Turismo Rural, uma alternativa que exige cuidados nesse momento de pandemia

Foto reprodução da capa do Hotsite do Turismo Rural no RS

Nesse momento de isolamento social físico, em função da pandemia de Covid-19, e quando muitas pessoas programam suas férias e saídas de final de ano, a orientação da Emater/RS-Ascar é de que visitas a pontos turísticos sejam suspensas, ou realizadas com muita prudência, de forma a evitar possíveis contaminações pelo Coronavírus. Assim, mesmo o Turismo Rural sendo uma importante atividade econômica, que pode gerar renda extra para empreendedores em todas as regiões do Estado, sua prática deve obedecer aos protocolos de segurança, evitando expor principalmente as pessoas do grupo de risco, ou seja, com mais de 60 anos e com histórico de doenças crônicas, como asma, diabetes ou hipertensão.
Sobre cuidados dos trabalhadores rurais, quando prestarem atendimento turístico, é preciso observar que “o uso de máscaras é muito importante no atendimento aos turistas e nas visitas, assim como lavar mãos e braços com água e sabão e fazer uso constante de álcool gel 70%”, orienta a extensionista rural e turismóloga da Emater/RS-Ascar, Fernanda Costa da Silva, que destaca ainda a necessária higienização de itens de uso pessoal, trocando, por exemplo, calçados e roupas antes de interagir com os familiares e outras pessoas.
Outros cuidados imprescindíveis na recepção de turistas, caso o empreendedor opte por atender nesse período, é dar preferência a atividades ao ar livre, mantendo o distanciamento entre as pessoas, não ter contato físico, como aperto de mão ou abraços, nem compartilhar o chimarrão. Para o pagamento por produtos ou serviços, a dica é priorizar o uso de cartão ou depósito bancário.
Fernanda também sugere a coleta de dados dos visitantes, notificando datas de chegada e saída, “de forma a possibilitar acompanhar o estado de saúde deles e, caso necessário, informar qualquer alteração do seu estado de saúde à unidade local responsável”, observa.
“Ao programar um passeio ou uma visita, é importante esclarecer dúvidas e particularidades sobre o atendimento”, aconselha. “Se estiver febril, tossindo, espirrando, com falta de ar ou com indisposição, fique em casa. O importante é ter atenção a sua saúde”, observa Fernanda.
A extensionista também avalia que o momento é propício para planejar, estudar e organizar os dados dos turistas e clientes. “Estamos à disposição para passar as atualizações legais que podem auxiliar os nossos assessorados nesse momento e dispomos de materiais prontos para fornecer, que orientam tanto turistas como trabalhadores do segmento”, ressalta Fernanda, ao indicar também a playlist Capacitação em Turismo Rural, disponível no canal da Emater/RS-Ascar no YouTube (Rio Grande Rural), que oferece vídeos sobre Planejamento do Turismo Rural no Cenário de Crise, Trilhas, Alimentação e Eventos, Turismo Cultura e Étnico, Caminhadas na Natureza, Passos Iniciais e Roteirização.
Para turistas que pretendem realizar algum deslocamento motivado pelo consumo da ruralidade, a dica é consultar o Hotsite de Turismo Rural do RS, que, em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), apresenta propriedades com as quais os consumidores podem realizar contato direto com os empreendedores, para um melhor planejamento do período de folgas de final de ano e de férias. O Hotsite pode ser acessado no http://www.emater.tche.br/site/turismo-rural/index.php.

