Vinho Country Wine apresenta novas embalagens para a versão Bordô Suave

Tradicional marca do varejo nacional no segmento de vinhos de mesa, essa marca popular ganha agora garrafas de 1l e 375 ml, apenas na versão Bordô Suave.
Lançados há mais de 29 anos, os vinhos Country Wine são encontrados nas versões Rosé Suave, Branco suave e seco, Tinto suave e seco e Bordô suave e seco. Possuem tampa de rosca (screw-cap), que permite que o vinho possa ser aberto e fechado com mais facilidade, sem comprometer a qualidade do produto.
“Essas 2 novas apresentações vem ao encontro da necessidade de atender um público que não consome uma garrafa inteira de vinho (versão 375ml) e aquelas pessoas que buscam um pouco mais de vinho, em uma mesma embalagem (1l) que serve para os almoços em família, ou entre os amigos.” Destaca o Diretor Geral da Vinícola Aurora, Hermínio Ficagna.
O vinho Country Wine Bordô Suave possui coloração rubi-violáceo, na boca apresenta aromas de frutas vermelhas maduras e encorpado e com leve acidez. Harmoniza-se muito bem com um suculento churrasco, com queijos e massas com molhos encorpados.
Os vinhos Country Wine podem ser encontrados nas grandes redes de todo o Brasil.
Ficha Técnica:
Garrafas: Verallia
Tampas: INESA
Rótulos: Gráfica Brazicolor

Importação de vinhos no Brasil duplica em cinco anos

De janeiro a maio deste ano, 60 milhões de litros de vinhos entraram no país, 64% a mais que 2018 e o dobro em relação a 2015. Acordo entre Mercosul e União Europeia deve impulsionar ainda mais as comercializações entre os continentes

Em cinco anos, importações cresceram 100% em valor e 122% em volume Augusto Tomasi, divulgação

O Brasil nunca importou tanto vinho tranquilo como em 2019. De janeiro a maio deste ano, as comercializações cresceram 100% em valor e 122% em volume, comparado a igual período de 2015. O desempenho mostra o potencial do mercado brasileiro, que, após o encerramento das negociações do acordo entre União Europeia e Mercosul, deve ganhar maior evidência com a nova fronteira comercial. A expectativa é que os rótulos estrangeiros fiquem até 30% mais baratos no país. Com isso, a necessidade que os vitivinicultores brasileiros terão de promover seus produtos e competirem com os vinhos internacionais deverá consolidar eventos voltados para o trade, como a Wine South America, maior feira profissional de vinho da América Latina.
Segundo dados do Comex Stat, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), de janeiro a maio deste ano, 60 milhões de litros de vinhos tranquilos foram importados pelo Brasil. Foram negociados US$ 188,9 milhões, com preço médio de US$ 3,15 por litro. Chile, Portugal, Argentina, Itália e Espanha integram, nesta ordem, o ranking de principais exportadores. Em 2015, 27 milhões de litros de vinhos tranquilos entraram no país, contabilizando US$ 94,4 milhões negociados.
Neste cenário, a Wine South America deverá estreitar relacionamentos e ampliar ainda mais este mercado em ascensão. Até o momento, já está confirmada a participação de expositores de oito países, com 52 vinícolas internacionais, além da presença dos principais players nacionais. Expositores do Chile, Argentina, Uruguai, África do Sul, Portugal, Itália, França e Espanha estarão no evento que ocorre de 25 a 27 de setembro, em Bento Gonçalves (RS).
A segunda edição da feira já conta com um portfólio de rótulos como da francesa Rendez Vous Occitans, da sul-africana Robinson & Sinclair, das espanholas do Grupo Faustino e da chilena Sur Valles. Estandes coletivos como o do Wines of Argentina, com 30 empresas, também estarão presentes, reforçando o posicionamento de principal evento do setor no continente.
Segundo Raquel Salgado, presidente-executiva da Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Bebidas e Alimentos (A.B.B.A.), o baixo consumo per capita no Brasil (dois litros por habitante/ano) não é visto como um problema, mas como um indicativo de oportunidade de crescimento da categoria no maior país latino-americano.
“A Wine South America propiciará a divulgação das marcas aqui na América do Sul e a descoberta de novos clientes, apostando no desenvolvimento comercial”, assinala.A feira internacional do vinho deve reunir 250 marcas do Brasil e do Exterior, incluindo os setores de destilados e olivicultura. A relação das vinícolas que já confirmaram presença na Wine South America pode ser conferida em www.winesa.com.br

