Teremos a reforma da Previdência?

Francesca Casagrande Luchese, advogada, OAB/RS 75.584

A tão anunciada reforma da Previdência parece cada dia mais próxima. O Estadão repercutiu, no início da semana, a notícia de que a equipe econômica do governo Bolsonaro já está prestes a apresentar uma proposta concreta nesse sentido. Para tanto, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, já teria realizado reuniões com
especialistas que vão integrar o conselho consultivo que será criado para discutir as mudanças nas regras de pensão e aposentadoria.
No debate, alguns conselheiros sugeriram uma transição mais curta do que os 20 anos inicialmente propostos por Michel Temer. A ideia é que a transição seja de no mínimo oito anos e de, no máximo, 14 anos. Outras medidas paralelas, como a implantação do sistema de capitalização, também foram discutidas.
Ao que tudo indica, a estratégia do governo é revelar o conteúdo da emenda que modificará a proposta de Temer apenas no plenário da Câmara, marcando a retomada da tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC), parada oficialmente desde fevereiro de 2018. O cronograma previsto é que a apresentação ocorra já na primeira semana de fevereiro.
A expectativa é de que em 40 dias após sua apresentação a emenda possa ser votada em primeiro turno na Câmara, depois de uma rodada de apresentações do texto para as bancadas do Congresso. Também será necessário apresentar um requerimento de preferência de votação para que a emenda seja apreciada no lugar do relatório que veio da comissão especial.
A equipe envolvida na elaboração do texto já começou a procurar integrantes da nova Câmara para reforçar a importância da aprovação da reforma. Ainda segundo o periódico, técnicos atuariais estão rodando os diversos cenários que estão sendo analisados pela equipe econômica. Até agora não há definição sobre os principais pontos: idade mínima, regra de transição, os atingidos e o desenho final do regime de capitalização.
Há grande otimismo da equipe com a possibilidade de aprovação da proposta na Câmara e no Senado no primeiro semestre. Enquanto isso, a população segue apreensiva. O momento, todavia, requer tranquilidade e certamente é o indicado para uma análise da situação de cada segurado, especialmente daqueles que entendem estar na iminência de cumprir os requisitos para alcançar a aposentadoria de acordo com a legislação atualmente vigente.

Chuva afeta colheita e preço da uva na Serra

Grau de açúcar está baixo devido à umidade das três primeiras semanas do ano e podridão tem atingido algumas variedades de uva

O produtor colheu até o momento 45 mil quilos de uva

Diego Balbinot cultiva oito hectares de vinhedos e cultivas as variedades, Riesling, Seibel, Coder, Bordo, Isabel, BRS Magna, BRS Violeta e Niágara.