Linha de vinho frisante cresce 130% nas vendas em 2020

Relax, da Cooperativa Vinícola Garibaldi, dobrou a produção no comparativo com ano anterior

Linha de vinho frisante cresce 130% nas vendas em 2020

O segundo lote da linha Relax, vinho frisante revitalizado pela Cooperativa Vinícola Garibaldi, chegou ao mercado em novembro com 16 mil caixas entregues ao varejo. O produto estava esgotado desde setembro – quando o sucesso nas vendas fez desaparecer, em cerca de um mês, todo o estoque da bebida. A produção – e os negócios – com a linha Relax foram 130% maiores em 2020 no comparativo com o desempenho em 2019. E os resultados poderiam ser ainda melhores – há demanda, mas novos envases neste ano foram descartados pela falta de garrafas.
“Ficamos realmente impressionados com o desempenho do produto nas gôndolas. Temos o case de um cliente em São Paulo que, em um único dia, vendeu todas as 300 garrafas que havia adquirido”, conta o gerente de Marketing, Maiquel Vignatti. Da parceria entre os departamentos de marketing, comercial e técnico da cooperativa, mais a expertise da agência de design Philogus, nasceu o trabalho de reposicionamento do produto, contemplando a revitalização do rótulo e da proposta de comunicação, que conversa com a inspiração do mundo fashion para atrair a atenção dos jovens consumidores e, também, identificar a bebida como opção de consumo descomplicada, ideal para o happy hour, uma confraternização em casa, beira da piscina e quaisquer outras situações casuais.
Soma-se ao acerto da estratégica comercial a qualidade do produto como fator decisivo para a bebida estar conquistando tantos adeptos. O Relax da Cooperativa Vinícola Garibaldi foi eleito o melhor rosé do Brasil, na avaliação da 9ª edição da Grande Prova Vinhos do Brasil. O vinho do tipo frisante foi o vencedor na categoria Rosé, conquistando a medalha duplo ouro.
Para 2021, o planejamento da Cooperativa Vinícola Garibaldi prevê novo incremento no volume de produção para o Relax e, ainda, adição de um novo rótulo à família dos vinhos frisantes.

Enólogos passam a contar com Banco de Dados de Espumantes

ABE garante sigilo absoluto para uso inteligente e exige termo de responsabilidade dos enólogos para uso exclusivo

Foto: Jeferson Soldi

‘Todo vinho tem marca. A marca da dedicação de um enólogo’. Esta é a bandeira da Associação Brasileira de Enologia (ABE), que desde 1976 não mede esforços para garantir aos seus associados ferramentas capazes de ampliar o conhecimento técnico em cada etapa do processo de elaboração de vinhos e espumantes. Levando em consideração que o espumante é a bebida que abriu as portas do Brasil para o mundo, a entidade aproveitou o 11º Concurso do Espumante Brasileiro, realizado em outubro do ano passado, para estartar um projeto ousado e único no mundo, com dados gerais do produto. É o Banco de Dados do Espumante Brasileiro, que será lançado dia 26 de novembro durante uma live restrita aos enólogos que fazem parte do quadro social da ABE.
O projeto tem como objetivo central propiciar o acesso de informações técnicas em torno da bebida. O estudo levou em conta mais de 250 amostras em diversas categorias como Brut, Extra Brut, Nature, Rosé Brut e Moscatel, todas inscritas no concurso. As informações de marca comercial e da empresa que elaborou os espumantes são estritamente confidenciais, e os enólogos terão acesso só aos dados analíticos e outros parâmetros solicitados por ocasião da inscrição das amostras. Isso porque o objetivo é gerar um panorama do espumante brasileiro para que os profissionais possam conhecer ainda mais esta bebida que conquistou o mundo. Por meio de gráficos e análises estatísticas simples pode-se obter uma radiografia do espumante brasileiro apresentadas no 11º Concurso do Espumante Brasileiro.
Para tirar o projeto do papel foi necessário buscar um parceiro técnico capaz de dar todo suporte necessário para analisar as informações. O Laboratório Lavin, com expertise no ramo por meio de tecnologia de ponta e uma equipe de especialistas de diferentes competências e qualificações, é o partner da ABE no processo. Acreditado pelo Inmetro e reconhecido pela Rede Metrológica para ensaios da ABNT, o Lavin foi decisivo para concretizar o projeto. O Banco de Dados reúne informações do espumante brasileiro como acidez total, pH, pressão, álcool, açúcares redutores, tempo em tanque, tempo em garrafa, entre outros.
“Este é mais um serviço que a ABE disponibiliza aos enólogos associados. Apostamos nesta iniciativa porque temos certeza de que o vinho brasileiro vive um momento histórico que é reflexo de todos os investimentos feitos até hoje pela indústria nacional, desde o vinhedo até o mercado. E o enólogo, protagonista desse processo, é parte fundamental para garantir a continuidade da evolução do setor”, destaca o presidente da ABE, enólogo Daniel Salvador.

