Leandro Bianchi Santini é o Enólogo do Ano 2019

Enólogo-chefe da Casa Perini é o 16º homenageado pela ABE

Leandro Bianchi Santini e o presidente da ABE, Daniel Salvador Foto: Jeferson Soldi

Depois de atravessar 2019 promovendo o vinho brasileiro e oportunizando aos associados o aprimoramento técnico e o compartilhamento de novos conhecimentos, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) reservou a noite de sexta-feira, 25 de outubro, para celebrar o Dia do Enólogo e os 43 anos da entidade, ambos comemorados em 22 de outubro, e também anunciar Leandro Bianchi Santini como o Enólogo do Ano 2019. O jantar realizado no Centro Empresarial de Bento Gonçalves reuniu mais de 150 enólogos.
Santini é enólogo-chefe da Casa Perini. Formado no Curso Superior de Viticultura e Enologia em 2005, é presidente do Conselho Técnico da Associação Farroupilhense de Produtores de Vinhos, Espumantes, Sucos e Derivados (Afavin), que gere a Indicação Geográfica de Espumantes Moscatéis em Farroupilha (RS). Ligado ao cultivo da uva e do vinho desde pequeno, logo buscou qualificação. Seus colegas de profissão o definem como um profissional comprometido com seu trabalho diário e com o setor. Colaborativo, defende o trabalho coletivo. O Enólogo do Ano 2019será premiado com uma viagem, que terá o propósito de visitar uma Feira do setor vitivinícola.
A distinção é uma homenagem que a ABE dedica à profissão de enólogo, desde 2004, enaltecendo a técnica e a sensibilidade da atividade. O processo de escolha seguiu três etapas. A primeira seguiu os seguintes critérios: ter formação em Enologia e Viticultura, trabalhar em prol do profissional de Enologia, ter cinco anos de experiência na atividade, estar exercendo a função, ter atuação setorial, inovar e ser associado da ABE, no mínimo há três anos, além de estar em dia com a Tesouraria.
O segundo passo foi selecionar os três nomes mais votados pelos associados com livre indicação, considerando experiência, formação e reconhecimento. Por fim, eles foram avaliados por um comitê formado pelos 15 enólogos já eleitos, resultando em nova pontuação. A junção desses fatores, aliada ao carisma, experiência, formação, participação e desempenho na atividade, foram decisivos para a escolha. O processo foi concluído no dia 18 de outubro.

Retrospectiva dos homenageados
2004 Antônio Czarnobay
2005 Gilberto Pedrucci
2006 Firmino Splendor
2007 Adriano Miolo
2008 Ismar Pasini
2009 Nauro José Morbini
2010 Lucindo Copat
2011 Daniel Dalla Valle
2012 Dirceu Scottá
2013 Juliano Daniel Perin
2014 Delto Garibaldi
2015 Christian Bernardi
2016 Flávio Angelo Zílio
2017 Carlos Abarzúa
2018 Cedenir Fortunatti
2019 Leandro Bianchi Santini

Festa do Pêssego de Pinto Bandeira voltará a ser realizada em 2020

Depois de mais de 10 anos interrompida — a última edição foi em 2008 — a Festa do Pêssego de Pinto Bandeira está garantida para 2020. A Festa do Pêssego será celebrada em 10, 11 e 12 de janeiro de 2020, na praça central da cidade.
O presidente da feira e vice-prefeito, Daniel Pavan e a vice-presidente do evento, Ivan Tasca comentaram que a programação está sendo finaliza, já com algumas confirmações para o primeiro dia quando será realizado um seminário para os produtores rurais e no início da noite o show com a dupla Claus & Vanessa.
Pinto Bandeira tem população estimada em 2,8 mil habitantes e produz cerca de 18 mil toneladas de pêssego anualmente. Recentemente a Assembleia Legislativa aprovou a proposição que torna Pinto Bandeira a Capital Estadual do Pêssego de Mesa. Conforme o projeto de lei, encaminhado pelo deputado Sérgio Turra (Progressistas), o município tem uma economia baseada no setor primário, com predominância da agricultura familiar e da produção de frutas, especialmente para consumo in natura.

