115 ª Romaria e Festa Nossa Senhora do Rosário de Pompéia

Com o tema “Nossa Senhora do Rosário de Pompeia: 120 anos de bênçãos e graças”, Pinto Bandeira festeja Padroeira

No domingo, 08 de outubro, Pinto Bandeira promove a 115 ª Romaria em homenagem a sua Padroeira, Nossa Senhora do Rosário de Pompéia. Com o tema “Nossa Senhora do Rosário de Pompeia: 120 anos de bênçãos e graças” a programação inicia às 6h com alvorada festiva seguido de celebração religiosa no Santuário ás 8h. Às 10h30min missa solene em honra a Nossa Senhora do Rosário de Pompéia com recepção e bênção 18ª Romaria dos Motoqueiros em frente à igreja. Ao meio dia tradicional almoço no Salão da Paroquial. Às 14h30min terço no Santuário, seguido de missa festiva com as bênçãos no Santuário e às 16h procissão e encerramento com bênção das rosas na Matriz.

Programação da Festa da Padroeira

1º dia – Sexta-feira, dia 29 – Sede

19h30min – Missa Matriz – Tema “Senhora do Rosário de Pompéia: da Itália a Pinto Bandeira”

2º dia – Sábado, dia 30 – Santuário Santo Antônio – Bento Gonçalves

Neste dia acontecerá a Caminhada das Comunidades em preparação aos 120 anos de chegada do Quadro da Padroeira a celebrar-se em 2017. O quadro foi trazido pelo Padre Luiz Segale, chegando a esta comunidade em 16 de outubro de 1897.

17h30min – Acolhida aos peregrinos na Praça da Matriz. Os representantes das comunidades participarão da procissão de entrada com os estandartes dos padroeiros.

18h – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: ajudai-nos a viver a graça batisma”

3º dia – Domingo, dia 1º – Catequese, Escolas da Paróquia e Jovens

18h – Missa com o tema “Senhora do Rosário de Pompeia: concedei-nos compreender os sinais da redenção”

4º dia – Segunda-feira, dia 02 – Comunidades: Anunciata e São Gabriel – Setor 3

19h30min – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: ensinai-nos a ser misericordiosos”

5º dia – Terça-feira, dia 03 – Comunidades: São José, Santo Antônio, Santo André, São Luiz e Santa Cruz – Setor 1

19h30min – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: fortalecei-nos na fé”

6º dia – Quarta-feira, dia 04 – Santuário Diocesano Nossa Senhora de Caravággio – Farroupilha

19h30min – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: ajudai-nos a ser uma Igreja viva”

Campanha do Quilo – Após a missa, filó no Salão Paroquial (Famílias da sede, participar com um prato).

7º dia – Quinta-feira, dia 05 – Comunidades: São Marcos, N. S. do Rosário – 5º Seção, Linha Marcolino Moura, Linha Clementina, Linha Silva Pinto Norte e Linha Jacinto Norte – Setor 2

19h30min – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: auxiliai-nos a viver o Evangelho”

8º dia – Sexta – feira, dia 06 – Movimentos de Cursilho, Chammá e Emaús

19h30min – Missa – Tema “Senhora do Rosário de Pompeia: concedei-nos vossas bênçãos e graças”

9º dia – Sábado-feira, dia 07 – Comunidades: São Pedro, N. S. do Carmo e N. S. da Misericórdia – Setor 4

16h – Caminhada com saída da Capela São Pedro até o Santuário

18h – Missa – Tema “Nossa Senhora do Rosário de Pompeia: rogai por nós que recorremos a Vós”

Programação Missas de Setembro / Outubro no Santuário

Terça, Quarta e sexta-feira sempre às 18h;

Sábado às 16h;

Domingo somente: 09h

Todas as quintas-feiras às 18h terço na matriz.

Todo dia 07 do mês missa votiva às 18h

Toda sexta-feira até a páscoa, às 19h30min via-sacra na Matriz.

Doce tradição: produção de uva reúne gerações na Cooperativa Aurora

Cultivo da fruta é comum no interior. São associados, como Leopoldo Puton, 73 anos, mantém a tradição herdada dos avós

A tradição herdada dos avós que começa lá atrás, na descendência de imigrantes italianos que, vieram da Itália mexe com a memória afetiva de muitas famílias.

É o caso da família Puton, em Monte Belo do Sul. Leopoldo leva adiante a tradição ensinada pelo seu pai de produzir uvas. Aos 73 anos esbanja saúde e alegria. Ele mora num pequeno paraíso, localizado nas encostas da Serra Gaúcha, na Estrada da Vindima. O município de Monte Belo do Sul, maior produtor per capita de uvas, tem cerca de 2,8 habitantes e é cercado por parreirais que tornam as paisagens deslumbrantes. Associado a maior Cooperativa do Brasil, a Aurora desde 1965 o produtor tem nela seu apoio diário “Aurora é uma família. Temos orgulho em dizer que crescemos a cada dia e isso é reflexo da dedicação de cada um de nós associados. Sem dúvidas continuaremos crescendo e levando aos clientes produtos de excelência” diz Leopoldo. “Nasci aqui e é aqui que quero morrer. Cresci debaixo dos parreirais. Gosto de plantar e de ver as plantas crescerem, se desenvolverem e dar frutos. Não arredo pé deste lugar” ressalta o agricultor.

