Governo destinará R$ 80 milhões para Consulta Popular 2018

Na quarta (14), Sartori confirmou liberação da verba em reunião com secretário Búrigo, que coordena o processo de votação – Foto: Karine Viana/Palácio Piratini

O governo do Estado definiu a liberação de R$ 80 milhões para os projetos da Consulta Popular 2018. Esse valor representa 33% a mais do que no ano passado (60 milhões) e será distribuído entre as 28 regiões dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) do Estado, de acordo com critérios técnicos, como a população de cada região e o Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese).
Coordenada pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), a votação que define as prioridades de cada região acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de junho pela internet. Em 2017, foram mais de 705 mil eleitores. Após escolhidos os projetos pela população, eles são inclusos no orçamento do Estado para 2019.
O governo já pagou todos os projetos da Consulta Popular executados nos anos de 2016 e 2017. Os referentes a este ano serão quitados até julho. “Em 23 anos do processo, este governo é o único que não vai gerar passivos para as próximas gestões. Isso demonstra que há um planejamento e um acompanhamento das demandas, porém, acima de tudo, evidencia que há um comprometimento com as pessoas”, afirmou Carlos Búrigo, secretário de Planejamento, Governança e Gestão.
Confira a distribuição dos recursos por Corede:

Presos provisórios do RS poderão votar nas eleições 2018

Cezar Schirmer: “Ação conjunta permitirá o exercício pleno de um dos principais componentes da cidadania” – Foto: Rodrigo Ziebell/SSP

Um acordo firmado entre órgãos federais e estaduais permitirá que presos provisórios do Rio Grande do Sul votem nas eleições deste ano. O termo de cooperação, oficializado nesta sexta-feira (16), beneficiará cerca de 10 mil detentos em 30 unidades prisionais gaúchas.
A parceria une 12 instituições para garantir o direito ao voto a presos provisórios, sem condenação criminal transitada em julgado. “Uma ação conjunta que permitirá o exercício pleno de um dos principais componentes da cidadania”, destaca o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer.
Serão instaladas seções eleitorais especiais nos estabelecimentos que apresentarem condições de infraestrutura e segurança. Adolescentes internados de 11 unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) também poderão participar do pleito desde que sejam maiores de 16 e menores de 21 anos, recolhidos sob medida socioeducativa de internação ou internação provisória.
Caberá ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) a escolha dos locais onde haverá votação. Esta decisão ocorrerá a partir das informações apresentadas pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Brigada Militar (BM) e Fase. “Trata-se de um processo complexo, que não seria possível sem a cooperação de todas as instituições envolvidas”, frisa o desembargador Carlos Cine Marchionatti, presidente do TRE-RS.
Atualmente, o Estado possui cerca de 14 mil presos provisórios. De acordo com o superintendente da Susepe, Ângelo Carneiro, o convênio abrangerá aproximadamente 10 mil. “Trabalharemos para realizar o censo dos potenciais eleitores, mobilizar a massa carcerária e garantir a segurança de todos os envolvidos”, assegura.
Também participam da parceria o Ministério Público Eleitoral (MPE), Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), Defensoria Pública do Rio Grande do Sul (DPRS), Defensoria Pública da União (DPU) e a seccional do Rio Grande do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Movelsul Brasil 2018 encerra com 30.284 mil visitantes

Organização comemora a visitação e negócios gerados, mesmo com redução de um dia na feira

 