O suco de uva ganha seu dia oficial na Serra Gaúcha

 

O suco de uva ganhou um dia alusivo no calendário regional. Marcado oficialmente como o Dia Regional do Suco de Uva, o primeiro domingo do mês de março será destinado a valorizar um dos principais produtos da cadeia vitivinícola gaúcha. Responsável por mais de 50% da produção do setor, a bebida vem garantindo a sustentabilidade de pequenos e médios negócios na Serra Gaúcha, onde estão concentrados 90% dos fabricantes brasileiros. O lançamento da comemoração foi realizado no dia 18 de outubro na Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.
A criação da data alusiva partiu de iniciativa de um vereador de Bento Gonçalves, Edson Biasi, que vislumbrou no produto uma bandeira em defesa da vitivinicultura da economia da região. Outros oito municípios da Serra, principal polo produtor de uva no Estado, já foram procurados por Biasi e estão no caminho de implementar o dia do suco. O vereador também está articulando a promoção nas esferas estadual e federal.
Além de registrado no calendário dos municípios participantes, o Dia Regional do Suco de Uva também servirá para a realização de ações de promoção da bebida, informando sobre os benefícios à saúde, promovendo o turismo, fortalecendo a economia e resultando no aprimoramento da cadeia produtiva da uva. “A ideia é evoluir para o dia estadual e depois nacional”, revela o chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, José Fernando da Silva. Ele destaca o crescente protagonismo do suco de uva na cadeia vitivinícola. “O suco de uva é um produto que concorre com o vinho tradicional, que era comercializado em garrafão e hoje é vendido em garrafas de 750 mil”, situa Silva.
Segundo o pesquisador, a queda na demanda por vinho a granel, que até há alguns anos era vendido para outros estados, principalmente do Centro do País. “Houve uma mudança, em função do surgimento de produtos substitutos e a cadeia produtiva se reestruturou.” Em 2004, apenas 25% de toda uva processada no Rio Grande do Sul era vendida na forma de suco e 75% chegava ao mercado como vinho. Estes números mudaram: atualmente, 52% da uva processada é destinada à produção de suco.
Desde 2014, a Cooperativa Vinícola Nova Aliança, localizada em Flores da Cunha, investiu mais de R$ 100 milhões para elevar e qualificar a fabricação da bebida, produzida a partir de uvas americanas. “Naquele ano, construímos uma planta nova (com 24 mil m² de área) no município, e em 2017 ampliamos a filial de Farroupilha (atualmente com 5 mil m²), e modernizamos o maquinário para processamento e elaboração do produto nas duas unidades”, comenta o diretor administrativo da Nova Aliança, Rodrigo Colleoni. Segundo o gestor, o suco de uva representa mais de 50% do faturamento da cooperativa.
O foco é o mercado interno, mas já há estudos para exportação do produto, afirma Colleoni. “Atualmente, produzimos mais de 20 milhões de litros por ano, distribuídos por todo o Brasil.” O diretor da Nova Aliança considera o lançamento do Dia Regional do Suco de Uva como “um marco importante, que com certeza vai ajudar a divulgar o produto em nível nacional”. “O suco de uva se tornou fundamental para o sustento do setor, uma vez que o consumo de vinho não tem crescido tanto.”
Depois da abertura do evento, que contou ainda com a participação dos Prefeitos de Cotiporã, José Carlos Breda, de Pinto Bandeira, Hadair Ferrari e de Monte Belo do Sul, Adenir Dallé, vereadores, secretários, lideranças, produtores, técnicos e autoridades de Bento e região, puderam conferir algumas palestras que reforçaram ainda mais a importância do suco de uva.