Foi lá que ele criou suas duas filhas. A filha, Graziela, 46, é casada com Silvio Pizzi e mora em Porto Alegre. A filha mais nova, Marlouve, 41, a neta Gabriela,18, e o Genro Vanderlei Ferronato, moram em Bento Gonçalves. Todos têm algo em comum: o amor pela terra. “O segredo para se manter no interior e garantir a sobrevivência da família e da terra é ter persistência e atualização às novidades” destaca Leopoldo. Segundo ele, é preciso prestar atenção nas mudanças, buscar novas técnicas. “Hoje, a Cooperativa Aurora, da qual somos sócios, nos dá toda a assistência necessária” lembra. Mais do que tudo isso, é gostar da natureza e da terra. “ Não é um trabalho fácil. Também não dá para desanimar quando uma safra não dá certo. É pre preciso erguer a cabeça e recomeçar” recomenda o produtor. Toda a produção de Leopoldo é vendida para a Cooperativa Aurora. São quatro hectares de uvas das variedades: Isabel, Seibel, Moscatel Nazareno e Merlot. Para este ano, a expectativa é colher uma safra normal, porém tudo vai depender do clima, afirma o produtor.

Fotos: Marlove Perin

Cinema entre os vinhedos terá três exibições em outubro

Nova temporada do Wine Movie Peterlongo abriu sábado, 23, com ‘O Filme da Minha Vida”. Ingressos para os próximos filmes estarão à venda a partir do dia 27

A segunda temporada do Wine Movie Peterlongo começou no sábado, 23, com a exibição de duas sessões da produção brasileira ‘O Filme da Minha Vida’. A neblina e a fina garoa deram ares ainda mais europeus ao jardim da vinícola centenária e não impediram que o público comparecesse para assistir a produção com cenas gravadas na Serra Gaúcha, sob a direção de Selton Mello. A experiência de degustar um bom espumante assistindo a um filme a céu aberto entre os vinhedos segue durante o mês de outubro com mais três filmes. Os ingressos estarão à venda a partir de quarta-feira, 27, no varejo da vinícola ou pelo site www.sympla.com.br.

A programação continua dia 7 de outubro com a reprise de ‘O Filme da Minha Vida’. “Resolvemos repetir o filme, pois em razão do mau tempo nem todo mundo conseguiu comparecer no sábado. Além disso, a procura foi muito grande, tanto que abrimos uma sessão extra. Será mais uma chance para quem quer assistir a produção nacional gravada na região”, destaca o sócio diretor da Peterlongo, Luiz Carlos Sella. O segundo filme do mês será ‘O segredo dos seus olhos’, programado para 21 de outubro e no sábado seguinte, 28, será a vez do ganhador do Oscar, ‘Moonlight: Sob a Luz do Luar’.

Em caso de chuva a atração será transferida para o interior da vinícola. A programação começa às 18h com a exibição do filme sempre ao anoitecer. O público pode aproveitar o espaço para contemplar o pôr do sol, degustar vinhos e espumantes, saborear quitutes e curtir atrações musicais da região, sempre ao vivo no jardim da vinícola. No último sábado foi a vez de a Banda Taboo embalar a noite.

A Peterlongo resolveu incrementar a programação durante o próximo mês em razão da realização da Fenachamp – Festa Nacional do Espumante, que acontece em Garibaldi, Capital Brasileira do Espumante, de 5 a 29 de outubro. O Wine Movie Peterlongo passou a ser o cinema de Garibaldi (RS), oferecendo uma experiência inusitada ao ar livre entre os vinhedos da centenária vinícola e ao lado do emblemático Castelo Peterlongo.

A atração, lançada em setembro do ano passado, oferece, ao invés do conforto de poltronas e ar condicionado das salas de cinema, um ambiente natural cheio de charme e nostalgia. Ao ar livre, as pessoas vão se acomodando no gramado de um jardim cercado por vinhedos e pelo Castelo Peterlongo, construído no início do século passado, tendo o centro da cidade como pano de fundo. O público, de pouco mais de 100 pessoas, vai ocupando bancos de paletes, almofadas e tapetes do local, ou, se preferirem, cadeiras e mantas trazidas de casa.

Os filmes

O Filme da Minha Vida – 1h53min

Baseado no livro “Um Pai de Cinema” do chileno Antonio Skármeta, mesmo autor de “O Carteiro e o Poeta” e “No”, o filme, dirigido por Selton Mello, mostra Tony (Johnny Massaro), um jovem professor que, aos 21 anos, após concluir a faculdade, volta para sua cidade natal e descobre que o pai (Vincent Cassel) voltou para a França alegando sentir falta dos amigos e do país de origem. Tony vê-se em meio aos conflitos e inexperiências juvenis. O drama tem direção e roteiro de Selton Mello, que também atua como Paco. O filme foi gravado nos meses de abril e maio de 2015 em sete cidades da Serra Gaúcha, entre elas Garibaldi. Não recomendado para menores de 14 anos.