O teor de açúcar das variedades de uva colhidas neste início de safra ficou abaixo dos 15 graus na escala babo, conforme relata o agricultor de Monte Belo do Sul, Diego Balbinot, que cita a BRS Magna foi mais afetada com 12 graus. No total o produtor cultiva oito hectares de vinhedos e cultivas as variedades, Riesling, Seibel, Coder, Bordo, Isabel, BRS Magna, BRS Violeta e Niágara. “Nos produtores estamos muito preocupados. Colhi com grau 12, 13 e 14. Em um ano bom, pode a té passar de 15, atingindo 16, 17, e até 18, como eu já lembro de ter visto — diz o produtor.
Com isso, o valor que as cantinas pagam aos produtores é reduzido em relação à tabela do preço mínimo, que estabelece o grau 15 como referência. Diego se diz preocupado porque o agricultor acaba não sabendo qual o preço que vai obter diante desse quadro.
Essa situação tem ocorrido por conta da falta de sol e muita chuva, como ocorreu nas primeiras três semanas de janeiro. Fora o teor de açúcar mais baixo, outro problema relatado pelo agricultor é o de que, com mais umidade, as uvas ficam mais frágeis e a casca rompe, fazendo com que a fruta apodreça.
O pior é que não há o que fazer em relação ao problema do teor de açúcar, porque depende essencialmente do tempo, que precisa ser seco e com luz do sol. O agrônomo Ênio Todeschini, da Emater Serra, explica que não há uma técnica viável para contornar a situação. “ Poderia ser utilizada a cobertura plástica, mas isso ficaria muito caro” diz.
Com isso, resta esperar que a partir de agora que o tempo fique mais firme. Na última semana, mais dias de sol já fizeram com que a uva colhida tivesse uma qualidade um pouco melhor, segundo Todeschini. É que, com mais sol, a parreira transpira mais, e o açúcar dentro da uva fica mais concentrado.
Ele acrescenta que, no caso das uvas Bordô e Niágara, na maior parte da região da Serra elas começaram a ser colhidas justamente nesta última semana. No geral na região, as variedades mais afetadas, segundo ele, foram Violeta, Concord (ou Francesa, utilizada para fazer suco), e também Pinot Noir, Chardonnay e Riesling.
Preço da uva tem reajuste de 12% no preço mínimo para a safra de 2019
O valor mínimo da uva terá uma aumento na safra de 2019. O menor preço da fruta industrial será de R$ 1,03. O índice foi apresentado em proposta da Companhia Nacional de Abastecimento, (CONAB), e aprovado pelo Conselho Monetário Nacional, (CMN). O mesmo tem vigência para as regiões Sul, Sudeste e Nordeste. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União e é válido de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019.

Cooperativa Vinícola Garibaldi é case em encontro sobre geração de conteúdo

Marca apresentará ações de destaque na primeira edição do CONNECTED CONTENT, que ocorre na ESPM, nesta terça-feira (29)

Maiquel Vignatti, gerente de marketing da cooperativa Vinícola Garibaldi. Crédito: Divulgação Cooperativa Garibaldi

Não é só pelos números ostensivos – vinícola brasileira mais premiada em 2018, com 86 medalhas, faturamento recorde superior aos R$ 155 milhões e mais de 128 mil turistas recebidos no ano passado, entre os destaques – que a Cooperativa Vinícola Garibaldi impressiona. A marca também tem consolidado seu case de sucesso na gestão da comunicação – motivo pelo qual é uma das convidadas a apresentar seu case no 1º Connected Content. No encontro, o gerente de marketing, Maiquel Vignatti, participa do painel ‘Conteúdo com Produto Inserido’, apresentando ações de destaque no repertório da cooperativa em 2018.
A explanação contará como foi a construção de projetos como o ‘Taça e Trufa’ – roteiro enoturístico pioneiro na região da Serra gaúcha que propõe a harmonização entre espumantes e chocolates – e sua comunicação ao público-alvo; o trabalho de aproximação da marca com influenciadores digitais, que rendeu expressivo crescimento na visibilidade de seus produtos; o lançamento da linha de biodinâmicos e, também, ações de destaque de divulgação e investimentos em mídia de abrangência nacional.
O 1º CONNECTED CONTENT ocorre nesta terça-feira (29), a partir das 8h30, no auditório da ESPM-Sul, em Porto Alegre. São esperados para o encontro nomes de grande relevância no cenário da comunicação, entre eles diretores de agências, gerentes de marketing, professores, comunicadores e autoridades regionais. A ação é uma realização do SINAPRO-RS (Sindicato das Agências de Propaganda no RS), com o incentivo de empresas apoiadoras.

