Vereadores aprovam relatório de CPI que investiga construção de escola

Relatório foi aprovado unanimidade na sessão da terça-feira(19)

O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga supostas irregularidades na construção de uma escola municipal foi aprovado por unanimidades pelos vereadores, na sessão da terça-feira (19), na Câmara de Vereadores de Monte Belo do Sul.

O documento responsabiliza pelas irregularidades na construção da escola, o engenheiro contratado pela Prefeitura no período de 2014/2105, por falta técnica no projeto e na fiscalização. Além do engenheiro da empresa responsável pela obra por autorizar a construção sem avaliar o projeto e não fiscalizar o andamento da obra. Os vereadores, também responsabilizaram os sócios proprietários da empresa vencedora da licitação por falta de recursos, o que acarretou na paralisação da obra, bem como pelas fundações e sondagens inadequadas e medições equivocadas.

Por fim, atribuíram ao ex-prefeito Turri inúmeras irregularidades: prejuízo ao erário público, por falta de fiscalização e comprometimento; realização de terraplenagem em imóvel privado para construção da escola; falta de licença ambiental no imóvel; pela autorização de aditivo contratual de valor sem projeto estrutural de fundações, memorial descritivo e planilha orçamentária, pela ausência de fiscalização da execução da obra e,sobretudo, pelo pagamento de serviços não executados ou executados a menor.

A sessão, que durou cerca de 2 horas, foi marcada pela leitura das 34 páginas do relatório e da votação que transcorreu tranquila,inclusiva com aprovação do PTB, partido do ex-prefeito Turri. O líder da bancada do PTB, vereador Norberto Possamai, disse que espera que o Ministério Público aprofunde as investigações e aponte os responsáveis e que a obra seja concluída. “O mais importante é que se faça o que é preciso para dar continuidade a obra, para que não se perca os investimentos”, afirma Possamai.

O relatório será enviado aos Ministérios Público Estadual e Federal e ao Tribunal de Contas. Para o presidente da CPI, vereador Onecimo Pauleti, houve falhas de planejamento, atraso na entrega da obra que gerou aditivos de valores de 24,4%%. “O laudo técnico do engenheiro e os 23 depoimentos foram importantes para esclarecer como se deu processo, desta forma chegamos ao relatório final. Agora esperamos que o Ministério Público tome as decisões cabíveis, para que possamos prestar contas à população, pois esse sempre foi o objetivo principal da CPI”, diz o Presidente.

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.