O Segredo dos seus Olhos – 2h09min

Benjamin Esposito (Ricardo Darín) se aposentou recentemente do cargo de oficial de justiça de um tribunal penal. Com bastante tempo livre, ele agora se dedica a escrever um livro. Benjamin usa sua experiência para contar uma história trágica, a qual foi testemunha em 1974. Na época, o Departamento de Justiça onde trabalhava foi designado para investigar o estupro e, consequente, assassinato de uma bela jovem. É desta forma que Benjamin conhece Ricardo Morales (Pablo Rago), marido da falecida, a quem promete ajudar a encontrar o culpado. Para tanto, ele conta com a ajuda de Pablo Sandoval (Guillermo Francella), seu grande amigo, e com Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil), sua chefe imediata, por quem nutre uma paixão secreta. Não recomendado para menores de 16 anos.

Moonlight: Sob a Luz do Luar – 1h51min

Ganhador do Oscar de Melhor Filme 2017. Três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami, nos Estados Unidos, que enfrenta desafios relacionados a sua raça e sexualidade. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem. Uma história atemporal de relações humanas e autoconhecimento. Um drama onde o jovem luta para encontrar seu lugar no mundo. Ao mesmo tempo um retrato essencial da vida contemporânea do afro-americano e uma reflexão intensa, pessoal e poética sobre identidade, família e amizade. Não recomendado para menores de 16 anos.

SERVIÇO

O que? Wine Movie Peterlongo

Quando? 7, 21 e 28 de outubro de 2017

Horário: 18h

Onde? Jardim da Vinícola Peterlongo (Garibaldi/RS)

Ingressos limitados: R$ 35 antecipado e R$ 45 no local (sujeito à disponibilidade)

Pontos de venda: varejo da Vinícola Peterlongo ou no site www.sympla.com.br

Atrações: pipoca, quitutes, além de espumantes, vinhos e suco de uva em taça e garrafa

Em caso de chuva o evento será transferido para o interior da vinícola.

PROGRAMAÇÃO OUTUBRO

DATA HORA LOCAL MÚSICA AO VIVO FILME

07.10 18h Jardim Peterlongo Pianista Rafael Teclas O Filme da Minha Vida

21.10 18h Jardim Peterlongo Acústico Três Quartos O Segredo dos seus Olhos

28.10 18h Jardim Peterlongo Eduardo Segabinazzi Moonlight: Sob a Luz do Luar

Fotos: Jeferson Soldi

Ibravin participa de eventos voltados ao enoturismo na Espanha e na Argentina

“Rio Grande do Sul na Europa” e “2ª Conferência Mundial sobre Turismo Enológico da Organização Mundial de Turismo” serão promovidos nesta semana, entre os dias 26 e 30 deste mês

Responsável por agregar valor ao setor vitivinícola, fortalecer a relação do público com a cultura e as regiões produtoras e estimular a socioeconomia da cadeia, o enoturismo é um dos mais importantes pilares para a promoção dos vinhos brasileiros em território nacional e no Exterior. Com objetivo de divulgar, planejar e executar ações integradas com atores públicos e privados para alancar o envolvimento do chamado turismo de experiência, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) participa nesta semana de dois importantes eventos ligados ao assunto, na Espanha e na Argentina: “Rio Grande do Sul na Europa” e “2ª Conferência Mundial sobre Turismo Enológico da Organização Mundial de Turismo”.

A partir desta terça-feira (26) até apróxima quinta-feira (28), a Fundação Cultural Brasil Europa realiza, emparceria com Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região(Sindha), e com o apoio técnico da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte eLazer do Rio Grande do Sul (Sedactel-RS), o seminário “Rio Grande do Sul naEuropa”, no Teatro Casa de Vacas (Parque del Retiro), em Madri, na Espanha. Oevento voltado para divulgação do turismo gaúcho terá em seu primeiro dia deprogramação um espaço dedicado ao enoturismo. Osommelier MaurícioRoloff representará o Ibravin na conferência “Vinho e Enoturismo: Rio Grande doSul como Referência Nacional”, apresentando um panorama do vinho brasileiro eas experiências disponíveis aos visitantes. Passeios de bicicletas e corridaspelos vinhedos, elaboração do próprio vinho, colheita noturna e pisa de uvassão algumas das atividades que serão divulgadas.

“O enoturismo é uma das ferramentasmais importantes na divulgação dos vinhos brasileiros. E mesmo que a Espanhanão seja um mercado-alvo para a exportação nacional, sempre é bacana divulgar aqualidade dos nossos produtos em países de produção consagrada. Hoje as opçõesque o vinho brasileiro oferece aos visitantes vão além da visita à vinícola eno enxergar do processo de elaboração. A diversidade de programas que as vinícolase todo o trade turístico das regiões produtoras oferecem aosvisitantes torna uma experiência para vários dias, sem ser repetitivo”, explicaRoloff.

O enoturismo também estará em debatede quinta-feira (28) a sábado (30), no Auditório Ángel Bustelo do Congresso eCentro de Exposições, em Mendoza, na Argentina. A segunda edição da“Conferência Mundial sobre Turismo Enológico”, promovida pela OrganizaçãoMundial de Turismo, terá como tema central o Turismo Sustentável para oDesenvolvimento, visando apoiar o Ano Internacional sobre o assunto. Destinos,evolução, tendência, comunicação, desenvolvimento de produtos, integraçãoregional, parcerias público-privadas e boas práticas serão alguns dos assuntosabordados nos workshops e nas visitas técnicas. AlexandraMezzacasa, integrante do Comitê de Enoturismo e do departamento de Promoção doIbravin, representará o setor no evento.