A Movelsul Brasil reafirmou esta semana sua relevância para o setor moveleiro nacional com o sucesso de sua 21ª edição, realizada de 12 a 15 de março, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Mesmo com redução de um dia frente às edições anteriores, a maior feira de móveis da América Latina para o lojista e o importador encerrou com 30.284 visitantes profissionais de 33 países.
Para os 246 expositores participantes, fica a expectativa de um bom desempenho no ano a partir dos negócios fomentados na feira, que devem ultrapassar os R$ 300 milhões projetados inicialmente pelo Sindmóveis Bento Gonçalves, entidade promotora da Movelsul Brasil. Para a organização, fica a satisfação do dever cumprido em mais uma edição do evento, que nesse ano trabalhou a temática do turismo aliado aos negócios para atrair o visitante ao coração da Serra Gaúcha.
Em todos os seus pronunciamentos antes e durante a feira, o presidente da Movelsul Brasil, Edson Pelicioli, salientou a relevância do trabalho realizado pelo Sindmóveis na promoção do setor moveleiro nacional. A Movelsul Brasil surgiu há 40 anos para engrandecer o setor moveleiro local. Mas, na sua trajetória, acabou fortalecendo a indústria moveleira nacional e levando o nome de Bento Gonçalves para o Brasil e para o mundo. “O Sindmóveis conhece as necessidades do setor e sabia que a necessidade desse momento era um impulso forte de retomada. Foram meses buscando alternativas, buscando reinventar, buscando atrair o expositor e o lojista. O resultado mostra que conseguimos”, salienta o presidente.

Internacionalização da feira
O caráter internacional da feira comprovou-se pela circulação de lojistas e distribuidores de 32 países além do Brasil: África do Sul, Alemanha, Argentina, Bolívia, Camarões, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, Curaçao, Equador, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Gana, Guatemala, Irlanda, Itália, México, Moçambique, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Porto Rico, Quênia, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Reino Unido, Uruguai.
As rodadas de negócios do Projeto Comprador para indústrias e designers brasileiros colocaram frente a frente nossas empresas exportadoras com compradores em potencial para o móvel brasileiro. Foram números recordes para o projeto, realizado na feira desde o ano 2000. Ao todo, 70 importadores convidados negociaram com 145 empresas e a expectativa é uma geração de US$ 60 milhões em exportações a partir dessas reuniões.
Isso mostra a visão de longo prazo do Sindmóveis Bento Gonçalves e da Movelsul Brasil para exportações, considerando que o contato com as exigências e peculiaridades do mercado internacional torna as empresas ainda mais competitivas no mercado doméstico, promovendo o desenvolvimento do setor moveleiro como um todo. “Temos um cenário de retomada da competitividade da indústria brasileira no mercado internacional com oportunidades para todos os segmentos, desde o móvel RTA até o design inovador, com muitos casos de um mesmo comprador buscando linhas variadas para seu portfólio”, aponta a consultora do Sindmóveis para o mercado internacional, Ana Cristina Schneider.

Inovação e conhecimento em outras ações paralelas
A Movelsul Brasil 2018 teve quatro projetos paralelos que trouxeram design, conhecimento e inovação para a feira, fomentando ainda mais os negócios. Além do Projeto Comprador com suas rodadas de negócios voltadas às exportações, a feira provocou o expositor a criar novidades para o lojista nacional, desafiando as indústrias a desenvolverem lançamentos com design assinado no Projeto Varejo. Foram 19 expositores participantes, que criaram 50 novos produtos para as principais redes de varejo e e-commerce do país.
Já o Prêmio Salão Design, em suas comemorações de 30 anos, revelou durante a Movelsul Brasil a classificação dos vencedores nas modalidades Estudante, Profissional e Indústria. Foram concedidos, ainda, três superprêmios para os melhores produtos da edição: primeiro superprêmio para a Luminária Costureira, de André Ferri (Belo Horizonte); segundo superprêmio para Biblioteca Latorna, do estúdio Enbruto (Cordoba); e terceiro superprêmio para linha Zina, do studio Zanini (Rio de Janeiro). Com patrocínio de Berneck e Interprint, o prêmio terá uma segunda mostra de produtos esse ano. Vai ser em agosto, na feira High Design Home & Office Expo, em São Paulo, durante o DW! São Paulo Design Weekend.
Por fim, as palestras do primeiro Fórum Movelsul Brasil reuniram lojistas, expositores e representantes para refletir sobre o tema dos novos modelos de varejo e como o consumo all line vai impactar o setor moveleiro. Essa abordagem que a feira trouxe está alinhada às discussões mundiais sobre a relação com o consumidor. Na última edição da NRF Annual Convention, apelidada de Big Show do Varejo, realizada em Nova Iorque, o varejo all line foi tema principal. Além de quebrar todas as barreiras existentes entre as plataformas de compra física e eletrônica, o conceito all line prioriza o engajamento, a audiência e a jornada do consumidor até o produto.
Com patrocínio de Sayerlack e Banrisul, a Movelsul Brasil é realizada desde 1977 pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis). A próxima edição da feira será em 2020.

