Vinícola Aurora vai movimentar o “Vinho na Vila São Paulo 2019” dias 3 e 4 de agosto, na Cinemateca Brasileira

A Vinícola Aurora leva seus rótulos mais premiados e consagrados à nova edição do evento Vinho na Vila, que acontece em São Paulo no próximo fim de semana, dias 3 e 4 de agosto, desta vez na Cinemateca Brasileira. Vai ser uma grande oportunidade para degustar alguns dos vinhos mais significativos do portfólio da Aurora, a maior e mais premiada vinícola do Brasil, e adquiri-los diretamente, a preços muito interessantes.
Vinho na Vila tem formato de feira, com estações de degustação e vendas de vinhos, além de palestras, gastronomia, música ao vivo e este ano com pisa da uva, em 3 sessões em cada dia. Uma das palestras do sábado será a de Renata Guidoti, sommelière da Aurora no estado de São Paulo, sobre harmonização de vinhos e charutos.
Na estação da Vinícola Aurora, será possível comprar o icônico Millésime Cabernet Sauvignon 2015, o espumante Aurora Extra Brut Método Tradicional IP Pinto Bandeira, com 24 meses de contato com as leveduras e o Brandy Aurora VSOP, com envelhecimento médio de 12 anos – destilado fino muito apreciado pelos especialistas. São muitas as opções da Aurora à venda e em degustação no Vinho na Vila, entre elas: os espumantes Aurora Procedências (elaborados com as melhores uvas de determinadas regiões da Serra Gaúcha, pelo método Charmat longo), os super premiados Aurora Moscatel, versões Branco e Rosé, a linha de vinhos com Indicação de Procedência Pinto Bandeira, os rótulos da linha Reserva, o vinho de sobremesa Aurora Colheita Tardia e o azeite chileno Pequenas Partilhas Notáveis da América.

Vinho na Vila
www.vinhonavila.com.br
Onde: Cinemateca Brasileira – Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo – SP – de 3 e 4 de agosto (sábado e domingo)
Horários: sábado: das 10h às 20h | domingo: das 10h às 20h;
Entrada Gratuita

Degustação:
Valores para venda antecipada no site: – https://bileto.sympla.com.br/event/61407
O ingresso contempla 3 horas de degustação, uma taça de cristal e uma bolsa da Bellini.
Pisa na Uva – desde 14h – três sessões

Curso de Libras a distância e gratuito é ofertado pelo IFRS

O Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) está ofertando novo curso de extensão gratuito a distância: Língua Brasileira de Sinais (Libras) – Compreensão básica. São 90 horas-aula, que fornecem conhecimentos introdutórios ao estudo da Libras; datilologia e números; saudações e calendário; pronomes e pessoas; casa e objetos; cores e alimentos; roupas, ambiente educacional e lugares; verbos; classificadores e derivação.
Não é necessário ser aluno do IFRS para realizar o curso. As aulas são online e abertas a todos os interessados. São requisitos ter compreensão de leitura em língua portuguesa, possuir acesso a computador com recursos de vídeo, possuir e saber manusear o leitor de arquivos PDF. As inscrições vão até 31 de dezembro de 2019 e o curso pode ser concluído até 31 de janeiro de 2020.

Sobre as inscrições
As inscrições para os cursos EaD do IFRS são gratuitas e feitas pelo próprio estudante diretamente no ambiente virtual. Para se inscrever é preciso ter CPF próprio e conta de e-mail. Os interessados devem ficar atentos aos requisitos mínimos para se inscrever.
Sobre o certificado
O certificado é emitido digitalmente pelo próprio estudante quando aprovado no curso.

