Esteja pronto para o mercado profissional com os cursos técnicos do Senac Bento Gonçalves

Um estudo recente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), mostram que, aproximadamente, 1,7 milhão de brasileiros realizou matrículas em cursos a distância, o que representa mais de 20% de todas as matrículas. Pensando nisso, o Senac Bento Gonçalves está com inscrições abertas para cursos técnicos EAD em várias áreas de atuação. Os interessados podem se matricular até o dia 19 de outubro, através do site ead.senac.br/polos/rs/bento-goncalves. Por meio do site, também é possível saber mais sobre o conteúdo programático dos cursos e a metodologia de ensino.
Entre seus diferenciais, o Senac Bento Gonçalves conta com ampla oferta em diversos níveis de ensino e áreas de conhecimento. Adequados às exigências do mundo profissional, os cursos técnicos estão focados em proporcionar rápida inserção no mercado de trabalho, além de garantirem flexibilidade para que o aluno estude onde e quando quiser. É o comprometimento com a melhor experiência quando o assunto é ensino a distância.
São sete áreas de atuação com inscrições abertas: Comércio, Design, Gestão, Informática, Meio Ambiente, Segurança e Turismo. Confira a lista de cursos:
Técnico em Administração
Técnico em Design de Interiores
Técnico em Informática para Internet
Técnico em Logística
Técnico em Meio Ambiente
Técnico em Programação de Jogos Digitais
Técnico em Qualidade
Técnico em Recursos Humanos
Técnico em Secretariado
Técnico em Segurança do Trabalho
Técnico em Guia de Turismo
Técnico em Transações Imobiliárias
Para saber mais sobre os cursos, os polos, política de descontos, se inscrever e tirar todas as suas dúvidas acesse ead.senac.br/cursos-tecnicos. Ao todo, são 58 polos espalhados pelas cidades do Rio Grande do Sul. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 34524200.
Sobre o Senac EAD
A metodologia de ensino a distância do Senac é centrada no aluno, enfatizando o desenvolvimento de competências valorizadas no mundo do trabalho, como organização, proatividade e responsabilidade, além de apresentar menor custo com deslocamento e a possibilidade de conciliar os estudos e a vida profissional. Os materiais didáticos estão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem e são compostos por podcasts, vídeos, animações, simuladores, games, objetos de aprendizagem, e-books e recursos tecnológicos. Os recursos em mídias diversas estimulam diferentes formas de aprendizagem, que possibilitam ao aluno se envolver com conhecimentos abordados no curso e sentir a prática virtual em qualquer local e horário.

Vinícola Aurora abocanha mais seis medalhas em concurso inglês

Decanter Word Wine Awards é um dos principais certames do mundo e neste ano recebeu mais de 16,5 mil amostras

Espumante Moscatel Branco foi o único brasileiro da categoria a receber medalha de prata Crédito: Eduardo Benini

A vinícola Aurora  acaba de ganhar mais seis medalhas num dos principais concursos do mundo, o Decanter Word Wine Awards, da Inglaterra. Numa edição histórica para o vinho nacional, com o número recorde de 62 condecorações para o país, a Vinícola Aurora recebeu medalha de prata com o Aurora Espumante Moscatel Branco, único espumante moscatel brasileiro a receber a distinção do júri formado por 116 especialistas internacionais.
A vinícola também levou medalha de bronze com outros três rótulos: Aurora Espumante I.P. Pinto Bandeira Extra Brut, Aurora Reserva Chardonnay 2018 e Aurora Varietal Chardonnay 2018. Para completar o brinde e comprovar a qualidade cada vez maior do espumante brasileiro, a empresa recebeu, ainda, menção honrosa pelo Aurora Espumante Brut e pelo Aurora Espumante Procedências Brut Chardonnay.
A Aurora já conquistou 20 medalhas no concurso capitaneado pela publicação de vinhos mais relevante da Europa. Neste ano, foram 16.518 amostras inscritas, degustadas em 28 dias. Entre os experts, 37 Masters of Wine e nove Masters Sommeliers. O certame seguiu todas as diretrizes de segurança da Covid-19.