Vinhos da Vinícola Aurora conquistam medalhas nos dois principais concursos internacionais da França, além da Espanha e Grécia

São mais 7 premiações internacionais, conseguidas em menos de um mês

O vinho Aurora Reserva Chardonnay 2017, da Vinícola Aurora, acaba de conquistar três medalhas de prata em concursos internacionais realizados na Europa: uma no Chardonnay du Monde (que avalia vinhos de todo o mundo elaborados com a uva Chardonnay), uma no Bacchus (importante competição mundial que acontece anualmente na Espanha) e a terceira no Thessaloniki International, na Grécia. Neste, outros três rótulos da vinícola também foram premiados: prata para Conde de Foucauld Espumante Brut Branco e bronze para Reserva Cabernet Sauvignon 2016 e Conde de Foucauld Espumante Brut Rosé.
Também na França, o rótulo com uma das melhores relações qualidade-preço do mercado brasileiro que coleciona medalhas internacionais em competições importantes, o espumante Marcus James Brut conquistou prata no Vinalies International, considerado um dos maiores, mais rígidos e minuciosos concursos de vinhos do mundo. Com mais essas 7 medalhas, a Vinícola Aurora ultrapassa a marca de 600 premiações em seu portfólio.
Ano após ano, o desempenho dos vinhos da Aurora nas competições mundiais oficiais comprova que a qualidade crescente se dá não só nos vinhos top de linha, mas em todos os produtos da vinícola, voltados aos diferentes perfis de consumidores e nas diferentes faixas de preço.

Aurora promove curso de degustação vinho e chocolate

A Vinícola Aurora promove mais um mini curso de degustação voltado para os visitantes e moradores de Bento Gonçalves e região. Será no dia 31 de março, na véspera da Páscoa, às 9:00h, e terá outra edição no dia 14 de abril. O tema será vinho e chocolate, desvendando essa sedutora combinação com dicas práticas e orientações de avaliação sensorial. O curso será ministrado por sommeliers da vinícola em sua sede, na sala de degustação técnica, com vagas limitadas. O valor por inscrição é de R$ 40. As harmonizações serão de vinhos da Aurora com chocolates Florybal, de Gramado. Todos os participantes ganharão uma taça de cristal ecológico para vinho.
Inscrições: turismo@vinicolaaurora.com.br ou pelo telefone (54) 3455-2095.

Câmara de Vereadores de Monte Belo do Sul e Parlamento Regional promovem II Fórum de Debate do Setor Vitivinícola

A produção de uva e vinho é uma atividade tradicional e fonte de renda para milhares de produtores rurais no Estado.  Representantes de diversas entidades ligadas ao setor vitivinícola irão participar do II Fórum de Debate do Setor Vitivinícola no ginásio da Escola Estadual Pedro Migliorini, em Monte Belo do Sul, das 13h às 18h.  O evento, promovido pela Câmara de Vereadores do município e o Parlamento Regional da Serra Gaúcha, retomará as alternativas propostas na primeira edição do fórum realizado em 13/11/15 e novas sugestões.  O Fórum foi uma proposição do Vereador Onecimo Pauleti – PMDB.

O Presidente da Câmara Municipal de Monte Belo do Sul, vereador Onecimo Pauleti, destacou que “Nossa missão é fortalecer a cadeia produtiva da uva, do vinho e derivados, buscando alternativas para melhorar a competitividade dos produtos vinícolas brasileiros nos mercados interno e externo, além de fazer com que os jovens continuem no campo” completou.

Na primeira hora serão realizadas palestras com o Pesquisador Chefe Geral da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Celso Zanus, que apresentará um panorama da viticultura do estado, o Diretor Executivo do Ibravin, Carlos Paviani, palestrará sobre o papel do Ibravin no ordenamento e promoção da vitivinicultura. Em seguida Márcio Ferrari, do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares – Sintrafar falará sobre o preço e custo da uva e Benildo Perini, do Sindivinho que fala sobre a economia das indústrias de vinhos e derivados.