Programa Aprendiz Cooperativo do Campo, da Vinícola Aurora, ganha reconhecimento nacional

A empresa de Bento Gonçalves foi finalista na categoria Comunicação e Difusão do Cooperativismo, no Prêmio SomosCoop Melhores do Ano, promovido pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB)

Aprendiz Cooperativo do Campo conquistou o terceiro lugar no Prêmio SomosCoop Melhores do Ano, que valoriza iniciativas de cooperativas que beneficiam seus associados e à comunidade. Foto: Divulgação

O programa Aprendiz Cooperativo do Campo – realizado pela Vinícola Aurora, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande Do Sul (Sescoop/RS) – foi finalista da categoria Comunicação e Difusão do Cooperativismo, no Prêmio SomosCoop Melhores do Ano. A distinção é promovida a cada dois anos pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), como forma de reconhecimento à criatividade, à visão e aos resultados obtidos aos seus cooperados e à comunidade ao longo do biênio. A cerimônia de premiação ocorreu no entardecer desta terça-feira (24), com transmissão ao vivo pelo YouTube do Sistema OCB.
No total, 320 cooperativas, de Norte a Sul do país inscreveram 595 cases, que foram avaliados por uma comissão julgadora formada por 63 integrantes.
“Estamos muito orgulhosos por sermos finalistas, e a terceira colocação na categoria Comunicação e Difusão do Cooperativismo, do Prêmio SomosCoop Melhores do Ano, mostra que estamos no caminho certo. É um importante reconhecimento, pois concorremos com outras centenas de projetos de cooperativas brasileiras. O Aprendiz Cooperativo do Campo não visa apenas a continuidade da nossa cooperativa, mas a preservação da atividade vitivinícola no futuro”, celebra o presidente do Conselho de Administração da Vinícola Aurora, Renê Tonello, que também é associado da Aurora desde 1980.
Desde 2017, o Aprendiz Cooperativo do Campo estimula a permanência dos jovens nas atividades do meio rural, promove a sucessão familiar e incentiva o aumento do quadro social das cooperativas. A iniciativa é voltada para jovens de 14 a 24 anos incompletos, filhos de cooperados, e abrange aulas teóricas e práticas na propriedade. Em virtude da pandemia, neste ano, parte do curso foi realizada através do ensino à distância, de forma virtual.
Em três anos, duas turmas foram formadas e em 2020 haverá a conclusão de mais um grupo. Ao todo, cerca de 60 estudantes já foram contemplados no Aprendiz Cooperativo do Campo. Do total, aproximadamente 90% afirmaram que irão dar continuidade ao ofício da família.
A Aurora conta com 1,1 mil famílias cooperadas, presentes em 11 municípios da Serra Gaúcha: Bento Gonçalves, Veranópolis, São Valentim do Sul, Guaporé, Cotiporã, Monte Belo do Sul, Santa Tereza, Pinto Bandeira, Vila Flores, Farroupilha e Garibaldi. Os associados produzem mais de 60 variedades de uvas, que são cultivadas em 2,8 mil hectares. A cooperativa também é a maior e mais premiada vinícola do Brasil.

