Você sabe como é feita a uva passa?

Presente em quase todas as receitas natalinas, a fruta seca não é produzida em escala industrial no país

As festas de final de ano chegaram e com elas a amada ou odiada Uva Passa entra em cena, presente em diversas receitas. Mesmo sendo conhecida por nós brasileiros, ela não é produzida em grande escala no país.

Frutas que não têm as características ideais para exportação viram uvas passas (Foto: Christian Schnettelker/CCommons)

Quem produz a fruta seca, em grande quantidade é um país vizinho ao nosso, o Chile. Seu clima é ideal para a produção da uva, com muito calor no verão e o frio necessário no inverno. Mas, mesmo com todo o clima perfeito, alguns cachos de uva não atingem o padrão de qualidade para exportação in natura: são menores, menos pesados, menos volumosos. Essas frutas, que acabam sendo “rejeitadas”, passam pelo processo de secagem e viram as famosas uvas passas. Elas, acabam agregando mais valor na hora da sua comercialização, chegam a valer 30% mais que as frutas frescas.

Para viraram as Uvas Passas, a fruta passa por todo um processo de secagem, sendo espalhadas em esteiras colocadas ao sol. O processo de secagem dura em torno de duas a três semanas, variando conforme o calor, sendo totalmente ecológico, pois utiliza a fonte de calor do sol. Já para as uvas claras, o processo passa a ser mecânico.

Confira o vídeo para entender melhor todo o processo de fabricação das Uvas Passas: CLIQUE AQUI

Campanha pretende restaurar bicicletas para servirem de decoração em Pinto Bandeira

Foi criada a campanha de doação de bicicletas para serem embelezadas e colocadas na Praça da Matriz. Se você, morador de Pinto Bandeira ou arredores, tiver uma bike velha que não usa, entregue na Prefeitura, ela se tornará um ornamento. As doações poderão ser feitas na Prefeitura Municipal de segunda a sexta das 07:30 às 11:30 e das 13:00 às 17:00.

Novas máquinas já estão disponíveis a comunidade

Ao longo da semana Pinto Bandeira recebeu duas novas máquinas pesadas que serão utilizadas pela Secretaria de Obras e Agricultura. Uma retroescavadeira de pneus, marca CASE, modelo 580 N (4X4) que foi adquirida por R$232.500.00 (duzentos e trinta e dois mil e quinhentos reais), onde R$ 86.250,00 (oitenta e seis mil e duzentos e cinquenta e dois reais) foram por meio de recurso próprio da Prefeitura e os outros R$ 146.250,00 (cento e quarenta e seis mil e duzentos e cinquenta reais) por meio de Emenda Parlamentar do Deputado Federal do PP Afonso Hamm.

Créditos: Prefeitura Municipal de Pinto Bandeira

A outra, uma escavadeira hidráulica de esteira, marca CASE, modelo CX220C, também foi adquirida pelo valor de R$ 429.000,00 (quatrocentos e vinte mil reais), onde R$ 282.750,00 (duzentos e oitenta e dois mil e setecentos reais) foram por recurso próprio da Prefeitura e por Emenda Parlamentar da Senadora do PP Ana Amélia Lemos, o valor de R$ 146.250,00 (cento e quarenta e seis mil e duzentos e cinquenta reais). Segundo o Prefeito Sr. Hadair Ferrari “Se tem algo que sempre foi conquistado em nosso Município, foi através da luta e do trabalho. E isso nós notamos que está cada vez mais indo para a frente”. Já o Secretário de Obras, Saneamento e Trânsito Sr. Tailor Rigon ressaltou “As máquinas são de extrema importância para o desenvolvimento do Município” Na imagem o Prefeito Municipal Sr. Hadair Ferrari junto ao Vice Daniel Marini Pavan, Secretário de Obras, Saneamento e Trânsito Sr. Tailor Rigon e seus colaboradores.

