Ibravin participa de eventos voltados ao enoturismo na Espanha e na Argentina

“Rio Grande do Sul na Europa” e “2ª Conferência Mundial sobre Turismo Enológico da Organização Mundial de Turismo” serão promovidos nesta semana, entre os dias 26 e 30 deste mês

Responsável por agregar valor ao setor vitivinícola, fortalecer a relação do público com a cultura e as regiões produtoras e estimular a socioeconomia da cadeia, o enoturismo é um dos mais importantes pilares para a promoção dos vinhos brasileiros em território nacional e no Exterior. Com objetivo de divulgar, planejar e executar ações integradas com atores públicos e privados para alancar o envolvimento do chamado turismo de experiência, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) participa nesta semana de dois importantes eventos ligados ao assunto, na Espanha e na Argentina: “Rio Grande do Sul na Europa” e “2ª Conferência Mundial sobre Turismo Enológico da Organização Mundial de Turismo”.

A partir desta terça-feira (26) até apróxima quinta-feira (28), a Fundação Cultural Brasil Europa realiza, emparceria com Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região(Sindha), e com o apoio técnico da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte eLazer do Rio Grande do Sul (Sedactel-RS), o seminário “Rio Grande do Sul naEuropa”, no Teatro Casa de Vacas (Parque del Retiro), em Madri, na Espanha. Oevento voltado para divulgação do turismo gaúcho terá em seu primeiro dia deprogramação um espaço dedicado ao enoturismo. Osommelier MaurícioRoloff representará o Ibravin na conferência “Vinho e Enoturismo: Rio Grande doSul como Referência Nacional”, apresentando um panorama do vinho brasileiro eas experiências disponíveis aos visitantes. Passeios de bicicletas e corridaspelos vinhedos, elaboração do próprio vinho, colheita noturna e pisa de uvassão algumas das atividades que serão divulgadas.

“O enoturismo é uma das ferramentasmais importantes na divulgação dos vinhos brasileiros. E mesmo que a Espanhanão seja um mercado-alvo para a exportação nacional, sempre é bacana divulgar aqualidade dos nossos produtos em países de produção consagrada. Hoje as opçõesque o vinho brasileiro oferece aos visitantes vão além da visita à vinícola eno enxergar do processo de elaboração. A diversidade de programas que as vinícolase todo o trade turístico das regiões produtoras oferecem aosvisitantes torna uma experiência para vários dias, sem ser repetitivo”, explicaRoloff.

O enoturismo também estará em debatede quinta-feira (28) a sábado (30), no Auditório Ángel Bustelo do Congresso eCentro de Exposições, em Mendoza, na Argentina. A segunda edição da“Conferência Mundial sobre Turismo Enológico”, promovida pela OrganizaçãoMundial de Turismo, terá como tema central o Turismo Sustentável para oDesenvolvimento, visando apoiar o Ano Internacional sobre o assunto. Destinos,evolução, tendência, comunicação, desenvolvimento de produtos, integraçãoregional, parcerias público-privadas e boas práticas serão alguns dos assuntosabordados nos workshops e nas visitas técnicas. AlexandraMezzacasa, integrante do Comitê de Enoturismo e do departamento de Promoção doIbravin, representará o setor no evento.

“Iniciativas como essas em Madri eMendoza possibilitam a nossa representação em importantes eventos ligados aoenoturismo e reiteram o nosso posicionamento também no mercado internacional. Aparticipação de representantes do Ibravin nestes simpósios trará oportunidadese informações para a categoria brasileira e experiências para aplicarmos no 8ºCongresso Latino Americano de Enoturismo, que realizarem em 2018, em BentoGonçalves ”, antecipa o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini.

Em novembro do ano passado, o Ibravin criou o Comitê de Enoturismo comobjetivo de fortalecer o turismo do vinho brasileiro. O grupo é constituído porempresários ligados à atividade e representantes de entidades do setor e dogoverno. De acordo com o último Censo Vinícola realizado no Brasil, cerca de30% das vinícolas tem projetos relacionados ao turismo de experiência e,aproximadamente, 42% empresas apresentaramintenção de desenvolvê-lo. Oitenta por cento das vinícolas que trabalhamfortemente com o enoturismo estão localizadas em roteiros turísticos.

Fotos: Tatiana Cavagnolli