Don Giovanni colhe safra 2019

Enólogo responsável Maciel Ampese

A Vinícola Don Giovanni começou a receber parte da safra 2019, a informação é do enólogo responsável Maciel Ampese.
A colheita de uvas realizada, entre janeiro e fevereiro está a baixo do esperado em termos de quantidade. Sobre a qualidade da safra, o enólogo afirma que “até o momento tudo vai bem, mas que é preciso acompanhar o clima nos meses de verão, quando se dá a colheita e cada varietal. Foi um ano que exigiu bastante do produtor por conta das condições climáticas, mas com o bom manejo e o bom trabalho ainda se conseguiu ter uma uva de qualidade” afirma Maciel.
A maior parte das uvas colhidas foram Chardonnay e Pinot Noir, ambos para produção de espumantes. As próximas variedades a serem colhidas, o Merlot (parte para vinho e espumante) Tannat e Ancelota. “No Chardonnay tivemos um ponto de maturação bom, conseguindo equilibrar, acidez, sanidade e açúcar. Tivemos perdas na questão da quantidade, principalmente por conta dos altos índices de chuva, no período da floração e maturação. Nas questões de qualidade, aliado ao bom manejo e seleção da uva, o clima estabilizou no período final, fato que nos ajudou a atingir a maturação necessária. Então, apesar das condições climáticas difíceis do ciclo, tudo indica que teremos produtos bons e com qualidade” explica.
No primeiro momento, foram colhidas cerca de 50 toneladas, das variedades Chardonnay e Pinot Noir para elaboração de vinho base espumantes. A expectativa de produção é 30% a menos da safra passada.

Uva Pinot Noir

Inauguração da Obra de Revitalização do Campo Municipal

No sábado, 26, ocorreu a Inauguração da Obra de Revitalização do Campo Municipal na Comunidade da Anunciata em Pinto Bandeira. Na tarde aconteceram vários jogos, o primeiro foi entre crianças do município, na sequência, São José (Busa) contra Linha 28, Rosário contra Anunciata e por último Linha Brasil contra um selecionado do município
Na inauguração da obra, estiveram presentes o Prefeito Hadair Ferrari, o Vice-Prefeito Daniel Marini Pavan, o Pároco do Santuário Padre Luiz Mascarello, Secretários, Vereadores e Comunidade em geral.

Pinto Bandeira lança Festa do Pêssego

Várias pessoas estiveram presentes no lançamento no pré-lançamento da Escolha da Rainha e Princesas da 3ª Festa do Pêssego de Pinto Bandeira. O evento ocorreu na noite da segunda-feira, 21 de janeira, no Empório Castellamare na Linha 28 interior do município. Durante a noite, o Prefeito de Pinto Bandeira, Hadari Ferrari, falou sobre ao evento, que ainda esta sendo elaborado, que ocorrerá em 2020. Teve presença de Secretários Municipais, Vereadores, Presidente do Sicredi Marcos André Balbinot e da Gerente da Unidade de Pinto Bandeira Iliane Ceccon Tondo, produtores e representantes de câmaras frias, entre outras lideranças da comunidade. As inscrições já estão abertas para as candidatas diretamente na Prefeitura e a escolha será no dia 30 de março, no Ginásio de Esportes do Clube Rosário. A Festa volta a ocorrer depois de mais de uma década e está prevista para 11 e 12 de janeiro do próximo ano.