“Iniciativas como essas em Madri eMendoza possibilitam a nossa representação em importantes eventos ligados aoenoturismo e reiteram o nosso posicionamento também no mercado internacional. Aparticipação de representantes do Ibravin nestes simpósios trará oportunidadese informações para a categoria brasileira e experiências para aplicarmos no 8ºCongresso Latino Americano de Enoturismo, que realizarem em 2018, em BentoGonçalves ”, antecipa o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini.

Em novembro do ano passado, o Ibravin criou o Comitê de Enoturismo comobjetivo de fortalecer o turismo do vinho brasileiro. O grupo é constituído porempresários ligados à atividade e representantes de entidades do setor e dogoverno. De acordo com o último Censo Vinícola realizado no Brasil, cerca de30% das vinícolas tem projetos relacionados ao turismo de experiência e,aproximadamente, 42% empresas apresentaramintenção de desenvolvê-lo. Oitenta por cento das vinícolas que trabalhamfortemente com o enoturismo estão localizadas em roteiros turísticos.

Fotos: Tatiana Cavagnolli

A qualidade dos vinhos brasileiros na maior degustação do planeta

16 amostras mais representativas da Safra 2017 foram degustadas por mil pessoas na 25ª Avaliação Nacional de Vinhos realizada neste sábado, 23, em Bento Gonçalves

A maior degustação de vinhos de uma safra do mundo chegou a sua 25ª edição. Cerca de mil pessoas de todo o Brasil e do exterior degustaram na taça as 16 amostras mais representativas de vinhos brasileiros da Safra 2017, no momento mais aguardado pelo setor vitivinícola. A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017, realizada neste sábado, 23, no iniciativa da Associação Brasileira de Enologia (ABE).

Com 327 amostras inscritas por 59 vinícolas de seis estados brasileiros (Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), esta é a maior Avaliação dos últimos quatro anos. O ranking dos 30% mais representativos, ou seja, 103 vinhos, foi anunciado ao final do evento como resultado da degustação de seleção realizada durante o mês de agosto por 118 enólogos, que às cegas, seguiram normas internacionais sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho. Dentre este seleto grupo, 16 vinhos foram selecionados entre os mais representativos para serem degustados pelo grande público na maior celebração dos vinhos do Brasil. Coube ao presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, revelar quais foram os 16 vinhos degustados.

“Sabemos que todo vinho tem marca. Para nós, a marca da dedicação de um enólogo. Assim é a Avaliação Nacional de Vinhos. Um evento que carrega a marca do vinho brasileiro. Nós, da Associação Brasileira de Enologia, nos unimos e evoluímos ao longo do tempo. São 40 anos bem vividos e, continuamos conservados; preservamos muitos dos nossos aromas. Evoluímos para nos tornarmos um exemplar cheio de tipicidade institucional. Assim, criamos e maturamos a Avaliação Nacional de Vinhos, sendo decisivos na evolução qualitativa da bebida no Brasil. Fizemos isso porque somos os enólogos de um país que é por natureza vários países. Somos os enólogos do Brasil, da Associação Brasileira de Enologia, da Avaliação Nacional de Vinhos”, destacou o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna.

O ritual se repete há 25 anos e a cada safra a expectativa é sempre grande. O evento é reconhecido por sua proximidade com a cadeia produtiva da uva e do vinho, de modo que contribui para que a produção do vinho brasileiro evolua em qualidade, tecnologia e reconhecimento. Portanto, um dos legados da Avaliação é nortear produtores e enólogos na escolha de variedades de uvas, técnicas de elaboração e lançamento de produtos. “O que o público degustou na taça é a antecipação do que estará no mercado a partir do próximo ano”, salienta Scortegagna.

O evento também foi marcado pelo brinde dos 25 anos da Avaliação Nacional de Vinhos, compartilhado por todos os presentes. E como todos os anos, a Avaliação surpreende os participantes dentro e fora da taça, a atração final ficou por conta da Banda Cabelo Cacheado com o talento de Laura Dalmás, participante do The Voice Brasil 2016.

Troféu Vitis 2017

Desde 1993, a ABE homenageia figuras que dedicam seu tempo, conhecimento e talento para a promoção e valorização do vinho brasileiro. Neste ano, a entidade entregou o Troféu Vitis Amigo do Vinho 2017 para a sommelier internacional e jornalista Andréia Debon, editora da Revista Bon Vivant, especializada no mundo do vinho. Ela também participa como jurada em degustações e concursos de vinhos no Brasil e no exterior, viajando para países produtores e com potencial enoturístico. E o Troféu Vitis Destaque Enológico 2017 foi entregue à enóloga Maria Regina Ferreto Flores, hoje diretora técnica da LNF Latino Americana. Maria Regina foi professora na então Escola Agrotécnica Federal e enóloga-chefe da Cooperativa Vinícola Aurora de 1984 a 1995.