Palestras
As cultivares de uva desenvolvidas especialmente para qualificar o suco de uva brasileiro foram apresentadas pela pesquisadora Patrícia Ritschel, que coordena o Programa de Melhoramento Genético ‘Uvas do Brasil’, liderado pela Embrapa Uva e Vinho. Incrementos de cor, sabor e açúcar são resultados das novas opções de cultivares, como a Isabel precoce, BRS Violeta e BRS Magna, cujos sucos foram degustados pelos presentes ao final.
“Com sede de suco de uva” – essa é a melhor forma de descrever o sentimento da plateia após assistir a palestra que aborda os benefícios do suco de uva à saúde humana, apresentada pela Biomédica Caroline Dani.No lançamento do Dia Regional do Suco de Uva não foi diferente. Ela citou inúmeros benefícios aos consumidores de suco e ressaltou que não tem nenhuma contra-indicação. Ela também divulgou aos interessados em aprofundar os conhecimentos que poderão acessar o site elaborado especialmente para este fim no sugestivo endereço:https://drauva.com.br/.
Ao falar sobre a Evolução mercadológica e produtiva do suco, o chefe-geral e pesquisador em socioeconomia da Embrapa Uva e Vinho, José Fernando da Silva Protas, foi taxativo ao afirmar que o suco de uva foi a salvação da cadeia produtiva. “Esse é o produto que absorve o maior volume de uva produzida no Rio Grande do Sul. É o suco que está sustentando o nosso viticultor”, sentenciou ele. Protas apresentou índices do ano de 2004, quando cerca de 75% da uvas eram destinadas à elaboração de vinho comum e apenas 24% ao suco. Já em 2017, 53% dessas uvas foram destinadas ao suco, possibilitando um rearranjo da cadeia produtiva e o destaque para essa bebida. Em 2018 foram comercializados 140,5 milhões de litros de suco de uva integral produzidos no Rio Grande do Sul.
Alimentação escolar
A nutricionista da Secretaria Municipal de Educação, Renata Geremia, apresentou durante o espaço “Movimento em prol do suco de uva” o case da Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves no qual, desde o ano de 2005, o suco de uva é alimento obrigatório na alimentação escolar, regulamentado por Lei 3.810/2005. “Mensalmente são servidas, em média, 324.100 refeições para 10.432 alunos das 44 escolas do Município, sendo 100% desse valor destinado à agricultura familiar”, complementou ela. Exemplo esse que deve ser seguido pelo estado de Pernambuco, segundo comentou o empresário Eurico Benedetti, a partir do projeto de lei que inclui o suco de uva integral na alimentação escolar da rede pública estadual de Pernambuco. De autoria do deputado Antonio Coelho, o projeto já foi aprovado em duas comissões temáticas da Assembleia Legislativa e prevê a aquisição preferencialmente de agricultores familiares daquele Estado.
Além de registrado no calendário dos municípios participantes, a intenção é de que a data estimule a realização de ações de promoção da bebida, informando sobre os benefícios à saúde, promovendo o turismo, fortalecendo a economia resultando no aprimoramento da cadeia produtiva da uva.

Categorias
Suco de uva 100% integral – 100% suco de uva, sem aduição de água e açúcar na concentração natural.
Suco 100% – 100% suco de uva, sem adição de água e açúcar na sua concentração.
Bebida/refresco – 30% de suco de uva, diluído em água e adoçado, podendo ser colorido e aromatizado artificialmente.
Néctar – 50% de suco de uva, diluído em água e adoçado.
Em pó – pode não conter uva em sua composição.

Maior volume comercializado é do produto à base de uva integral tinto
A safra de 2019 rendeu uma produção de 51 milhões de litros de suco de uva no Rio Grande do Sul, segundo dados do Sistema de Cadastro Vinícola da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. A maior parte desse volume (48 milhões) é de fabricação de suco de uva integral tinto. Já os orgânicos representam 628 mil litros desse universo.
Segundo a Embrapa Uva e Vinho, em 2018, foram comercializados 140,5 milhões de litros de suco de uva integral produzidos no Estado. A versão integral ou natural é aquela cuja composição é de 100% de fruta, sem adição de água ou açúcar. Ao considerar também o suco concentrado convertido para suco simples, o volume total, em 2018, foi de 258,33 milhões de litros, segundo a pesquisadora da entidade, Loiva Ribeiro de Mello.
“Do total de uvas processadas em 2017 pelas vinícolas gaúchas, 49,1% foram destinadas à produção de sucos de uva prontos para o consumo”, observa o coordenador de Vitivinicultura do Sebrae-RS, André Bordignon. “As vendas de suco de uva passaram de 100 milhões de litros em 2015. O aumento nas vendas entre os anos de 2005 e 2015 chegou a 367%.”
Bordignon observa que as variedades de uvas para produção de suco “são muito bem adaptadas às condições climáticas e aos solos gaúchos”, sendo uma boa alternativa para pequenas propriedades rurais de agricultura familiar. “Mais de 15 mil famílias estão envolvidas de forma direta com a produção no País, com uma média de 2 hectares de videiras por família.” Entre os cultivares de uvas mais plantados estão as chamadas uvas híbridas ou americanas, com destaque para a Isabel, a Concord, a Bordô e a Niágara.