Operação pente-fino e o ‘corte’ das aposentadorias por invalidez

Foto: Francesca Casagrande Luchese, advogada.

Há meses repercute na mídia a operação pente-fino do INSS como uma verdadeira “caça às bruxas”. A estimativa do Governo é rever mais de meio milhão de auxílios-doença e de um milhão de aposentadorias por invalidez. Até o momento, os números dão conta que houve o corte dos benefícios em 70% dos casos de auxílio-doença revisados. No caso das aposentadorias por invalidez, há a suspensão de três benefícios em cada dez analisados. E é preciso estar atento: quem está no alvo da operação pente-fino, após receber a carta de convocação, tem cinco dias úteis para agendar a perícia pelo número 135. Quem não atender à convocação ou não comparecer na data agendada terá o benefício suspenso. A partir da suspensão o segurado tem até 60 dias para procurar o INSS e agendar a perícia. Se não procurar o INSS neste prazo, o benefício será cancelado.

É preciso salientar que alguns segurados não podem ser convocados para a perícia: a lei garante a dispensa para o aposentado por invalidez com mais de 60 anos e para os segurados que tem 55 anos de idade ou mais e recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez há mais de 15 anos. Vale também salientar que o resultado pode ser objeto de recurso e, ainda, de ação judicial para restabelecimento do benefício.

Para aqueles que tiveram o benefício suspenso, vale ressaltar que há uma transição gradual a ser observada. Caso a capacidade para o trabalho seja recuperada dentro de cinco anos (o auxílio-doença anterior também deve ser computado), a aposentadoria por invalidez só pode ser cortada se a pessoa puder retornar à função que desempenhava na empresa quando se aposentou. Se não for o caso, o segurado deve continuar recebendo a aposentadoria por tantos meses quantos forem os anos de duração do benefício. Por exemplo, o segurado recebeu um ano de auxílio-doença e três anos de aposentadoria por invalidez: deverá continuar recebendo a aposentadoria por quatro meses.

No caso dos aposentados por invalidez há mais de cinco anos (o auxílio-doença anterior conta), recuperação parcial ou segurado declarado apto para exercer outra atividade (não a habitual), o mesmo deverá seguir recebendo a aposentadoria da seguinte forma: no valor integral durante seis meses, com redução de 50% no período seguinte de seis meses e com redução de 75% por mais seis meses. Após, o benefício será definitivamente cessado. Ainda, durante esse período, o segurado pode trabalhar, pois o objetivo é garantir seu retorno gradual ao mercado de trabalho.

Francesca Casagrande Luchese, advogada, OAB/RS 75.584

,

Villa Michelon abre suas portas para o público na edição 2019 de La Bella Vendemmia

Fotos: Rita Michelin

Atrativo, antes voltado somente a hóspedes, agora pode ser adquirido separadamente

Uma experiência de contato com a cultura do vinho e, sobretudo, valorização da herança deixada pelos primeiros imigrantes italianos. Assim é a La Bella Vendemmia, evento promovido pelo Hotel Villa Michelon há três anos, que valoriza a cultura do vinho. São nove finais de semana com uma programação intensa onde os presentes imergem na história da vitivinicultura no Rio Grande do Sul e no Brasil, além da esperada experiência de contato com a uva através da colheita e da pisa. Este ano, as edições serão abertas ao público mediante reserva de ingressos antecipadamente.