Rodrigo Arpini Valério é o novo presidente da Asprovinho

Rodrigo Arpini Valério, gerente de Marketing da Cooperativa Vinícola Aurora, assume como presidente da Asprovinho Foto: Divulgação

A Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira – Asprovinho elegeu a sua nova diretoria executiva para gestão 2020/2022. Rodrigo Arpini Valério, gerente de Marketing da Cooperativa Vinícola Aurora, assume como presidente da Asprovinho, após despedida de Marco Antônio Salton, que conduziu a entidade durante a gestão 2017/2019.
“Pretendo dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado, enaltecendo os espumantes de Pinto Bandeira. O potencial da região e das uvas que se colhem nela e também os processos que se aplicam comprovaram, ao longo do tempo, que os produtos dali têm um terroir e uma qualidade que se evidenciam. São espumantes que têm cor, aroma, paladar e que, devido à fermentação na garrafa, possuem um nível de complexidade maior, são mais finos e equilibrados” diz Rodrigo.
Como está o andamento para a Denominação de Origem dos Espumantes de Pinto Bandeira?
Está em avaliação técnica, com a Embrapa e as empresas que fazem parte da Asprovinho. Em breve, teremos novidades muito interessantes sobre o assunto. Pinto Bandeira possui identidade territorial e cultural, presente na expressão de sua gente, no cultivo de suas frutas, no desenho da paisagem, mas principalmente no bem estar de compartilhar um espumante Pinto Bandeira.
Quais os objetivos para da Asprovinho para os próximos anos?
Aproximar ainda mais a comunidade de Pinto Bandeira principalmente no enoturismo, que além das vinícolas, compõem restaurantes, pousadas, atrações turísticas, agro indústria, artesanato e tudo que envolve cultura. Temos que tornar o roteiro mais atrativo, mais diversificado, para atrair cada vez mais visitantes. Além disso, a Associação dos Produtores de Vinhos de Pinto Bandeira visa proteger a natureza, a cultura local, os produtores de vinho e, sobretudo, preservar a qualidade e afirmar a identidade dos vinhos e espumantes produzidos no local. São os objetivos da Asprovinho:
– Contribuir para o desenvolvimento e incentivo da pesquisa vitivinícola.
– Implementar ações que organizem e preservem o espaço físico da região de Pinto Bandeira, realizando estudos e agindo junto às autoridades competentes para a elaboração de leis que atendam aos objetivos da Associação.
– Explorar e divulgar o potencial turístico da região.
– Preservar, defender e fazer jus à conquista da Indicação Geográfica dos Vinhos da Região de Pinto Bandeira.
– Estabelecer normas para o uso da identificação “Vinhos de Pinto Bandeira” aos vinhos de viníferas produzidos pelos associados.
– Prestar apoio à industrialização e à comercialização de vinhos e bebidas em geral.
– Atuar com o intuito de agregar valor e criar marcas coletivas aos produtos de seus associados.

 

Construção de mirante atrai muitos turistas, não só pela tranquilidade, mas também pela vista

Do alto, é possível ver parte do Vale do Vale dos Vinhedos, Bentos Gonçalves e vinhedos Foto: Katia Fantin

O mirante localizado na saída da Cidade de Monte Belo do Sul já está recebendo turistas e moradores do município.
Com os objetivos de atrair turistas e proporcionar uma nova opção de lazer aos moradores e turistas, do alto, é possível ver parte do Vale do Vale dos Vinhedos, Bentos Gonçalves e vinhedos.

Foto: Maikon Del Ré Perin

A ação é parte do projeto de turismo realizado pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria Municipal de Turismo. O recurso para construir o mirante teve custo de R$ 248.523,34, sendo R$ 243.750,00 recebidos via convênio do Ministério do Turismo e contrapartida do município de R$ 4.773,34.
O projeto arquitetônico é da reconhecida arquiteta Vanja Hertcer e o projeto estrutural do engenheiro Fernando Brandalise.