No último evento, foram debatidas as principais dificuldades da cadeia produtiva da uva e alternativas de enfrentamento dos problemas, com a elaboração de uma carta que foi encaminhada a órgãos federais e estaduais que propõe o fortalecimento da assistência técnica específica para a cadeia da uva, a retomada do subsídio agrícola pelo governo federal, a redução do ICMS e do IPI que incide sobre o vinho, a inclusão do suco de uva na cesta básica, o valor do preço mínimo da uva em consonância com os custos de produção, entre outras reivindicações.

Parlamento Regional reúne-se em São Marcos

Oito representantes de câmaras municipais da Serra Gaúcha estiveram, na tarde da terça-feira, 13 de março, em São Marcos

  Oito representantes de câmaras municipais da Serra Gaúcha estiveram, na tarde da terça-feira, 13 de março, em São Marcos, para a segunda reunião do Parlamento Regional de 2018. O vereador Onecimo Pauleti (PMDB) participou do encontro em nome do Legislativo de Monte Belo do Sul. Entre os assuntos tratados, o II Fórum de Debate sobre o Setor Vitivinícola, que acontece no dia 06 de abril, no Ginásio de Esportes da Escola Estadual Pedro Migliorini, em Monte Belo do Sul, às 13h com objetivo de retomar as atividades propostas na primeira edição do fórum realizado em 13/11/15 e novas sugestões como manter o jovem no campo, bem como levantar as dificuldades do setor e buscar formas de solidificar o vinho nacional no mercado.
O Presidente da Câmara Municipal de Monte Belo do Sul, vereador Onecimo Pauleti, destacou que “Nossa missão é fortalecer a cadeia produtiva da uva, do vinho e derivados, buscando alternativas para melhorar a competitividade dos produtos vinícolas brasileiros nos mercados interno e externo, além de fazer com que os jovens continuem no campo” completou.
Outra pauta foi o projeto de lei em trâmite no Congresso Nacional e que trata da instituição da Zona Franca do Vale dos Vinhedos. A matéria inicial reúne os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi, Monte Belo do Sul e Santa Tereza. Apresentada pelo deputado federal João Derly/Rede, a proposição está gerando debate nas câmaras da região, uma vez que outros municípios também manifestaram vontade de participar do movimento. A deliberação para a pauta foi a redação de um manifesto do Parlamento Regional pedindo a inclusão de outras cidades, por meio de emenda ao projeto, além de convidar Derly para participar de uma reunião do grupo.
Outra pauta trazida à tona pelo Legislativo de São Marcos foi a falta de professores na Rede Estadual de Ensino. A 4ª Coordenadoria Regional De Educação (CRE) enfrenta deficit de nomeações. A preocupação apresentada é a burocracia no processo de contratação emergencial de docentes. Ainda foi abordado a falta de abastecimento de água nos municípios. De acordo com o presidente do Parlamento Regional, vereador Moisés Scussel/PSDB, de Bento Gonçalves, será sugerida ao grupo uma inserção propositiva de todos os legislativos junto ao Comitê da Bacia Hidrográfica Taquari-Antas. A reflexão se deu a partir do resultado das amostras de água dos rios e seus afluentes, onde foram identificados indícios de poluição por agrotóxicos.
Os presidentes que participaram da reunião foram de Garibaldi, Moisés Nekel (PMDB), de Nova Prata, Clayton Rigo (PDT), de Bento Gonçalves, Moisés Scussel Neto (PSDB), de Nova Roma do Sul, Zelvir Anselmo Santi (PP), de São Marcos, Patrícia Camassola Tomé (PMDB) e representando Caxias do Sul, o vereador Alceu Thomé (PTB) e Farroupilha, o vereador Tiago Ilha (PRB).
A próxima reunião da comissão está marcada para 06 de abril, em Monte Belo do Sul, às 10h.