16 AMOSTRAS DEGUSTADAS E SEUS COMENTARISTAS

Categoria Vinho Base para Espumante

Chardonnay/Riesling Itálico – Chandon (Garibaldi – RS) – Flávio Zílio

Chardonnay – Casa Valduga (Bento Gonçalves – RS) – Junko Iwamoto

Chardonnay – Domno do Brasil (Garibaldi – RS) – Álvaro Cézar Galvão

Categoria Branco Fino Seco Não Aromático

Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora (Bento Gonçalves – RS) – Fabiana Gonçalves Mignot

Chardonnay – Vinícola Almadén (Santana do Livramento – RS) – Danio Braga

Chardonnay – Vinícola Cave de Pedra (Bento Gonçalves – RS) – Maria Regina Ferreto Flores

Categoria Branco Fino Seco Aromático

Sauvignon Blanc – Vinícola Fazenda Santa Rita (Vacaria – RS) – Alessandra Kianek

Moscato Giallo – Cooperativa Vinícola São João (Farroupilha – RS) – Odila Armbruster de Moraes

Categoria Tinto Fino Seco Jovem

Cabernet Franc – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS) – Márcia Monteiro

Categoria Tinto Fino Seco

Petit Syrah – Luiz Argentina Vinhos Finos (Flores da Cunha – RS) – Paulo Brammer

Merlot – Casa Perini (Farroupilha – RS) – Ivane Maria Remus Fávero

Merlot – Miolo Wine Group (Bento Gonçalves – RS) – Daniel Scola

Cabernet Franc – Giacomin Indústria de Bebidas (Flores da Cunha – RS) – Giuseppina Paola Parpinello

Malbec – Vinícola Almaúnica (Bento Gonçalves – RS) – Cecília Aldaz

Cabernet Sauvignon – Guatambu Estância do Vinho (Dom Pedrito – RS) – Protásio Lemos da Luz

Tannat – Don Guerino Vinhos e Espumantes (Alto Feliz – RS) – Mauro Celso Zanus

NÚMEROS DA 24ª AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS – SAFRA 2017

– Amostras inscritas: 327

– Vinícolas participantes: 59

– Time da Degustação de Seleção: 118 enólogos

– Participantes: 850 apreciadores de sete países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Itália, Japão e Uruguai). Do Brasil, compareceram enófilos de 10 estados ((Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além do Distrito Federal.

– Painel de comentaristas: 15 convidados de quatro países Argentina, Brasil, Itália e Japão) e um apreciador sorteado entre o público (Odila Armbruster de Moraes –SBAV-SP).

– Serviço do vinho: 105 alunos dos cursos de Viticultura e Enologia do IFRS – Campus Bento, IFSC – Campus Urupema e Unipampa.

– Amostras degustadas: 16

– Garrafas servidas: 1.440 (90 de cada)

– Em 25 edições, 16.317 apreciadores e 5.849 amostras.

COMENTARISTAS

1. Junko Iwamoto – Jornalista Master of Wine (Japão)

2. Maria Regina Flores – Enóloga e degustadora da 1ª Avaliação Nacional de Vinhos (Brasil)

3. Márcia Monteiro – Jornalista e roteirista da Globo (Brasil)

4. Protásio Lemos da Luz – Médico Cardiologista (Brasil)

5. Álvaro Cezar Galvão – Enófilo e Blogueiro Divino Guia (Brasil)

6. Giuseppina Paola Parpinello – Enóloga e pesquisador da Universidade da Bologna. Departamento de Ciência e Tecnologia Alimentação e Agricultura (Itália)

7. Danio Braga – Chef de cozinha e sommelier (Brasil)

8. Flávio Zílio – Enólogo do Ano 2016 (Brasil)

9. Daniel Scola – Jornalista da Rádio Gaúcha (Brasil)

10. Mauro Celso Zanus – Chefe Geral da Embrapa Uva e Vinho (Brasil)

11. Cecília Aldaz – Sommelier e apresentadora do programa ‘Um brinde ao vinho’ na Globo Sat Play (Argentina)

12. Paulo Brammer – Sommelier do Eno Cultura (Brasil)

13. Ivane Fávero – Presidente da Associação Internacional de Enoturismo – Aenotur (Brasil)

14. Fabiana Gonçalves Mignot – jornalista do blog Escrivinhos (Brasil)

15. Alessandra Kianek – jornalista (Brasil)

16. Odila Armbruster de Moraes – SBAV SP (Brasil)

Fotos: Jeferson Soldi

Câmara realiza Sessão Solene de Homenagem ao Agricultor Destaque e portarias de Louvor e Agradecimento

A Câmara Municipal de Monte Belo do Sul irá realizar uma Sessão Solene de Homenagem ao Agricultor Destaque de 2017 na terça-feira, 03 de outubro, às 19h na sede do Legislativo. O evento é realizado anualmente e a comunidade está convidada a participar. A Honraria será entregue aos seguintes homenageados: Solano Tomé Vivian (Santa Bárbara), Adriano Cavaleri (80 da Leopoldina) e João Carlos Tasca
(Santo Izidoro). No dia, também será entregue portarias de Louvor e Agradecimento ao estudante Maikon DelnRé Perin, pelo Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Eletrônica e a Senhora Lydia Zaffari Parmegiani, moradora mais antiga do município que completou 109 anos no dia 21 de junho
de 2017.

128ª Festa em Honra ao Padroeiro São Francisco de Assis

Monte Belo recebe os fiéis para a festa do dia 1º de outubro

Com o lema “Caminhando na fé e devoção com São Francisco de Assis e Nossa Senhora Aparecida” ocorre no dia 1º de outubro a 128ª Festa em Honra ao Padroeiro São Francisco de Assis em Monte Belo do Sul. A festa inicia às 10h com missa festiva seguida de procissão. Ao meio dia tradicional almoço. O valor do ingresso é R$ 50,00 por pessoa.

