IFRS abre concurso público para provimento de oito vagas para técnicos-administrativos em educação

O Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) divulgou a abertura de concurso público para cargos técnicos-administrativos em educação. Estão sendo ofertadas oito vagas, para quatro unidades da instituição: Reitoria (Bento Gonçalves) e nos Campi Rolante, Sertão e Vacaria.
São sete vagas que compreendem o nível de classificação D e uma vaga de nível E que estão distribuídas, respectivamente:
– Técnico de Tecnologia da Informação: duas vagas (Reitoria + Campus Rolante);
– Técnico de laboratório – Biologia: uma vaga (Campus Vacaria);
– Técnico de laboratório – Informática: três vagas (Campus Rolante + Campus Vacaria);
– Técnico de laboratório – Química: uma vaga (Campus Sertão);
– Engenheiro / Área: Eletricista: uma vaga (Reitoria)
Os interessados em solicitar isenção de inscrição poderão fazê-lo até o dia 04 de abril de 2018. O período de inscrição ocorre de 09 a 25 de abril, exclusivamente pela internet, através do site do IFRS (www.ifrs.edu.br), aba concursos, no qual estão publicados os editais e mais informações. O valor da inscrição é de R$ 90,00 para o nível D e R$ 120,00 para o nível E. A remuneração inicial é de R$ 2.446,96 (nível D) e de R$ 4.180,66 (nível E) e entre os benefícios estão auxílio alimentação, auxílio transporte, auxílio pré-escolar, saúde suplementar, incentivo à qualificação e outros, de acordo com a legislação em vigor.
A aplicação das provas objetivas será no dia 20 de maio, no turno da tarde na cidade de Porto Alegre. O concurso compreenderá uma única etapa de avaliação, eliminatória e classificatória, com a aplicação de prova objetiva, constituída de 30 (trinta) questões de conhecimentos específicos e 10 questões de legislação, com duração de 3h30min.
Os requisitos com a descrição sumária e localidade de atuação dos cargos está disponível no edital, assim como todas as informações referentes a esse concurso podem ser encontradas no site www.ifrs.edu.br/concursos. O conteúdo programático e as bibliografias serão publicadas antes da abertura das inscrições. É de responsabilidade do candidato a leitura completa dos documentos e seus anexos. Não serão dadas informações através de telefone. Caso precise tirar alguma dúvida contate pelo e-mail concursos@ifrs.edu.br.

> Datas importantes
Período para solicitar a isenção da taxa de inscrição: 27 a 04/04
Período de inscrições: 09 a 25/04
Divulgação do resultado de solicitação de isenção da taxa de inscrição: 06/04
Interposição de recursos dos pedidos de isenção da taxa de inscrição: 06 e 07/04
Resultado dos recursos de pedido de isenção: 09/04
Data limite para pagamento do valor de inscrição: 26/04
Prova: 20/05 – no turno da tarde

O IFRS
O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) é uma instituição federal de ensino público e gratuito. Conta com cerca de 19 mil alunos e mais de 200 opções de Cursos Técnicos e Superiores de diferentes modalidades em vários municípios do Estado. Oferece também Cursos de Pós-graduação e dos Programas do governo federal.
O IFRS atua com uma estrutura multicampi. Possui os campi de Alvorada, Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Erechim, Farroupilha, Feliz, Ibirubá, Osório, Porto Alegre, Restinga (Porto Alegre), Rio Grande, Rolante, Sertão, Vacaria, Veranópolis e Viamão. Entre seus objetivos está promover a educação profissional e tecnológica de excelência e impulsionar o desenvolvimento sustentável das regiões.
Foi criado em 29 de dezembro de 2008, pela lei 11.892, e pertence à Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A Reitoria está localizada em Bento Gonçalves. Saiba mais no endereço eletrônico www.ifrs.edu.br.