Espumante é a aposta brasileira na maior feira mundial de vinhos

Onze empresas integrantes do projeto setorial Wines of Brasil estarão na Alemanha, entre os dias 18 e 20 deste mês. Projeção é de negócios de cerca de US$ 1 milhão nos próximos 12 meses

Reconhecidos mundialmente, os espumantes brasileiros já conquistaram mais de 1,5 mil medalhas em concursos internacionais nos últimos 10 anos. Crédito: Dandy Marchetti/Banco de Imagens Ibravin

O Brasil reforçará ao mundo do vinho a vocação do país para a elaboração de espumantes. A participação das vinícolas brasileiras na maior feira do segmento, a ProWein Alemanha, em Düsseldorf, de 18 a 20 de março, focará na promoção e prospecção de negócios que devem chegar a US$ 1 milhão nos próximos 12 meses, com as borbulhas liderando as atenções e estratégias das 11 empresas que estarão no estande verde-amarelo, no hall 9 – G28. A ação é do projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do Rio Grande do Sul (Fundovitis), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Está é a 14ª participação consecutiva das vinícolas na feira.
Entre as novidades desta edição e alinhada com o objetivo do projeto setorial está o lounge Sparkling Brasil, com degustação de 22 rótulos de espumantes, de 12 empresas, conduzidas pelo sommelier brasileiro Maurício Roloff. As vinícolas verde-amarelas que estarão no estande coletivo são Aurora, Casa Perini, Casa Valduga, Don Guerino, Góes, Lidio Carraro, Miolo, Mioranza, Peterlongo, Pizzato e Salton, além da Nova Aliança, que participará apenas com produto no Sparkling Brasil.
Também será a primeira vez que os produtores brasileiros estarão representados no ProWein Forum. Às 10h do dia 18, os representantes do projeto setorial conduzirão uma degustação de espumantes verde-amarelos e apresentarão a produção nacional.
“Vamos reforçar a qualidade e a diversidade dos nossos espumantes, algo já reconhecido e validado pela crítica e pelo próprio trade internacional, posicionando-os como carros-chefes da produção brasileira. Em 2017 retomamos o crescimento nas exportações, com um incremento de 47,5% na venda da bebida”, informa o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini.
A participação na feira, segundo Bertolini, é valorizada em função de reunir os principais compradores dos países que são mercados-alvo do Wines of Brasil – Estados Unidos, China e Reino Unido – e também de importadores da América Latina. “A ProWein reúne players do mundo inteiro e a nossa participação de forma conjunta deverá trazer ótimos resultados, tanto em negócios como em imagem”, acredita.
Em 2017, a Alemanha foi o 10º principal destino das exportações de vinhos e espumantes brasileiros, com mais de 20 mil litros, em negócios que ultrapassaram a marca de US$ 117,5 mil. “É importante ressaltar o valor médio por litro exportado, que foi de US$ 5,70 e mostra que estamos posicionados numa categoria de produtos com maior valor agregado, tanto em espumantes como em vinhos tranquilos”, aponta.
Após a participação na ProWein, um grupo de 14 pessoas, de sete vinícolas brasileiras, realizará uma missão técnica na Itália, nas regiões de Conegliano e Treviso. De 21 a 23 deste mês, integrantes do Wines of Brasil e das empresas Aurora, Casa Perini, Casa Valduga, Góes, Miolo, Peterlongo e Salton farão visitas em vinícolas, em roteiros enoturísticos e na Escola de Enologia de Conegliano. O objetivo é conhecer a produção das empresas, as experiências dos empreendimentos com o turismo e as formas de atrair visitantes para os roteiros de vinhos no Brasil.

ProWein 2018 em números
A ProWein 2018 terá a presença de 6,7 mil expositores, de 61 países. Serão mais de 300 regiões vitivinícolas representadas e cerca de 500 eventos, incluindo sessões de degustações guiadas, seminários e apresentações.

Sobre o Wines of Brasil
Criado em 2002, o Wines of Brasil é uma iniciativa de promoção comercial dos vinhos e espumantes brasileiros no mercado externo, desenvolvido entre o Ibravin e a Apex-Brasil. O projeto conta atualmente com a participação de 42 vinícolas e têm como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China. Nos últimos anos, cerca de 95% das empresas que aderiram a iniciativa conseguiram dar continuidade em suas exportações, devido ao suporte e aos programas de capacitação oferecidos e o trabalho setorial de consolidação da imagem dos rótulos nacionais no Exterior. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.winesofbrasil.com e www.ibravin.org.br.

