IFRS ofertará o primeiro Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia do País

O Brasil terá seu primeiro Curso de Mestrado em Viticultura e Enologia, o que representa uma perspectiva de qualificar ainda mais o setor vitivinícola, as práticas de gestão e os processos de inovação.
A proposta foi aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) nesta semana. Será um mestrado profissional, ofertado de forma associada entre os Institutos Federais do Rio Grande do Sul (IFRS) e de Santa Catarina (IFSC).
A aprovação da criação do Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia representa uma grande conquista para toda a comunidade do IFRS e em especial para a Serra Gaúcha. Esse mestrado é o primeiro do Brasil nesta área do conhecimento e proporcionará mais uma oferta qualificada de formação em nível de pós-graduação para a sociedade. Essa conquista certamente abrirá novas portas e demonstra a capacidade e o potencial de oferta de programas de pós-graduação de excelente qualidade no IFRS, com grande alinhamento com o mundo do trabalho e que proporcionará a verticalização dos cursos já ofertados no Campus Bento Gonçalves. Pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFRS, Eduardo Girotto.
O Campus Bento Gonçalves do IFRS é proponente e responsável pela gestão do curso, por meio da Comissão Acadêmica Geral composta por representantes de cada instituição associada. Dessa forma, destaca-se novamente como pioneiro na formação de profissionais para a área. Em sua origem, como Escola de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves, criada em outubro de 1959, formou a primeira turma de técnicos em 1962.
Posteriormente, em dezembro de 1994, obteve autorização para o funcionamento do primeiro Curso Superior de Tecnologia em Viticultura e Enologia do País. Foram disponibilizadas, então, 50 vagas por meio de processo seletivo, sendo que 25 ingressaram no primeiro semestre de 1995 e a outra metade no segundo. Naquela ocasião, sua denominação era Escola Agrotécnica Federal Presidente Juscelino Kubitschek (EAFPJK).
Em 2009 teve início o Curso de Especialização em Viticultura, criado quando a Instituição estava passando pelo processo de transição de Centro Federal de Educação Tecnológica de Bento Gonçalves (Cefet-BG) para Campus do IFRS.
A proposta de Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia que foi aprovada pela Capes tem previsão de oferta de 20 vagas por seleção anual, por instituição ofertante, totalizando inicialmente 40 vagas. Esta pós-graduação tem como objetivo promover a qualificação de profissionais para atuar no setor vitivinícola, desenvolvendo habilidades para identificação e solução de problemas, oportunizando aos mestrandos o intercâmbio de informações e experiências multidisciplinares voltadas à produção vitivinícola e seus desafios na esfera da gestão, da tecnologia e da inovação.

A verticalização da educação, otimizando a infraestrutura física, os quadros de pessoal e os recursos de gestão, é uma das características dos institutos federais. Desta forma, o estudante pode ingressar no ensino básico e fazer o percurso de formação acadêmica até a pós-graduação, em uma mesma área.
É uma conquista muito importante para o IFRS e para o IFSC, mas, sobretudo, para o setor Vitivinícola Brasileiro, no qual o Campus Bento Gonçalves tem uma atuação determinante ao longo de sua história, dado a sua concepção, a sua estrutura e, em especial, pelo excelente quadro de profissionais que atuam e que já passaram pelo nosso Campus. Parabéns a todos os envolvidos! Agora é trabalhar forte para a sua implantação.
Diretor-geral do Campus Bento Gonçalves, Rodrigo Otávio Câmara Monteiro.
O Campus está localizado na área central da cidade de Bento Gonçalves e dispõe de vinícola-escola com toda a estrutura para elaboração de vinhos, espumantes e sucos, laboratório de enoquímica, laboratório de microbiologia, laboratório de biotecnologia, laboratório de solos, laboratório de fitossanidade, laboratório de análise sensorial, laboratório de fisiologia e laboratório de mecanização. A Estação Experimental, localizada no distrito de Tuiuty, a aproximadamente 16 km da Sede, conta com vinhedos com variedades destinadas à elaboração de vinhos tranquilos, vinhos espumantes e sucos de uva.
Além disso o Campus Bento Gonçalves vem reforçando sua atuação no contexto dos Habitats de Inovação do IFRS. Já conta com o Click, espaço de inovação, e está estruturando o PIPA IFMakeRS, voltado à difusão da cultura maker, prototipagem rápida e fabricação digital. Do Click saiu o primeiro registro de patente do Campus, confirmando sua vocação em termos de inovação tecnológica e gestão.
É um orgulho para Bento Gonçalves receber o primeiro Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia do país. Associadas, as duas instituições, IFRS e IFSC, trazem ao Município o ápice da pesquisa e da inteligência de um setor que tem uma origem fortemente vinculada à tradição dos imigrantes, e um dos pilares da economia bento-gonçalvense. Que daqui saiam os melhores frutos para a inovação, modernização e crescimento do setor.
Prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin.

