Cartilha da Vinícola Aurora orienta produtores para cuidados com produção e comercialização da Safra 2020/2021

Informativo inclui dicas de higiene e cuidado com os equipamentos a fim de evitar contaminação pelo coronavírus

Renê Tonello Presidente da Cooperativa Vinícola Aurora Fotos: Marlove Perin

A Cooperativa Vinícola Aurora preparou uma cartilha com orientações voltadas ao produtor rural sobre as normas de safra 2020/2021 e recomendações gerais para o período de colheita da uva, o transporte, a qualidade da fruta e o cronograma de recebimento. O documento apresenta 20 páginas e será entregue até a segunda quinzena de dezembro. As medidas estão alinhadas com as exigências do Padrão de Qualidade estabelecidas no documento “Normas de Safra”. “Neste ano não realizamos a reunião de final de ano e nem a confraternização, por causada da pandemia, pedimos desculpas aos associados, estamos nos adaptando a atual situação e seguindo as diretrizes de segurança estabelecidas para conter o avanço da Covid-19. Saúde em primeiro lugar, sempre. Isso é o mais importante. Por isso a Cooperativa estará entregando a cartilha “Normas de Safra” explica Renê Tonello Presidente da Cooperativa Vinícola Aurora.
Renê ressalta que, por se tratar de recomendações, “visa também higienização durante atividade de colheita da uva”. Lembra ainda que, como o coronavírus pode persistir por horas ou dias, a depender da superfície, da temperatura e da umidade do ambiente, uma das estratégias mais importantes para evitar a exposição é redobrar os cuidados com a higiene e seguir as diretrizes de segurança estabelecidas pelo Decreto Municipal.

Cartilha com orientações voltadas ao produtor rural sobre as normas de safra 2020/2021

Cave do Sol ganha novas obras de arte

Instalações feitas com peças da antiga vinícola reverenciam a história da família e da vitivinicultura brasileira compondo um museu com passeio interno e a céu aberto

Vista Cave do Sol Foto: Cave do Sol Foto Augusto Tomasi

Quem visita a Cave do Sol, no Vale os Vinhedos, se depara com um monumento moderno, contemporâneo. Mas ao conhecer mais de perto a vinícola descobre que o empreendimento está impregnado de arte e história. Antigas peças e equipamentos da vinícola desativada deram origem a obras de arte pelas mãos de artistas locais. Ao todo são 18 peças de diversos portes que fazem um caminho que passeia pelo jardim da empresa e por vários ambientes internos. Oito delas acabam de ficar prontas, juntando-se às demais que estão no local desde a inauguração da vinícola no início de setembro. Todas têm o Sol como protagonista.

Roda Sol Fotos: Jeferson Soldi

Na área externa, o anfitrião Sol Negro, as Uvas ao Sol e os Destiladores ganham a companhia do Jardim do Sol, uma coleção delirante de plantas de diferentes formatos e cores vibrantes. Construída com peças de diversos equipamentos antigos, a obra nasceu para alegrar os visitantes e homenagear a natureza local. A inspiração partiu de plantas originais da região, mas as cores foram escolhidas pelo próprio artista, Rubens Sant’Anna. A obra está localizada ao lado do espaço pet. Ainda na parte externa está o Painel Solar de Controle, próximo ao Destilador. A peça representa a complexidade do processo que foi e está cada vez mais complexo. São operações que exigem controle de pressão, de temperatura, de vazão. Hoje, peças esquecidas e superadas, testemunhas de uma era que foi determinante na evolução do que se tornou automação.

Jardim do Sol

Sol Estralado

Ao entrar na vinícola, entre a loja e a vinheria, está a Prensa Solar, uma antiga e preciosa peça que já foi prensa para a extração de suco. Colorida pelo tempo, traz o verde que remete à natureza e a ferrugem que cobre as partes metálicas. Por frestas onde corria o sumo, agora surgem raios de sol que despertam com a aproximação dos visitantes e descansam até um novo espetáculo ao se afastar. A obra ganha vida com luminotécnica.
A maior concentração de peças está na Cave. O Esquadrão Solar, tal qual escudos que defendiam e bloqueavam os bravos centuriões romanos, agora exibe tampas de piletas que se divertem irradiando luzes dançantes a todos que delas se aproximam. O Sol Estrelado é curioso, pois um dia serviu de distribuição de água e de repente se transforma em Sol e estrelas. Para o artista, quando o Sol está acordado, incontáveis estrelas se somam ao seu brilho, e o Astro Rei passa a dominar a escuridão da noite, tendo como companhia as estrelas que se recusam dormir.
Ainda na Cave está O Mil Folhas de Raios de Sol. Usado para o processo de resfriamento por onde passaram milhões de litros de água, agora ganham a companhia dos raios de Sol, dando movimento a uma dança ilusionista luminosa. Manhosos, os raios exigem companhia, repousando quando solitários. Já as magníficas peças que libertaram milhões de litros de suco de uva e vinho confinados em tanques e piletas, se transformaram no Lança Raio Solares, torneiras que hoje lançam raios de Sol ao serem provocadas.