Oração à São Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve amor; Onde houver ofensa, que eu leve perdão; Onde hou­ver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver d e s e s p e r o, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ò Mes­tre fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado, compreender, que ser compreendido, amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdo­ando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. Amém.

CPI vai investigar obra parada em escola há quase um ano

A obra recebeu mais de R$ 1 milhão do governo federal e cerca de R$ 250 mil da Prefeitura

Os vereadores de Monte Belo do Sul aprovaram por maioria de votos, dia 05, a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar supostas irregularidades na construção de uma escola municipal. A obra iniciada em 2015 está paralisada deste outubro de 2016, devido a problemas na execução do projeto arquitetônico, por parte da empresa Brunoni e Salvador Empreendimento LTDA, vencedora da licitação realizada pela Prefeitura em 2014.

No dia 12 de setembro, o presidente da Câmara, Nilso Cavaleri, autor do pedido de instalação da CPI, solicitou aos líderes de bancada que indicassem nomes para compor a Comissão. Apenas a bancada PTB não indicou representante a Comissão. Após encaminhamento das demais bancadas a presidência da CPI, ficou com o vereador, Onecimo Pauleti (PMDB), a relatoria com o vereador, Silvio Cesca (PMDB) e o parlamentar, Arístides Fantim (PMDB), como secretário. De acordo com o Regimento Interno da Câmara, a CPI terá 60 dias de duração, se necessário poderá ser prorrogado por mais 30. Segundo Cavaleri a CPI vai apurar todo o tramite deste a licitação ao último ato da atual administração que rescindiu o contrato, com a empresa. “Queremos averiguar e encontrar os responsáveis pelas falhas”, afirma o presidente do Legislativo.

Prefeitura rescinde contrato de obra da Escola

A Prefeitura de Monte Belo do Sul rescindiu em março o contrato com a empresa Brunoni e Salvador Empreendimento, responsável pela construção da escola. A empresa foi multada em R$ 50 mil.

Os motivos da rescisão, segundo o prefeito Ademir José Dallé, foram à morosidade nas obras, o não cumprimento dos prazos de execução, ou seja, em 30 meses apenas 35% da estrutura arquitetônica foi construído e a falta de garantia contratual da empresa Brunoni. “Quando assumimos a obra estava parada há três meses. Diante de seis pedidos de aditivo contratual que chegam a quase 25% do valor da obra e as falhas no projeto arquitetônico, o que coloca em risco toda a estrutura

da escola decidimos rescindir o contrato. Nosso interesse é concluir a obra, mas é preciso rever vários itens do projeto, bem como avaliar os custos para o município”, explica Dallé.

De acordo com o sócio Administrador da Empresa, Diego Brunoni, a empresa não se opõe a rescisão unilateral do contrato de prestação serviço, mas alega falta de repasses do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, bem como os sucessivos atrasos na liberação de recursos. Conforme levantamento do setor de fiscalização da Prefeitura o atraso no repasse dos valores ocorreu devido à morosidade da obra e que os boletins de medição apresentados pela empresa, não atingiram ao mínimo de 3% de construção ao mês, exigência do FNDE para depósito dos recursos. Conforme Dallé um novo projeto arquitetônico adequado às necessidades do projeto original e as fundações executadas será elaborado, conforme sugere um laudo técnico do setor de obras da Prefeitura, além da avaliação dos geólogos Lucas Matzembacher e Lucilene Mallmann, que apontaram a necessidade melhorias no sistema de contenção e a necessidade de reavaliar a construção da escola no terreno atual. Após será avaliada a viabilidade financeira para abertura de novo processo licitatório.

Relatório enviado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas

O prefeito Dallé confirmou que enviou um relatório com as supostas irregularidades aos Ministérios Públicos Estadual e Federal e também ao Tribunal de Contas do Estado, para que fiquem cientes dos fatos e as determinações tomadas pela Administração Municipal. Nele consta o cronograma da tramitação do projeto na Prefeitura Municipal de 2014 a 2017.

Veja abaixo.

– A obra da escola municipal, estava prevista inicialmente para ser construída na rua Dom Luiz Colussier, entre as ruas Orestes Franzoni e uma via sem denominação, em uma área de 853, 20 m², com investimento de R$ 1.018.483,70 do FNDE. No entanto, após o trabalho de terraplenagem do terreno, a então administração municipal, determinou que a escola fosse construída em outro terreno, na mesma rua, porém entre uma via sem denominação e a rua Mansueto Superti;

Com a alteração de endereço, o imóvel foi matriculado em nome do município de Monte Belo do Sul, em setembro de 2015, após o início da obra, sem licenciamento ambiental do local;

– Em consequência da mudança de local para um terreno íngreme, foi necessário um aditivo contratual (mais recursos) de R$ 248.567,07, equivalente a 24,04% do valor original do contrato, para os serviços extras, como: fundações profundas, sem a elaboração de um projeto arquitetônico;

– Posterior ao aditivo um novo projeto arquitetônico foi elaborado, porém sem prever a construção de uma laje no piso das salas de aula, obra indispensável para construção das fundações;

– Sem justificativa em fevereiro de 2016, um segundo aditivo contratual prorrogou por mais 90 dias

a execução da obra;