Foto: Marlove Perin

 

Setor do vinho ganha voz junto ao Governo do Estado

Governador do RS propõe fórum permanente de discussão com entidades do segmento para construir medidas e avaliar necessidades da cadeia produtiva

De um lado está o setor vitivinícola que busca o aumento da competitividade do vinho. De outro, o Governo do Estado que anseia por ganhos que possam ampliar seus recursos e, com isso, viabilizar ações estruturantes. A aproximação entre as partes, gerada em razão da discussão em torno da proposta de Reforma Tributária RS que o Governador Eduardo Leite acabou retirando na quarta-feira, 23, abriu as portas para uma construção conjunta e permanente em torno das medidas e necessidades de ambos.
Isso somente foi possível graças a abertura da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), juntamente com a Associação Gaúcha de Vinicultores (Agavi), a Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho) e o Sindicato da Indústria do Vinho, do Mosto de Uva, dos Vinagres e Bebidas Derivadas da Uva e do Vinho do Estado do Rio Grande do Sul (Sindivinho RS), ciente da realidade enfrentada pelo Estado. “Construímos uma relação de reciprocidade, onde ambas as partes estão cientes de suas demandas. Encontramos no Governo do Estado acolhida para discutir juntos o que é melhor para ambos. E assim vamos seguir, sempre pautados nos interesses do setor”, destaca Deunir Argenta, presidente da Uvibra.
A ideia é manter um fórum permanente de discussão com o envolvimento da Casa Civil e das Secretarias da Fazenda e da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. Comprometido a colaborar com o setor, Leite também ficou de abrir portas em outros Estados onde a Substituição Tributária do vinho também possa ser eliminada. Antiga demanda do setor vitivinícola, a ST do vinho foi extinta no RS através de decreto que entrou em vigor em 1º de agosto do ano passado. De lá para cá, São Paulo, Bahia, Santa Catarina e Paraná seguiram o exemplo, compreendendo e favorecendo o vinho nacional. Agora, a ideia é fazer com que o Rio de Janeiro e Minas Gerais, assim como outros, façam o mesmo. “Essa interlocução é fundamental para avançarmos nessa questão. Também estamos trabalhando para que o suco de uva seja contemplado, assim como o vinho e o espumante”, assegura Argenta.
Entre os assuntos discutidos no encontro está a dificuldade enfrentada pelas vinícolas em relação ao fornecimento de garrafas. Com a pandemia e a mudança de hábitos do consumidor, que passou a apreciar mais vinhos brasileiros em casa, as vendas ganharam um impulso, aproximando-se do desempenho de 2016. A grande expectativa e aposta do setor agora é o último trimestre com a venda de espumantes. Entretanto, a indústria já vem enfrentando problemas para a compra de garrafas, situação que poderá prejudicar o setor. Sendo assim, a Uvibra também solicitou ao Governador que sejam adotadas gestões necessárias para ampliar a oferta de vasilhame, estabelecendo um sistema concorrencial mais adequado. A instalação no Estado, de uma nova fábrica de garrafas, destinada ao envasamento dos vinhos e derivados da uva, é a alternativa discutida.
Outra pauta terá avanço no dia 7 de outubro, quando está agendada a assinatura da liberação do Fundovitis, marcada pelo próprio Governador com publicação no Diário Oficial do Estado no dia 14 de setembro. A gestão dos R$ 12 milhões será de responsabilidade do Consevitis, que atuará na promoção do vinho nacional.

Quer remover sua tatuagem? Há técnicas eficientes, na Puraderm você encontra o mais completo tratamento a laser para remoção de tatuagens manchas e rejuvenescimento

A quantidade de pessoas com uma ou mais tatuagens pelo corpo cresce a cada dia. Acompanhando essa tendência, o número daqueles que se arrependem por ter realizado o procedimento tem se tornado cada vez mais frequente.
Para tirar definitivamente uma tatuagem da pele, é recomendado consultar um dermatologista para avaliar o tamanho e as cores da tatuagem e, assim, escolher a melhor forma para remover o máximo possível de desenho. De acordo com a Dra. Jessica Cima Fedrigo, as tatuagens mais fáceis de retirar são as pretas e feitas em peles claras. “A tatuagem colorida demora mais. “O número de sessões para remover tatuagens depende do tamanho do desenho. “São no mínimo seis sessões, mas pode chegar a 10 ou 12. Depende do tamanho e o que vai ser crucial é a tinta que foi utilizada”, diz. O intervalo entre as sessões é de um mês.