Festival Vieni Vivere la Vita anuncia segunda edição para novembro em Monte Belo do Sul

Evento será realizado nos dias 15 e 16 de novembro e contará com diversas atrações artísticas, vinícolas e gastronômicas

Foto: Felipe Cortes/Cultura Serra

Uma nostálgica e genuína forma de resgatar costumes interioranos, cultivados ao longo de gerações centenárias, está de volta a Monte Belo do Sul. O ‘Vieni Vivere la Vita Festival’ chega à segunda edição em 2019 celebrando a continuidade de um trabalho que ganha cada vez mais destaque no cenário turístico regional: a exploração do turismo de experiência. Nesse ano, o festival terá um dia a mais em relação à última edição: entre 15 e 16 de novembro, o município protagoniza um dos mais autênticos e charmosos eventos da Serra gaúcha – que enaltece as produções montebelesenses, expostas bem no coração da localidade, na Praça Padre José Ferlin.
Durante os dois dias, os visitantes poderão vivenciar o quê de mais singelo é confeccionado e elaborado no pequeno município de pouco mais de 2,6 mil habitantes. Artesanato, agroindústria familiar, vinhos, espumantes, gastronomia típica e atrações artísticas locais e regionais permeiam a programação que se estende durante o dia inteiro, das 10h às 22h. Tudo isso em um ambiente que remete às pequenas e singulares localidades europeias por meio da decoração típica, com adereços que conferem um requinte diferenciado, mesas espalhadas pela praça e bancas personalizadas comercializando os produtos locais.
Sucesso de público em 2018, o Vieni retorna com um legado turístico ainda mais evidente – em um contexto que vai além do evento em si. Lançada oficialmente no ano passado, a campanha homônima ao festival se consolida com o projeto de sinalização turística visto na prática – contemplando mais de 100 placas informativas instaladas na região – e um programa de fomento aos empreendedores locais com inúmeras ações de capacitação e incentivo – além do fortalecimento promocional da cidade como destino em mídias digitais.
Idealizado pela Secretaria de Cultura e Turismo de Monte Belo do Sul, o evento contará com mais de 20 empreendimentos montebelenses e diversas atrações culturais – concentradas na praça matriz da cidade. Além disso, o festival terá um espaço kids, com brinquedos infláveis, e compartilhará do conceito pet friendly, já que o espaço será ao ar livre. O evento é gratuito e aberto à comunidade. Mais informações podem ser obtidas pela fanpage ou perfil de Instragram do projeto ‘Visite Monte Belo’.

Foto: Felipe Cortes/Cultura Serra

Programação cultural Vieni Vivere la Vita Festival – 2ª edição

Dia 15 de novembro (sexta-feira)
11h30min – Show Joce Sampaio
13h30min – Apresentação Coral Municipal Musicando Melodias, Coral Infanto Juvenil Alegria de Cantar e Grupo Acordes
15h30min – Espetáculo Cênico-Musical “Terra Nostra”
17h30min – Show Beto Valduga Quinteto
19h30min – Show Johnny Grace – Cover Elvis Presley
21h30min – Show Acústicos Band

Dia 16 de novembro (sábado)
11h30min – Apresentação Grupo Vicentino
12h30min – Show Banda JESSE47
14h30min – Show Acoustic Rock Maicon & Pontel
16h30min – Apresentação Grupo de Danças Ballo D’Italia e Dança Infantil Picolli Balerini
17h30min – Show Ragazzi Dei Monti
19h30min – Show Tenor Dirceu Pastori
21h30min – Show Credenciados – Creedence Cover

Conheça os empreendimentos confirmados:
Artesanatos Benatti
Café Faccin
Casa João Moro Vinhos
Casa Lovisa Vinhos
Casa Marques Pereira
Casa Olga
Dom Riccardo Vinhos Finos
Faccin Vinhos
Famiglia Tasca Sucos e Museu Familiar
Il Divino Caffé e Eventos
JRA Sabores
Patroa
Produtos Coloniais Gabriel
Restaurante Bella Serra
Ristorante Nonna Metilde
Rota 444 Petiscaria
Senzafine
Somacal Vinhos Únicos / Splendore Licores Finos
Tanoaria Mesacaza
Vallebello
Vinhos Casa Fantin
Vinhos Faé
Vinícola De Mari

Serviço:
O quê: “Vievi Vivere la Vita Festival” – 2ª Edição
Quando: 15 e 16 de novembro
Horário: 10h às 22h, nos dois dias
Onde: Praça Padre José Ferlin, em Monte Belo do Sul – RS
Mais informações: www.facebook.com/VisiteMonteBelo ou pelo Instagram Visite Monte Belo

Casa Olga – Crédito John Arlignton

Festival do Chopp em Santo Isidoro

Acontece no sábado, dia 16 de novembro, o 21º Festival do Chopp em Monte Belo do Sul, na Sociedade Cruzeiro, em Santo Isidoro a partir das 21h.  A animação fica por conta da Banda Animação da Serra. Os ingressos custam R$ 190,00, casal. Cada ingresso dá direito a caneca. Mais informações: (54) 9.9979-4223 – Joarez, (54) 9.9965-7708 – Carlos, (54) 9.9194-8100 – Luciano, e (54) 9.9993-5311 – Rogério.