Vindima Goethe 2019 registra aumento do número de turistas

Atraído pela peculiaridade da uva Goethe, o empresário Fabio Cardoso veio de Florianópolis para conhecer e apreciar vinhos feitos com esta rara variedade durante o período de celebração da colheita. “É uma uva típica e única que, aliada a elementos da imigração italiana, criou um lugar maravilhoso nesta região. Visitei vinícolas, degustei os vinhos e participei de harmonizações espetaculares com sommelierè”, destaca o turista.
Ele foi um dos centenas de turistas que prestigiou as atrações da 11ª Vindima Goethe, que ocorreu de 18 a 20 de janeiro, em Urussanga. Vinícolas, restaurantes e rede hoteleira registraram aumento do fluxo de turistas. “Estamos muito satisfeitos e percebemos que a procura pela uva e vinho Goethe cresce a cada ano”, explica Matheus Damian, da vitivinícola Casa Del Nonno.
A Vigna Mazon contabilizou um acréscimo de 30% de turistas nesta edição. O aumento também refletiu no consumo de uvas. “Recebemos turistas de Santa Catarina, Paraná e São Paulo para fazer a colheita, esmagamento com os pés, piquenique, entre outras atividades. Eles consumiram mais uvas se comparado a outras edições. Tudo faz parte de experiências e vivências. Esta celebração movimenta diversos setores da economia regional e local. Percebemos neste ano uma procura maior”, esclarece Luiza Mazon Freitas, da Vigna Mazon.
A programação contemplou ações nas vinícolas, atividades no entorno da praça central, pratos especiais nos restaurantes, tombo da polenta, atrações culturais da cidade de Pedras Grandes, voo de balão, venda de artesanatos e produtos coloniais, bate-papo com especialistas no espaço “La Fontana”, bem como exposições e manifestações artísticas. Destaque para a mostra histórica na centenária vinícola Cadorin feita pela Associação Trevisani nel Mondo de Urussanga.
A realização da 11ª Vindima Goethe 2019 foi da Prefeitura de Urussanga por meio do Departamento de Cultura e Turismo em parceria com a Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe), Prefeitura de Pedras Grandes, agência de turismo DS Travel, Epagri, Câmara de Vereadores de Urussanga e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga.

VALES DA UVA GOETHE
O território Vales da Uva Goethe compreende os municípios de Urussanga, Pedras Grandes, Cocal do Sul, Morro da Fumaça, Treze de Maio, Orleans, Nova Veneza e Içara. A Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe) reúne a cadeia produtiva com o objetivo de elevar a imagem deste produto distinto e raro a fim de preservar, por meio do cultivo desta tradição feito por pequenos produtores, a identidade e cultura de descendentes de italianos no sul de Santa Catarina através da vinificação e harmonização com a gastronomia típica local. As vinícolas associadas à ProGoethe são Casa Del Nonno, De Noni, Quarezemin, Trevisol e Vigna Mazon.

GURI – Cozinha de Origem realiza worskhops para quem quer descobrir os segredos da parrilla

Atividade contempla lições como os diferentes cortes e pontos de carnes e preparo do fogo Eduardo Benini, divulgação

O churrasco é a estrela de dois workshops de parrilla que o cozinheiro-chefe do GURI – Cozinha de Origem, Enio Valli, e seu sub-chef, Julio Cabrera, ministram nos próximos dois domingos (27/01 e 03/02), no estabelecimento inaugurado em outubro do ano passado, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves.
Das 17h30min às 21h30min, a dupla, que já trabalhou com o renomado argentino Francis Mallmann, ensinará aos participantes lições como conceito do churrasco, lenha e fogo, raças e cortes, tipos de parrilla, pontos das carnes e preparo de vegetais, guarnições e acompanhamentos.

O GURI – Cozinha de Origem é um restaurante especializado na cozinha de fogos e oferece pratos tradicionais, releituras e autorais que expressam a gastronomia dos Pampas do Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina. Além de carnes, há opções vegetarianas, veganas e para crianças.

SERVIÇO
O que: Workshop de parrilla
Onde: GURI – Cozinha de Origem (15 da Graciema, 676, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves)
Quando: 27 de janeiro (vagas esgotadas) e 3 de fevereiro, das 17h30min às 21h30min
Quanto: uma pessoa, R$ 300; duas pessoas, R$ 280 por pessoa; três pessoas, R$ 265 por pessoa; quatro pessoas, R$ 250 por pessoa. Vagas limitadas
Mais informações e inscrições: (51) 9.9525.0303

Parceiros Voluntários quer ampliar a rede de solidariedade em Bento Gonçalves

Voluntária Amanda Rosin durante atividade no Hospital Tacchini – Crédito divulgação