Dra. Jessica Cima Fedrigo é dermatologista e realiza a remoção de tatuagem Foto: Divulgação

Laser Spectra XT para Remoção de Tatuagens
Existem, atualmente, diversas marcas de Laser para remoção de tatuagens, mas poucos são considerados realmente eficazes e seguros no tratamento da maioria das tatuagens profissionais. O Laser Spectra XT é um dos equipamentos com tecnologia de ponta mais estudados para este tipo de tratamento.
Trata-se de um Laser do tipo Nd:YAG que apresenta grau de eficácia muito elevado e perfil de segurança superior, com ótima relação custo-benefício. Somado a isto, o Laser Spectra XT emite dois tipos de pulsos de Laser com cores diferentes, o que o capacita a atingir variadas colorações.
A onda de luz do aparelho atinge somente os pigmentos de tinta, sendo assim não danifica a pele que não está sendo tratada. Com pulsos ultra rápidos (nanossegundos) de alta intensidade, o Laser Spectra XT é considerado dos laser mais poderosos para remoção de tatuagens. Praticamente todas as tatuagens podem ser tratadas, no entanto, as tatuagens são altamente variáveis, com tatuagens profissionais geralmente exigindo mais tratamentos. A única maneira de saber quais resultados você pode esperar e quanto tempo eles levam para remover é marcar uma consulta de remoção de tatuagem.

A Remoção da Tatuagem Pode Ser Dolorosa
A remoção da tatuagem pode sim ser dolorosa, principalmente se houver muito pigmento injetado na pele naquele local. Tatuagens amadoras, geralmente não são tão densas e profundas, por isso na hora da retirada costumam doer menos.
Mas a dor irá depender da sensibilidade de cada um. No entanto existem algumas maneiras de amenizar o desconforto na hora de remoção de tatuagem, tais como o uso de cremes anestésicos, resfriamento da pele e aplicação de anestésicos injetáveis.
Dra. Jessica Cima Fedrigo é dermatologista e realiza a remoção de tatuagem em Bento Gonçalves e Porto Alegre. Agende seu horário para avaliação e planeje seu tratamento. Contato pelo WhatsApp: (54) 9 8165-5474 / Rua Senador Joaquim Pedro Salgado Filho,141-sala: 6- Cidade Alta, Bento Gonçalves / E-mail: clinicapuraderm@gmail.com

Bento Gonçalves amplia número de agroindústrias, em especial de vinho colonial

Vinhos Speranza é uma das três novas vinícolas coloniais do município Foto: Rejane Paludo-Emater/RS-Ascar

Mais quatro agroindústrias familiares de Bento Gonçalves receberam, na tarde desta sexta-feira (18/09), os certificados de inclusão no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) do Governo do Estado. A entrega contou com a presença do presidente da Emater/RS, Geraldo Sandri, e representantes do município e entidades.
A Bodegone, no Vale dos Vinhedos, e a Vinhos Speranza, no distrito de Faria Lemos, elaboram vinho colonial. A BioSabores também é uma vinícola colonial, a primeira do Brasil com produção orgânica, e a Casa Leopoldina comercializa massas. Ambas ficam no Vale dos Vinhedos. Com estas, já são 34 agroindústrias legalizadas no município, número que deverá aumentar até o final do ano.
Os empreendimentos tiveram total apoio da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), desde a análise da viabilidade dos negócios até o acesso a oportunidades de mercado. “Para nós é mais uma conquista, porque somos exemplo para todo o Estado, mostrando que é possível o agricultor familiar ter um estabelecimento formalizado dentro da propriedade e podendo comercializar o seu produto tranquilamente, envolvendo todos os entes familiares também no negócio, e dando oportunidades para as novas gerações que estão nesses locais para constituírem suas famílias e permanecerem no campo”, destaca o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Neiton Perufo. De acordo com ele, a demanda pela legalização de novos empreendimentos é permanente no município e há oportunidades em diversas áreas ainda não exploradas, como laticínios, mel, embutidos e polpa de frutas, entre outras.
Proprietário da Vinhos Speranza, o agricultor Alceu Speranza diz que buscou a legalização da produção de vinho colonial, que é uma tradição de família, para ficar dentro da lei e ampliar os negócios. Neste ano, ele elaborou em torno de 15 mil litros da bebida com uvas próprias, mas já plantou novas variedades viníferas. As vendas acontecem na propriedade e, assim que as feiras forem retomadas, também nesses locais. Além do apoio no processo de formalização do empreendimento, Speranza também teve assistência da Emater/RS-Ascar na qualificação do vinho produzido e na gestão da agroindústria.