Setor vinícola retoma vendas e encerra 2017 com alta de 5,6%

Último trimestre do ano consolidou recuperação comercial, com destaque para o suco de uva 100%, que fechou o ano com crescimento de 16%

 

 

Setor pleiteia retirada da Substituição Tributária para ampliar participação do vinho brasileiro no mercado interno Crédito: Dandy Marchetti/Banco de Imagens Ibravin

 Com uma retomada iniciada no terceiro trimestre e que ganhou fôlego nos últimos três meses do ano, o setor vitivinícola terminou 2017 com dados positivos, apresentando crescimento de 5,67% nas vendas no mercado interno. No total, foram comercializados 363.184.941 litros de vinhos, espumantes, sucos e outros derivados da uva.
Nos vinhos tranquilos, as vendas ficaram positivas em 2,19%, com 189,3 milhões de litros comercializados. Os vinhos espumantes ampliaram o volume em 3,22%, com 17,4 milhões de litros, e os sucos de uva 100% prontos para consumo foram os itens que mostraram melhor desempenho, com expansão de praticamente 16% ante o ano anterior, com 109 milhões de litros vendidos.
“O início do ano foi bem difícil, pois vínhamos de uma quebra de safra recorde (ocorrida em 2016), que aumentou os custos de produção, diminuiu a oferta de produtos, junto com uma crise econômica e política que deixou o mercado bastante retraído. Essa conjuntura começou a se dissipar apenas a partir do terceiro trimestre”, observa o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Oscar Ló. “A partir daí, os espumantes e os sucos, produtos em que temos maior competitividade, já estavam com vendas melhores que em 2016, mas foram os últimos três meses do ano que recuperamos os resultados de fato”, complementa o dirigente.
No ano passado, 32% do total das comercializações foram efetivadas entre outubro e dezembro. Marcio Ferrari, vice-presidente do Ibravin, observa que, a partir da metade do ano, com o ingresso dos produtos elaborados a partir da nova safra – recorde histórico no Rio Grande do Sul, com 753 milhões de quilos – houve um arrefecimento nos custos e, por
Com uma retomada iniciada no terceiro trimestre e que ganhou fôlego nos últimos três meses do ano, o setor vitivinícola terminou 2017 com dados positivos, apresentando crescimento de 5,67% nas vendas no mercado interno. No total, foram comercializados 363.184.941 litros de vinhos, espumantes, sucos e outros derivados da uva.
Nos vinhos tranquilos, as vendas ficaram positivas em 2,19%, com 189,3 milhões de litros comercializados. Os vinhos espumantes ampliaram o volume em 3,22%, com 17,4 milhões de litros, e os sucos de uva 100% prontos para consumo foram os itens que mostraram melhor desempenho, com expansão de praticamente 16% ante o ano anterior, com 109 milhões de litros vendidos.
“O início do ano foi bem difícil, pois vínhamos de uma quebra de safra recorde (ocorrida em 2016), que aumentou os custos de produção, diminuiu a oferta de produtos, junto com uma crise econômica e política que deixou o mercado bastante retraído. Essa conjuntura começou a se dissipar apenas a partir do terceiro trimestre”, observa o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Oscar Ló. “A partir daí, os espumantes e os sucos, produtos em que temos maior competitividade, já estavam com vendas melhores que em 2016, mas foram os últimos três meses do ano que recuperamos os resultados de fato”, complementa o dirigente.
No ano passado, 32% do total das comercializações foram efetivadas entre outubro e dezembro. Marcio Ferrari, vice-presidente do Ibravin, observa que, a partir da metade do ano, com o ingresso dos produtos elaborados a partir da nova safra – recorde histórico no Rio Grande do Sul, com 753 milhões de quilos – houve um arrefecimento nos custos e, por consequência, nos preços ofertados ao consumidor, assim como uma melhoria na perspectiva econômica no país. Com o resultado, no mercado doméstico, os rótulos nacionais mantiveram a participação de 61,5% nas vendas de vinhos e de 71% nos espumantes.
Somando as vendas dos produtos brasileiros com os volumes de importação, o mercado de vinhos ampliou em 13%. No ano passado, ingressaram no país aproximadamente 125,8 milhões de litros de vinhos e espumantes, representando alta de 36,6% ante 2016. O suco de uva, por sua vez, recuou 18,7%, com o ingresso de 226,5 mil litros.
Para esse ano, a perspectiva é de ampliação dos resultados positivos iniciados no último trimestre de 2017 devido à normalização dos estoques e aos produtos elaborados a partir da safra 2018, considerada de excelência em qualidade. Entretanto, para ampliar a competitividade mercadológica, o setor trabalha pela retirada do vinho do regime de Substituição Tributária (ST).
No início do mês, durante o lançamento da Wines South America, feira internacional que será realizada em setembro, em Bento Gonçalves, Ló fez um pedido para que o governo do Rio Grande Sul lidere um movimento pelo fim da ST. “O Rio Grande do Sul, como maior produtor de uvas e vinhos do país, tem que dar o exemplo junto ao Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária). Não estamos pedindo redução de alíquotas, embora este também seja um grande pleito do setor. O que buscamos é alteração na forma de cobrança do ICMS, que pelo regime estabelecido onera principalmente as empresas vinícolas. Diversas unidades da Federação já estão alterando sua legislação e eliminando a ST, já que com os atuais instrumentos existentes para o controle fiscal, a cobrança antecipada do tributo não se justifica. Temos certeza que com esta medida, não haverá perda de arrecadação e poderá estabelecer um estímulo para ampliar ainda mais as vendas no mercado interno”, defendeu.

