Vinícolas brasileiras negociam US$ 2 milhões em feira na Alemanha

Na 15ª participação na ProWein, Wines of Brasil esteve representado por 11 vinícolas Crédito: André Bezzera

Os mais de 500 atendimentos feitos pelas 11 vinícolas brasileiras com compradores de 20 países, no estande coletivo do Wines of Brasil, durante os três dias de ProWein – encerrada ontem (19) –, em Düsseldorf, na Alemanha, podem resultar em US$ 2 milhões em negócios nos próximos 12 meses. A projeção é cerca de 25% superior à edição anterior, realizada em 2018. A presença brasileira na principal feira de vinhos do mundo foi viabilizada pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), com o apoio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul (Sedetur/RS).
Na 15ª participação consecutiva do Wines of Brasil no evento, o país apresentou o novo posicionamento setorial, ‘A Sparkling New World’ (Espumantes do Novo Mundo, em tradução livre), apostando na promoção exclusiva das borbulhas verde-amarelas. Neste ano, no estande coletivo estavam presentes as vinícolas Aurora, Bueno Wines, Casa Perini, Casa Valduga, Garibaldi, Lidio Carraro, Miolo, Peterlongo, Pizzato, Salton e Zanlorenzi.
Diego Bertolini, gerente de Promoção do Ibravin, acredita que, além de auxiliar na prospecção de negócios, a feira validou a nova estratégia setorial, o que pôde ser percebido na procura maior dos importadores da Europa, Ásia e Américas pelas borbulhas brasileiras. O interesse também foi observado com a presença de duas Master of Wine e das principais revistas especializadas internacionais, que estavam buscando mais informações sobre o setor e querendo conhecer mais rótulos.
“Estamos muito confiantes que em um médio prazo consolidaremos o Brasil também como referência na produção da bebida no Hemisfério Sul junto ao consumidor final. Neste momento, os esforços estão voltados ao trade, onde além de qualidade, o custo-benefício da bebida vai atraindo os importadores dos países-alvo do projeto”, explica Bertolini, referindo-se a Estados Unidos, Reino Unido e China.
Segundo as vinícolas participantes, o que mais despertou o interesse dos visitantes ao estande foi a qualidade e a diversidade de estilos dos espumantes nacionais, que vão desde o Moscatel ao Nature, e também os diferentes métodos de elaboração, do Asti, passando pelo Charmat até o Champenoise.
“Foi mais um ano muito importante, com um trabalho coletivo fantástico. Conseguimos fechar alguns negócios, prospectamos vários outros. É notório que a cada ano que passa o Brasil fica mais reconhecido. As pessoas que não conhecem nossos produtos, quando provam, se impressionam. Estamos no rumo certo para sermos conhecidos mundialmente”, chancela Cleverson Koltz, diretor administrativo de uma cooperativa vinícola de Bento Gonçalves.
Anderson Tirloni, gerente de exportação de uma empresa do Vale dos Vinhedos que participa do evento desde a primeira edição, concorda com Koltz: “A cada ano somos mais vistos e lembrados. Percebemos que o espumante brasileiro está despertando bastante interesse no consumidor europeu, asiático e americano. O Brasil tem um brilhante futuro, e o espumante também vai puxar o crescimento de outros produtos vinícolas. Fizemos muitos contatos com boas expectativas de fechar negócios. Em todos os anos que participamos, esta foi uma das feiras mais movimentadas em que já estivemos”.

Países visitantes
Além de compradores dos países-alvo do projeto – Estados Unidos, Reino Unido e China – o estande coletivo do Wines of Brasil recebeu visitantes da Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Dinamarca, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Israel, Itália, México, Nigéria, Polônia, Rússia, Suíça e Ucrânia.

Missão técnica
Nesta quarta-feira (20), após a participação na ProWein, um grupo de 12 pessoas, de cinco vinícolas brasileiras, viajou para uma missão técnica na Itália, na região Franciacorta. Até sábado (23), integrantes do Wines of Brasil e das empresas Aurora, Casa Perini, Casa Valduga, Pizzato e Salton farão visitas em vinícolas e empreendimentos turísticos. O objetivo é aprimorar os métodos de elaboração dos espumantes pelo método Champenoise e ampliar o conhecimento do mercado local.

Sobre o Wines of Brasil
Criado em 2002, o Wines of Brasil é uma iniciativa de promoção comercial dos vinhos e espumantes brasileiros no mercado externo, desenvolvido entre o Ibravin e a Apex-Brasil. O projeto conta atualmente com a participação de 45 vinícolas e tem como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China. Nos últimos anos, cerca de 95% das empresas que aderiram à iniciativa conseguiram dar continuidade em suas exportações, devido ao suporte e aos programas de capacitação oferecidos e ao trabalho setorial de consolidação da imagem dos rótulos nacionais no Exterior. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.winesofbrasil.com e www.ibravin.org.br.