– Em março de 2016, um terceiro aditivo contratual estendeu por mais 90 dias a conclusão da obra, até 13 de julho de 2016, sob a justificativa de ‘desequilíbrio’ de repasse do FNDE e da necessidade de execução de fundações profundas;

– Um quarto aditivo, assinado em abril de 2016, prorrogou o prazo a obra por mais 90 dias, até

11 de outubro de 2016, sem justificativa;

– Em abril de 2016, um novo aditivo estendeu o prazo para 120 dias, até 8 de fevereiro de 2017. Desta vez a justificativa era a falta de repasse do FNDE. Porém, o setor de fiscalização atestou que devido o ritmo lento da obra inferior a 3% ao mês e a não realização de medição do andamento da obra, o FNDE não efetuou o repasse;

– Um sexto pedido de aditivo contratual foi negado pela administração atual, devido a demora da empresa em executar a obra;

– Em março 2017 o contrato com empresa foi rescindida e a mesma foi multada.

Problemas que podem ocorrer devido às mudanças climáticas na cultura do pessegueiro

Durante o outono e o inverno as frutíferas de clima temperado cessam suas atividades fisiológicas e entram em período de dormência para que possam resistir às baixas temperaturas e se preparar para o próximo ciclo. Para que as gemas floríferas e vegetativas do pessegueiro saiam do repouso é necessário o acúmulo de horas de frio a temperaturas inferiores a 7,2°C.

Devido à grande variação de temperatura que vem ocorrendo, o descanso hibernal do pessegueiro e da ameixeira poderá não ser suficiente provocando anomalias na planta, caracterizadas pelo incompleto desenvolvimento das gemas florais e vegetativas. Há um atraso na floração e na brotação, sintoma conhecido como “foliação retardada”, floração desuniforme e foliação deficiente, queda de flores e de frutinhos, explica Melissa Maxwell Bock, Engenheira Agrônoma da Emater.

A falta de frio muitas vezes, tem sido solucionada através do uso de produtos químicos, os quais têm apresentado resultados satisfatórios. Entretanto, algumas vezes os resultados são contraditórios, principalmente em locais onde a exigência em frio é parcialmente suprida. Dentre os produtos mais usados para a superação da dormência, a cianamida hidrogenada tem sido aquela que tem proporcionado os melhores resultados. É utilizada a uma concentração de 0,6 a 0,8% com 1% de óleo mineral emulsionável, com pulverizações entre 30 a 45 dias antes da época normal da brotação. Quando aplicado sobre ramos verdes, folhas, flores ou frutos é fitotóxico.

Nesse ponto, faz-se apenas uma ressalva, para que os produtores observem o fim de outono e o inverno, se a disponibilidade de frio ocorrida até o momento já foi suficiente para acionar o estado de dormência recomenda-se que não seja feita a pulverização com indutor de brotação.

A necessidade de horas de frio de cultivares varia de 100 até 1000 horas

A ocorrência de frio dentro das exigências de cada espécie/cultivar é de grande importância, pois é a condição mínima para que as plantas atinjam o máximo de uniformidade de brotação e tenham a garantia de produção no próximo ciclo. Ou seja, caso o frio não atinja a demanda da espécie/cultivar é necessário o uso de tratamentos para estimular a brotação, conforme citado acima.

As geadas pouco antes, durante e depois do florescimento, consistem em um dos mais sérios problemas da cultura. De acordo com a região, o pessegueiro floresce de julho a setembro, durante um período que dura de sete a quinze dias, dependendo da cultivar e do clima. Os órgãos mais sensíveis as baixas temperaturas são o pistilo e as anteras. A flor, na fase de botão rosa, pode resistir até a -4°C, a flor aberta até -3°C e o frutinho recém formado até -1°C.

De acordo com o boletim mensal divulgado pela Embrapa Uva e Vinho que disponibiliza mensalmente os dados meteorológicos, em Bento Gonçalves, o mês de julho foi marcado por fortes oscilações na temperatura do ar. Considerando as médias mensais, as temperaturas máxima, mínima e média se mantiveram acima do padrão normal, porém, quando são observados as médias decendiais, no 1º e no 3º decêndio foram registradas temperaturas acima da média e no 2º decêndio as temperaturas médias ficaram abaixo do esperado, especialmente influenciadas pelas baixas temperaturas registradas entre os dias 17 e 20 devido à forte massa de ar polar que avançou pelo estado do RS. Apesar das baixíssimas temperaturas observadas nos referidos dias, a situação de destaque e que desperta preocupações são as temperaturas elevadas que podem afetar a brotação das videiras e, consequentemente, comprometer a produção da safra 2017/2018. Foram registradas 92 horas de frio (HF) abaixo de 7,2 °C, ao longo do mês, acumulando entre abril e julho o total de 171 HF. Outro destaque deste mês foi o baixíssimo volume de chuvas registrado, 29 mm, enquanto o esperado seria 161 mm.

Em junho de 2016 foram registradas 143 horas de frio abaixo de 7,2 °C, ao longo do mês muito mais horas de frio quando comparado a este ano.

Fotos: Marlove Perin

327 amostras para 118 enólogos

Profissionais do vinho encerraram ontem a degustação de seleção da 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017. Resultado será conhecido dia 23 de setembro

Durante oito dias, 118 enólogos convidados pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), participaram da degustação de seleção da 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017, que encerrou nesta quinta-feira, 24, às 11h30min. Num ritual que seguiu normas internacionais, eles degustaram as 327 amostras inscritas por 59 vinícolas de seis estados brasileiros (BA, MG, PR, RS, SC e SP). O resultado será conhecido por um público formado por 850 apreciadores no dia 23 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, quando acontece a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo.