Hadair Ferrari, do MDB, é eleito prefeito de Pinto Bandeira

Hadair Ferrari, do MDB, foi eleito, neste domingo (15), prefeito de Pinto Bandeira (RS) para os próximos quatro anos. Ao fim da apuração, Hadair Ferrari teve 63,28% dos votos. Foram 1.272 votos no total. O candidato derrotou João Pozzatti, que ficou em segundo lugar com 36,72% (738 votos).
A eleição em Pinto Bandeira teve 11,66% de abstenção, 0,97% votos brancos e 1,5% votos nulos.
Hadair Ferrari tem 60 anos, é casado, tem superior incompleto e declara ao TSE a ocupação de administrador. Ele tem um patrimônio declarado de R$ 2.308.349,58. O vice é Adilso Salini, do MDB, que tem 52 anos.
Os dois fazem parte da coligação Nosso Compromisso É Pinto Bandeira, formada pelos partidos MDB e PSB.
Veja o resultado após o fim da apuração:
Hadair Ferrari – MDB – 63,28%
João Pozzatti – PDT – 36,72%

Resultados para Vereador em Pinto Bandeira
1º Nildo MDB ELEITO 176 8,82%
2º Cris Fachin MDB ELEITO 169 8,47%
3º Cesar A. Tumelero MDB ELEITO 147 7,37%
4º Adair Rizzardo PP ELEITO 135 6,77%
5º Valdir Coghetto MDB ELEITO 132 6,62%
6º José Maria PSB ELEITO 126 6,32%
7º Luciane Pichler Arcari MDB ELEITO 118 5,91%
8º Maria Inês Pagno PDT ELEITO 109 5,46%
9º Aline de Toni PDT ELEITO 106 5,31%

Dallé, do MDB, é eleito prefeito de Monte Belo do Sul

Foto: Marlove Perin

Dallé, do MDB, foi eleito, no domingo (15/11), prefeito de Monte Belo do Sul (RS) para os próximos quatro anos. Ao fim da apuração, Dallé teve 69,48% dos votos. Foram 1.801 votos no total. O candidato derrotou Lirio Turri, que ficou em segundo lugar com 30,52% (791 votos).
A eleição em Monte Belo do Sul teve 9,12% de abstenção, 1,54% votos brancos e 3,16% votos nulos.
Dallé tem 56 anos, o vice é Benvenutti, do MDB, que tem 56 anos.
Veja o resultado após o fim da apuração:
Dallé – MDB – 69,48%
Lirio Turri – PTB – 30,52%

Resultados para Vereador emMonte Belo do Sul

1º Eder A Zaffari MDB 364 13,86%
2º Pauleti MDB 281 10,70%
3º Ana M S Bruschi MDB 181 6,89%
4º Aluisio Corbelin PTB 162 6,17%
5º Ademir Ferro PTB 148 5,63%
6º Nadia Faé MDB 139 5,29%
7º Bombassaro MDB 137 5,22%
8º Lademir Moro MDB 134 5,10%
9º Alvaro Manzoni MDB 115 4,38%

Carrinho Agas 2020 vai reconhecer 26 empresas na próxima segunda-feira (30)

Evento homenageará profissionais que trabalharam na linha de frente durante a pandemia. Com sorteio de 10 iPhones e show de sertanejo Joel Carlo, o formato da distinção será virtual