Inscrições para o Congresso Latino-Americano de Enoturismo abrem nesta quinta-feira

Matrículas para a 7ª edição da conferência vão até o dia 8 de junho, com vagas limitadas. Valor do investimento é de R$ 250. Encontro ocorrerá entre os dias 27 e 30 de junho, na Serra Gaúcha

 

Passeios por roteiros de enoturismo da Serra Gaúcha também estão na programação do Congresso Crédito: Banco de Imagens Ibravin/Dandy Marchetti

Abrem nesta quinta-feira (29) as inscrições para o 7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo, que será realizado de 27 a 30 de junho, no Hotel e Spa do Vinho, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). As adesões devem ser feitas no site do evento, em www.congressoenoturismo.com.br, até o dia 8 de junho, com vagas limitadas para 250 participantes. O tema desta edição é “Território, vinho e turismo: harmonização que dá certo”.
Os ingressos para a programação de palestras e painéis custam R$ 250 e estudantes têm 50% de desconto. Grupos de 10 pessoas ganham como cortesia a 11ª inscrição. As matrículas coletivas devem ser feitas através do e-mail inscricoes@aconteceeventos.com.br. Além das explanações, o Congresso conta com visitas técnicas por adesão em cinco roteiros enoturísticos da Serra Gaúcha. Os valores para cada uma variam de R$ 120 a R$ 155.
Promovido pela Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur), pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o Congresso contará com seis palestras, três painéis e apresentações de seis cases, que terão tradução simultânea para as línguas portuguesa e espanhola.
Estão confirmadas as palestras internacionais da norte-americana Liz Thach, Master of Wine e professora da Sonoma State University, no Wine Business Institute; do argentino Gabriel Fidel, especialista em enoturismo e presidente da Fundación ProMendoza; e dos europeus José Calixto, presidente da Rede Europeia das Cidades do Vinho (Recevin), e José Arruda, diretor da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV). Também estão previstos painéis sobre as regiões enoturísticas da América Latina, com representantes do Brasil, Chile e Uruguai; e sobre as políticas e projetos para o desenvolvimento do setor no Brasil, com o Ministério do Turismo, Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Sebrae e Frente Parlamentar de Defesa da Valorização da Produção Nacional da Uva, Vinho, Espumante e Derivados. As programações ocorrerão pela manhã, com exceção da abertura oficial, que será no turno da tarde.
“O Ibravin, além de promover os produtos vinícolas, tem um compromisso muito grande com o enoturismo. Para o setor, é muito importante que o evento ocorra aqui, pois fomentará o turismo da região e ajudará na consolidação da cadeia junto aos formadores de opinião de diferentes países que estarão durante a realização do evento”, acredita Oscar Ló, presidente do Ibravin.
O encerramento oficial do Congresso Latino-Americano de Enoturismo será no dia 29 de junho, com a realização da 3ª edição do Wine Festival. A iniciativa promovida pelo Ibravin será aberta ao público, na Rua Coberta, próxima à Casa das Artes, também na cidade de Bento Gonçalves. Haverá shows, food trucks e venda vinhos e sucos em taça e garrafa. No sábado (30), será realizada a última visita a um dos roteiros enoturísticos da programação. Os destinos turísticos que receberão os congressistas são o Vale do Vinhedos, Pinto Bandeira, Garibaldi, os distritos bento-gonçalvenses de Tuiuty e Faria Lemos e os municípios de Farroupilha e Flores da Cunha.
Além dos realizadores, Aenotur, Ibravin e Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o 7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo tem o patrocínio do Hotel e Spa do Vinho.