Taça & Trufa harmoniza espumantes, vinhos e chocolates na Vinícola Garibaldi

Atração torna a Páscoa ainda mais saborosa na Serra gaúcha

É impossível negar que o período de Páscoa desperta nosso paladar para apreciar diferentes tipos de chocolate – e, no que depender da Cooperativa Vinícola Garibaldi, esses sabores chegarão a outro patamar. Isso porque a atração Taça & Trufa oferecida no complexo enoturístico (avenida Independência, 845 – em Garibaldi) apresenta aos visitantes da Serra gaúcha surpreendentes harmonizações entre chocolates artesanais e vinhos e espumantes premiados.
A experiência enogastronômica dura cerca de 45 minutos, incluindo três espumantes e dois vinhos, cada qual combinado a uma variedade do doce feito à base de chocolate e com recheios saborizados. Bebida intensa e complexa, com os fatores de paladar e aromas bem marcantes, o vinho se combina com as diferentes escalas de intensidade do chocolate: a parceria entre os dois é empírica e passional. As sugestões são: vinho Chardonnay e trufa de maracujá; espumante Prosecco e trufa de laranja; espumante Rosé Pinot Noir e trufa de cereja; vinho tinto seco e trufa de chocolate meio amargo; espumante Moscatel e Trufa champanhe.
É necessário realizar agendamento para os horários 10h, 13h30min ou 15h30min (de segunda-feira a sábado) ou 10h30min e 13h (domingos e feriados). A experiência custa R$ 35 por pessoa. Informações pelo telefone (54) 3464.8104 e e-mail turismo@vinicolagaribaldi.coop.br.

Roteiros de imersão
Além do Taça & Trufa, a Cooperativa disponibiliza o projeto Desperte seus Sentidos, uma degustação às cegas que ocorre no interior de uma pipa de 100 mil litros anexa à cave Acordes, que também dá nome aos produtos ícone da marca. Por aqui, o turista é desafiado a explorar seus sentidos em uma experiência apaixonante, e claro, com muito vinho e espumante. São três modalidades com duração aproximada de 50 minutos cada (preços sob consulta).
Outros atrativos são a Degustação de Produtos Premiados, que ocorre no wine bar localizado no complexo enoturístico, e Uma História para degustar – visita guiada gratuita entre pipas e tanques. Para que a experiência seja mais marcante, a dica é participar da visita e combinar pelo menos uma das degustações temáticas, conhecendo o mundo dos vinhos de modo diferenciado.

SERVIÇO
O quê: Atrações no complexo enoturístico da Cooperativa Vinícola Garibaldi
Endereço: avenida Independência, 845 – Garibaldi (RS)
Horário de atendimento ao público: de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h; nos domingos e feriados, das 10h às 15h
Horários do Taça & Trufa: 10h, 13h30min ou 15h30min (segunda-feira a sábado) ou 10h30min e 13h (domingos e feriados)
Duração: 45 minutos
Quanto: R$ 35 (Taça & Trufa) – demais atrações sob consulta
Informações e agendamento: (54) 3464.8104 | turismo@vinicolagaribaldi.coop.br

Movelsul Brasil lança campanha de comunicação ligada aos atributos da Serra Gaúcha

Maior feira de móveis da América Latina para o lojista e importador será de 16 a 19 de março de 2020 e teve lançamento essa semana, durante a Fimma Brasil