Trigo atinge 88% da área prevista para esta safra no RS

O plantio do trigo nesta semana no Rio Grande do Sul avançou 15 pontos percentuais, alcançando 88% da estimativa inicial, que é de 739,4 mil hectares. Deste total, 97% estão em germinação e desenvolvimento vegetativo. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (04/07), a cultura está em final de implantação na regional de Ijuí, que corresponde a 30% da área cultivada no Estado e engloba os Coredes Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, restando pequenas áreas a serem semeadas.
Na regional de Santa Rosa, que representa 27% da área de trigo no Estado e que corresponde aos Coredes Fronteira Noroeste e Missões, o plantio está concluído. A chuva que ocorreu durante a semana contribuiu para melhorar a germinação e a emergência das áreas recém semeadas, uma vez que algumas lavouras semeadas em junho tiveram dificuldade de germinar devido à baixa umidade, resultando na população de plantas inferior ao recomendado. Com previsão de um clima de sol e muito frio para esta semana, é provável que diminuam os focos de pragas e doenças iniciais.
Os municípios de Tupanciretã (7.000 ha), Júlio de Castilhos e Santiago (7.000 ha), Capão do Cipó (5.000 ha) e Jari (3.000 ha) são responsáveis por 71% da área de trigo da região da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, que representa 5,5% da área de trigo no Estado e engloba os Coredes Central e Vale do Jaguari. Nessa região, o plantio do trigo avançou para 95% da área estimada, que é de 40,7 mil hectares. As temperaturas baixas da última semana favoreceram o desenvolvimento da cultura, e parte está iniciando o perfilhamento.
Entre as culturas de inverno, a segunda maior área cultivada no Estado é de aveia branca grão, que ocupa 299,8 mil hectares, com uma produtividade estimada de 2.006 kg/ha para esta safra. Na regional da Emater/RS-Ascar de Ijui (com 37,1% da área do Estado), a cultura apresenta bom desenvolvimento vegetativo, evoluindo para o estágio reprodutivo. Já na regional de Santa Rosa (com 18,7% da área do Estado), as áreas de aveia estão em emergência e desenvolvimento vegetativo.
Canola – A área estimada com canola nesta safra deverá atingir 32,7 mil hectares, com rendimento médio de 1.258 kg/ha. Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, dos 11,8 mil hectares cultivados com canola, 46% estão em desenvolvimento vegetativo, 47% em floração e 7% em início de formação do grão. No geral as lavouras apresentam bom aspecto de dossel e floração, favorecidas pelos dias de sol. Na próxima semana a previsão de dias ensolarados e frios deve diminuir o ataque de doenças e pragas, que tem prejudicado o desenvolvimento da cultura em algumas lavouras.
Cevada – A área destinada à cultura da cevada no Rio Grande do Sul será de 42,4 mil hectares, com rendimento de 2.073 kg/ha. Na regional de Ijuí (com 22,4% da área do Estado), que engloba os Coredes Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial, a cultura apresenta boa emergência e stand inicial de plantas satisfatório, bom desenvolvimento vegetativo e sanidade adequada.

OLERÍCOLAS
Alho – Com clima favorável, os produtores realizam o plantio do alho, totalizando 80% da área para esta safra, e deverá ser concluído nesta primeira quinzena de julho. No Nordeste do Estado, principalmente em Ibiraiaras, a previsão é de manutenção de área cultivada, com possibilidade de pequeno incremento.
Batata – Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, estão abertas as inscrições para aquisição de mudas tratadas e selecionadas junto aos escritórios municipais da Emater/RS-Ascar. A produção é destinada ao consumo da família, com venda do excedente em feiras do produtor.
No Planalto Médio, o clima foi favorável para a colheita da batata. Aproximadamente 80% da safra já foi comercializada, sendo que o produto colhido apresentou boa qualidade. O preço de 50 quilos da batata branca varia entre R$ 120,00 e R$ 140,00/sc. e o da rosa, entre R$ 100,00 e R$ 110,00/sc. Na região Sul, a safrinha da batata é colhida com boas produtividades, e o tubérculo é comercializado a R$ 140,00/sc.

CRIAÇÕES
As condições corporais dos rebanhos de bovinos de leite estão satisfatórias, havendo atenção dos produtores para que não ocorra perda de escore das matrizes. Como as pastagens de inverno têm oferta moderada de forragem, os bovinos de leite têm aumentado de forma discreta a produtividade. Na última semana, as pastagens de inverno, principalmente aveia e trigo duplo propósito, estão fornecendo pastejo; entretanto o desenvolvimento e o crescimento destas pastagens estão menores do que o esperado, com muitas áreas apresentando baixo volume de forragem. Para melhorar o desenvolvimento das pastagens, ao longo da semana anterior foi intensificada a adubação nitrogenada nas áreas já pastejadas. Assim, os produtores têm necessidade de seguir suplementando a alimentação, com fornecimento de volumoso aos animais, como silagem/feno/pré-secado produzido no verão e outono, além da complementação nutricional, com ração e sal mineral.
Na ovinocultura, com a utilização das pastagens cultivadas de inverno já consolidada na maior parte das propriedades, as condições sanitárias e nutricionais são boas neste início de inverno. Mesmo nos locais onde a base forrageira é formada pelas espécies nativas, os animais apresentam bom estado nutricional, mas é provável que ocorra perda de peso a partir das próximas semanas.
O nascimento dos cordeiros começa a se intensificar nas propriedades que dispõem de pastagens para ir colocando as matrizes prestes a parir. O clima segue favorável, com bom desenvolvimento inicial dos cordeiros, principalmente porque ainda não ocorreram chuvas sob condições de baixa temperatura.

Pinto Bandeira inaugura pavimentação asfáltica na Linha Busa

Na noite da quinta-feira, 04 de junho, ocorreu a entrega oficial da pavimentação asfáltica da estrada da Busa (Linha Palmeiro) com extensão de 880 metros, estrada que faz na ligação com o distrito de São Pedro, em Bento Gonçalves. A assinatura de contrato ocorreu em fevereiro deste ano e em menos de cinco meses, a obra foi entregue. O investimento total foi de R$ 584.278,95 com recursos próprios do município.
O ato foi marcado pela foto oficial no asfalto, com o prefeito Hadair Ferrari, vice Daniel Pavan, pároco Luiz Antônio Mascarello, presidente da Câmara de Vereadores, Adilso Salini, vereadores, Secretários Municipais, servidores, moradores e lideranças de Bento e Farroupilha.