Tramontini investe no mercado de tratores de montanha

Loja em Bento Gonçalves será inaugurada no dia 15 de outubro (Foto: Divulgação)

A primeira loja da Serra Gaúcha, aberta em Bento Gonçalves, se destaca pelos tratores para agricultura em locais de difícil acesso, desenvolvidos para dar maior segurança ao operador.  Essa loja vem para consolidar os 4 anos de sucesso em vendas que a TramontiniAntonio Carraro vem conquistando em todos os municípios da Serra Gaúcha além de Minas Gerais e Santa Catarina.
A parceria Tramontini e Antonio Carraro iniciou em 2016, com a busca pela introdução no mercado brasileiro dos tratores especiais para cultivos em regiões montanhosas. De olho em um nicho de mercado bastante específico, os tratores para regiões montanhosas, fizeram com que a fabricante gaúcha Tramontini investisse em uma revenda da marca italiana Antonio Carraro no Estado. Um mercado literalmente com alto potencial no Rio Grande do Sul.

Segundo o Gerente Comercial da Tramontini, Everton Coutinho, “objetivo é de estar cada vez mais próximo do produtor e mostrar que existe uma tecnologia voltada para agilidade nas manobras, estabilidade nos terrenos acidentados, versatilidade no deslocamento e conforto ao operador. Por isso, trabalhamos com a possibilidade de abrir novas unidades em cidades vizinhas” salienta Coutinho.

Desenvolvidos para dar maior segurança ao operador, apresentam alta performance, são compactos, possuem baixo centro de gravidade, bloqueio do diferencial e raio de giro reduzido. Um dos grandes diferenciais, “Enquanto um trator agrícola convencional opera, no limite, a 12 graus de inclinação, os tratores italianos podem ser usados em locais com até 25 graus (dependendo do tipo de terreno e aplicação) de inclinação com segurança. Ou seja, com um nível de segurança muito maior para o operador, que enfrenta riscos reduzidos de tombamentos”, explica o gerente de vendas, Everton Coutinho.

São cinco modelos comercializados no Brasil, com valores entre R$ 100 mil e R$ 200 mil. O setor de engenharia da Tramontini tem desenvolvido componentes nacionais que estão sendo gradativamente adicionados aos tratores italianos, na fábrica localizada em Venâncio Aires. Na nacionalização entra até mesmo a colocação de cabines, pouco usadas na Itália. As mesmas tem sido produzidas diretamente na serra gaúcha por parceiros locais O produtor
exige ou escolhe a cabine por mais conforto e segurança, questões de clima, mais pulverizações em pomares e videiras e por ser geralmente o próprio dono que opera o veículo, avalia Coutinho. Além disso, por lei, é necessário contar com sirene e luz de ré, entre outros itens.

Margô Perin de Monte Belo do Sul faz uso do trator