SERVIÇO
7º Cngresso Latino-Americano de Enoturismo
Quando: 27 a 30 de junho de 2018
Onde: Hotel e Spa do Vinho (Rodovia RS-444, km 21), em Bento Gonçalves (RS)
Inscrições: até o dia 8 de junho, pelo site www.congressoenoturismo.com.br. Grupos acima de 10 participantes devem se inscrever através do e-mail recepcao@aconteceeventos.com.br (para obtenção de cortesia)

Valores: R$ 250 (estudantes têm 50% de desconto). Visitas técnico-turísticas custam R$ 120 (quinta e sexta-feira) e R$ 155 (sábado), cada
Informações: inscricoes@aconteceeventos.com.br

Multa a pedestres e ciclistas é adiada para 2019

Desde 1997, o código de trânsito previa multas para esse tipo de infração, mas sem resolução que aplicasse a legislação Foto: Divulgação

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou esta semana o prazo para a aplicação de multas para pedestres e ciclistas que começaria a valer a partir de abril. Agora, o novo prazo estipulado para a medida ser aplicada é 1º de março de 2019. O órgão ainda não explicou o motivo do adiamento, mas colocar não será fácil colocar essa lei em prática.

Prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) desde 1997, a multa para pedestres e ciclistas que circularem fora de espaços adequados nunca foi devidamente regulamentada. Isso mudou em outubro de 2017, quando foram definidas algumas regras para a aplicação da medida.
Vários especialistas, no entanto, destacaram a complexidade de colocar um sistema de aplicação de multas nesses termos. Atualmente, o sistema de cobrança é realizado com base na placa dos veículos, e para multar pessoas o sistema precisaria levar em consideração o CPF ou RG.

Quando multar e como multar pedestres?
As multas correspondem a 50% do valor de uma infração leve, ou seja, R$ 44,19 para os pedestres que forem flagrados atravessando fora da faixa, ou até mesmo em locais de risco como avenidas e rodovias, fora de passarelas e de caminhos que são destinados a pedestres terão seus dados recolhidos por um agente atuador.
O mesmo valor será aplicado para pedestres que também fecharem a via impedindo a passagem de carros com festas, práticas esportivas ou quaisquer ocasiões que impeçam o trânsito sem autorização regular.

Ciclistas
Ainda de acordo com o CTB, os ciclistas que transitarem em calçadas quando não há regulamentação, andarem na contramão do sentido da via, transportarem peso em excesso ou até os que pedalarem sem as mãos tem previsto multa de R$130,16, valor de uma infração média.
Para a aplicação de multas nesse caso, o agente de trânsito irá recolher os dados da bicicleta, além dos dados pessoais do condutor e em casos mais graves poderá até mesmo recolher a bicicleta.

Cooperativa Vinícola Garibaldi é ouro na Espanha

Medalha conquistada no Concurso Internacional de Vinhos – Bacchus 2018 é a décima premiação da marca somente neste ano

 

Fotos Rafael Torres Atz

A personalidade dos espumantes brasileiros vem conquistando não só fãs por todo o mundo – mas principalmente o reconhecimento internacional por sua qualidade técnica. O Espumante Garibaldi Moscatel, da Cooperativa Vinícola Garibaldi, conquistou a premiação máxima no XVI Concurso Internacional de Vinhos – Bacchus 2018, realizado na Espanha, de 08 a 12 de março.
Vencedor da medalha de ouro, o rótulo foi uma das 1.740 amostras inscritas, provenientes de 20 países, e avaliadas por 82 degustadores. O júri multidisciplinar teve a participação de enólogos, jornalistas especializados, master of wine e coordenadores de outros concursos internacionais, referendando o rigor técnico e alto padrão de exigência pelo qual o concurso é reconhecido no segmento.
Com essa medalha, a Cooperativa Vinícola Garibaldi já soma dez premiações para seus produtos apenas no ano de 2018 – indicador que consolida o êxito da marca em investir na qualidade das bebidas como principal diferencial junto ao mercado. “Essa cultura começa com o trabalho desenvolvido junto ao produtor, que safra após safra trabalha em busca da excelência. No parque produtivo, investimos em tecnologia de ponta e profissionais especializados para elaborar vinhos, espumantes e sucos de referência. O reconhecimento, tanto do mercado quanto dos concursos técnicos, é uma consequência desse ciclo que muito nos orgulha”, avalia o presidente da Cooperativa, Oscar Ló.
O Garibaldi Espumante Moscatel é uma bebida característica que expressa a tropicalidade, quebrando paradigmas com seu sabor doce e baixa graduação alcoólica. Combina com frutas frescas ou em calda, sorvetes e bolos. Para conhecer outros destaques do portfólio da Cooperativa Vinícola Garibaldi, acesse www.vinicolagaribaldi.com.br