Sobre os cursos EaD do IFRS
Os cursos ofertados pelo IFRS na modalidade a distância têm flexibilidade de horário e geram certificado aos aprovados. Os interessados podem se inscrever e iniciar as aulas imediatamente, realizando-as nos momentos que têm disponibilidade.
No total, o IFRS oferece mais de 60 opções de cursos gratuitos, abertos a qualquer interessado (não é necessário ser aluno do IFRS), nas áreas de geral, ambiente e saúde, idiomas, informática, produção alimentícia, turismo e hospitalidade e o Pré-IFRS (voltado aos que querem se preparar para o processo seletivo de ingresso nos cursos técnicos e superiores do IFRS). As cargas horárias vão de 4 a 90 horas. É permitido realizar mais de um curso simultaneamente.
Os cursos têm flexibilidade de horário e geram certificado aos aprovados. Os interessados podem se inscrever e já iniciar as aulas. As inscrições estão abertas até dezembro de 2019.

Veja outros cursos EaD lançados pelo IFRS no mês de julho
Ciências Exatas e Aplicadas:
Matemática Financeira
Conheça sobre matemática financeira, juros simples e compostos, descontos simples, racional e composto.
Duração: 60 horas.
Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino médio completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020

Educação:
Cursos Online Abertos e Massivos: teoria e prática
Características, plataformas, estatísticas e como criar um curso massivo e aberto online.
Duração: 30 horas.
Requisitos: Conhecimento em internet e uso do YouTube, ensino superior completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Cursos Regulares Presenciais com Carga Horária a Distância
Normativas internas e nacionais, como elaborar um Projeto Pedagógico de Curso (PPC) com carga horária a distância e efetivá-lo na prática.
Duração: 20 horas.
Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino superior completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Gamificação no Moodle
Conhecimento básico de Moodle, visualização de vídeos no YouTube (configuração de legenda).
Duração: 30 horas.
Requisitos: Conhecimento em internet e uso do YouTube, ensino superior completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Gestão e Negócios:
Contratos
Conheça sobre conceitos e execução de contratos.
Duração: 20 horas.
Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino médio completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Convênios
Conheça sobre conceitos, peculiaridades e prestação de contas de convênios.
Duração: 20 horas.
Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino médio completo.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Gestão de Documentos e Protocolo
Conheça as principais características sobre: gestão documental, métodos de arquivamento e protocolo de documentos.
Duração: 20 horas.
Requisitos: Conhecimento básico em informática.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Iniciação ao Serviço Público nos Institutos Federais
Conheça os Institutos Federais e os conceitos básicos que todo servidor público precisa saber.
Duração: 80 horas.
Requisitos: Ser servidor dos Institutos Federais, exceto do IFRS (para servidores do IFRS, acessar curso específico na área “Capacitação para Servidores).
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Recursos naturais:
Geografia e Geopolítica na Atualidade
Geopolítica no Brasil, Mercosul, América Latina, África, Oriente Médio, Índia, Europa e Ásia.
Duração: 20 horas.
Requisitos: Conhecimentos básicos de internet.
Inscrições de 31/12/2019 – Conclusão até 31/01/2020.

Dia de Campo sobre Fruticultura em Rio Pardo/RS

Serão tratados temas relativos à fruticultura, como a geração de renda com a atividade, tecnologias de aplicação de defensivos, controle da mosca-das-frutas, manejo de inverno em videiras e sistemas agroflorestais Foto: Marlove Perin

A Embrapa Uva e Vinho, em parceria com a Embrapa Clima Temperado, Emater/RS e Afubra realiza, no dia 06 de Agosto de 2019 mais uma edição do Dia de Campo sobre Fruticultura em Rio Pardo,RS.
O evento será realizado no Parque de Exposições da Afubra (BR 471, Km 161 – Rincão Del Rey – Rio Pardo, RS) e as atividades terão início a partir das 13h.
Em estações lideradas por profissionais das instituições organizadoras serão tratados temas relativos à fruticultura, como a geração de renda com a atividade, tecnologias de aplicação de defensivos, controle da mosca-das-frutas, manejo de inverno em videiras e sistemas agroflorestais.
O dia de campo conta com o apoio da EFASC, EFASol e do Centro Vocacional Tecnológico do Vale do Rio Pardo.
O evento é totalmente gratuito! Participe!