Obra de construção da Creche Municipal de Pinto Bandeira seguem em andamento

A obra da nova Creche Municipal está em progresso. Na segunda-feira, dia 26 de agosto ocorreu a ordem de início da obra da EMEI de Pinto Bandeira. Após a assinatura, a empresa Metal Brasil Construções de Taió/SC, vencedora do processo licitatório, iniciou a construção da primeira etapa da nova escola infantil, que consiste na estrutura de concreto.
No dia 27 de setembro, foi instalada a tubulação destinada ao sistema de saneamento do edifício da EMEI de Pinto Bandeira, mais um passo para a realização da parte estrutural da obra, que segue em ritmo acelerado.
Com área de 773m², a escola será erguida na rua Sete de Setembro, e terá capacidade para atender 80 crianças de 0 a 4 anos em turno integral. Esta etapa inicial custará R$ 790.615,83 e será paga com recursos próprios da Prefeitura.
Para a Secretária de Educação, Angelita Pavan Poloni, “essa obra é de suma importância para o município e vem de encontro ao nosso propósito de continuar investindo alto em educação”. Considerada referência, a escola contará com salas climatizadas, brinquedoteca, horta, estacionamento, refeitório, espaço amplo para atividades diversificadas como reuniões e apresentações, entre outros requisitos determinados por legislação específica
Uma das promessas da atual gestão do Prefeito Hadair Ferrari é a construção da creche. Para Hadair a nova escola é o resultado de um trabalho feito em equipe, onde todos saem ganhando, principalmente as crianças e a comunidade escolar.

Descida do Pinto reúne de 54 pilotos

54 apaixonados por carrinho de lomba enfrentaram o tempo ruim de domingo, 27, em Pinto Bandeira para participar da 3ª edição da Descida do Pinto, evento que reuniu mais de 350 pessoas vai ganhando novos adeptos. Mesmo sem as melhores condições, os pilotos levaram emoção e nostalgia para o público presente.
A competição foi dividida em três categorias. A força livre, reuniu maior número de inscritos, 41, teve como grande vencedor Marlon Sandrin, que fechou o percurso com tempo total nas duas descidas de 2min22s87. Pouco mais de nove segundos na frente do vice-campeão, David Abel Conferai. A terceiro posto ficou com Ariel Amadio.
Na categoria Roda de Madeira, sete participantes disputaram o título da Descida do Pinto. Quem levou a melhor foi Thiago Fabris, que vou nas ruas da capital do pêssego e fechou a prova com tempo final de 2min49s23. Na segunda posição, Marcos Salton, com percurso encerrado em 6min22s28. Poucos segundos atrás, o terceiro colocado na prova, Cean Yuri Bortoncello.
A competição abriu espaços para as mulheres. E elas, também fizeram bonito pilotando os carrinhos de lomba, com direito a apenas uma descida pelo trajeto. Eligiane Pegoraro foi a grande vencedora da corrida com tempo de 1min38s. Dalva Tumelero e Michele Pegoraro completaram as três primeiras colocações.
O Prêmio de destaque, beleza e criatividade, ficou com o carrinho de Roberto Bhom. Prêmio de participação “Pintão”, ficou com Adair Barreta, participante mais velho, Gustavo Rossato na participação “pintinho”, mais jovem
A organização do evento realizou a doação dos alimentos arrecadados nas inscrições para famílias carentes do município, com auxílio da Secretaria de Assistência Social.