A pouco menos de um ano para a Movelsul Brasil 2020, maior feira de móveis da América Latina para o lojista e importador, o Sindmóveis Bento Gonçalves aproveita a intensa visitação de indústrias moveleiras na Fimma Brasil para lançar ao público a campanha de comunicação para o evento, que será de 16 a 19 de março de 2020. A ideia é dar prosseguimento à campanha iniciada na última edição, valorizando os atributos turísticos locais que tornam a Movelsul Brasil uma feira única em seu segmento. A cerimônia de lançamento, nesta quarta, dia 27, foi o pontapé para as ações de atração a visitantes nacionais e estrangeiros. Em relação a expositores, a Movelsul Brasil está com 60% das áreas disponíveis já ocupadas.
O presidente do Sindmóveis e da Movelsul Brasil, Vinicius Benini, destaca a relevância da Fimma Brasil no processo de inovação da indústria moveleira, sendo a ocasião ideal para o lançamento da Movelsul Brasil que ocorre no ano seguinte. No seu estande institucional na Fimma Brasil, a equipe da feira está se reunindo com indústrias moveleiras com potencial de participação na Movelsul Brasil para apresentar-lhes modalidades e condições de participação.
Diversas iniciativas para potencializar a geração de negócios na Movelsul Brasil já estão em curso, mesmo um ano antes da feira, como a atração de lojistas do segmento de e-commerce e mobiliário corporativo; o planejamento do Projeto Comprador, a diversificação do mix de expositores e o estímulo ao lançamento de novas linhas durante a feira por meio do Projeto Varejo. Além disso, o presidente anunciou o primeiro evento preparatório para os expositores de Movelsul Brasil 2020: um fórum de capacitação da indústria moveleira para o e-commerce, dia 23 de maio, reunindo em Bento Gonçalves especialistas em varejo e operação online para pontuarem as dificuldades e oportunidades para o setor moveleiro.
Conforme o presidente Vinicius Benini, quando o Sindmóveis fortalece a marca e o projeto Movelsul, está fortalecendo o setor moveleiro nacional e, por consequência, as empresas do próprio polo de Bento Gonçalves – além da cidade como um todo, a economia local e o turismo. “É um orgulho colocar na rua uma campanha que eleva o nosso destino turístico e a oportunidade única que temos aqui de unir negócios e lazer. Esse é um momento em que a indústria de Bento Gonçalves precisa unir forças com a Movelsul Brasil e mostrar por que o nosso polo é considerado o maior do país”, conclama Vinicius Benini.

Sobre a campanha da Movelsul Brasil 2020
O “terroir moveleiro” que a campanha exalta é traduzido pelo mote “Design é da Nossa Natureza”, que vai permear a identidade visual da feira e peças publicitárias. O conceito defende que o design está no DNA do polo moveleiro de Bento Gonçalves, que esse é um ambiente colaborativo, inovador, em que a beleza enquadra o cotidiano das pessoas e onde a necessidade de fazer mais com menos estruturou a economia de colonização italiana. “Tudo isso é design: beleza, colaboração, inovação e economia. Design é algo que está em nossa formação e nosso dia a dia. Por isso, Design é da nossa natureza”, pontua a diretora de Comunicação do Sindmóveis e da Movelsul Brasil, Priscila Milesi Basso, na apresentação da campanha.
A campanha, de autoria da agência República das Ideias, une os discursos sobre a singularidade do polo moveleiro de Bento Gonçalves e seu ambiente – ao mesmo tempo – turístico, gastronômico e bucólico. A diretora de Comunicação destaca que o trabalho em equipe, o vinho, os móveis, as belezas naturais e o design são da nossa natureza. “Qualquer cidade pode fazer uma feira, mas nenhum outro lugar do Brasil pode contar com essa região, suas belezas naturais e sua gente. Esse terroir moveleiro é apenas nosso. Por isso, o conceito da Movelsul Brasil é, também, um convite ao engajamento: a feira não é do Sindmóveis ou dos expositores, é de toda a cidade e de toda a região. Acolhimento também é da nossa natureza”, conclama Priscila Milesi Basso.

Mais sobre a Movelsul Brasil
Promovida pelo Sindmóveis Bento Gonçalves, a Movelsul Brasil é a maior plataforma de negócios da América Latina para o setor moveleiro, orquestrando um ambiente de vendas e incremento de imagem para a indústria de móveis, decoração e complementos. Em sua história, a Movelsul Brasil já teve mais de 1.700 empresas expositoras. A primeira edição da feira aconteceu em 1977, ano em que o setor moveleiro consolidou-se como atividade líder na economia de Bento Gonçalves.
A feira é promovida a cada dois anos, reunindo expositores dos segmentos de escritório, cozinha, dormitórios, área de serviço, banho, móveis para jardim, eletros, copas, salas de jantar e estar, tapetes, estofados e colchões. Além do público qualificado de lojistas brasileiros, a Movelsul Brasil tem um forte posicionamento internacional nos mercados de interesse para a indústria brasileira de móveis. Em 2020, a Movelsul Brasil será realizada de 16 a 19 de março, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. É prevista uma agenda intensa de projetos paralelos envolvendo os mais de 200 expositores e o público.