Dia de Campo na TV – Como obter Indicação Geográfica para vinhos

Foto: Viviane Zanella

Há regiões que, ao longo do tempo, tornam-se conhecidas e mesmo notórias pelos seus produtos. Como forma de proteger tal reputação, essas zonas produtoras diferenciadas podem buscar o reconhecimento como Indicação Geográfica (IG) – concedida, no Brasil, pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Isso porque a IG possui uma área delimitada que adota os padrões locais de produção, restringindo seu uso aos produtores alí estabelecidos, e protegendo produtores e consumidores contra o uso indevido do nome da região em produtos de imitação ou de qualidade não-controlada.
Atuando de forma multidisciplinar e com a parceria de diversas instituições, incluindo o setor produtivo vitivinícola, a Embrapa Uva e Vinho foi pioneira no Brasil no fomento de indicações geográficas no Brasil, especialmente as de vinhos finos. A partir do seu suporte técnico-científico, já estão reconhecidas na Serra Gaúcha a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos e mais cinco outras Indicações de Procedência de vinhos.
“Um vinho com Indicação Geográfica está credenciado pela qualidade diferencial do seu local de origem, que o distingue de similares disponíveis no mercado. Sem dúvida é um vinho com identidade própria”, pontua Jorge Tonietto, que é pesquisador da Embrapa e uma das maiores autoridades no assunto no Brasil.
Ele destaca, entre os benefícios diretos, a organização social dos produtores, a ampliação do renome do produto e da região, a agregação de valor e dinâmicas que estimulam o desenvolvimento econômico da região. Os produtores passam a agir coletivamente garantindo ao consumidor a qualidade do produto da IG através dos controles realizados sobre a produção. No site http://www.embrapa.br/diacampo você acessa a grade completa da programação, além de reportagens dos programas.

3º Encontro para Capacitação de Viveiristas de Videira

Conceitos relacionados à produção de mudas com alta qualidade e sanidades serão os temas Foto: Divulgação

A Embrapa Uva e Vinho realiza, nos dias 24 e 25 de Setembro de 2019 a 3ª Edição do Encontro para Capacitação de Viveiristas de Videira. O evento é destinado a viveiristas e demais interessados na área de produção de mudas de videira e visa capacitar os participantes, demonstrando, na teoria e na prática, os principais conceitos relacionados à produção de mudas com alta qualidade e sanidade.
O encontro contará com a participação de profissionais de diversas unidades da Embrapa, do IFRS e da UFRGS.
As inscrições custam R$50,00 e as vagas são limitadas.

Exportações de suco de laranja caem 20% no ano safra

Foto: Divulgação

As exportações brasileiras totais de suco de laranja (FCOJ equivalente a 66 brix) registraram uma queda de 20% na safra 2018/2019 (julho de 2018 a junho de 2019) quando comparadas à safra 2017/2018. A temporada foi encerrada com 925.884 toneladas, segundo dados Secretaria de Comércio Exterior (Secex), compilados pela CitrusBR. Na safra anterior, os embarques haviam somado 1.150.718 toneladas. Em faturamento, as exportações somaram US$ 1,7 bilhão, queda de 18% em relação aos US$ 2,1 bilhões da safra anterior.
De acordo com Ibiapaba Netto, diretor-executivo da Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR), a queda nas exportações deve-se, principalmente a dois fatores: recuperação da safra da Flórida e a queda de consumo na Europa.