Fotos: Rita Michelin

Segundo a diretora geral do Villa Michelon, Elaine Michelon, a medida visa proporcionar a experiência a um público mais amplo. “Na vindima de 2018 presenciamos diversos momentos comoventes, de pessoas que estavam aqui revivendo até mesmo suas histórias de vida. Tivemos crianças acostumadas a centros urbanos desfrutando da natureza e até mesmo reencontros de famílias. Queremos que este ano o Villa Michelon seja um palco ainda mais amplo para essas sensações e por isso abrimos algumas vagas limitadas para o público em geral. A minha dica é que as reservas sejam feitas com antecedência. Não queremos ninguém fora dessa!”, aconselha. A estrutura da festa será a mesma, com algumas alterações no cardápio e no horário. Em virtude das altas temperaturas da estação, La Bella Vendemmia inicia às 18h às sextas-feiras, dias 11/01; 18/01; 01/02; 08/02 e 15/02. Nos dias 22/02; 01/03 e 08/03, o horário se mantém às 17h, a exemplo dos anos anteriores.

Fotos: Rita Michelin

Os ingressos vão de R$ 60 para crianças menores de seis anos; R$ 140 para crianças de seis a 12 anos e R$ 210 para adultos. No valor, está incluso o filó italiano com comida, vinho da casa, água e suco à vontade, um avental, um boné e uma taça personalizados do evento e, é claro, toda a programação.

ABERTURA OFICIAL DA VINDIMA
Anfitrião da festa mais tradicional do Vale dos Vinhedos há mais de uma década, o Villa Michelon mantém o hábito e recebe autoridades, imprensa, comunidade e hóspedes a partir das 17h do dia 25 de janeiro de 2019, para celebrar a Abertura Oficial da Vindima, um espetáculo de gastronomia, costumes e religiosidade. Nessa ocasião, a solenidade não será aberta ao público.

LA BELLA VENDEMMIA 2019
Às sextas-feiras, de 11 de janeiro/19 até 08 de março/19
– 18h de 11 de janeiro/19 até 15 de fevereiro/19
– 17h no dia 25 de janeiro/19 (Abertura da Vindima) e de 22 de fevereiro até 08 de março/19

PROGRAMAÇÃO:
– Recepção na Casa do Filó;
– Visita Guiada ao Parreiral Modelo;
– Colheita simbólica e orientada;
– Pisa de Uvas na tina;
– Filó com Coral Italiano Vicentino e música tradicionalista com a dupla Natália e Emanuel.

CARDÁPIO:
– Vinhos M. Luiz Michelon em Bag (Chardonnay, Merlot ou Cabernet Sauvignon);
– Suco de uva;
– Água mineral com e sem gás;
– Tábuas de queijo colonial, salame e copas fatiados;
– Pão Colonial e Pão Recheado;
– Cucas diversas;
– Conservas (pepino, azeitonas e ovos de codorna);
– Risoto Italiano;
– Macarrão à bolonhesa;
– Polenta na chapa com e sem queijo;
– Linguiça suína na chapa (servida no pão);
– Uvas geladas;
– Sagu e creme de confeiteiro.

RESERVAS:
WhatsApp: (54) 98112.5443
Fone: 0800.703.3800
E-mail: reservas@villamichelon.com.br

Estamos localizados na RS 444 – Km 18,9 – Estrada do Vinho – Vale dos Vinhedos
Bento Gonçalves – RS – Brasil

Setor vitivinícola se reúne com titulares que assumirão Ministério da Agricultura, Receita Federal e Comércio Exterior em Brasília

Comitiva apresentou panorama com a realidade do setor, pedido de reenquadramento tributário e retirada do vinho do sistema de Substituição Tributária

Representado por uma comitiva de produtores e dirigentes de entidades, o setor vitivinícola brasileiro se reuniu na terça-feira (20) com a tríade que estará à frente do Ministério da Agricultura e Meio Ambiente, da Secretaria da Receita Federal e da Secretaria de Comércio Exterior a partir de 2019: Tereza Cristina, Marcos Cintra e Marcos Troyjo, respectivamente. A reunião que foi intermediada pelo atual deputado e senador eleito Luis Carlos Heinze teve a participação do deputado federal reeleito Jerônimo Goergen e também contou com representantes da região Sul dos setores do arroz, alho, leite, maçã e trigo.