Tradicionalmente realizado de forma presencial, no final de cada ano, com o objetivo de homenagear empresas e personalidades escolhidas pelos supermercadistas gaúchos como destaques em suas atividades, o Carrinho AGAS 2020 ocorrerá no formato online pela primeira vez em 36 anos de história, na próxima segunda-feira (30), a partir das 21h30, através do canal da entidade no YouTube (www.youtube.com/AGASPoaRS). Em sua primeira edição 100% digital, adotada em função do distanciamento social imposto pela pandemia de covid-19, o evento promoverá uma homenagem a todos os gestores e colaboradores de empresas da cadeia do abastecimento que trabalharam na linha de frente durante a pandemia. “Será um Carrinho AGAS de múltiplas homenagens. Além de distinguir as 26 empresas escolhidas pelos supermercados gaúchos por sua atuação, o evento será uma grande homenagem a trabalhadores de supermercados, indústrias, propriedades rurais, distribuidores, atacados e imprensa, que mantiveram suas atividades ao longo de 2020 e garantiram a continuidade do abastecimento das famílias gaúchas”, explica o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados, Antônio Cesa Longo.
A escolha dos 26 agraciados ocorreu através de votação direta por parte dos 200 maiores supermercados do Estado, que levaram em conta critérios como responsabilidade social na pandemia, share de mercado, qualidade dos produtos ou serviços, relacionamento com o varejo, índices de ruptura, capacidade de inovação e cumprimento de prazos de entrega. O recebimento simbólico dos troféus pelos agraciados será realizado por vídeo, com diretores da AGAS parabenizando os 26 campeões de 2020.
Sorteio de iPhones e show de Joel Carlo – Buscando contemplar todos os trabalhadores de supermercados e da cadeia do abastecimento, a AGAS irá sortear entre os inscritos no evento dez smartphones da Apple. Para concorrer, basta garantir a pré-inscrição no site www.agas.com.br e estar conectado à cerimônia de entrega dos troféus na noite do dia 30 – os contemplados deverão entrar em contato com a Associação através de um telefone, que será divulgado durante o evento, para receberem a premiação. Além da entrega das distinções, a AGAS promoverá um show com um dos expoentes na nova música sertaneja nacional, o gaúcho Joel Carlo. O cantor ficou popularizado pelas lives intituladas “Churrasco & Modão”, realizadas através das redes sociais durante a pandemia. “A ideia é oportunizar um momento de descontração e atrair diferentes públicos da cadeia do abastecimento para esta grande noite de homenagens”, pontua Longo.
Saiba quem são os agraciados – Nesta edição do Carrinho AGAS, a Associação Gaúcha de Supermercados optou por não distinguir personalidades públicas ou gerentes que se destacaram por suas vendas. “Entendemos que este é um ano de sobrevivência para alguns setores, em que devemos restringir nossas homenagens aos heróis da pandemia”, conclui Longo. Entre os agraciados do dia 30 de novembro, duas empresas receberão o Carrinho AGAS pela primeira vez: a Pedigree/ Mars, campeã na categoria Melhor fornecedor de Rações Pet; e a Cia. Zaffari, vencedora na categoria Responsabilidade Social, criada neste ano para valorizar o trabalho e engajamento do setor supermercadista com as comunidades em que atua durante a pandemia. “Assim como a Cia. Zaffari aportou milhões de reais na construção de hospitais, aquisição de respiradores e outras ações sociais, muitas empresas do setor agiram localmente, dentro de suas possibilidades, entregando refeições ou cestas básicas nas regiões em que atuam. O prêmio à Cia. Zaffari, referência para todos nós do ramo de supermercados, é uma homenagem também a todas as empresas do setor que mostraram participação social e sua essencialidade durante a pandemia”, explica Antônio Cesa Longo.
A exemplo dos últimos anos, a maioria dos agraciados (61%) é formada por empresas gaúchas. Conheça todos os vencedores do Carrinho AGAS 2020:

CATEGORIAS GANHADOR

1 Melhor fornecedor de Queijos Cooperativa Santa Clara

2 Melhor fornecedor de Biscoitos Isabela

3 Melhor fornecedor de Massas Orquídea

4 Melhor fornecedor de Mercearia Commodities Fröhlich

5 Melhor fornecedor de Cafés e Matinais Nestlé

6 Melhor fornecedor de Balas e Doces Mondeléz

7 Melhor fornecedor de Chocolates Neugebauer

8 Melhor fornecedor de Conservas Conservas Oderich

9 Melhor fornecedor de Barras de Cereais Ritter

10 Melhor fornecedor de Sucos em Pó Trink/ Parati

11 Melhor fornecedor de Sucos Prontos Suvalan

12 Melhor fornecedor de Refrigerantes Coca-Cola Femsa Brasil

13 Melhor fornecedor de Águas Minerais Água da Pedra/ Bebidas Fruki

14 Melhor fornecedor de Cervejas Ambev

15 Melhor fornecedor de Espumantes Cooperativa Vinícola Garibaldi

16 Melhor fornecedor de Vinhos Cooperativa Vinícola Aurora

17 Melhor fornecedor de Higiene e Beleza Unilever

18 Melhor fornecedor de Produtos de Limpeza Girando Sol

19 Melhor fornecedor de Papéis Mili

20 Melhor fornecedor de Bazar Mor

21 Melhor fornecedor de FLV Silvestrin

22 Melhor fornecedor de Rações Pet Pedigree/ Mars

23 Melhor fornecedor de Leites Elegê/ Lactalis

24 Melhor fornecedor de Energéticos Baly/ Bebidas Grassi

25 Distribuidor do Ano Oniz Distribuidora

26 Responsabilidade Social Cia Zaffari

O setor no RS
O segmento de supermercados no RS conta com 4,9 mil lojas e emprega diretamente 104 mil pessoas. O faturamento bruto do setor em 2020 deverá atingir os R$ 35 bilhões, representando cerca de 7% do PIB Estadual e 41% do total faturado pelo setor na Região Sul do País.

Serviço
O quê: Solenidade de entrega do troféu Carrinho Agas 2020
Quando: Segunda-feira, 30 de novembro, a partir das 21h30
Onde: YouTube AGAS (www.youtube.com/AGASPoaRS)
Inscrições: gratuitas pelo site www.agas.com.br

Com investimento superior a R$ 300 mil, AgroD sela parceria que vai auxiliar na gestão das propriedades rurais

Empresa caxiense se une à Domper, de Vacaria, para a integração de novos módulos e funcionalidades do software que leva soluções do campo até a mesa dos consumidores

Uso do aplicativo tem auxiliado produtores no manejo em todas as etapas Crédito: Tauê Hamm

A empresa caxiense AgroDTech acaba de fechar parceria com a Domper Sistemas para a integração de novos módulos e funcionalidades do software de rastreabilidade e gestão no campo. A parceria com o empreendimento que tem sede em Vacaria busca proporcionar soluções de ponta a ponta para os produtores rurais. Com essa integração, os usuários do AgroD passam a contar com soluções para nota fiscal eletrônica de produtor rural, soluções para gestão e rastreabilidade em packing e uma série de novas funcionalidades para gerenciamento de custos.
Com investimento que passa de R$ 300 mil em pouco mais de dois anos de atuação, a AgroDTech se especializou no atendimento das principais necessidades dos produtores de uva, pêssego, morango, maçã e hortículas. Desde a assistência técnica, até o desenvolvimento do aplicativo AgroD, que tem sido usado para a gestão das propriedades rurais e também para o atendimento da exigência de rastreabilidade de todos os produtos, a caxiense AgroDTech passa a contar com a estrutura da Domper para novos desenvolvimentos, atualizações do software, além da integração com as ferramentas que a empresa vacariense já possui para o agronegócio.
A Domper tem uma trajetória de duas décadas como empresa especializada em sistemas de gestão empresarial e de packing na fruticultura. As soluções para a fruticultura, que incluem rastreabilidade no recebimento e movimentação em packing, gestão de estoque de frutas classificadas e em bins, controle de qualidade, controles de bins vazios, gestão financeira, entre outros, passam a incorporar os serviços já atendidos pelo software AgroD. Entre eles, estão as informações de rastreabilidade na etapa de campo, ou seja, informações sobre o uso de insumos e tratos culturais em todas as etapas do manejo.
“A tecnologia é muito dinâmica e com essa parceria com a Domper ganhamos em questões importantes relacionadas à pesquisa, desenvolvimento e atualização do software. Com a integração do AgroD com o software Domper Fruticultura, passamos a oferecer soluções desde caderno de campo digital e rastreabilidade até gestão de packing e de comércio exterior, atendendo de ponta a ponta as necessidades do produtor rural”, antecipa a sócia da AgroD, Janine Basso Lisbôa.
Janine explica que a parceria une a expertise da AgroD no trabalho de campo com a experiência, tecnologia e estrutura da Domper, permitindo a ampliação da atuação de ambas as empresas no mercado. “Nossa projeção é dobrarmos o número de produtores atendidos em 2021”, almeja.
Para o diretor comercial da Domper, Marcelo Boeira, a parceria com a AgroD vai permitir que o produtor saiba de forma exata o custo de cada fruta, ou outra cultura que desejar, o que é inédito em ferramentas deste tipo.
“Essa integração com a AgroD nos dá condições de saber qual é a lucratividade da produção, além de unir numa única ferramenta as soluções para que o seu produto chegue no mercado. Desde a parte de campo, que foi desenvolvida pela AgroD nos últimos anos, aliando à nossa experiência no desenvolvimento de softwares mais voltados para classificação, armazenamento e distribuição, só temos a ganhar e expandir ainda mais essa ferramenta”, projeta Boeira.