Principais mercados
Para a União Europeia, principal destino do suco de laranja brasileiro, os volumes embarcados chegaram a 606.522 toneladas, 10% menos que na safra 2017/2018, quando foram exportadas 675.075 toneladas. O faturamento caiu 8%, somando US$ 1,1 bilhão ante os US$ 1,2 bilhão na temporada passada.
Ao analisar as exportações para os Estados Unidos, na safra 2018/2019, os volumes foram de 193.683 toneladas, 39% a menos que na safra anterior, quando as exportações somaram 315.495 toneladas. O faturamento obtido foi de US$ 341 milhões, 39% menos que na safra passada, quando as exportações somaram US$ 561.6 milhões.
Para o Japão, os embarques de suco de laranja brasileiro totalizaram 46.967 toneladas, uma queda de 14% em relação às 54.635 toneladas. Em termos de faturamento, a queda foi de 13%, com US$ 91,4 milhões nesta temporada ante os US$ 105,6 milhões obtidos na safra anterior.
Os embarques totais para a China somaram nesta safra, 33.212 toneladas, 16% a menos que na safra passada, que somou 39.372 toneladas. O faturamento atual ficou na casa dos US$ 65,1 milhões, 18% menor que o obtido na safra 2017/2018, quando as exportações somaram US$ 79,9 milhões.

Só suco concentrado FCOJ
Na safra 2018/2019, para todos os destinos, as exportações de suco de laranja concentrado congelado (FCOJ) totalizaram 660.699 toneladas, uma queda de 24,68% em relação às 877.200 toneladas de FCOJ embarcadas na safra anterior. O faturamento somou US$ 1,2 bilhão, 23,1% menos que os US$ 1,6 bilhão obtido na safra 2017/2018.
A União Europeia importou 446.338 toneladas, 12,92% abaixo das importações do mesmo período da safra passada, que somaram 512.543 toneladas. O faturamento com as exportações brasileiras para o bloco somou US$ 829 milhões, 11% menos que os US$ 931.3 milhões.
Para os Estados Unidos as exportações de FCOJ caíram 56,7%, somando 88.782 toneladas. Na safra anterior, as indústrias brasileiras haviam exportado 204.896 toneladas. O faturamento caiu no mesmo ritmo, 56,9%, e somou US$ 150,2 milhões ante US$ 349.2 milhões no período anterior.

Suco não-concentrado NFC
As exportações de NFC para todos os destinos, registraram uma pequena queda de 0,5% em relação ao mesmo período da safra passada. Na safra 2018/2019, foram embarcadas 1.495.918 toneladas, enquanto na safra 2017/2018, as exportações de NFC somaram 1.504.352 toneladas. Em faturamento, somaram US$ 492.5 milhões, enquanto no mesmo período da safra anterior, somara US$ 514 milhões, queda de 4%.

Amostras são coletadas em oito regiões produtoras do Brasil

Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e enólogos da Associação Brasileira de Enologia percorrem cinco estados para coletar 343 amostras direto das vinícolas

Fotos: Jeferson Soldi

O trabalho de coleta das 343 amostras inscritas na 27ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2019 está em pleno andamento. Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e enólogos da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – entidade promotora -, estão percorrendo cerca de 3 mil quilômetros, passando pelos estados da Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, colhendo diretamente dos tanques de aço inox ou das barricas de carvalho as amostras que vão ser degustadas às cegas para diagnosticar a qualidade da Safra 2019.
A rota compreende oito regiões produtoras brasileiras, sendo elas: Vale do São Francisco (BA), Sul de Minas (MG), Leste de São Paulo (SP), Planalto Catarinense (SC) e no RS a Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste e Campos de Cima da Serra. A coleta é sistemática e segue um processo padrão em todas as vinícolas, com alto rigor de controle sob coordenação técnica da Embrapa Uva e Vinho.
São coletadas nove garrafas sem rótulo de cada amostra, que são identificadas por um código. Elas são utilizadas na Degustação de Seleção, realizada no mês de agosto, quando mais de 120 enólogos avaliam às cegas cada vinho inscrito. O resultado apontará os 30% mais representativos da Safra 2019 e dentre eles as 16 amostras que serão degustadas pelo grande público no dia 28 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves.
A Avaliação Nacional de Vinhos é a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. Serão quase mil apreciadores que terão privilégio de degustar 16 amostras representativas. As inscrições para os apreciadores abrem dia 4 de setembro, a partir das 9h, pelo site www.enologia.org.br.
Único no gênero do mundo, o evento carrega a força do vinho brasileiro, sua evolução e DNA. Muito além de marcas, expõe o desempenho de cada safra, a variedade e performance de cada casta, sendo um termômetro para as vinícolas, tanto no que diz respeito a tendências quanto a investimentos. Além disso, também é um ponto de encontro, de confraternização e celebração.