Futuros representantes do governo federal ouviram demandas do setor vitivinícola brasileiro // Crédito: Divulgação

Marcio Ferrari, vice-presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin); Deunir Argenta, presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra); João Zanotto, presidente da Associação Gaúcha dos Vinicultores (Agavi); Gilberto Pedrucci, diretor do Sindicato da Indústria do Vinho, do Mosto de Uva, dos Vinagres e Bebidas Derivados da Uva e do Vinho do Estado do Rio Grande do Sul (Sindivinho/RS); Alceu Dallemole, dirigente da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho); Carlos Paviani, diretor de relações institucionais do Ibravin; e o vitivinicultor e também dirigente da Associação Gaúcha dos Produtores de Maçã (Agapomi), Antonio Sozo, integraram a comitiva da uva e do vinho.

Além de apresentar um panorama do setor, o grupo declarou apoio à reforma tributária defendendo que o vinho seja considerado parte da dieta alimentar para fins de enquadramento em alíquotas menores. Foi solicitado ainda que, enquanto a reforma não seja realizada, a Secretaria da Receita Federal, por meio do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) retire o vinho do sistema de Substituição Tributária (ST). “Esse foi o nosso primeiro pleito apresentado pois a ST é o principal gargalo que impede a competitividade do setor. Explicamos que, na forma como ela é aplicada, dá tratamento fiscal diferente aos vinhos nacionais, favorecendo os rótulos importados”, explicou Deunir Argenta.

A comitiva considerou o resultado da reunião bastante satisfatório pela receptividade e entendimento das questões apresentadas aos futuros gestores das pastas federais. Paviani mencionou que a futura ministra da Economia, enquanto exercia o mandato de deputada federal, participou de todas as reuniões da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados, por isso demonstrou amplo conhecimento da realidade do setor, enquanto que Cintra disse compreender o impacto que a ST vem causando nos produtos brasileiros. “Estamos muito esperançosos e acredito que o setor terá um melhor atendimento dos pleitos históricos que temos apresentado aos governos federais”, observou João Zanotto.

Vereadores aprovam cinco projetos em Monte Belo do Sul na última sessão do ano

A Câmara de Vereadores de Monte Belo do Sul realizou na terça-feira, 18 de dezembro, a última Sessão do ano. Cinco projetos de lei foram aprovados por unanimidade de votos e todas foram enviadas pelo Poder Executivo.

A primeira matéria, aprovada foi o PL Complementar nº 001/2018. A matéria disciplina o sistema tributário do município, consolida leis e institui o Código Tributário Municipal.

Em seguida, o plenário aprovou o PL nº 056/2018. A matéria dispõe sobre a política municipal de proteção aos direitos da criança e do adolescente, cria o conselho municipal dos direitos da criança e do adolescente, o fundo municipal dos direitos da criança e do adolescente, o sistema municipal de atendimento socioeducativo e o conselho tutelar.

Também foi aprovado o PL nº057/2018. A matéria dispõe sobre a reforma administrativa CISGA, que envolve: a criação e regulamentação do pagamento de gratificação mensal pelo exercício da função de pregoeiro, a criação de cargos de auxiliar administrativo e a redução do montante do padrão remuneratório dos cargos em comissão, já criados, de assessor executivo, integrantes do quadro funcional do CISGA.

Na sequencia, o plenário aprovou em regime de urgência o PL nº 058/2018 que altera redação do art. 31 da Lei Municipal 950/2009.

E por fim, também em regime de urgência, os vereadores aprovaram o PL nº 059/2018. A matéria altera o artigo 3º e paragrafo 1º da Lei Municipal nº 1157/2013.

Indicação
De autoria do vereador Silvio Cisca (PMDB) solicita ao Executivo Municipal que crie alternativas ou um projeto de lei para os vinhedos abandonados. Segundo a justificativa é para que os proprietários não deixem as suas áreas de terras com os vinhedos abandonados.

