Abertura oficial da colheita da uva no Rio Grande do Sul será em Monte Belo do Sul, dia 4

O cheiro da uva toma conta dos parreirais e Monte Belo do Sul se prepara para receber no próximo sábado dia 4 de fevereiro o Ato Oficial de Abertura da Colheita da Uva no Estado do Rio Grande do Sul – Safra 2016/2107.

O evento será realizado na propriedade da Família Barbieri (Rua Antônio Barbieri, 311). Após os pronunciamentos, as autoridades darão início simbolicamente à colheita da uva. A atividade integra o calendário de eventos do Governo do Estado, instituído pelo Decreto 48.838/2012.

De acordo com o Ibravin, neste ano deverão ser colhidos cerca de 600 milhões de quilos de uva para a elaboração de vinhos, sucos, espumantes e outros derivados. A abertura oficial da Vindima segue um rodízio entre as regiões vitivinícolas do estado. O município escolhido neste ano se destaca pela produção de uvas viníferas. Em 2013, a região de Monte Belo, que inclui áreas dos municípios de Bento Gonçalves e Santa Tereza, recebeu a certificação de Indicação Geográfica (IG) pelo Instituto de Propriedade Industrial (INPI). Os primeiros rótulos com o selo chegaram ao mercado em junho de 2016.

Fotos: Divulgação

Caixa Forte: O Valor da Cooperação na Aurora

Cooperativa formada por descendentes de italianos é a maior Vinícola do Brasil. Uma história que foi construída por famílias ao longo de 85 anos

Cérgio Ferro, 69 anos é agricultor. No município de Monte Belo do Sul junto com a esposa Ereni, 64 anos e os dois filhos Michel, 34 anos e César 38 anos, ele dá sequência à tradição herdada dos pais: produzir uvas. Uma família inteira envolvida na produção da fruta. Toda a produção da família vem diretamente para a cooperativa Aurora, empresa que processa mais 60 toneladas de uvas e tem 1.100 famílias associadas.

“A Cooperativa Aurora é nossa segunda família. Somos cooperados que preservamos o lastro familiar. Temos orgulho e honra em fazer parte da empresa. É uma cooperativa que une as famílias e valoriza os associados. Passamos por dificuldades, como tudo na vida” resume o produtor.

Cérgio conta que no começo os produtores traziam o vinho para a Aurora de bigunço. “Eu tinha um caminhão Ford F350, naquela época era muito trabalhoso e sofrido”. Todo esse trabalho dos nossos antepassados ajudou para que a Aurora não se transformasse apenas em uma cooperativa, mas se misturasse com a história das pessoas. Ereni se sente realizada e tem orgulho de seus dois filhos seguindo e aprendendo com pai.

O sentimento exposto pela família vai muito além da gratidão. Assim como ele, muitos agricultores sabem que a base da filosofia cooperativista está na aliança onde cada um faz a sua parte: o agricultor entrega a sua produção na cooperativa e em troca conta com um canal de produtos e assistência técnica.

“O grande desafio da Aurora agora é que os jovens continuem o que seus antepassados começaram. A maioria dos cooperados tem mais de 60 anos de idade. A cooperativa é muito forte e tem alma, e os jovens precisam amá-la tanto quanto os mais velhos. Sabemos que a tentação de ir embora é muito grande. Penso que este é o momento de recebermos bem esses jovens e mostrarmos para eles que não só a qualidade de vida, mas o próprio ganho financeiro na produção da uva reserva um futuro mais promissor. Por isso queremos valorizar o nosso produtor e incentivá-lo a ficar na propriedade rural” diz o presidente da Aurora, Itacir Pedro Pozza.

Produção

Até o momento, cerca de 20 mil quilos de uva da variedade Pinotage e Riesling foram colhidos. A projeção do agricultor é somar, até o final da safra, 200 mil quilos em 9,5 hectares. “A uva está boa este ano” — garante Cergio, que terá ajuda de familiares e safristas nas próximas semanas para intensificar a colheita.

Fotos: Marlove Perin

Dal Pizzol Day Festival: Um dia para degustar

Vinhos, espumantes, quitutes e música ao ar livre no dia 11 de fevereiro

A Dal Pizzol estreia na realização de evento enogastronômico a céu aberto. É o Dal Pizzol Day Festival que acontece dia 11 de fevereiro com a degustação de vinhos e espumantes, com o acompanhamento de hambúrgueres, sanduíches, porções de massas, batatas e frios numa parceria com a Estação Café Blauth. O cenário não podia ser melhor: o Ecomuseu da Cultura do Vinho, na Rota Cantinas Históricas, em Bento Gonçalves, com suas áreas verdes e lagos.