Sobre a Cooperativa Vinícola Garibaldi
Neste ano, a Cooperativa Vinícola Garibaldi ergue as taças para comemorar a passagem de seu 87º aniversário. Além de celebrar a concretização de mais um ano em sua história – que começou a ser escrita pela união de diversas famílias de agricultores como alternativa para vencer as dificuldades econômicas do país na época –, festeja os números positivos que encabeçam o balanço do exercício de 2017. Graças a um trabalho sólido de planejamento e investimentos, a Cooperativa viu seu faturamento aumentar mais de 10% no comparativo com 2016, batendo na casa dos R$ 134 milhões.

Irmãos relatam a vida de agricultores cooperados da Vinícola Aurora

Os irmãos Ivanir Rubbo, 37 anos, e Nestor Rubbo, 42 anos, da Linha Silva Pinto Norte, interior de Pinto Bandeira falam sobre a vida no campo, planos e o que os motiva a continuar na agricultura e de serem cooperados da maior vinícola do país, a Aurora. A família vive da agricultura, trabalham desde criança na terra e afirmam que esta é a vida que querem para si.
Juntos os irmãos vivem com a mãe, Lurdes Martina Basso Rubbo, 75 anos e suas esposas e filhos. Nestor é casado Débora, 33 anos e Ivanir é casado com Loirimar, 31 anos. Uma família inteira envolvida na produção de frutas. São 11 hectares de vinhedos, quatro do cultivo pessegueiros e quatro de ameixas. Toda a produção de uva é vendida à Cooperativa Aurora. São cultivadas as variedades, Cabernet Sauvignon, Merlot, Moscato Branco, Moscato Hibrido, Pinotage, Riesling, Rubia, Brs Cora, Brs Carmen, Concord e Isabel. Na safra deste ano, os produtores colheram 380 mil quilos de uva. “Entregamos uma safra de qualidade, motivo de grande orgulho para a Cooperativa, que evolui a cada ano no nível de produtos apresentados ao mercado. Esse ganho crescente, sem dúvida, é consequência do comprometimento de cada família associada em melhorar permanentemente o nível das uvas”, afirma Ivanir.
Os irmãos são cooperados desde os 18 anos de idade e seu pai, Danilo Rubbo, também foi. “A aurora é nossa segunda casa. As portas estão sempre abertas, nos sentimos em casa. Essa aproximação com o produtor e a diretoria é fundamental. A valorização das famílias contadas através das reportagens nos enche de orgulho porque daqui um tempo nossos filhos saberão a história de seus pais”.
Tecnologia
No campo é cada vez mais comum a inserção de tecnologias buscando meios para melhorar a vida do produtor rural e aumentar a produtividade. Pensando nisso, a Cooperativa Aurora tem inovado em seus serviços, através dos bins e agendamento na entrega de uva. “A cooperativa tem nos proporcionado uma tecnologia melhor com os bins, menos esforço físico, economia de mão de obra e agilidade. Só melhorou. O agendamento foi uma “mão na roda”,” avalia Nestor.
“Iniciamos a experiência com os bins há três anos com apenas dez unidades para trabalhar com a uva comum, para ver como a fruta chegava até a cantina e como agente se adaptaria a nova tecnologia. A partir disso, só ganhamos agilidade com a experiência. É fundamental que os produtores se adaptem a essas tecnologias “explica o produtor.