Delicioso sorvete de panetone com calda de caramelo

Foto: União / Divulgação / Divulgação

Que tal fazer receitas deliciosas para saborear com toda a família? Confira a seguir, uma saborosa receita, da marca União, para você preparar no final de semana e levar para o Natal.

Ingredientes
3 xícaras (chá) de leite (600 ml)
½ xícara (chá) de açúcar refinado (55 g)
3 gemas (60 g)
4 colheres (sopa) de amido de milho (32 g)
1 caixinha de creme de leite (200 g)
raspas de 1 laranja
2 colheres (chá) de raspas de limão (4 g)
3 claras (120 g)
1 xícara (chá) de açúcar refinado (110 g)
1 xícara (chá) de frutas cristalizadas
2 colheres (sopa) de uvas passas pretas
2 e ½ xícaras (chá) de panetone cortado em cubos pequenos (300 g)
calda de caramelo e nozes picadas para decorar

Modo de preparo
1. Em uma panela, aqueça em fogo médio o leite com o açúcar refinado.
2. Em uma tigela, misture as gemas com amido. Reserve.
3. Quando o leite amornar, adicione na mistura de gemas lentamente, mexendo sempre para não empelotar.
4. Volte a mistura para a panela e cozinhe por 5 minutos ou até engrossar.
5. Desligue o fogo e adicione o creme de leite, as raspas de laranja e de limão.
6. Transfira para um refratário e cubra com papel filme em contato com o creme. Reserve em geladeira até esfriar.
7. Em uma tigela, em banho maria sem parar de mexer, aqueça as claras com o açúcar refinado até dissolver bem, mas sem cozinhar as claras.
8. Em uma batedeira, em velocidade média bata a mistura de claras com açúcar até esfriar e formar um merengue firme.
9. Adicione no creme reservado as frutas cristalizadas e as uvas passas e junte o merengue aos poucos, misturando até formar um creme homogêneo.
10. Acrescente o panetone e misture delicadamente.
11. Coloque em um refratário ou em uma tigela, tampe e leve ao freezer por pelo menos 6 horas antes de servir.
12. Sirva acompanhado da calda de caramelo e decore com as nozes picadas.

Dica: experimente adicionar pedaços de chocolate ao sorvete. Se desejar, hidrate as uvas passas em vinho do porto, rum ou no licor de sua preferência.

Vereadores aprovam sete projetos em dezembro

Vereador Maurício Pagno – PDT assume como 1º suplente

Sete projetos de lei foram aprovados pela Câmara Municipal de Pinto Bandeira no mês de dezembro. Todas as matérias são de autoria do Poder Executivo. Tomou posse na Sessão do dia 04 de dezembro, o vereador Maurício Pagno – PDT. O 1º suplente convocado pela Câmara Municipal substitui o vereador Daniel Sganzerla – PDT devido ao afastamento temporário de 30 dias.

Sessão Ordinária de 04/12/2018
A primeira matéria aprovada, por unanimidade de votos, foi o PL nº 057/2018 de autoria do Executivo Municipal. A matéria autoriza o Executivo a firmar convênio com o Estado do Rio Grande do Sul, visando a modernização da Unidade da Brigada Milita.

Em seguida, também aprovado por unanimidade de votos, o PL nº 059/2018, de autoria do Executivo Municipal. A matéria acrescenta dispositivos na Lei Municipal n° 252, de 07 de julho de 2017, que trata da Estrutura Administrativa da Prefeitura Municipal de Pinto Bandeira.

Por fim, foi aprovado por unanimidade de votos o PL 060/2018, enviado pelo Executivo Municipal. A proposta Cria cargo no quadro de cargos da Lei Municipal n° 253, de 07 de julho de 2017 e acrescenta dispositivos.