Prefeitura de Pinto Bandeira realiza concurso para criação do pórtico

O Prefeito Municipal Hadair Ferrari e a Secretária de Educação de Pinto Bandeira, Angelita Pavan Poloni, recepcionaram os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio José Pansera, Eduarda Comiotto e Vinícius Parisotto, que tiveram seus desenhos escolhidos no concurso de ideias para criação do projeto do pórtico do município. Estavam presentes também a Diretora da Escola Beatriz Marchettto Sganzerla, e a professora do 6º ano Rubiane De Toni.
O concurso teve como objetivo principal estimular a participação dos estudantes com ideias para o pórtico. O próximo passo, será o estudo de elementos e conceitos dos desenhos que poderão ser utilizados na concepção do projeto do pórtico, bem como a definição de sua localização.

Plantio do trigo está praticamente concluído no Estado

Foto: Divulgação

O plantio do trigo, na última semana, avançou um ponto percentual, alcançando 99% da estimativa inicial de 739,4 mil hectares. De acordo com o Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar, divulgado da quinta-feira (25/07), as áreas que ainda deverão ser plantadas encontram-se exclusivamente na região de Caxiais do Sul, cujo plantio deve se estender até o próximo dia 20 de agosto, segundo o zoneamento agrícola de risco climático.
Para esta safra, a estimativa de plantio de canola é de 32,7 mil hectares, com rendimento médio de 1.258 quilos por hectare. As regiões da Emater/RS-Ascar principais produtoras dessa oleaginosa são Santa Rosa, Ijuí, Santa Maria e Bagé.
A área implantada com a cultura da cevada no Rio Grande do Sul é de 42,4 mil hectares, com rendimento médio de 2.073 quilos por hectare. A totalidade das lavouras plantadas com cevada no Estado estão na fase de desenvolvimento vegetativo.
A área estimada com o plantio de aveia branca para grão é de 299,86 mil hectares, com uma produtividade esperada de 2.006 mil hectares. De modo geral, 67% das lavouras encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo, 23% em floração e 10% na fase de enchimento do grão.
O predomínio de tempo bom na semana foi favorável ao crescimento e desenvolvimento das culturas de hortigranjeiros da época. A boa incidência de radiação solar e as temperaturas por vezes amenas favorecem fatores de produção, entre eles os índices fotossintéticos. Por outro lado, a umidade do solo verificada até domingo já é limitante em cultivos sem sistemas de irrigação.
Na região Nordeste do Estado, os produtores realizam o plantio das últimas áreas de olerícolas através de semeadura direta e também o transplante de mudas. Tudo indica que haverá aumento de área cultivada, estimado em 180 hectares no município de Ibiraiaras. Em torno de 90% da área já está plantada e/ou transplantada. Algumas lavouras foram afetadas pelas últimas geadas; assim, produtores se organizam para um possível replantio. Clima e desenvolvimento das culturas estiveram normais na semana.
Em Ibiraiaras, com clima favorável, produtores de alho estão concluindo o plantio. A previsão é que a área cultivada deverá ficar em torno de 15 hectares. Lavouras já plantadas encontram-se em estágio inicial de desenvolvimento vegetativo normal.
A abóbora cabotiá está com colheita concluída na região Sul do Estado. Ainda há produto armazenado nas propriedades rurais. Os rendimentos ficaram entre oito e 12 toneladas por hectare. Há expectativa de aumento de área cultivada para a próxima safra em virtude dos bons resultados alcançados.
Na região Serrana, as condições climáticas no período caracterizaram-se por dias muito frios, mas com retorno de temperaturas altas no final da semana, alta insolação e ausência de precipitações. Esse quadro favoreceu em muito a sanidade das plantações de citros, a intensificação da coloração e o sabor das frutas de ciclo médio e tardio.