O Senac Idiomas Fun at Home é inédito, totalmente on-line e inicia no mês de outubro

 

O Senac Idiomas Fun at Home é inédito, totalmente on-line e inicia no mês de outubro
Aprender inglês brincando, no conforto de casa. Esse é o Senac Idiomas Fun at Home, lançamento inédito do Senac-RS. A novidade, que começará no no mês de outubro, consiste em um conjunto de sete oficinas temáticas, totalmente on-line, pensadas exclusivamente para as crianças com idades entre 5 e 10 anos. Ao final das atividades, os alunos ainda ganham uma oficina de bônus, gratuita, com o tema “Slime Factory”.
O mundo está mais globalizado e o conhecimento de outra língua faz com que se tenha acesso a novas culturas e oportunidades. Levando isso em consideração, muitos pais têm buscado o ensino de línguas estrangeiras para as crianças desde cedo. Os pequenos têm uma facilidade muito maior em aprender um novo idioma pelo fato de ainda estarem desenvolvendo e aprimorando a própria língua nativa, sempre através de atividades lúdicas e recreativas, que lembram suas brincadeiras habituais.
No Senac Idiomas Fun at Home as turmas serão reduzidas, divididas por faixa etária e terão vagas limitadas para que as professoras de inglês, que são especializadas no ensino para crianças, consigam proporcionar o melhor aprendizado possível. As oficinas têm duração de uma hora e são realizadas uma vez por semana e também contarão com a participação de instrutores de educação física, musicalidade e recreação do Sesc-RS.
Mediante inscrição, os pequenos alunos irão receber um kit exclusivo com materiais para utilizarem nas oficinas, além de uma mochila, adesivos que brilham no escuro, tatuagem temporária e giz de cera. O pagamento pode ser parcelado no cartão de crédito e há desconto para pagamento à vista.
Confira abaixo a programação das oficinas e os horários das aulas:
Semana 1 – It’s all about games (brincadeiras com temas culturais) – 05 a 10/10
Semana 2 – We are puppeteers (oficina de criação de fantoches) – 12 a 17/10
Semana 3 – I like to move it (oficina de dança com participação de docente Sesc) – 19 a 24/10
Semana 4 – Picnic in the living-room (piquenique na sala de casa) – 26 a 31/10
Semana 5 – We make music (oficina de criação de instrumentos musicais com participação de docente do Sesc) – 2 a 7/11
Semana 6 – Halloween (oficina temática do dia das bruxas, à fantasia, com participação de docente do Sesc) – 9 a 14/11
Semana 7 – Head, shoulders, knees and toes (coreografias e partes do corpo, com a participação da família ou outro adulto que esteja em casa) – 16 a 21/11

Bonus (1 oficina extra, gratuita):
Semana 8 – Slime factory (oficina de slime) – 23 a 28/11

Dias e horários das aulas:
Turmas 5 e 6 anos: terças (17h45 às 18h45), quartas (9h às 10h) e sábados (14h às 15h)
Turmas 7 a 10 anos: quartas (10h30 às 11h30), quintas (17h45 às 18h45) e sábados (15h15 às 16h15)
Mais informações pelo site www.senacrs.com.br/fun