Serão nove horas para curtir as atrações do evento que inicia às 12h e segue até às 21h. Os vinhos e espumantes Dal Pizzol e as comidinhas serão harmonizados com a boa música das bandas Blue Label e Dan Ferreti e DJs especiais. Na programação, exposição de carros antigos e a participação de moto clubes da região. Ingressos no local a R$ 15, com direito a uma taça personalizada com uma dose de vinho ou espumante ou suco de uva.

“Quem gosta de vinho, espumante, comidinhas rápidas e boa música terá aqui uma tarde para apreciar esses prazeres em meio à natureza”, explica o enólogo Dirceu Scottá. Segundo ele, os vinhos e espumantes poderão ser adquiridos em taça ou em garrafa. Saindo do tradicional, opções gourmet a cargo do chef Cesar Chies da Estação Café Blauth, que valoriza o sabor com o uso de ingredientes selecionados.

Em caso de chuva o evento será transferido. Informações pelo telefone (54) 3449.2255 ou pelo e-mail dalpizzol@dalpizzol.com.br.

O lugar

O Dal Pizzol Day Festival terá como cenário o Ecomuseu da Cultura do Vinho, na Rota Cantinas Históricas, em Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves. São 80 mil metros quadrados de área num ambiente privilegiado pela natureza com uma diversificada coleção botânica de espécies nativas, exóticas, ornamentais, frutíferas e medicinais, todas identificadas e catalogadas. Pavões, cisnes negros, galinhas de angola, marrecos e gansos vivem livres no local.

Objetos, fotos, documentos e centenas de garrafas de vinhos compõem a riqueza do local, que abriga desde 1974 a Dal Pizzol Vinhos Finos, vinícola com pouco mais de 40 anos. São 235 garrafas nacionais e estrangeiras, vinhos produzidos na África do Sul, Argélia, Armênia, Bolívia, Canadá, China, Japão e Coréia. Na sala de exposições está a garrafa de vinho brasileiro mais antigo, de 1937, período em que não havia rótulos. Garrafões empalhados, uma coleção de saca-rolhas, ânforas de origem italiana, entre outros, também podem ser observados.

Outra preciosidade encontrada no Ecomuseu da Cultura do Vinho, em especial aos amantes da uva e vinho, é uma das três maiores coleções de uvas privada do planeta e a maior da América Latina, com cerca de 400 variedades. Ao lado, também podem conhecer uma réplica do primeiro vinhedo construído pelos imigrantes, a partir de 1875, todo em madeira e sem fios de arame.

A história da Dal Pizzol também pode ser contada por meio da Enoteca, uma antiga fornalha da olaria da família guarda os vinhos elaborados pela vinícola desde sua fundação. Durante o Dal Pizzol Day Festival, o público terá acesso a sala de exposições, varejo e o primeiro vinhedo, além de poder conferir de perto o Vinhedo do Mundo e onde está localizada a Enoteca.

Fotos: Jeferson Soldi

Coral e Grupo Folclore de Monte Belo participam do Festival da Canção Italiana

O evento, que chegou a sua 29ª edição, aconteceu no dia 14 para celebrar a cultura

O Coral Municipal e Grupo Vicentino de Monte Belo participaram no sábado dia 14, do tradicional Festival da Canção Italiana. O evento, que chegou a sua 29ª edição, aconteceu no dia 14 para celebrar a cultura, na cidade de Coqueiro Baixo, no Vale do Taquari, conhecido como município da canção italiana.

O Coral Municipal recebeu o prêmio de participação dentre os oito participantes. Já o Grupo Vicentinho foi contemplado com o 3º lugar dos grupos dentre 11 participantes. Os grupos foram acompanhados pela Secretária de Educação de Desporto Marinez Berselli Zanchet e o Secretário de Cultura e Turismo Alvaro Manzoni. As atividades contam com o apoio da atual Administração.

Para o Secretário de Cultura e Turismo o evento valoriza a cultura e o turismo da cidade “Nosso objetivo é valorizar ainda mais a cultura local com o intuito de “Valorizar a nossa gente”, incentivando e revelar talentos do município” explica. “Queremos manter os projetos legais que envolve a cultura e aprimorar, além de retomar antigas propostas, eventos tradicionais como “Polentaço” e a “Festa da “Vindima” que celebram o trabalho, a Fé e o resgate da memória local, afirma o secretário.