Movelsul Brasil 2020
Feira de Móveis e complementos para o lojista e especificador
Quando: 16 a 19 de março de 2020, das 12 às 20h
Onde: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (Alameda Fenavinho, 481)
Entrada gratuita mediante credenciamento. Aberta apenas ao público profissional (lojistas, representantes, arquitetos, designers, decoradores, importadores, profissionais da construção civil e imprensa)
Para mais informações:
www.movelsul.com.br
www.facebook.com/movelsul.brasil
www.instagram.com/movelsulbrasil

Receitas fáceis e surpreendentes para aproveitar a Páscoa

Salada grega
Ingrediente:
2 pés de alface romana
100 gramas de tomate cereja cortado ao meio
60 gramas de cebola roxa fatiada
110 gramas de azeitonas fatiadas
170 gramas de queijo de cabra
Sal a gosto
Azeite Cardeal Extra Virgem a gosto

Modo de preparo
Coloque em uma travessa as folhas de alface, junte os tomates e a cebola roxa.Desmanche grosseiramente o queijo feta com o auxílio de garfo e acrescente sobre os tomates com a cebola, adicione as azeitonas e o sal Por fim, acrescente um fio de Azeite Cardeal Extra Virgem.

Bcalhau ao forno
Ingredientes
1 litro de água
500 ml de leite
1 folha de louro
6 dentes de alho descascado
500 gramas de bacalhau em lascas dessalgado
300 gramas de cebola fatiada fino
200 gramas de cenoura cortada em tiras finas
500 gramas de batata cortada em rodelas
4 colheres de Azeite Cardeal Extra Virgem
100 gramas de pimentão vermelho em cubos pequenos
100 gramas de farinha de rosca grossa
Salsinha picada a gosto

Modo de preparo
Em uma panela funda, junte a água, o leite, a folha de louro e o dente de alho. Ferva. Junte as lascas de bacalhau, a cebola fatiada e a cenoura ao líquido fervente, abaixe o fogo e cozinhe por 5 minutos. Escorra e reserve o líquido e o bacalhau separados.
Volte o líquido à panela e cozinhe as rodelas de batata. Escorra e reserve. Acerte o sal do bacalhau pré-cozido e junte metade do Azeite Cardeal Extra Virgem. Unte um refratário com o Azeite Cardeal Extra Virgem e cubra o fundo com as rodelas de batata. Disponha o bacalhau temperado sobre a batata. Misture a farinha de rosca com a salsinha e salpique sobre o bacalhau. Regue com o Azeite Cardeal Extra Virgem restante e leve ao forno para dourar.

Trufa de chocolate com azeite
Ingredientes
300 gramas de creme de leite
500 gramas de chocolate ½
60 gramas de Azeite Cardeal Extra Virgem
1 pitada de sal
Cacau em pó a gosto

Modo de preparo
Ferva o creme de leite com uma pitada de sal. Adicione o chocolate e dissolva.Acrescente o Azeite Cardeal Extra Virgem e misture bem. Retire do fogo e transfira para uma travessa e leve para gelar por 24 horas. Faça pequenas bolas irregulares com o chocolate ainda gelado. Não deixe esquentar.Passe as trufas no cacau em pó e sirva.

Vinícola da Inglaterra cria gim feito com uvas pinot noir e especiarias

Destilado de marca britânica leva uvas junto de infusões de zimbro, frutas, ervas e flores

A ideia é mostrar que as uvas também podem ser usadas para produzir destilados — e não apenas vinhos Foto: Divulgação

Uma pequena vinícola boutique da Inglaterra criou uma variedade de gim feita com uvas pinot noir e ervas, frutas, flores e grãos diversos. A ideia é mostrar que as uvas também podem ser usadas para produzir destilados — e não apenas vinhos. O Chapel Down Gin é produzido usando as peles das mesmas uvas pinot noir cultivadas para fazer um espumante da marca. Depois o destilado é infundido com zimbro, coentro, bagas vermelhas secas, botões de rosa, frutas cítricas e outros grãos e flores.

Outros lançamentos da Chapel Down são o gim e a vodca de uvas viníferas. Foto: divulgação

 

O enólogo da marca, Josh Donaghay-Spire, explica que a mistura criou um gim com notas aromáticas que remetem à primavera. A nova estação começa nesta semana no hemisfério norte, data também do lançamento da nova bebida. “O resultado é um gim aromático cor-de-rosa com aromas de frutas vermelhas que equilibram o paladar do zimbro com notas cítricas”, disse o enólogo, através da assessoria de imprensa da Chapel Down. O gim de pinot noir tem uma graduação alcoólica de 41,2% e custa £ 35 a garrafa (R$ 176). Por enquanto, a bebida é encontrada apenas na Inglaterra.

Uvas e destilados

A mistura  de uvas com destilados não é bem uma novidade para o consultor e bartender Diego Bastos. Ele afirma que as uvas viníferas já são usadas há muito tempo na produção de bebidas que não sejam apenas vinhos. A vodca Cîroc e os conhaques – ou brandy –, por exemplo, levam a fruta como base do destilado. “Ela [uva] pode dar um paladar mais suavizado. Pra trabalhar em bar é perfeito, eu mesmo tenho coquetel com infusão de vinho diretamente na gim tônica, o Rose & Quartz, que já foi premiado pelo Bom Gourmet inclusive”, explica o bartender.