A produção de morango está satisfatória na região do Alto da Serra do Botucaraí. O clima favorece a cultura, intensificando a produção e o crescimento das plantas, e melhora os aspectos fitossanitários.
No Alto da Serra do Botucaraí e Vale do Rio Pardo, as variedades precoces de pessegueiro e ameixeira se encontram em floração e início da fase de pegamento de frutos. Seguem atividades de poda e tratamento para podridão parda.
Em Planalto, no Médio Alto Uruguai, maior produtor da fruta, foram implantados 135 hectares de figo. Os agricultores são orientados sobre manejo sanitário, aplicação de calda sulfocálcica, adubação de manutenção e podas.
No Vale do Taquari, que integra o escritório regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado, a cultura da erva-mate está em fase de estabilidade vegetativa, ou seja, sem brotações. Não há registros de ataque de pragas.
Os campos nativos mostram os efeitos do inverno, apresentando continuada redução da oferta de forragem e da capacidade de suporte. Já as pastagens cultivadas de inverno, que vinham apresentando um desenvolvimento satisfatório no início do ciclo, sentiram as geadas e, na última semana, a diminuição da umidade solo, em virtude do clima mais seco.
Nas áreas exclusivamente com campo nativo, o gado vem apresentando perda de peso, mas ainda mantém uma condição corpórea regular. Nos locais com pastagens cultivadas, observa-se que o escore corporal dos animais é bom. O estado sanitário, no geral, é satisfatório. No manejo reprodutivo, os cuidados com as matrizes em período de gestação ocupam especial atenção.
Os rebanhos leiteiros apresentam bom estado físico e sanitário e vêm aumentando a produção de leite, que terá seu pico em agosto, em função da oferta de pastagens cultivadas no inverno. Os criadores que contam com divisão de potreiros e/ou cerca elétrica realizam, com orientação da Emater/RS-Ascar, o manejo do pastoreio de forma rotativa, com adequação da carga animal, para melhor aproveitamento das forragens pelas diferentes categorias animais. Isto propicia a diminuição de custos com suplementação alimentar. Em consequência do clima, no entanto, as pastagens vêm apresentando menor disponibilidade de massa verde, havendo assim necessidade de aumentar as suplementações com silagem, feno, pré-secado, ração concentrada, em quantidades acima da usual, para manter o volume de leite produzido.
Os rebanhos ovinos gaúchos continuam apresentando boa condição corporal e sanitária, mesmo nos locais com alimentação exclusivamente à base de pastos nativos. No manejo reprodutivo, o período é de cuidados pré-parto, parição e cuidados com cordeiros, que vêm apresentando um baixo índice de mortalidade e bom desenvolvimento.
O manejo dos açudes e tanques povoados tem registrado condições satisfatórias em relação à época do ano, com casos muito raros de mortalidade de peixes em todo o Estado. Os criatórios não povoados estão sendo preparados para recepção de alevinos a partir do próximo mês.
Na região de Santa Rosa, observou-se turbidez média da água dos rios, com captura baixa de peixes durante a semana. Na região de Pelotas, na Lagoa dos Patos, o período é de defeso. Em São Lourenço do Sul, ocorre falta de pescado e na bacia da lagoa Mirim os níveis mais baixos de água têm ocasionado baixas capturas e baixas ofertas de pescado de origem local. Em Tavares, na lagoa do Peixe, a captura de pescado é satisfatória. Na região de Porto Alegre, no Litoral Norte, a pesca artesanal no mar, em suas diversas modalidades, vem apresentando baixa produtividade.

Festa do Agricultor do Sindicato dos Trabalhadores reúne mais de 400 pessoas

Mais de 400 pessoas prestigiaram neste domingo, dia 28, a Festa do Agricultor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bento Gonçalves, com extensão em Monte Belo, Santa Tereza e Pinto Bandeira (STRBG). O evento aconteceu no no salão da comunidade da Linha Brasil, interior de Pinto Bandeira. Teve sorteio de brindes e no final a animação ficou por conta da Banda Musical Lembrança.