Agricultura de pai para filho

Do processo rudimentar à modernidade dos dias de hoje, a trajetória da família Rossetti, de Monte Belo do Sul

Sednei Rossetti ao lado da esposa Assunta Boroto, com os filhos Camila e Sednei Júnior, e os pais Irma Somensi e Orelho Constante

A agricultura é um assunto de família na casa do cooperado Sednei Rossetti, 55anos, de Monte Belo do Sul. A atividade faz parte da família e há cerca de 35 anos o pai de Sednei, Orelho Constante, 84 anos, é cooperado da Vinícola Aurora.
Uma pequena propriedade com 5,8 hectares de vinhedos plantados que rendem aproximadamente 100 mil quilos ao ano. São cultivadas as variedades Merlot, Isabel precoce, Seibel, Coder, Proceso, Isabel e Niágara. Mesmo com as dificuldades, o produtor investe na renovação de vinhedos, de olho na mecanização que desponta na região.
O trabalho de Sednei sempre foi acompanhado de perto pelo pai. Ele cresceu dentro da realidade agrícola da família e tomou gosto pelo trabalho com a terra. “Fiz esforço para que meus três filhos seguissem a profissão, mas só Sednei ficou aqui, estava no sangue”, conta Orelho. Hoje, eles formam uma geração de agricultores de sucesso da Cooperativa Aurora.
“O alicerce de todo esse sucesso está na parceria com a Aurora, firmada pelo meu pai no início da década de 70 e que permanece até hoje”, ressalta Sednei. A meta da família, para o futuro, é continuar crescendo e se desenvolvendo dentro da atividade agrícola. A esperança de Sednei é que o filho, Sednei Júnior, 16 anos, siga seus passos. “Queremos avançar ainda mais, com tecnologia e profissionalismo, sempre com apoio da nossa cooperativa”, conclui.
Segundo Orelho, foram muitas as dificuldades enfrentadas “Já passamos por diversas crises e foi justamente a união dos cooperados que garantiu nossa sobrevivência. O cooperado tem de estar sempre presente, de olho, pois ele é o dono da cooperativa”. “Valorizar o Cooperado é importante, porque mantém viva a história da nossa cooperativa” conclui.

Produção de ovos alcança recorde de 3,3 bilhões de dúzias em 2017, diz IBGE

Em relação a 2016, foram 206,48 milhões de dúzias de ovos a mais Foto: Divulgação

A produção nacional de ovos de galinha alcançou recorde de 3,30 bilhões de dúzias em 2017, um aumento de 6,7% em relação ao ano anterior, 206,48 milhões de dúzias de ovos a mais. Os dados são das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A produção de ovos de galinha manteve-se em nível superior à de 2016 durante todos os meses de 2017. O avanço mais acentuado foi o de 8,3% registrado em julho ante julho de 2016, enquanto o aumento menos expressivo foi o de 2,4% em fevereiro ante fevereiro do ano anterior.
Em 2017, houve aumento na produção de 20 das 26 Unidades da Federação com granjas enquadradas no universo da pesquisa. Os crescimentos mais relevantes ocorreram em São Paulo (+66,71 milhões de dúzias), Espírito Santo (+25,22 milhões de dúzias), Rio Grande do Sul (+19,32 milhões de dúzias), Pernambuco (+16,17 milhões de dúzias), Santa Catarina (+14,71 milhões de dúzias) e Minas Gerais (+14,53 milhões de dúzias).
A produção de ovos de galinha foi de 851,41 milhões de dúzias no quarto trimestre de 2017, a mais elevada da série histórica iniciada em 1987. O resultado foi 1,0% maior que o registrado no trimestre imediatamente anterior. Na comparação com o quarto trimestre de 2016, o crescimento foi de 6,4%.

Agroindústria de massas e panificados é inaugurada na Linha Palmeiro em Pinto Bandeira

Sabores da Serra poderá comercializar seus produtos em feiras, cooperativas, pontos comercias, rotas turísticas, lojas, associações e diretamente ao consumidor

registro. Agora, a família Santin poderá comercializar seus produtos em feiras, cooperativas, pontos comercias, rotas turísticas, lojas, associações e diretamente ao consumidor Fotos: Marlove Perin