‘Voluntariar faz mais bem para quem doa do que para quem recebe’ – a declaração convicta de Amanda Barreto Teresa Rosin (conheça a história a seguir) é a aposta da ONG Parceiros Voluntários para sensibilizar os bento-gonçalvenses a ampliarem a rede de solidariedade em favor da promoção do bem-estar social no município.
Desde o ano 2000, a entidade vem trabalhando para captar cidadãos dispostos a ajudar o próximo e promover ações com finalidade assistencial. Hoje, conta com cerca de 100 pessoas físicas e cinco empresas participantes cadastradas – números que a Parceiros Voluntários espera incrementar ao longo do ano. “O poder do voluntariado é transformador, por isso queremos engajar cada vez mais a comunidade nessa prática. O principal mito que trabalhamos para combater é a falta de tempo – é possível fazer a diferença dedicando umas poucas horas no mês, e o resultado é recompensador”, garante Angélica Somenzi, coordenadora da Parceiros Voluntários em Bento Gonçalves.
Existem programas de voluntariado específicos para Pessoa Física e Pessoa Jurídica. Em ambas modalidades, os interessados escolhem as ações que irão voluntariar, priorizando aquelas que estiverem relacionadas às suas habilidades e, ao mesmo tempo, lhes proporcionam bem-estar. Quem quiser conhecer os benefícios de praticar o voluntariado no modo ‘Voluntário Pessoa Física’ pode procurar a Parceiros Voluntários e participar de uma reunião de conscientização, com apresentação do trabalho realizado pela ONG. Então, alguns cadastros são preenchidos para identificar de que forma a pessoa pode contribuir. A atividade ocupa, em medida, apenas horas semanais.
No caso do programa destinado às empresas, o objetivo é incentivar o envolvimento das corporações na transformação da realidade social. Companhias interessadas em desenvolver algum projeto social recebem, da Parceiros Voluntários, o auxílio necessário para a criação e a realização de ações comunitárias. As atividades podem ocorrer dentro ou fora da empresa, de acordo com a disponibilidade do empreendimento.
Mais informações podem ser obtidas pelo (54) 2105-1999 ou pelo e-mail parceiros@parceirosvoluntarios-bg.org.br, com a coordenadora da ONG, Angélica Somenzi.

Uma vida dedicada ao voluntariado
Amanda Barreto Teresa Rosin, 37 anos, pratica o voluntariado há quase duas décadas. Quando chegou a Bento Gonçalves, vinda de São Paulo, uma das primeiras ações que realizou foi procurar formas de ser útil para a sociedade. Com o apoio da Parceiros Voluntários, ingressou como voluntária no Hospital Tacchini – onde se tornou funcionária. Na instituição, Amanda visita pacientes internados em diversas alas hospitalares, especialmente hemodiálise e pediatria. “Passo nos quartos, entrego brinquedos e, claro, brinco com as crianças, ofereço uma palavra amiga e conforto aos pais. Não há preço que pague a alegria interior proporcionada por doar tempo e atenção”, enfatiza. A chegada do filho, Augusto, comprovou a importância de dedicar amor ao próximo. Quando o menino esteve internado no hospital, Amanda trocou de papel – e soube como é receber carinho em momentos de dificuldade. “Naquele instante eu entendi o retorno que meu voluntariado proporciona. Foi algo indescritível”, relata.

Empresas também podem melhorar o convívio social
Seja de pequeno, médio ou grande porte, o tamanho da diferença que uma empresa pode fazer na realidade social é enorme, e condiz com a disposição de sua equipe em colaborar com quem mais necessita. Exemplo de como é possível encaixar um tempo na agenda de trabalhos para fazer o bem é o da Iva Espaço de Beleza. Dos 33 anos de atuação no mercado local, dois já são dedicados à solidariedade por meio da Parceiros. Atualmente, o salão participa do projeto ‘Curumim’ – mantido pelo 6º BCom de Bento Gonçalves e que atende meninos de baixa renda – realizando cortes de cabelo. O espaço também participa de outras ações, como dias de beleza para comunidades carentes e instituições de cunho social. “Trabalhar ao lado da Parceiros Voluntários faz valer ainda mais a pena tudo aquilo que fazemos”, reforça Iva Vivan, sócia e fundadora da empresa.