Organizador do evento Cesar Augusto Tumelero e a Secretaria de Assistência Social Angelita Poloni Fotos: Prefeitura de Pinto Bandeira

Troféu Empreendedor Jovem 2019

Vinhos Faé e Frutas Rubbo são homenageadas pelo Sindilojas Jovem

15 empresas de 11 cidades são agraciados com o Troféu Empreendedor Foto: Nei Vignatti Rádio Difussora

Quinze empresas da Indústria, Comércio e Serviços de 11 cidades da Serra Gaúcha foram reconhecidas com o Troféu Empreendedor Jovem 2019. Organizado pelo Sindilojas Jovem de Bento Gonçalves e com o apoio do Sindilojas, o encontro reuniu mais de 200 pessoas no Centro Empresarial de Bento Gonçalves numa noite de reconhecimento à trajetória dessas marcas e seus líderes. O evento, realizado dia 24 de outubro, contou com o prestígio de diversos prefeitos e lideranças regionais.
De Bento Gonçalves, foram destaque a Villa Giardino Italínea, Padel Pro, Malhas G’Dom, Dalca Brasil, ONG Patas e Focinhos e A. Da Campo Calçados e Cia. As outras nove homenagens foram para Alvimar Comércio de Alimentos de Boa Vista do Sul, Agroindústria Alimentícia Ferrari de Carlos Barbosa, Voltys Climatização de Coronel Pilar, Jardim Gastronômico de Garibaldi, Vinhos Faé de Monte Belo do Sul, Frutas Rubbo de Pinto Bandeira, Cachaçaria Velho Alambique de Santa Tereza, Serralheria São Pedro de São Pedro da Serra e Metalúrgica Bortolotto de São Valentim do Sul. A indicação é feita pelos membros da diretoria do Sindilojas Jovem com base na atuação de cada empresa e empresário.
Com a distinção, o Sindilojas Jovem não apenas destaca, mas também valoriza o empreendedorismo na região. Empresários que investem em novos negócios e projetos, elevando o nome de sua cidade e ajudando a fortalecer o Comércio, os Serviços e a Indústria foram reconhecidos com o Troféu Empreendedor Jovem, que contempla, ainda, responsabilidade social e aspectos culturais.

TROFÉU EMPREENDEDOR JOVEM 2019
Empresas Bento Gonçalves
Destaque Comércio – Villa Giardino Italínea
Destaque Serviços – Padel Pro
Destaque Indústria – Malhas G’Dom
Destaque Jovem Empreendedor – Dalca Brasil
Destaque Projeto Social – ONG Patas e Focinhos
Destaque Comércio Mais Antigo – A. Da Campo Calçados e Cia

Empresas dos municípios que integram a base territorial do Sindilojas
Boa Vista do Sul – Alvimar Comércio de Alimentos
Carlos Barbosa – Agroindústria Alimentícia Ferrari
Coronel Pilar – Voltys Climatização
Garibaldi – Jardim Gastronômico
Monte Belo do Sul – Vinhos Faé
Pinto Bandeira – Frutas Rubbo
Santa Tereza – Cachaçaria Velho Alambique
São Pedro da Serra – Serralheria São Pedro
São Valentim do Sul – Metalúrgica Bortolotto

Em Monte Belo do Sul – Vinhos Faé recebe homenagem Foto: Vinícius Lovera

Em Pinto Bandeira – Frutas Rubbo recebe a homenagem Foto: Vinícius Lovera

Prefeitura de Pinto Bandeira recebe caminhão caçamba

A Prefeitura Municipal de Pinto Bandeira recebeu um caminhão caçamba no valor total de R$ 250,000,00 que será usado para suprir a demanda da Secretaria de Obras e Agricultura Agricultura.
O veículo é decorrente da Emenda Parlamentar do Ministro Osmar Terra sem contrapartida da Prefeitura. Na oportunidade, o Prefeito Hadair Ferrari Maria falou de sua satisfação com essa conquista para o município, enfatizando que o caminhão vai fortalecer a capacidade operacional da Prefeitura no apoio de serviços prestados à comunidade.

Abertas as inscrições para serviços de horas máquinas terceirizadas em Pinto Bandeira

Foto: Almir Dupont

A Secretaria Municipal de Agricultura de Pinto Bandeira está com inscrições abertas, a partir do mês de novembro, para a realização de serviços de horas máquinas terceirizadas para 2020 nas propriedades rurais do município.
Os agricultores interessados devem comparecer na Prefeitura, e ficar atendo as seguintes observações:
•O Município subsidiará 60% do valor da hora, sendo no máximo 20 horas por grupo familiar;
•Para o direito as horas máquinas é preciso ter talão de produtor rural e não estar em dívida com o Município na data da realização do serviço;
•As horas máquinas são exclusivamente para os serviços descritos na Lei Municipal nº 215/2017;
•No momento da inscrição é preciso descrever o serviço a ser realizado e qual será a sua finalidade.