  A agroindústria de Massas e Panificados, Sabores da Serra, foi inaugurada no final da tarde da quinta-feira, 22 de março. A propriedade do casal Valéria Pacheco e Fabiano Santin fica na Linha Palmeiro, no interior de Pinto Bandeira e recebeu o certificado de registro.
Agora, a família Santin poderá comercializar seus produtos em feiras, cooperativas, pontos comercias, rotas turísticas, lojas, associações e diretamente ao consumidor na propriedade utilizando o talão de produtor rural, sem a necessidade de abrir uma empresa.
Durante o evento, no qual estiveram presentes representantes de diversas instituições envolvidas com o projeto, a agroindústria recebeu o Selo “Sabor Gaúcho”, da Emater de Pinto Bandeira, que certifica a qualidade do produto elaborado e possibilita que a agroindústria comercialize produtos em toda a região, com a venda no bloco de produtor, havendo a garantia de ser um produto de qualidade. “A Emater, juntamente com as parcerias, auxiliou em todo o processo de implementação e regularização da agroindústria, um sonhou que se tornou realidade” relata a proprietária Valéria, que faz doces e salgados desde 2015. A agroindústria também caracteriza o processo de sucessão rural. A propriedade rural pertence aos pais de Fabiano.
De acordo com a produtora Valéria Santin, “agora vai ser possível trabalhar com mais qualidade, podendo vender com nota e com selo. Isso representa um futuro melhor para nossos filhos, que certamente não terão que passar por tudo o que a gente passou, e assim, processar o nosso próprio produto”.
Para Melissa Maxwell Bock Engenheira Agrônoma Emater/RS-Ascar, responsável pela elaboração do projeto juntamente com a Extensionista Social Rúbia Heineck Koch, esse evento coroa o trabalho que está se fazendo há muito tempo e a expectativa com essa legalização é abrir portas para outros produtores “o escritório Municipal presta assessoria técnica necessária à implantação, operacionalização e regularização das agroindústrias. Por isso, foi dada especial atenção ao Projeto do Vinho Colonial, na qual tipifica o vinho produzido por agricultor familiar ou empreendedor familiar rural, estabelecendo requisitos e limites para a sua produção e comercialização e define diretrizes para o registro e a fiscalização do estabelecimento produtor. Neste projeto a equipe deu início à regularização de duas agroindústrias e umas delas, é a Sabores da Serra”, explica. “Foi nossa primeira agroindústria inaugurada, para nós é uma satisfação poder propiciar o sonho das famílias, fazendo com que eles permanecem na propriedade” complementa Melissa.
O Rio Grande do Sul é o primeiro estado a implementar a Lei do Vinho Colonial, que também conta com a complementação da legislação estadual – a Lei da Agroindústria, que enquadra o produtor automaticamente na Lei do Vinho Colonial.
Edson Bonato, Supervisor Microrregional da Emater, acredita que a Lei do Vinho Colonial “resgata toda uma produção culturalmente tradicional. O esforço de instituições como Emater, o Ministério da Agricultura, a Secretaria de Agricultura do RS, a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, a prefeitura de Pinto Bandeira, principais envolvidas no processo de construção e certificação da lei está gerando resultados e resgata a cultura e tradição aliadas à questão do turismo, do ponto de vista econômico e financeiro, gerando a questão de renda e motivação à permanência da juventude no meio rural e a sucessão rural. Assim a economia local circula e se promove o desenvolvimento local e regional. A nova lei ultrapassa fronteiras, pois com esse diferencial de qualidade, mais pessoas poderão visitar nossa região e levar vinhos coloniais e produtos de qualidade como lembrança.

Presenças
A inauguração da agroindústria Sabores da Serra contou com a presença do Prefeito Hadair Ferrari, o pároco Luis Antônio Mascarelo, que abencou o local, Gerente da Cooperativa Sicredi da Agência de Pinto Bandeira Iliane Maria Ceccon Tondo a Extensionista Engenheira Agrônoma Melissa Maxwell Bock, a Extensionista Social Rúbia Heineck Koch, Coordenadora Regional da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul Lucimar Rodrigues, Assistente Técnico Regional da Emater Ricardo Capelli, Supervisor Microrregional da Emater Edson Bonato, Representando o Sindicato dos Trabalhadores Rurais Salete Petroli, e Representando a Secretaria da Saúde, a fiscal Sanitária Priscila Lisboa Carvalho e familiares.

