Agricultura de pai para filho

Do processo rudimentar à modernidade dos dias de hoje, a trajetória da família Rossetti, de Monte Belo do Sul

Sednei Rossetti ao lado da esposa Assunta Boroto, com os filhos Camila e Sednei Júnior, e os pais Irma Somensi e Orelho Constante

A agricultura é um assunto de família na casa do cooperado Sednei Rossetti, 55anos, de Monte Belo do Sul. A atividade faz parte da família e há cerca de 35 anos o pai de Sednei, Orelho Constante, 84 anos, é cooperado da Vinícola Aurora.
Uma pequena propriedade com 5,8 hectares de vinhedos plantados que rendem aproximadamente 100 mil quilos ao ano. São cultivadas as variedades Merlot, Isabel precoce, Seibel, Coder, Proceso, Isabel e Niágara. Mesmo com as dificuldades, o produtor investe na renovação de vinhedos, de olho na mecanização que desponta na região.
O trabalho de Sednei sempre foi acompanhado de perto pelo pai. Ele cresceu dentro da realidade agrícola da família e tomou gosto pelo trabalho com a terra. “Fiz esforço para que meus três filhos seguissem a profissão, mas só Sednei ficou aqui, estava no sangue”, conta Orelho. Hoje, eles formam uma geração de agricultores de sucesso da Cooperativa Aurora.
“O alicerce de todo esse sucesso está na parceria com a Aurora, firmada pelo meu pai no início da década de 70 e que permanece até hoje”, ressalta Sednei. A meta da família, para o futuro, é continuar crescendo e se desenvolvendo dentro da atividade agrícola. A esperança de Sednei é que o filho, Sednei Júnior, 16 anos, siga seus passos. “Queremos avançar ainda mais, com tecnologia e profissionalismo, sempre com apoio da nossa cooperativa”, conclui.
Segundo Orelho, foram muitas as dificuldades enfrentadas “Já passamos por diversas crises e foi justamente a união dos cooperados que garantiu nossa sobrevivência. O cooperado tem de estar sempre presente, de olho, pois ele é o dono da cooperativa”. “Valorizar o Cooperado é importante, porque mantém viva a história da nossa cooperativa” conclui.