Fotos: Divulgação

Ao lado da família, Rosa Filomena Berselli Echer comemora 100 anos em Monte Belo do Sul

Festa para idosa contou com mais de 60 pessoas

Rosa Filomena Berselli Echer nasceu no dia 18 de Janeiro de 1917. Para celebrar o aniversário, Rosa reuniu os 11 filhos, 16 netos, quatro bisnetos, uma tataraneta, amigos, parentes e vizinhos para comemorar, em Monte Belo do Sul, o aniversário de 100 anos completados na última quarta-feira. A festa teve direito a almoço e bolo que contou com a presença de mais de 60 pessoas.

Rosa nasceu na linha 100 da Leopoldina, interior do município, filha de Ernesto Berselli e Santa Bonardi, o pai foi o primeiro filho de imigrantes Italianos que nasceu em Monte Belo, na época linha Zamit. Ela foi casado com José Echer (in memorian) com quem teve 11 filhos, Danilo Francisco, Diva Maria, Dalva Leonila, Denise Inês, Dalci José, Miriam Delurdes, Darci Antônio, Valter Alberto, Enio Augusto, Giorge Norberto e Gilmar José Echer

 

Fotos: Divulgação

Prefeitura de Pinto bandeira abre inscrições para contratação de enfermeiros

A Prefeitura de Pinto Bandeira está com inscrições abertas para contratação de enfermeiros com interesse em atuar no posto de saúde do município. A carga horária é de 40 horas. Para obter mais informações é necessário entrar em contato através do telefone (54) 3468-0210 ou comparecer até a sede no centro, na Rua Sete de Setembro, 689 em Pinto Bandeira.

BB disponibiliza R$ 750 milhões para aquisição e estocagem na atual safra

O Banco do Brasil está disponibilizando R$ 750 milhões para financiamento de aquisição e estocagem de trigo. Em nota, o banco informa que os recursos estarão disponíveis até o fim do ano-safra 2016/17, em junho, e se destinam aos produtores rurais, cooperativas e agroindústrias que beneficiam ou industrializam o cereal. Ainda conforme o banco, o empréstimos será a taxas de 9,5% ao ano para os produtores rurais e cooperativas enquadrados na linha FEPM (Financiamento para Estocagem de Produtos Agropecuários) e de 11,25% a.a. para as agroindústrias beneficiárias da linha FGPP (Financiamento para Garantia de Preço ao Produtor).Cada produtor poderá contratar até R$ 4,5 milhões. No caso de agroindústrias o teto é de 50% da capacidade anual de beneficiamento e industrialização da empresa, limitado a R$ 40 milhões, quando se tratar de unidades de beneficiamento e industrialização não vinculadas a cooperativas de produtores rurais.

 

Fotos: http://goo.gl/kHfwrm

Acidente entre caminhão carregado com uva e carro deixa uma pessoa ferida no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves

Jovem do carro sofreu lesões e foi encaminhado ao hospital

Um jovem de 22 anos ficou ferido em um acidente de trânsito na ERS 444, km 16 no Vale dos Vinhedos, próximo ao Morro da Cruz em Bento Gonçalves.

A colisão envolvendo um caminhão F4000 carregado com uva com placas de Monte Belo do Sul e um Uno, placas de Bento Gonçalves aconteceu por volta das 11h da quarta-feira, dia 11.

O motorista do carro foi socorrido pelo Samu e encaminhado ao Hospital Tacchini. O condutor do caminhão não se feriu.

 

Fotos: Rádio Difusora

Tecnovitis foi lançada em evento no distrito de São Pedro

A Tecnovitis 2017 – Feira de Tecnologia para a Viticultura – que ocorre de 6 a 8 de dezembro do próximo ano, no Vale dos Vinhedos, foi lançada oficialmente no dia 4 de dezembro. A solenidade foi realizado em um almoço, promovido pelo Sindicato Rural da Serra Gaúcha, no Salão da Comunidade do distrito de São Pedro, em Bento Gonçalves (RS). A Feira abrange apresentação de tecnologias, comercialização de produtos e serviços para o setor, testes práticos com produtos fitossanitários, dinâmica com tratores, pulverizadores e outros equipamento, além de palestras técnicas e visitas guiadas ao parreiral modelo.

No mesmo dia, o presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, entidade promotora do evento, El­son Schneider, assumiu o cargo por mais três anos. Também ocorreu o juramento da diretoria, conduzido pelo diretor administrativo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), Francisco Lineu Schar­dong. “No dia 7 de dezembro, com­pletamos três anos de existência, com muitas conquistas e desafios ainda a serem superados.”, enfatiza Schneider. De acordo com o presi­dente, uma das principais conquis­tas foi a realização da Tecnovitis. “A Feira é a união de toda a cadeia produtiva da uva para o diálogo e desenvolvimento”, completa.