Turismo da Serra Gaúcha no pós-pandemia é tema de webpalestras do Senac EAD

 


Já não é novidade que o Turismo foi um dos setores mais impactados pela pandemia e pelo isolamento social. A Sondagem dos Meios de Hospedagem, divulgada pelo segundo semestre pela Fecomércio-RS, apontou que 50,4% das empresas pesquisadas tiveram perdas superiores a 50% na comparação com o mesmo período de 2019. Mas o Turismo está retomando e, para discutir esse novo cenário, o Senac EAD realiza o evento on-line “Turismo da Serra Gaúcha no Pós-Pandemia”. O ciclo de atividades acontece entre os dias 22 e 24 de setembro com webpalestras às 20h e acontece em alusão ao Dia Mundial do Turismo, celebrado no dia 27 de setembro.

Na terça-feira (22), a live aberta no Facebook do Senac-RS “Pós-pandemia: o retorno do turismo” abre a programação. O tema será debatido pelo presidente da GramadoTUR, Rafael Carniel de Almeida, e pelo presidente do Conselho Municipal do Turismo de Caxias do Sul (COMTUR), Jacson Papi.
As duas próximas atividades serão webpalestras voltadas apenas aos inscritos no evento, que já podem garantir a vaga gratuitamente, mediante inscrição no site www.senacrs.com.br, na aba “Próximos Eventos”. No dia 23 (quarta-feira), acontece a webpalestra “Além da imigração italiana – as novas gerações na Serra Gaúcha”, com a doutora em Educação Terciane Ângela Luchese e o Secretário de Cultura e Turismo de Farroupilha, Miguel de Souza.

Por fim, o “Boom no turismo – Atrações imperdíveis da Serra Gaúcha” será o tema que fecha o evento no dia 24 de setembro (quinta-feira). O assunto será apresentado pelo Secretário de Turismo de Bento Gonçalves, Rodrigo Parisotto, e pela turismóloga do Sesc/RS Daniela Carolina Marmitt.

Veja a programação abaixo:
Evento “Turismo na Serra Gaúcha na Pós-Pandemia”[ – Senac EAD
Inscrições gratuitas: www.senacrs.com.br, na aba “Próximos Eventos”
22/9 (terça-feira) às 20h – Live no Facebook do Senac-RS: Pós-pandemia: o retorno do turismo
Palestrantes: presidente da GramadoTUR, Rafael Carniel de Almeida; presidente do Conselho Municipal do Turismo de Caxias do Sul (COMTUR) e fundador da Mousai (Grupo de Preservação do Patrimônio Histórico), Jacson Papi

23/9 (quarta-feira) às 20h – Webpalestra: Além da imigração italiana – as novas gerações na Serra Gaúcha
Palestrantes: doutora em Educação – linha de Cultura e Sociedade Terciane Ângela Luchese, e Secretário de Cultura e Turismo de Farroupilha, Miguel de Souza

24/9 (quinta-feira) às 20h – Webpalestra: Boom no turismo – Atrações imperdíveis da Serra Gaúcha
Palestrantes: Secretário de Turismo de Bento Gonçalves Rodrigo Parisotto; turismóloga do Sesc/RS Daniela Carolina Marmitt

Vinícola Aurora lança linha Gran Reserva com rótulos da Campanha Gaúcha

Empresa expande fronteiras com os vinhos Tannat e Cabernet Sauvignon, variedades que expressam o terroir da região que foi palco de inúmeras batalhas da Revolução Farroupilha

Aurora Gran Reserva são vinhos que harmonizam com carnes, têm ótimo potencial de guarda e chegam nas variedades Cabernet Sauvignon e Tannat Foto: Eduardo Benini

