Selos dos Correios homenageiam a viticultura brasileira

Em meio aos preparativos para as celebrações do final de ano, os Correios prestam uma homenagem para um produto que é presença confirmada na mesa dos brasileiros nesta época: as uvas. No dia 22 de dezembro, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos lança uma coleção com cinco selos comemorativos, homenageando cultivares de uvas brasileiras, desenvolvidas pelo Programa de Melhoramento Genético ‘Uvas do Brasil’, coordenado pela Embrapa Uva e Vinho.
As uvas BRS Vitória, BRS Magna, BRS Lorena, BRS Margot e Moscato Embrapa foram as selecionadas dentre o portfólio de 21 cultivares já lançadas pelo Programa, que é conduzido há 43 anos pela Embrapa, para celebrar esse importante momento. “O lançamento é o reconhecimento de um trabalho que, ao longo dos anos, vem rendendo bons resultados e competitividade para a vitivinicultura nacional, ainda mais num ano muito especial em que completamos 45 anos de atuação”, pontua José Fernando da Silva Protas, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho.
Ao saber da emissão dos selos, o pesquisador aposentado Umberto Camargo, que foi o idealizador do Programa de Melhoramento Genético ‘Uvas do Brasil e esteve envolvido no desenvolvimento das cinco cultivares homenageadas, ficou feliz com o reconhecimento e valorização de todo um trabalho de pesquisa que revolucionou a vitivinicultura nacional. “A participação dos produtores e do setor produtivo foram fundamentais para que o Programa avançasse, disponibilizando cultivares adaptadas ao clima brasileiro. É uma alegria ver a vitivinicultura em diferentes regiões graças às cultivares desenvolvidas pela Embrapa”, comemorou.
“O Brasil recebeu cultivares customizadas para as suas condições de solo e clima, mais resistentes às principais doenças, com ou sem sementes, maior quantidade de açúcar, maior coloração e sabores diferenciados, tudo ajustado às demandas e perfil da vitivinicultura nacional. E que bom que estão sendo eternizadas em selos”, destaca Patrícia Ritschel, pesquisadora e atual coordenadora do Programa de Melhoramento Genético ao lado do também pesquisador João Dimas Garcia Maia. E ela antecipa que em breve os produtores e consumidores terão novidades que irão ampliar ainda mais o cultivo da videira em diferentes regiões de Norte a Sul do Brasil.
A partir de hoje, os selos estarão disponíveis para aquisição na loja on line dos Correios e em janeiro estarão disponíveis nas agências, quando irá ocorrer o lançamento oficial. E quando forem disponibilizadas, uma surpresa: os selos serão aromatizados com cheiro de uva.
Saiba mais em: https://www.embrapa.br/uva-e-vinho/programa-uvas-do-brasil
Conhecendo melhor as homenageadas:
BRS Lorena
Finalidade: Elaboração de vinho branco aromático e frisante, com marcante sabor moscatel.
Produção: Sudeste, Nordeste e Sul.
Descrição: Cultivar de uva branca indicada para a elaboração de vinhos brancos de mesa, aromáticos e frisantes. Plenamente adaptada às diferentes condições climáticas do Brasil, faz grande sucesso entre os produtores, tanto da Serra Gaúcha, do Sudeste ou do Semiárido Brasileiro, pela sua alta produtividade (25-30 t/ha), ciclo precoce, elevado conteúdo natural de açúcar e acidez equilibrada. Seus vinhos apresentam um sabor moscatel bastante marcante.
BRS Magna
Finalidade: Elaboração de suco de uva com coloração violácea intensa, alto conteúdo de açúcares e sabor aframboesado.
Produção: Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.
Descrição: É uma cultivar completa para a elaboração do suco de uva, podendo ser usada sozinha ou em combinação cortes com outras cultivares, com o objetivo de melhorar a qualidade da composição com cultivares tradicionais, por exemplo, a Isabel, garantindo mais cor, doçura e sabor ao produto final. Ela apresenta ampla adaptação climática e já está sendo produzida nas principais regiões brasileiras. A ‘BRS Magna’ foi a responsável por possibilitar e viabilizar a elaboração de suco de uva no Vale do Submédio São Francisco (PE e BA).
BRS Vitória
Finalidade: Consumo in natura – uva de mesa sem sementes.
Produção: Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.
Descrição: Desenvolvida especialmente para os produtores brasileiros do Semiárido, essa uva de mesa preta sem sementes conquistou, com seu sabor aframboesado, a preferência nacional, superando inclusive as uvas importadas. Ela já é responsável por cerca de 20% da produção de uvas de mesa no Vale do São Francisco, principal polo produtor e exportador de frutas no Brasil. É comercializada em todo país, podendo ser encontrada nas principais redes de supermercados e até em pequenos comércios de bairro e também já é exportada para a Europa e Estados Unidos.
BRS Margot
Finalidade: Elaboração de vinhos tranquilos e frisantes
Produção: Sul
Descrição: Tradicionalmente, o nome moscato é atribuído a uma única variedade, porém moscato ou moscatel é um conjunto de aromas e sabores característicos de grande número de uvas aromáticas, como Moscato Branco e Moscato Giallo. A ‘Moscato Embrapa’ integra esse grupo: uva branca, moscatel para elaboração de vinho branco meio seco, de sabor tipicamente aromático, de baixa acidez e agradável ao paladar do consumidor brasileiro. A ‘Moscato Embrapa’ tem 75% de Vitis vinifera em sua constituição genética, garantindo semelhança aos vinhos finos de moscato.

Moscato Embrapa:
Finalidade: Elaboração de vinhos tranquilos e frisantes
Produção: Sul
Descrição: Tradicionalmente, o nome moscato é atribuído a uma única variedade, porém moscato ou moscatel é um conjunto de aromas e sabores característicos de grande número de uvas aromáticas, como Moscato Branco e Moscato Giallo. A ‘Moscato Embrapa’ integra esse grupo: uva branca, moscatel para elaboração de vinho branco meio seco, de sabor tipicamente aromático, de baixa acidez e agradável ao paladar do consumidor brasileiro. A ‘Moscato Embrapa’ tem 75% de Vitis vinifera em sua constituição genética, garantindo semelhança aos vinhos finos de moscato.