Exaltação da Santa Cruz

Foto: Pe. Luiz Antonio Mascarello, CP. Pároco e Reitor

“É necessário que o Filho do Homem seja levantado”.

A cruz para os cristãos é instrumento e sinal da Salvação. A cruz próxima do altar quando se celebra a missa, representa uma evocação da figura bíblica da serpente de bronze que Moisés elevou no deserto.

A serpente simboliza a presença salvadora de Deus junto ao povo andarilho no deserto. Quando olhava a serpente os hebreus eram curados.

São João nos diz: “Contemplarão Aquele que transpassaram”. A cruz assumida por Cristo é celebrar o sacrifício da própria vida de Jesus em favor de cada um de nós. Cristo desceu do céu para revelar seu amor ao mundo e ao levantar-se eleva a humanidade dando-lhe a dignidade.

A serpente de bronze de Moisés tornou-se idolatria e foi destruída por Ezequias. No entanto, a cruz de Cristo – que os cristãos assumiram – é hoje um sinal de libertação, salvação, de redenção e de unidade entre todos nós.

A cruz, sinal terrível de sofrimento, humilhação, é para os que acreditam em Jesus a árvore da vida e o altar da nova aliança. Todo o sofrimento humano espelhado na cruz de Cristo dá um sentido profundo a nossa vida e nos modela a Cristo. Assim todos os que passam pelo sofrimento saem fortifi-cados e muito mais humanos e compreensivos.

Sabemos que da crucificação de Jesus nos são oferecidos os sacramentos, que através deles quando os recebemos celebramos a nossa vida em comunhão com Deus e com nós mesmos.

A cruz não é mais instrumento de castigo, mas de salvação. A morte de cruz foi prova supre-ma da fidelidade do Filho ao Pai e consequentemente a toda a humanidade. É síntese do amor de Jesus pela humanidade, ao entregar-se para resgatá-la do pecado, e é um convite para o amor. Quando exal-tamos a cruz optamos por trilhar os caminhos de Jesus.

Pe. Luiz Antonio Mascarello, CP.

– Pároco e Reitor –