Comissão de inovação e tecnologia do CIC-BG compartilha dicas para empresas melhorarem posicionamento digital

Foto: Freepik

Em tempos de pandemia, todas as formas de evidenciar as empresas são importantes para trazer mais visibilidade e, assim, aumentar as chances de trocas comerciais. A internet está entre as grandes aliadas para impulsionar essa prática. No meio online, uma das táticas mais eficazes é melhorar o posicionamento da empresa no ranking do Google.
Para isso, há duas formas principais, ensina Rogério Tessari, diretor de Tecnologia do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), integrante do Comissão de Inovação e Tecnologia da entidade. Antes de tudo, é necessário entender que existe o ranking baseado em anúncios (Google Adwords), no qual é preciso comprar determinadas palavras-chaves, e o ranking orgânico (natural), baseado na relevância dos conteúdos gerados. “Em ambos os casos, um bom posicionamento vai permitir que você figure nas primeiras páginas de resultados. A diferença é que a performance orgânica não dependerá de investimento financeiro direto”, explica Tessari.
Essa pode ser a saída ideal para as empresas que estão com um caixa mais fragilizado neste momento, tendo em vista os reflexos da pandemia. Para potencializar e melhorar o posicionamento de um site em resultados orgânicos, é necessário investir em técnicas de SEO (Search Engine Optimization). Entre as mais comuns delas está a geração de conteúdo. “Não existe mágica, o principal caminho é apresentar informações relevantes e originais nos conteúdos que você produz, seja na página do seu site, nas informações do Google Meu Negócio, nos conteúdos do blog ou na descrição de um produto no e-commerce”, esclarece.
Site responsivo, aquele que se adapta a smartphone, tablet e qualquer outro dispositivo, com velocidade de carregamento, também ajuda a melhorar no ranking orgânico, assim como fazer referência para outros conteúdos no seu próprio site (internal links). Uma outra dica de Tessari é otimizar os títulos dos conteúdos e dos produtos. Chamadas construídas com delimitação entre 50 e 68 caracteres são importantes para influenciar na busca.
O diretor de Gestão e Inovação do CIC-BG, Vinícius Lavandoski Piva, lembra que podcasts e vídeos também costumam fazer com que as pessoas busquem informações no site com maior frequência. “Isso exige um pouco mais de tempo para gerar as informações, frequência, mas funciona muito bem também”, analisa Piva, lembrando que é necessário monitorar as ações. “É importante para saber qual era o posicionamento e como está sendo a evolução”.
Estar bem ranqueado no Google significa ganhar notoriedade na vitrine do mundo, já que é o principal buscador da internet. “Com um bom trabalho de SEO, você aparece bem posicionado na pesquisa e conquistará mais visitantes e, consequentemente, mais conversões em negócios”, diz Tessari.
Além do Google, é importante para as empresas estarem presentes nas redes sociais. É preciso estar ativo nesses canais, hoje importantes meios de comunicação e de vendas entre empresas e clientes, com posts frequentes de conteúdos específicos e de qualidade. “É importante saber qual o perfil do público que se quer alcançar, em qual rede a empresa está inserida, entender o que o público está gostando ou não nas publicações, gerar posts interativos, posts em que os seguidores vejam um valor e compartilhem as informações. Esses seriam alguns passos iniciais, claro que, com o tempo e a frequência, novas oportunidades e ações estarão aparecendo”, comenta Piva.