Para ele, a diversificação das marcas para alguns nichos específicos é uma tendência de mercado, e não seria diferente com o gim. O destilado está na moda e foi resgatado da coquetelaria clássica. “É bem comum as marcas partirem pra isso, tal como o Tanqueray Flor de Sevilla e Beefeater Pink, cada um com sua peculiaridade. Para o comportamento de consumo é excelente, afinal, quanto mais produtos de qualidade, melhor. O posicionamento de mercado vai determinar isso juntamente com a versatilidade e qualidade do produto, sem mencionar preço. Pra quem tá entrando agora no mundo dos coquetéis, é uma porta de entrada mais fácil, pois foca em agradar mais paladares”, finaliza Bastos”.

O gim da Chapel Down tem uma graduação alcoólica de 41,2% e é produzido com uvas pinot noir. Foto: divulgação

Destilados de vinho
“Além do Pinot Noir Gin, a Chapel Down já tem outros dois rótulos de destilados feitos com uvas viníferas. O Bacchus Gin e a Chardonnay Vodka foram lançados em novembro de 2017 logo após um espumante da marca levar 18 medalhas no International Wine Awards.

No ano passado, o mesmo Coty Coeur de Cuvée 2013 foi responsável por mais uma premiação à pequena vinícola próxima ao Canal da Mancha, o Gold Outstanding do concurso internacional Wine & Spirits. A Kit’s Coty tem em torno de 38 hectares e cultiva as uvas das variedades pinot noir, chardonnay e bacchus.

A Chapel Down ainda produz a cerveja Curious Brew, a cidra Curiouser e o conhaque Lamberhurst. No entanto, nenhuma das bebidas da marca é vendida no Brasil e nem enviadas ao país “por conta dos altos custos de entrega, que inviabilizam a venda”, explicou a marca à reportagem.

Safra de tomate anima produtor

Renan Paludo com 3.200 pés, das variedades saladate e paronset Foto: Divulgação

O agricultor Renan Paludo de Monte Belo do Sul está otimista com a safra que começa a ser colhida de tomate. O clima local ajudou no desenvolvimento e na qualidade do fruto. E essas características devem refletir no preço, que está bom.
Dono de uma plantação com 3.200 pés, das variedades saladate e paronset Renan colheu 100 caixas até o momento. O valor está sendo negociado é em torno de R$ 60,00 a caixa de 24kg.

Três dicas para cultivar tomate orgânico
Existem cultivares de tomate desenvolvidas especificamente para sistemas orgânicos. São rústicas, resistentes a pragas e doenças, e têm capacidade de produção em condições de uso de fertilizantes de baixa solubilidade. Recomenda-se obter mudas em estufas com plástico na cobertura, proteção lateral com tela clarite anti-insetos e, preferencialmente, usando irrigação por microaspersão. sando irrigação por microaspersão. Veja mais informações em ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/102923/1/Substrato-para-producao-de-mudas-1.pdf. 

Sugestões de modelos de estufas e de manejo das condições climáticas internas podem ser verificadas em ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPH-2009/31468/1/ct_38.pdf.
As mudas estão prontas para o transplante entre 25 e 30 dias após a semeadura. Indica-se espaçamento de 1 a 1,20 metro entre linhas e de 0,7 a 0,5 metro entre plantas. Para informações de adubação acesse ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/102914/1/Composto-organico-embrapa-hortalicas.pdf.

Há ainda a necessidade de tutoramento para o plantio de tomate e obtenção de certificado, para o produtor fazer parte do Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos.

 

Quiche de tomatinho
Ingredientes
1 e 1/4 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 /3xícara (chá) de manteiga gelada
1 ovo
1 colher (sopa) de água
1/2colher (chá) de sal
Recheio
300g de tomates-cereja
Sal e noz-moscada ralada
1 colher (sopa) de azeite de oliva
4 ovos
1 e 1/4 xícara (chá) de creme de leite fresco
160 g de queijo Gruyère ou similar ralado grosso

Modo de preparo
Peneire a farinha e o fermento em uma tigela, acrescente a manteiga e misture até incorporar. Adicione o ovo batido com a água e o sal e amasse até dar liga. Deixe em repouso por 20 minutos.
Abra a massa com o rolo e forre a base e a lateral de uma fôrma de fundo removível (22 cm de diâmetro por 3 cm de altura). Fure a massa em vários pontos com um garfo e reserve na geladeira.
Tempere os tomates com sal e noz-moscada a gosto, regue com o azeite e espalhe sobre a massa. Bata os ovos, junte o creme de leite e o queijo e misture bem. Tempere com sal e noz-moscada e despeje sobre os tomates.
Asse em forno médio preaquecido (180ºC) por cerca de 30 minutos ou até que o recheio fique firme e levemente dourado.