Os estados da Bahia, Pernambuco, Goiás, Maranhão e Pará já retiraram o mecanismo da ST para os vinhos.
Dados de destaque:
– No mercado interno o setor vitivinícola ampliou as vendas em 5,67%.
– Na categoria de vinhos tranquilos, que ficou com alta de 2,19% no ano, a retomada da comercialização ocorreu no último trimestre. Entre outubro e dezembro as vendas cresceram 32% na comparação com o mesmo período do ano anterior.
– A participação de mercado dos rótulos nacionais de vinhos tranquilos ficou em 61,5%.

Professor Júlio Xandro Heck é eleito o novo reitor do IFRS

Júlio Xandro Heck,

O professor Júlio Xandro Heck, oriundo do Campus Porto Alegre, foi eleito reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), através de consulta à comunidade acadêmica, realizada no dia 8 de março de 2018 e homologada pela Comissão Eleitoral Central nesta segunda-feira, dia 12.
Júlio recebeu um total de 4.179 votos, sendo 383 de técnicos administrativos em educação, 460 de docentes e 3.336 de discentes, o que equivale a 34,34% dos votos válidos. O próximo procedimento é a homologação do resultado na reunião do Conselho Superior da Instituição, a ser realizada no dia 27 de março. A posse, ainda sem previsão de data, ocorre em Brasília.

Sobre o novo reitor
Júlio tem 40 anos e é natural de Alecrim. Casado com Carine Bueira Loureiro, atua no magistério há 11 anos. É formado em Química Industrial de Alimentos, possui mestrado em Microbiologia Agrícola e do Ambiente, doutorado em Biologia Celular e Molecular e pós-doutorado em Biotecnologia.

O IFRS

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) é uma instituição federal de ensino público e gratuito. Conta com cerca de 19 mil alunos e mais de 200 opções de Cursos Técnicos e Superiores de diferentes modalidades em vários municípios do Estado. Oferece também Cursos de Pós-graduação e dos Programas do governo federal.
O IFRS atua com uma estrutura multicampi. Possui os campi de Alvorada, Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Erechim, Farroupilha, Feliz, Ibirubá, Osório, Porto Alegre, Restinga (Porto Alegre), Rio Grande, Rolante, Sertão, Vacaria, Veranópolis e Viamão. Entre seus objetivos está promover a educação profissional e tecnológica de excelência e impulsionar o desenvolvimento sustentável das regiões.
Foi criado em 29 de dezembro de 2008, pela lei 11.892, e pertence à Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A Reitoria está localizada em Bento Gonçalves. Saiba mais no endereço eletrônico www.ifrs.edu.br.