Curso de profissionalização de jovens viticultores tem mais uma etapa na Serra

Na próxima sexta-feira (04/10), o 4º módulo do Curso de Profissionalização de Jovens Viticultores, que aborda o estudo de fitopatias e a tecnologia de aplicação, será realizado na propriedade de Rodrigo Gandolfi, em Farroupilha. Na semana passada, a qualificação ocorreu na propriedade de Diego Ferla, em Coronel Pilar, reunindo também jovens de Imigrante e de Boa Vista do Sul (25/09), e na quinta-feira (26/09), na propriedade de Gean Carraro, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Cada curso tem a participação de cerca de 20 jovens agricultores.
O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Enio Todeschini, que ministrou os cursos, tratou da identificação, condições predisponentes, suscetibilidade das variedades e controle das fitopatias das vinhas. “Foram abordadas as principais doenças de início de ciclo vegetativo, como a antracnose ou varola, e as duas principais da cultura: a mufa ou míldio e a glomerella ou podridão da uva, além de novas fitopatias que começam a ocorrer na Serra Gaúcha”, relata Todeschini.
Outro tema trabalhado foi a tecnologia de aplicação de agroquímicos, visando a eficiência dos produtos, as dosagens e carências recomendadas. O agrônomo abordou a importância da qualidade da água e as principais características indesejáveis (turbidez, suspensão de areia, dureza e pH alto) e a importância da adequada regulagem do pulverizador para a obtenção de resultados satisfatórios. “Foi visto desde o manômetro (medidor de pressão), tipos de filtros, tipos e vazão dos bicos, entre outros”.
O Curso de Profissionalização de Jovens Viticultores teve início em março e se estende até janeiro de 2020, com a elaboração de vinhos. O 5º módulo está programado para novembro, em cada um dos grupos participantes, tendo como temas: enxertia herbácea, depósito de agrotóxicos, rastreabilidade e boas práticas agrícolas.