Bento Gonçalves terá distribuição gratuita de água gelada e quente em espaços urbanos

Icehot, Startup local, prevê instalação de dois pontos do equipamento no município em fevereiro

Icehot será instalado, inicialmente, em dois pontos na cidade. Crédito – William Camargo

Os moradores de Bento Gonçalves poderão desfrutar de uma nova comodidade nos espaços públicos do município: o fornecimento gratuito de água para beber, gelada ou quente, 24 horas por dia. A facilidade é resultado de uma parceria firmada entre a Prefeitura e a startup Icehot, empresa local criadora do equipamento que presta esse serviço à comunidade. Inicialmente, estão previstas instalações de dois pontos fixos: um na Praça Achyles Mincarone, no bairro São Bento, e o outro na região central. A previsão é de que as unidades estejam em funcionamento no mês de fevereiro.
Com o anúncio, Bento Gonçalves soma-se à relação de outros nove municípios gaúchos que já inovaram ao instalar o equipamento – ao todo, são 14 pontos em funcionamento no Estado. “Bento Gonçalves é a cidade onde a empresa tem sede e, claro, onde a ideia foi lançada. É uma alegria enorme saber que podemos contribuir para o bem-estar social da comunidade em que estamos inseridos e, assim, oferecer o bem mais precioso à vida de forma gratuita e com qualidade

Samuel Panta e Alex Oliveira, jovens empreendedores e criadores da Icehot, startup autora do mobiliário urbano que fornece água gelada e gratuita para consumo público, que será instala em Bento Gonçalves. Crédito Natiele Machado

a toda a população bento-gonçalvense”, celebra o Diretor da Icehot, Alex Oliveira, um dos idealizadores da startup.
A gratificante percepção de contribuir com a comunidade reforça, também, o propósito social que acompanha os projetos da empresa. “Aguardamos ansiosos por firmar essa parceria com nosso município, pois víamos a necessidade de gerar esse benefício: nossos amigos e familiares frequentam locais públicos para tomar chimarrão, levar os filhos brincar ou praticar atividade física. Nessas situações, fazia falta uma solução como o ICEHOT para agregar mais qualidade de vida. Agora é só instalarmos o equipamento e aproveitar o nosso bem mais precioso, a água”, comenta Samuel Panta, também diretor e idealizador da startup.
Solução pioneira, inédita e exclusiva no Brasil, o Icehot é uma inovação em mobiliário urbano que fornece água atendendo às mais rigorosas questões de higiene, sem abrir mão da acessibilidade e do conforto para o usuário. O sistema é um totem publicitário que possui as funções de um bebedouro – todo revestido em aço inox, material de alta durabilidade, facilidade de limpeza, resistência a variações bruscas de temperatura e ótimo apelo estético. Seu funcionamento utiliza filtros (parceria com a Purificadores Europa) que eliminam impurezas da água antes de servi-la.
O usuário pode, ainda, escolher entre água quente, a 85°C, e água gelada, a 5°C, o que já diminui no risco de contaminação, pois temperaturas e água estagnada entre 25 °C e 50 °C podem estimular o crescimento bacteriano. Assim, Icehot oferece água fresca para matar a sede de quem está realizando atividades na rua, praticando esportes ou sofrendo com o calor – e também abastece as garrafas térmicas dos apreciadores do chimarrão, que tomam a bebida nas rodas de bate-papo com os amigos e momentos de lazer.
Todos esses benefícios podem ser ofertados de forma gratuita à população, uma vez que o Icehot não necessita de investimento do município para a instalação – que arca, apenas, com o fornecimento de água e energia elétrica para o funcionamento. O mobiliário é viabilizado exclusivamente por meio de mídias, que divulgam suas marcas no próprio equipamento.