Os sócios da Domper, Marcelo Boeira e Eduardo Silva, ao lado dos diretores da AgroDTech, Janine Basso Lisbôa e Tauê Hamm Crédito: Divulgação

Sobre o AgroD
Desde 2018 no mercado, o software AgroD tem ajudado centenas de produtores de frutas e hortaliças, além de vitivinicultores. A ferramenta funciona como um caderno de campo digital, substituindo as antigas anotações sobre uso de agroquímicos e fertilizantes, com o objetivo de comprovar o uso correto destes insumos.
Todo o manejo dos pomares e as colheitas são registradas através de aplicativo para smartphone, que funciona de forma off-line, trazendo economia de tempo e praticidade ao dia a dia do produtor rural. O AgroD gera automaticamente relatórios de rastreabilidade dos produtos e também etiquetas com QR Code, atendendo à Instrução Normativa (INC 2/2018), que exige a rastreabilidade e identificação de vegetais frescos.

Variedades precoces de pêssego estão na maturação e colheita

Na região de Soledade, variedades precoces de pêssego estão em maturação e colheita. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e publicado pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar na quinta-feira (29/10), as variedades de ciclo médio e tardio encontram-se em fase de formação de frutos e está sendo feito o raleio de frutos, favorecendo a qualidade dos mesmos e o processo de comercialização. Em função das geadas tardias houve o abortamento de frutos em algumas variedades e localidades, o que pode acarretar em redução da produção.
Na região de Pelotas, as condições do clima favorecem a cultura, alguns dias com chuvas seguidos de outros ensolarados, com temperaturas em elevação durante o dia, impactam o bom desenvolvimento e a frutificação plena dos pomares. Colheita em finalização para as cultivares Precocinho, Pampeano e Libra. Na sequência, começará a das cultivares Bonão e Sensação. Na região de Porto Alegre, a colheita chega a 10% da safra no município sede, com indicadores de boa qualidade de frutas. A maioria dos pomares de pêssego continuam na fase de crescimento do fruto. Os períodos de sol facilitaram os tratos culturais. No Vale dos Sinos, foi relatado que as frutíferas começam a apresentar sintomas da escassez de água no solo, preocupando produtores; muitas plantas estão enrolando as folhas, para diminuir a insolação e perda de água.

CULTURAS DE INVERNO
A ausência de chuvas durante mais uma semana favoreceu a colheita do trigo no Rio Grande do Sul, avançando 29% e chegando à colheita de 60% do total da área cultivada no Estado, equivalente a 550 mil hectares. Além de favorecer a colheita, a falta de chuvas também acelerou o ciclo da cultura. Na regional de Santa Rosa, a colheita se encaminha para o final, chegando a 82%. O restante das áreas deve ser colhido nesta semana.
Está concluída a colheita dos 1.729 hectares na regional de Frederico Westphalen. A falta de chuva no ciclo final da cultura causou perdas de 40% na produtividade, ficando em 917 quilos por hectare. O município com maior área foi Palmeira das Missões, com 900 hectares. Na de Soledade, também está finalizada, com produtividade consolidada de 1.100 quilos por hectare.