No mês em que o Rio Grande do Sul celebra a Revolução Farroupilha, vem da região que foi palco de muitas batalhas, os dois novos rótulos da Vinícola Aurora. Em busca da expressão máxima do terroir Campanha Gaúcha, a cooperativa apresenta a linha Gran Reserva, nas variedades Tannat e Cabernet Sauvignon, ambos da histórica safra 2018. A linha Gran Reserva faz parte do projeto da Vinícola Aurora que mostrará a diversidade do vinho brasileiro, com castas emblemáticas de diferentes regiões do país. Os dois rótulos completam o portfólio que abrange 13 marcas, com 220 itens.
Com a potência característica da variedade, o Aurora Gran Reserva Tannat 2018 tem coloração rubi intensa, aroma com intensidade média alta, lembrando frutas vermelhas como framboesa, groselha, ameixa e toque mentolado, além de notas de madeira tostada, já que o vinho tem passagem de 12 meses por barricas de carvalho francês. Apresenta boa acidez, tanino potente, agradável, com bom volume de boca, boa estrutura e tem grande potencial de guarda.
De coloração semelhante e mesmo potencial de guarda, o Aurora Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2018 tem aroma que lembra frutas negras maduras, especiarias, cravo e eucalipto, notas de madeira tostada, café e chocolate. No paladar é um vinho de excelente equilíbrio álcool/acidez, com tanino maduro e aveludado, de corpo médio alto e boa estrutura.
O enólogo-chefe da Aurora, Flávio Zilio, adianta que os vinhos Aurora Gran Reserva têm como característica o fato de serem elaborados com uvas de excelente maturação, sem uso de chaptalização (que é a adição de açúcar no mosto utilizada para elevar a graduação de álcool), e com as variedades que mais se adaptaram à região onde foi produzido.
“Estamos escrevendo mais uma página muito importante na história de quase 90 anos da vinícola, com dois grandes produtos que vão surpreender o consumidor que busca novidades e vinhos especiais, de uma grande safra”, garante.
Zilio acrescenta que a cooperativa viabilizou os novos rótulos através de parceria com um produtor da Campanha Gaúcha e que também levou em conta a boa aceitação do mercado brasileiro para as variedades Tannat e Cabernet Sauvignon.
“Os desafios nos fazem evoluir e este sempre é o objetivo da Vinícola Aurora. Queremos levar vinhos de qualidade cada vez maior para os consumidores, propor experiências diferentes em cada garrafa e estarmos abertos à evolução que o universo do vinho nos proporciona”, diz.
Os vinhos Gran Reserva 2018 tem edição limitada de 27,5 mil garrafas de cada variedade. O preço de referência (na loja da vinícola, em Bento Gonçalves) é de R$ 59,90.
Para harmonizar com o Aurora Gran Reserva Tannat, as sugestões são os clássicos da região da fronteira: carré de cordeiro, entrecot grelhado e costela bovina. A potência da variedade também combina com churrasco e queijos fortes. As harmonizações sugeridas com o Aurora Gran Reserva Cabernet Sauvignon também incluem carnes vermelhas, como picanha grelhada e costela de cordeiro, e ainda massas ao molho funghi, risoto de funghi e queijos médios.
Sobre o terroir Campanha Gaúcha
Localizada próxima à fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina e o Uruguai, a Campanha Gaúcha tem algumas características que a diferenciam das demais regiões vinícolas. Entre elas, está o clima, com temperaturas que facilmente chegam a zero grau no inverno, verões muito quentes e menor incidência de chuva em relação à outras zonas produtoras.
Outra característica marcante é o solo basáltico e arenoso, com ótima drenagem e pouca concentração de matéria orgânica. São estas condições de clima e solo, além do relevo marcado por planícies e pequenas ondulações, que favorecem à ótima maturação das uvas viníferas.
Com uma área de 1,5 mil hectares plantados com videiras, o território responde a cerca de 15% da produção de uvas viníferas (destinadas para vinho fino) do Rio Grande do Sul. As variedades escolhidas para a elaboração da linha Aurora Gran Reserva, a Cabernet Sauvignon e a Tannat, são as uvas viníferas tintas mais plantadas na Campanha Gaúcha e que, ao longo do tempo, se mostraram as que melhor se adaptaram às condições climáticas da região.
Em maio deste ano, a Campanha Gaúcha foi reconhecida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com a Indicação de Procedência (IP) para os vinhos e espumantes, se juntando às outras seis Indicações Geográficas de vinhos no Rio Grande do Sul.