 

Setor de compras deve desempenhar função ligada a todos os setores

Na Cooperativa Vinícola Aurora, dentre os estágios da função estão orçamentos e planejamento de compras

O setor de compras da Cooperativa Aurora é formado por quatro colaboradores, Roberto Conci, Rosane Rigo Frumi, Mariza Lazzarini Scapin, e Josimar Gava. Foto: Marlove Perin

Crescimento, faturamento recorde, premiações e lideranças de mercado são as marcas da Cooperativa Vinícola Aurora. Foram R$ 540 milhões faturados em 2018, crescimento superior a 5% em relação ao ano anterior. Foram mais de 63 milhões de litros vendidos em todo o Brasil. A capacidade de estocagem da empresa é superior a 73 milhões de litros. E este bom desempenho da cooperativa é graças a uma liderança com base sólida em seu quadro funcional e de associados, maior patrimônio da Aurora. Suas unidades são dotadas da mais alta tecnologia e rigorosos padrões nos processos de produção e todos os setores estão interligados para o alcance dos resultados. E com o setor de compras não seria diferente. Neste mês a reportagem falou com Rosane Rigo Frumi, Supervisora de Compras, que atua há 33 anos na Cooperativa.
O setor de compras da Cooperativa Aurora é formado por quatro colaboradores, Josimar Gava, Mariza Lazzarini Scapin, Roberto Conci e Rosane Rigo Frumi. Existem duas formas das quais são geradas as compras. “As de materiais de embalagem são definidas através da previsão de vendas, onde é gerado um plano de produção via PCPM – Planejamento e Controle da Produção e Materiais e em cima deste plano de produção são geradas as compras. Os pedidos sempre são colocados com dois meses de antecedência e iniciamos o ano já com fornecedores definidos para mantermos padrão e qualidade dos produtos” diz Rosane. Para os demais materiais são geradas solicitações de compras onde o solicitante descreve o item a ser comprado. São feitas 03 cotações e após é escolhido o melhor preço/fornecedor e é gerado pedido de compra no qual cabe ao gestor da área solicitante aprovar o pedido e o mesmo é enviado por meio eletrônico ao fornecedor confirmando assim a compra.
A escolha do fornecedor é uma das funções mais importantes no processo da compra. “Para a escolha ideal é fundamental avaliar a sua capacidade técnica, financeira, histórico de desempenho e que nos atenda dentro do prazo estabelecido”, afirma Rosane. A função de compras desempenha um papel cada vez mais importante em ajudar as corporações a alcançarem seus objetivos de aumento de lucratividade e economias de custo. “Com um departamento de compras que atue estrategicamente, torna-se inerente às atividades de gestão um processo de melhoria contínua em busca de novas modalidades de compra e contratação e, também, de novos tipos de materiais e sistemas construtivos”, diz.
Rosane finaliza com a expectativa da nova unidade da fábrica no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves que iniciará as operações neste ano, sendo importante para desafogar a expedição e o recebimento de materiais e apresentar um produto ainda mais com qualidade ao consumidor final.

Vinícola Aurora Foto: Roali Majola

Cooperativa Vinícola Garibaldi ultrapassa os 24,4 milhões de quilos de uvas recebidos

Volume é um dos maiores registrados na história de 88 anos da marca garibaldense

 

Produção de uvas da Cooperativa Vinícola Garibaldi – Crédito Cassius A Fanti

Os apreciadores de bons espumantes e vinhos podem preparar as taças – no que depender da Cooperativa Vinícola Garibaldi, a produção de (muitas) garrafas de bebidas de qualidade está assegurada para o próximo ano. A marca garibaldense encerrou o recebimento das uvas da safra de 2018/2019 com impressionantes 24.410.000 kg da fruta contabilizados – esse é maior volume registrado nos últimos 35 anos na história da cooperativa. Essa quantidade de matéria-prima deve render a produção de 19 milhões de litros de bebidas.
Desse montante de uvas, 56% destinam-se para a elaboração de sucos. A fatia reservada para produção de espumantes é de 25% do total recebido. “A Cooperativa Vinícola Garibaldi aposta na consolidação dos espumantes como referencial de seu portfólio. Tanto que registramos crescimento de 84% no processamento de uvas brancas para a fabricação dessa variedade de bebida. Somado aos investimentos permanentes na qualidade dos rótulos, esperamos alavancar nossa participação de mercado nesse segmento, conquistado cada vez mais parceiros de negócios, premiações e reconhecimento da marca”, adianta o presidente Oscar Ló. Da safra recebida, ainda há destinação de 10% das uvas para produção de filtrado doce e 9% para os vinhos.