As degustações foram realizadas em Bento Gonçalves, no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, responsável pela coordenação técnica do evento. Os enólogos foram divididos em oito grupos. Cada grupo degustou por dois dias amostras em todas as categorias: branco fino seco aromático, branco fino seco não aromático, tinto fino seco, tinto fino seco jovem e base para espumante.

“A degustação de seleção é sempre um importante momento de atualização profissional, mas também de reencontro com colegas. A troca de informações e a prática em si da degustação permite que possamos avançar enquanto profissionais da arte de transformar a uva em vinho”, destaca o presidente da ABE – entidade promotora -, enólogo Edegar Scortegagna, que mesmo sem degustar as amostras acompanhou os trabalhos de perto. Segundo ele, a diversidade representada nesta edição permite avaliar o terroir de cada região e que variedades melhor se adaptam a cada uma. “O Brasil é muito grande e o número de regiões produtoras também, cada uma com sua potencialidade, o que é muito bom”, ressalta.

A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017 superou os números das quatro últimas edições. A representatividade da safra será conhecida no dia 23 de setembro. Gente de todos os estilos e procedências, mas que tem em comum o fascínio pelo mundo do mundo, degustarão 16 amostras selecionadas entre os 30% mais representativos da Safra 2017.

Inscrições do público

O grande momento do vinho brasileiro é quando o grande público participa da última etapa da Avaliação, degustando as 16 amostras selecionadas entre os 30% mais representativos. Para participar dessa experiência única, considerada a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo, os interessados deverão se inscrever no site www.enologia.org.br. O período para as inscrições abre dia 29 de agosto, às 8h30min.

O investimento para associado é de R$ 250. Não associados pagam R$ 310. A partir deste ano, a Fundaparque, administradora do Parque de Eventos onde ocorre a Avaliação, passará a cobrar R$ 10 para o estacionamento de carros e R$ 5 de motos. A cobrança será aplicada a todos os veículos que acessarem o parque, oferecendo cobertura de seguro, além de atuar com uma equipe responsável pela orientação e segurança do local.

Enólogos participantes

Ademir Brandelli, Adriano Miolo, Alberto Miele, Alejandro Cardozo, Altair Ferreira, Anderson de Cesaro, Anderson Schmitz, André De Gasperin, André Donatti, André Larentis, André Peres Jr., André Prasniski, Ângela Rossi Marcon, Antonio Czarnobay, Augusto Stuani Salvador, Bem-Hur Rigoni, Bruna Cristófoli, Bruno Motter, Carlos Abarzúa, Carlos Zanus, Cedenir Fortunati, Celito Guerra, Christian Bernardi, Claudia Stedenon, Clóvis Boscato, Cristian Ambrosi, Daiane Badalotti, Daniel Dalla Valle, Daniel De Paris, Daniel Salvador, Darci Dani, Dario Crespi, Deise Tem-Pass, Delto Garibaldi, Dirceu Scottá, Eder Caldart, Eduardo Bridi, Eduardo Dorigon, Edvaldo Gallon, Ernando Bortolini, Fábio Góes, Firmino Splendor, Firmino Splendor Júnior, Flávio Novello, Flávio Zílio, Franco Francescatto, Gabriel Carissimi, Gabriela Poletto, Gilberto Cargnel, Gilberto Simonaggio, Gilson Berselli, Giseli Scopel, Irineo Dall’Agnol, Ismar Pasini, Ivo Prezzi, Jaime Fensterseifer, Jamur Mascarello, Jatir Dequigiovanni, Jefferson Sancineto Nunes, João Carlos Taffarel, João Valduga, Joice Seidenfus, Jorge Cattani, José Venturini, Juciane Casagrande, Juliana Rossatto, Júlio Meneguzzo, Jurandir Nosini, Laércio Spadari, Larissa Dias Ávila, Leandro Santini, Leonardo Feyh, Luciano Manfroi, Luciano Scomazzon, Luciano Vian, Lucindo Copat, Luiz Pozza, Magnos Basso, Maixol Zanella, Maiquel Vignatti, Marciel Vian, Marcio Bonotto, Márcio Brandelli, Márcio Dallé, Marco Salton, Marcos Gabbardo, Marcos Vian, Maria Inês Balsan, Maria Regina Flores, Mario Lucas Ieggli, Monica Caldart, Nauro Morbini, Nelson Rotta Randon, Neuri Bruschi, Paula G. Schenato, Paulo Giacomini, Paulo Rotava, Paulo Tesser, Plínio Manosso, Regina Vanderlinde, Ricardo Morari, Roberto Lazzarini, Roque Zílio, Rudimar Lorenzet, Rudinei Pauletti, Samuel Cervi, Sandi Marina Corso, Sérgio De Costa, Silvério Salvatti, Thomas Bolzan, Tiago Lazzarotto, Tiago Luvison, Tiago Tonini, Vagner de Vargas Marchi, Valter Joel Ferrari, Vanderlei Gazzi, Vanessa Stefani Pasquali e Vitor Manfroi.
Fotos: Fotos: Jeferson Soldi