CAMPUS URUPEMA DO IFSC
Assim como o Campus Bento Gonçalves do IFRS, o Campus Urupema do IFSC também possibilitará ao estudante percorrer o itinerário formativo desde o Curso Técnico em Viticultura, passando pelo Curso Superior de Tecnologia em Viticultura e Enologia, até o Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia.
Localizada na Região Serrana de Santa Catarina, essa é a única instituição pública que oferta cursos na área naquele estado. Como instituição associada no Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia, através da coordenação local e do colegiado, também será responsável pela aplicação do processo seletivo, matrículas, trancamento, transferências, emissão de diplomas, desligamento e demais trâmites acadêmicos internos.
O Campus de Urupema do IFSC conta em sua infraestrutura com os laboratórios de Análise Físico-química de Alimentos, de Análise Sensorial, de Microbiologia e Biologia Molecular, de Gastronomia, de Frutas e Hortaliças, de Microvinificação, de Informática e Casa de Vegetação.
A aprovação deste curso junto à Capes é uma conquista importante para esta área que se encontra em constante evolução. A otimização dos processos no cultivo da uva e na produção de vinhos passa a ser uma realidade com as pesquisas a serem desenvolvidas a partir da implantação deste Mestrado. Para as serras catarinense e gaúcha onde o setor vitivinícola tem forte influência e que são atendidas pelo IFSC e IFRS este fato terá reflexos muito positivos ao longo dos próximos anos, sendo motivo de grande satisfação para as duas instituições que formalizam o início de uma grande parceria. Pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFSC, Ailton Durigon.

A notícia da aprovação do Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia foi recebida com grande alegria pelo Campus Urupema esta semana, pois essa oferta valoriza e consolida nossa atuação em ensino, pesquisa e extensão aplicada à vitivinicultura, desenvolvida desde 2015, a partir da implantação do curso de Tecnologia em Viticultura e Enologia. A participação do IFSC Campus Urupema de forma associativa ao IFRS Campus Bento Gonçalves, resultou em um projeto conciso, no qual as duas instituições somam competências na área da Viticultura e Enologia para a oferta de um programa de mestrado profissional inédito no Brasil. Assim, a proposta é aprimorar o conhecimento de profissionais da área e desenvolver pesquisas focados na gestão, tecnologia e inovação para o fortalecimento do setor vitivinícola brasileiro, a partir da proposta de duas linhas de pesquisa: 1) Tecnologias em viticultura e enologia; e, 2) Desenvolvimento e Sustentabilidade na Vitivinicultura.
Além de qualificar as pesquisas, tendo como ganho principal a transferência de conhecimento para a qualificação dos processos produtivos da uva e do vinho, o mestrado despertará a motivação dos egressos Tecnólogos em Viticultura e Enologia, em seguir sua trajetória educacional em um mestrado profissional, fortalecendo ainda mais a inter-relação entre a formação e as demandas do setor. Sem dúvidas será um ganho valioso e um marco histórico para a área vitivinícola no Brasil.
Diretora-geral do Campus Urupema do IFSC, Evelise Zerger.

INSTITUIÇÕES COLABORADORAS
As instituições associadas, IFRS e IFSC, na fase inicial poderão contar com entidades colaboradoras, com o propósito de qualificar o curso, entre elas as seguintes: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Assim, profissionais e docentes das instituições colaboradoras atuarão em encontros pontuais, participando em determinadas disciplinas ou mediante palestras em eventos realizados pelo Programa de Pós-graduação, contribuindo com o aprimoramento em temas específicos.