Oscar Ló, Presidente da Cooperativa Vinícola Garibaldi – crédito Dandy Marchetti

Safra de qualidade antecipa bons espumantes
Não é só a quantidade de uvas recebidas pela Cooperativa Vinícola Garibaldi nesta safra que impressiona – também o nível da matéria-prima chamou a atenção. “Foi uma safra com boa qualidade, que nos garantiu bons volumes de matéria-prima e, principalmente, manutenção do padrão do ano passado”, comenta o enólogo Ricardo Morari.
Esse elevado patamar de qualidade pode ser percebido especialmente no tocante aos insumos necessários para a elaboração de – bons – espumantes. “Observamos uma degradação bem lenta dos ácidos das uvas, então conseguimos vinhos base para espumantes com um frescor muito bom e com perfil aromático limpo, bem interessante para a bebida. Colhemos as uvas no ponto de maturação adequado e com um conteúdo de acidez importante para termos frescor nos espumantes”, comenta o enólogo Ricardo Morari.
A safra 2018/2019 foi um período longo – a colheita começou no início de janeiro e seguiu até a segunda quinzena de março. “No princípio tivemos um período de maior incidência de chuvas, mas que não chegou a comprometer a qualidade das uvas para espumantes, como Chardonnay e Pinot Noir, que são colhidas logo cedo. Depois, as condições climáticas ajudaram, o tempo firmou na Serra gaúcha e conseguimos manter o padrão de qualidade dos vinhos base que vamos utilizar nos espumantes e também nos sucos. As uvas vieram com uma boa maturação”, explica. Até mesmo a variedade Isabel, colhida com um pouco menos de cor em relação aos outros anos, surpreendeu pelo alto índice de açúcar.
Entre as variedades de uvas recebidas pela Cooperativa Vinícola Garibaldi destacam-se as brancas viníferas (Moscato, Malvasia, Pinot Noir, Chardonnay, Prosecco, Trebbiano, Riesling e Colombard), as tintas viníferas (Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Tannat, Ancelotta, Alicante Bouschet e Merlot); as brancas comuns (Niagara, Lorena, Moscato Embrapa) e tintas comuns (Isabel, Bordô, Couderc, Concord, Cora, Carmem, Violeta, Santiago).

Recebimento de uvas foi maior em 2019 na Cooperativa Vinícola Garibaldi – crédito Aline Lazzari

Com decoração feita por voluntários, Veranópolis entra no clima da X Femaçã

Maçãs e ampulheta gigantes instaladas pela cidade criam a atmosfera do evento

erca de 30 voluntários do município confeccionaram as enormes maçãs instaladas junto ao Pórtico Monumento e em outros pontos de Veranópolis. Crédito: Rafaela Ribeiro, divulgação

As duas maçãs gigantes instaladas junto ao pórtico de entrada de Veranópolis não deixam dúvida: o município já está no clima da X Femaçã, cuja programação movimentará o Parque de Exposições José Bin, de 12 a 14 e de 18 a 21 de abril. As peças são parte da decoração desenvolvida pela Comissão de Turismo, Decoração e Paisagismo para encher os olhos dos moradores e turistas que circularem pela cidade durante os dois finais de semana da Festa Nacional da Maçã e Feira Agroindustrial.
Construídas em ferro revestido com tecidos em patchwork e linhas nas cores vermelho e verde, as grandes maçãs, cada uma com três metros de altura, foram confeccionadas por cerca de 30 voluntários veranenses, integrantes de grupos da longevidade e da Liga de Combate ao Câncer, aposentados e jogadoras de câmbio. Até a abertura da Femaçã, cerca de 100 maçãs, de diferentes tamanhos, serão distribuídas em inúmeros pontos de Veranópolis, colorindo as ruas da cidade conhecida como o Berço Nacional da Maçã.
O tempo, que garantiu a Veranópolis o título de Terra da Longevidade (em 2016, a cidade ganhou da Organização Mundial da Saúde o selo de Cidade Amiga do Idoso) – em razão da expectativa de vida dos moradores, será representado por uma ampulheta de 3,40m x 2m, em fase de finalização. Fabricada em ferro e policarbonato, a estrutura terá maçãs confeccionadas com tecido de malha no lugar da areia e será instalada no parque de exposições. Após a Femaçã, o objeto será doado à prefeitura para que seja aproveitado em outro ponto turístico da cidade.
“Apesar de ser cansativo e desgastante, é bem gratificante ver o envolvimento dos voluntários na fabricação da decoração. Se doam com bastante amor. Tudo para motivar nós mesmos, moradores, e acolher com encanto os visitantes”, salienta a presidente da comissão, Neura Valente Chiaradia.