O coordenador da Tecnovitis 2017, Claimar Zonta revela que a Feira deve impactar positivamente na cadeia produtora de uva e vinho. “A segunda edição deve ter um cres­cimento de cerca de 150% no núme­ro de visitantes”. Em 2015 foram 8 mil pessoas e em 2017 deve chegar a 20 mil. “A expressividade da pri­meira edição nos faz acreditar no sucesso da edição do próximo ano e hoje faz parte do calendário oficial de eventos do município”, afirma.

Zonta explica que um dos objetivos da Tecnovitis é estimular o crescimento do setor vitícola, apresentando técnicas, equipamentos, produtos e serviços especializados. “Também queremos estreitar laços entre produtores, fornecedores e equipe técnica” explica. O foco é deixar a cadeia produtiva mais fortalecida, em quantidade e qualidade. “Temos uma estimativa de interessados de diversas partes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além de outros estados que vem mostrando crescimento no cultivo da uva”, completa.

Durante o evento, na presença de diversas autoridades e representantes de entidades ligadas ao setor, foi assinado o protocolo de intenção para o convênio da máquina de colher uva. O presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, Elson Schneider, explica que o protocolo de intenção é um ato para criar um convênio de trabalho para viabilizar a máquina, ocorrendo a validade agronômica e estudos de impacto econômico que irá causar na cadeia produtiva e a indústria. Segundo Schneider, a máquina é um importante fator para os agricultores terem o trabalho facilitado e agilizado, melhorando a qualidade de vida dos mesmos.

Fotos: Tecnovitis

Vinícola Aurora comemora 85 anos de sucesso livre de dívidas

Uma confraternização para agradecer e celebrar reúne mais de 600 associados com mais de 60 anos pra um dia de festa

O palco não poderia ser mais apropriado para agradecer quem ajuda a construir essa história de sucesso e para celebrar este ano memorável. A Cooperativa Aurora comemora 85 anos livre de dívidas e para celebrar, reuniu na sexta-feira, 25 de novembro, mais de 600 associados e uma grande festa no parque de Eventos de Bento Gonçalves. Desta vez, os convidados foram os associados com mais de 60 anos de idade que sempre estiveram lado a lado na dedicação e cooperação da Aurora.

O evento teve a palestra, bênção e show com o padre Ezequiel Dal Pozzo. Houve ainda almoço de confraternização. Para o presidente da Vinícola Aurora, Itacir Pozza é um momento de grandes conquistas “Os associados que estão aqui dedicaram a vida deles a Aurora. São, praticamente filhos e netos dos primeiros cooperativados, que nasceram com Ela – história viva. Então devemos todos os agradecimentos e reverência, temos um profundo respeito e admiração por eles” comentou.

Hermínio Ficagna, diretor-geral da Vinícola Aurora diz que a cooperativa trabalhou nestes últimos anos para trazer o associado para mais próximo da cooperativa. Para Ficagna, a celebração para os associados é um marco para a história na vinícola neste ano tão importante “A Cooperativa tem um grande desafio para o futuro que é a questão da sucessão, mas não adianta pensarmos nisso se não valorizarmos esses que estão aqui hoje, que com coragem, acreditaram que poderíamos enfrentar juntos e conduzirmos da melhor forma possível. E, aqui esta hoje uma grande família que atravessará vitoriosa muitas gerações” afirmou.

A Vinícola Aurora conta com 1.100 famílias de associados e o Conselho de Administração promove anualmente Encontros com Jovens, Mulheres e idosos.

Cooperativa Aurora

Fundada em 1931 por 16 famílias produtoras de uvas, a Vinícola Aurora é a maior do gênero no Brasil, sem abrir mão de seu modelo de negócio: o cooperativismo. Hoje, a Aurora congrega 1100 famílias de Bento Gonçalves e adjacências com uma produção anual de uvas que alcança cerca de 50 milhões de quilos.

Além disso, é uma vinícola premiadíssima. Já recebeu já 530 medalhas em concursos internacionais. Para completar, exporta para mais de 20 países. Em 2016, a Aurora comemora 85 anos de pioneirismo, com vinhos de todos os tipos – são 38 milhões de litros de por ano – e grandes serviços prestados à vitivinicultura nacional país.

Fotos: Divulgação