Sessão Ordinária de 18/12/2018
A primeira matéria aprovada, por unanimidade de votos, foi o PL nº 061/2018 de autoria do Executivo Municipal. A matéria dispõe sobre a Reforma Administrativa do CISGA, que envolve a criação e regulamentação do pagamento de gratificação mensal pelo exercício da função de pregoeiro, a criação de cargos de auxiliar administrativo e a redução do montante do padrão remuneratório dos cargos em comissão, já criados, de assessor executivo, integrantes do quadro funcional do CISGA .

Em seguida, também aprovado por unanimidade de votos, o PL nº 062/2018, de autoria do Executivo Municipal. A matéria aprova calendário de eventos para o ano de 2019 e feriados do município.

Também foi aprovado por unanimidade de votos o PL 063/2018, enviado pelo Executivo Municipal. A proposta autoriza a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

Por fim, também aprovado por unanimidade de votos o PL 064/2018, enviado pelo Executivo Municipal. A matéria Autoriza a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

Indicação
De autoria da Bancada do PMDB, solicita ao Poder Executivo a elaboração de projeto para viabilização de recurso financeiro e posterior execução da obra de pavimentação da Rua Treviso em Pinto Bandeira.

A Sessão Ordinária, aberta à participação da comunidade, e pelo site da Câmara, www.pintobandeira.rs.leg.br

Como escolher espumantes para as ceias de final de ano

Truques simples garantem harmonização dos pratos e diversão dos convidados

A escolha do espumante é bastante pessoal, mas algumas orientações básicas podem auxiliar na compra da bebida para tornar o momento mais especial. Na ceia completa de Natal, com ave, carne suína, panetone e complementos, existem sabores e texturas bastante diferentes. A dica, portanto, é escolher um espumante que consiga harmonizar com todos os pratos, como o Garibaldi Prosecco (bebida leve e delicada). Já se a ideia é degustar um panetone com chocolate (chocotone), vale apostar na harmonização com o espumante Garibaldi Moscatel, que consegue equilibrar muito bem o paladar.

Cooperativa Vinícola Garibaldi possui espumantes para todos os paladares – foto Cassius André Fanti

“É muito importante mesclar estilos de espumante, dessa forma se atinge maior número de paladares. Normalmente, opta-se por espumantes mais leves, assim é possível agradar desde quem está iniciando no mundo do vinho até quem já tem mais conhecimento”, enfatiza o enólogo Ricardo Morari.

“De modo geral, os espumantes brasileiros são versáteis – sejam Brut, Moscatel ou Demi-Sec, especialmente quando elaborados pelo método Charmat, que se caracteriza pela leveza e facilidade de consumo”, completa o gerente de marketing da Cooperativa Vinícola Garibaldi, Maiquel Vignatti.

Confira mais dicas nos vídeos abaixo:

  • Enólogo Ricardo Morari fala sobre a escolha de espumantes para as festas de fim de ano: https://youtu.be/FsTC5s0lkpI
  • Dicas sobre para escolher os espumantes das festas de fim de ano, com o Gerente de marketing Maiquel Vignatti: https://youtu.be/dX1GthRM2tc

Gôndolas de espumantes – foto Cassius André Fanti

Sobre a Cooperativa Vinícola Garibaldi
A Cooperativa Vinícola Garibaldi celebra a passagem de seu 87º aniversário, festejando a concretização de mais um ano em sua história – que começou a ser escrita pela união de diversas famílias de agricultores como alternativa para vencer as dificuldades econômicas do país na época. Atualmente, congrega 400 famílias associadas, localizadas em 15 municípios da Serra gaúcha. Seu portfólio tem 70 produtos distribuídos em 12 marcas, entre vinhos tintos e brancos, espumantes de diversas variedades, linhas de exportação, frisantes, filtrados, sucos de uva e opções orgânicas. Em 2018, a marca figura como a vinícola brasileira mais premiada do período, totalizando 86 conquistas – destaque para o certificado de Melhor Espumante do Cone Sul concedido ao Garibaldi Moscatel.