Concurso de vitrines
Paralelamente à decoração dos espaços públicos de Veranópolis, um concurso de vitrines premiará a ornamentação mais criativa de entidades, estabelecimentos bancários, comerciais e industriais e escolas. O tema deste ano é “Paraíso Para Todos”, e as inscrições abriram nesta sexta-feira (22) e seguem até o dia 29 de março, na secretaria da Femaçã ou na Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, localizada na Casa Saretta. O regulamento e a ficha de participação podem ser obtidos em www.femaca.com.br/downloads.
As vitrines deverão estar prontas no dia 2 de abril e permanecer expostas até o dia 22. A divulgação dos vencedores será no dia 14 de abril, às 11h, no palco da gastronomia externa da X Femaçã. Serão premiadas as três melhores decorações com prêmios de R$ 500, R$ 300 e R$ 200, além de troféus. A avaliação será feita por um júri composto por oito pessoas e seguirão os seguintes critérios: criatividade, originalidade, harmonia e utilização de materiais que evidenciem a Festa Nacional da Maçã.
O Concurso de Vitrines é realizado pela Comissão Cultural e Longevidade da Femaçã.

SERVIÇO
O que: concurso de vitrines da X Femaçã
Quando: inscrições até 29 de março. (sexta-feira). Regulamento e ficha de participação no site www.femaca.com.br/downloads. A ficha deve ser entregue preenchida na secretaria da Femaçã (Alameda Santos Dumont, 525, bairro Femaçã) ou na Secretaria Municipal de Turismo e Cultura – Casa Saretta, no Centro
Período: as vitrines ficarão expostas de 2 a 22 de abril. Os vencedores serão divulgados no dia 14, às 11h, no palco da gastronomia externa da Femaçã
Outras informações: (54) 3441.1099

Soberanas da Fenachamp 2019 apresentam trajes oficiais

Os trajes oficiais das soberanas da Fenachamp 2019 foram apresentados na noite de sexta-feira, 22 de março, durante o Garibaldi Vintage Foto: Cassius André Fanti

Os trajes oficiais das soberanas da Fenachamp 2019 foram apresentados na noite de sexta-feira, 22 de março, durante o Garibaldi Vintage, no Centro Histórico de Garibaldi. A rainha Aline Bortolini e as princesas Rafaela Cappelari e Tainara Correa desfilaram os novos vestidos, criados e confeccionados por Camila Paludo Atelier, com acompanhamento da Comissão Social da festa
O presidente do Centro Empresarial e Cultural (CEC) e da Festa do Espumante Brasileiro, Giliano Nicolini Verzeletti, acompanhou a apresentação dos trajes e disse que ficou feliz com a receptividade do público, que chegou próximo a dez mil pessoas na oportunidade.
A rainha enfatizou que a noite foi o marco de uma vivência que ficará registrado em seu coração para sempre. “Quando descobrimos que juntas podemos fazer milhares de corações sentirem a alegria e a satisfação que temos em vestir a nossa identidade e através da nossa doação transparecer o sentimento de gratidão pela caminhada que estamos trilhando, e o amor que temos pela Fenachamp, passamos a desejar que essa oportunidade seja infinita”, comentou.
Para a criação do traje, Camila inspirou-se em figurinos clássicos da Disney, com referências nas indumentárias do período Medieval e Vitoriano, revelando desenhos típicos com traços modernos, como na renda e no corte das mangas.
O traje das princesas, na cor petróleo, foi confeccionado em cetim duchese, com barra em renda soutache. Os bordados, em pedras preciosas que remete às vinhas em época de floração e frutificação, foram inspirados nas clássicas toalhas de pano pintadas artesanalmente, que encontramos na casa típicas dos descendentes de imigrantes italianos.
O traje da rainha, na cor vinho, foi confeccionado em tecido crepe pascale. Tem decote levemente ombro a ombro e de corte meio godê, trazendo a elegância de uma verdadeira rainha. Conta com bordado em rendas douradas, que representa tons de espumante e a riqueza de nosso produto, ressaltando a feminilidade e a delicadeza.
Já a coroa das soberanas contêm folhas de videiras e cachos de uva, trazendo ao centro, em destaque, a taça, que é o símbolo característico da Fenachamp, que neste ano acontece de 3 a 27 de outubro.