Projeto aprovado em Sessão extraordinária em Pinto Bandeira

Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira, 21, na Câmara de Vereadores de Pinto Bandeira, foi aprovado um projeto que estava na Ordem do Dia. O projeto de Lei nº 15/2018 aprovado por unanimidade de votos cria o Fundo Municipal de Educação. Tal solicitação é necessária tendo em vista a edição da Portaria Conjunta FNDS/STN nº2, de 15 de janeiro de 2018, que dispõe sobre critérios e orientações a serem observadas pelos Estados, Distrito Federal, Municípios e agentes financeiros quanto à movimentação e divulgação dos recursos do FUNDEB.

Vereadores aprovam nove matérias em Monte Belo do Sul

Sete projetos e duas indicações foram aprovados pela Câmara Municipal de Monte Belo do Sul na Sessão Ordinária desta quarta-feira, 21. Das sete matérias, quatro foram enviadas pelo Executivo e cinco pelo Legislativo.
A primeira proposição aprovada foi o Projeto de Lei (PL) nº 06/2018. A matéria, protocolada pelo Executivo municipal, tramitava em 2ª e 3ª votação e foi apreciada em turno único. O projeto institui o Plano Municipal de Desenvolvimento do Turismo de Monte Belo do Sul.
Em seguida, os vereadores aprovaram outra matéria de autoria do Poder Executivo que tramitava em regime de urgência e foi apreciado em votação única. O PL nº 15/2018 que autoriza a recomposição dos vencimentos do quadro geral de servidores, exceto eletivo e secretários municipais, do município.
Outra proposição enviada pelo Executivo municipal em regime de urgência e aprovada pelos vereadores foi o PL nº 16/2018. A matéria abre crédito especial no valor de R$ 100.000,00. Conforme a justificativa do projeto, o município recebeu este valor via Fundo Municipal da Saúde, por indicação de emenda parlamentar do Deputado Federal Alceu Moreira.
Na sequência, o plenário aprovou em turno único, mais uma matéria de autoria do Executivo municipal que tramitava em regime de urgência. O PL nº 17/2018 cria fundo municipal de educação.
Também tramitava em regime de urgência e foi aprovado em votação única o PL nº 001/2018, proposição de autoria do Legislativo. O projeto concede aos servidores da Câmara Municipal a revisão anual de vencimentos.
Já o PL nº 002/2018, também enviado pelo Poder Legislativo, em regime de urgência foi aprovado por sete volta a um, recebendo votação contraria da Vereadora Nelsa Berseli Ceconi (PTB). A matéria concede revisão anual nos subsídios dos vereadores e na verba de representação do presidente da Câmara.
Por fim, foi aprovado por sete votos a um, recebendo votação contraria da vereadora Nelsa Berseli Cecconi (PTB) o PL nº 003/2018, de autoria do Poder Legislativo. O projeto concede aos ocupantes de cargos eletivos, de Prefeito e vice-prefeito municipais, a revisão anual de vencimentos.
Indicações
Duas indicações foram aprovadas na Sessão desta quarta-feira. Do vereador Nilso Cavaleri (PDT) e do vereador Adair Cecconi (PTB) solicita a Secretaria Municipal competente para que seja realizado melhorias no abastecimento da água na Comunidade da 80 e na Comunidade 100 da Leopoldina.
Também de autoria vereador Nilso Cavaleri (PDT) e do vereador Adair Cecconi (PTB) solicita a Secretaria Municipal competente para que seja realizado recuperação e pintura asfáltica na comunidade do 80 da Leopoldina.
A Sessão Ordinária, aberta à participação da comunidade. Informações pelo site www.montebelodosul.rs.leg.br.