiras sempre floresçam e se desenvolvam bem.

Pragas

As pragas mais comuns são pulgões e, seguidos a eles, os ácaros, trips, larva minadora e cochonilha. O controle dessas pragas é feito por inseticidas específicos, mas também pode ser usada a calda de fumo, que é caseira e menos tóxica. Os principais causadores de doenças graves nas roseiras são os fungos, como míldio, pinta preta, mofo-branco, botrytis e ferrugem, que aparecem devido ao excesso de umidade.

Fotos: Marlove Perin