TRAJETÓRIA DA PROPOSTA ATÉ A APROVAÇÃO
Em 2015, o Campus Bento Gonçalves submeteu à Capes uma proposta de Mestrado em Enologia, contando com entidades colaboradoras (Ufrgs, UFPel, Unipampa e Embrapa) e apoio formal de instituições e associações do setor vitivinícola. No entanto, não se caracterizava como uma proposta em forma associativa.
Em setembro de 2016, em virtude da proposta apresentada no ano anterior não ter sido aprovada, foram reunidas as instituições envolvidas na primeira proposta para análise da avaliação feita pela Capes. A partir de então, ela foi totalmente redefinida e avaliada a possibilidade de construção de um Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia em forma associativa. Assim, entre os anos de 2017 a 2019 foram organizadas reuniões e sob coordenação da Diretoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, inicialmente sob a tutela da professora Camila Duarte Teles (in memoriam) e a partir de 2018 coordenada pelo professor Leonardo Cury da Silva. Esta nova proposta, no intuito de atender a demanda do setor vitivinícola, passou a caracterizar-se como programa interdisciplinar, com base em Ciências Agrárias mas também incluindo a área de Ciências Sociais Aplicadas, em especial a área de Gestão e Negócios, sob coordenação da professora Shana Sabbado Flores.
A Embrapa Uva e Vinho considera a implantação do Mestrado Profissionalizante em Viticultura e Enologia, através da integração de campi dos Institutos Federais, como uma importante iniciativa para ampliar a formação de profissionais qualificados para atuar no setor vitivinícola brasileiro. O mestrado irá complementar a formação que o Instituto oferece atualmente e que já começa no ensino médio e segue no superior. Parabenizamos essa iniciativa que fará a diferença na ampliação das pesquisas e na formação dos profissionais.
Chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho, Marcos Botton.
A proposta apresentada à Capes foi fruto de um longo trabalho do grupo de professores e pesquisadores envolvidos na proposta, baseado nas melhores práticas na área, uma vez que a abordagem interdisciplinar para uva e vinho é uma tendência observada no contexto internacional. O curso inova em seu caráter interdisciplinar, estruturado em duas linhas de pesquisa que propõem um olhar integrado sobre as problemáticas do setor: tecnologias em viticultura e enologia e desenvolvimento e sustentabilidade na vitivinicultura. Além disso, estão presentes como temas transversais o empreendedorismo e a inovação. O curso terá apoio dos ambientes de inovação do IFRS, como o Click, espaço de inovação do Campus Bento Gonçalves e o PIPA IFMakeRS, espaço maker em estruturação, fomentando a aprendizagem baseada em problemas, a inovação em produtos e processos e a transferência de tecnologia. É importante é ressaltar que tivemos uma ótima avaliação pela Capes na proposta atual.
Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Viticultura e Enologia, Shana Sabbado Flores.

PERFIL DO INGRESSANTE NO CURSO
Profissionais graduados nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas ou Ciências Agrárias, com experiência comprovada no Setor vitivinícola em atividades vinculadas à viticultura, enologia, enoturismo ou gestão vitivinícola.

ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL FORMADO
Ao finalizar o curso o egresso terá as habilidades e competências para resolução de problemas no setor vitivinícola, especialmente:
aprimorar práticas, processos e tecnologias atualizadas no setor vitivinícola;
identificar e utilizar com maior eficiência as técnicas usuais e novas tecnologias para o manejo de pragas e doenças da videira;
aumentar sua capacidade de estruturar modelos de negócios no setor vitivinícola;
incentivar reflexão crítica na busca de fundamentação visando a adoção de práticas utilizadas na viticultura;
mostrar ao profissional a importância de sempre manter o interesse em propor transformações nas empresas em que atuam com vistas à inovação;
reforçar a necessidade do sinergismo entre produção e estruturas de mercado e identificar oportunidades estratégicas de ampliação e diversificação do negócio;
que o egresso seja um profissional ainda mais capaz de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, valorizando as potencialidades locais através da proposição de produtos e serviços vinculados à uva e ao vinho;
que o egresso seja um ente ativo para que os produtos da vitivinicultura aumentem sua participação no mercado nacional e internacional.
A evolução do vinho brasileiro passa pelas mãos de enólogos, engenheiros e técnicos agrônomos e por milhares de famílias que vivem do cultivo da uva. A cultura do vinho está enraizada no cerne da nossa gente e o conhecimento é a ferramenta capaz de continuar guiando nossas ações para o avanço permanente da qualidade dos vinhos e espumantes brasileiros. Nossas vinícolas estão equipadas com a melhor tecnologia do mundo e nossa mão de obra é reconhecida pelo talento de nossos profissionais que vêm engarrafando grandes vinhos. Este Mestrado chega num momento decisivo para o setor, que avança a passos largos conquistando o Brasil e o mundo. Não temos dúvida de que este é o caminho. Somente com estudo e pesquisa podemos compreender a natureza e o quanto e como devemos agir para expressar o que ela tem de melhor. Que este Mestrado Profissional em Viticultura e Enologia tenha vida longa e proporcione ao vinho brasileiro um futuro ainda mais promissor.
Presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Deunir Luis Argenta.