CULTURAS DE VERÃO
O tempo seco na maioria das regiões produtoras de soja no Estado paralisou a implantação da cultura; a atividade foi retomada apenas naquelas onde ocorreram precipitações na semana. As lavouras apresentam redução no crescimento e o plantio está atrasado, chegando apenas a 7% da área total estimada, sendo que no mesmo período do ano passado o plantio já atingia 11%.
Em regiões do Estado localizadas mais a Oeste e ao Sul, onde ocorreram precipitações, já há sinais de recuperação das condições de umidade do solo e agricultores podem dar continuidade ao plantio do milho, que já chega a 72% da área total estimada. Já nas regiões onde o tempo seco continuou, a cultura apresenta redução no potencial produtivo, principalmente nas lavouras em floração. Segue a semeadura de arroz nas regiões produtoras do Rio Grande do Sul. As condições são favoráveis à atividade, que chegou a 78% do total da área estimada.

OLERÍCOLAS
Na região de Ijuí, o clima quente e seco da semana prejudicou o desenvolvimento das olerícolas cultivadas a campo, culturas como mandioca, abóbora e batata-doce apresentam crescimento lento e morte de plantas. Reduz a produção de folhosas, em especial alface, com várias estufas danificadas pelo granizo ocorrido em setembro no município de Ijuí, que concentra a maior área cultivada em ambiente protegido. Inicia a colheita da cebola, com boa produtividade; área pouco expressiva. Aumentou a incidência de ataque de tripes, mosca branca e ácaros em todas as culturas. As atividades de semeadura e transplante das culturas planejadas demandam grande necessidade de suprimento de irrigação e proteção inicial das plantas para evitar morte de mudas. A diminuição do volume dos reservatórios de água para irrigação é uma situação que preocupa os produtores.

BOVINOCULTURA DE LEITE
A atividade segue apresentando duas realidades distintas em função das condições do tempo no último período. Nas regiões mais ao Norte do Estado, a produção de leite apresentou declínio devido às altas temperaturas, que causaram uma condição de estresse térmico aos animais durante o dia e prejudicaram a qualidade das pastagens. Com isso os produtores utilizam as reservas de silagem de milho destinadas ao próximo outono.
Nas regiões mais ao Sul do Estado, a produção de leite se manteve crescente. As chuvas, apesar da pouca quantidade, auxiliaram na recuperação das pastagens, aumentando a disponibilidade de alimento. Porém as temperaturas acima dos 30 graus causaram desconforto térmico aos animais, que reduziram o tempo de pastoreio.

Serra começa a colher as lavouras de alho

A colheita do alho já iniciou na região da Serra. Na atual safra, foram plantados 1.200 hectares, em 480 propriedades rurais, o que representa um aumento de cerca de 10% em relação a 2019, estimulado pelo preço acima da média atingido pelo produto na safra passada. A estimativa da Emater/RS-Ascar é que sejam colhidas 13.200 toneladas do bulbo em 2020, gerando uma receita bruta de aproximadamente R$ 132 milhões para os agricultores.
Na região da Serra, a variedade cultivada é a São Valentin, um alho tardio, roxo, nobre e de sabor picante, características acentuadas em função do clima e do solo da região, com bastante acúmulo de horas de frio. A colheita deverá se estender até meados do mês de dezembro, apresentando bom rendimento e com bulbos bem formados e firmes. Todo o alho colhido é armazenado em galpões específicos e amplamente ventilados para possibilitar a cura dos bulbos.
Conforme o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Enio Todeschini, a última semana, de clima seco, noites frias e bastante insolação, favoreceu o desenvolvimento e manutenção da sanidade das lavouras. “A continuidade da deficiência hídrica vem sendo suprimida pela irrigação, fator indispensável para as plantas expressarem todo o seu potencial produtivo. Com algumas raras exceções, todas as lavouras já são planejadas e implantadas com a disponibilidade de sistemas de irrigação, notoriamente, o por aspersão, o que dá segurança aos produtores”, frisa.
Crédito foto: Divulgação Emater/RS-Ascar