Prensa Solar

Por fim, a Roda Sol. Localizada na Sala do Sol da Cave, esta obra foi construída com o aproveitamento de duas peças: uma pesada chapa de ferro colorida de ferrugem pelo tempo e uma roda que movimentou correias e esteiras para transportar milhões de litros de suco e vinho ao longo de décadas. Assim como nas demais obras, o artista trabalhou a luminotécnica, criando efeitos mágicos de luzes e tons com a aproximação do visitante. É o Sol saudando todos que se aproximam. As obras da coleção de sucatas de arte da Cave do Sol foram criadas e executadas por Rubens Sant’Anna que contou com o Studio Luminescence na parte da luminotécnica.
As Uvas do Sol, um painel medindo 4 metros x 2 metros, que fica no restaurante ao lado do Solarium, foi feita a quatro mãos. Rubens Sant’Anna e Aido Dal Mass assinam a obra que simboliza um cacho de uva, onde os frutos são representados pelos discos do destilador. Além disso, as paredes da cave são revestidas com tijolos da vinícola desativada e a madeira das antigas pipas de até 110 mil litros de vinho deu vida ao mobiliário, um testemunho de que não há vinho sem história. Isso sem contar as dezenas de objetos distribuídos pelo roteiro da visitação, peças que fazem a cronologia do vinho. Quem visita a Cave do Sol degusta arte o tempo todo, da taça a cada detalhe da visita. A abundância do acervo foi inspiração para envolver artistas locais. A Cave do Sol é a única vinícola do Brasil a seguir esta proposta.

Mil Folhas de Raio de Sol

OBRAS
Área externa
Destiladores
Jardim do Sol
Painel Solar de Controle
Sol Negro
Uvas ao Sol

Área interna
A Roda Sol
As Uvas do Sol
Esquadrão Solar
Lança Raios Solares
O Mil Folhas de Raios de Sol
O Sol Estrelado
Prensa Solar

SERVIÇO
De segundas e sábados, das 10h às 17h
Domingos, das 10h às 16h
Contatos: 54 2521.2599 | 54 98418.9882 | turismo@cavedosol.com.br

Tramontini investe no mercado de tratores de montanha

Loja em Bento Gonçalves será inaugurada no dia 15 de outubro (Foto: Divulgação)

A primeira loja da Serra Gaúcha, aberta em Bento Gonçalves, se destaca pelos tratores para agricultura em locais de difícil acesso, desenvolvidos para dar maior segurança ao operador.  Essa loja vem para consolidar os 4 anos de sucesso em vendas que a TramontiniAntonio Carraro vem conquistando em todos os municípios da Serra Gaúcha além de Minas Gerais e Santa Catarina.
A parceria Tramontini e Antonio Carraro iniciou em 2016, com a busca pela introdução no mercado brasileiro dos tratores especiais para cultivos em regiões montanhosas. De olho em um nicho de mercado bastante específico, os tratores para regiões montanhosas, fizeram com que a fabricante gaúcha Tramontini investisse em uma revenda da marca italiana Antonio Carraro no Estado. Um mercado literalmente com alto potencial no Rio Grande do Sul.

Segundo o Gerente Comercial da Tramontini, Everton Coutinho, “objetivo é de estar cada vez mais próximo do produtor e mostrar que existe uma tecnologia voltada para agilidade nas manobras, estabilidade nos terrenos acidentados, versatilidade no deslocamento e conforto ao operador. Por isso, trabalhamos com a possibilidade de abrir novas unidades em cidades vizinhas” salienta Coutinho.

Desenvolvidos para dar maior segurança ao operador, apresentam alta performance, são compactos, possuem baixo centro de gravidade, bloqueio do diferencial e raio de giro reduzido. Um dos grandes diferenciais, “Enquanto um trator agrícola convencional opera, no limite, a 12 graus de inclinação, os tratores italianos podem ser usados em locais com até 25 graus (dependendo do tipo de terreno e aplicação) de inclinação com segurança. Ou seja, com um nível de segurança muito maior para o operador, que enfrenta riscos reduzidos de tombamentos”, explica o gerente de vendas, Everton Coutinho.

São cinco modelos comercializados no Brasil, com valores entre R$ 100 mil e R$ 200 mil. O setor de engenharia da Tramontini tem desenvolvido componentes nacionais que estão sendo gradativamente adicionados aos tratores italianos, na fábrica localizada em Venâncio Aires. Na nacionalização entra até mesmo a colocação de cabines, pouco usadas na Itália. As mesmas tem sido produzidas diretamente na serra gaúcha por parceiros locais O produtor
exige ou escolhe a cabine por mais conforto e segurança, questões de clima, mais pulverizações em pomares e videiras e por ser geralmente o próprio dono que opera o veículo, avalia Coutinho. Além disso, por lei, é necessário contar com sirene e luz de ré, entre outros itens.

Margô Perin de Monte Belo do Sul faz uso do trator

Eleitora de 95 anos e 89 não abrem mão do direito de votar em Pinto Bandeira

Amabile Maria De Bortoli Chimelo, eleitora de 95 anos e Irma Maria De Toni Salvati, de 88 anos Foto: Marlove Perin

Mesmo sem a obrigação legal, Amabile Maria De Bortoli Chimelo, eleitora de 95 anos foi até a urna no dia da eleição e exerceu seu papel de cidadã em Pinto Bandeira. Quem também votou, foi Irma Maria De Toni Salvati, de 88 anos.
Ambas afirmaram que sempre participaram de todos os processos eleitorais, em especial as duas últimas eleições porque fizeram questão em votar para o prefeito reeleito, Hadari Ferrari.
Segundo dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que 147.918.483 eleitores brasileiros estão aptos a votar nas Eleições 2020.

Prefeito Hadair Ferrari com Amabile Maria De Bortoli Chimelo, e Irma Maria De Toni Salvati Foto: Divulgação

Voto obrigatório e voto facultativo
Existem 133.377.663 eleitores com voto obrigatório e outros 14.538.651 cujo voto é facultativo. Entre os eleitores com voto obrigatório, a maior parte está na faixa etária de 35 a 59 anos, sendo 67.011.670 no total. Já os eleitores jovens, na faixa etária de 18 a 24 anos, somam 19.040.756 cidadãos.
O eleitorado com voto facultativo apresenta uma curiosidade: existem 65.589 idosos com mais de 100 anos que estão com as obrigações eleitorais em dia e poderão ir às urnas.
Ainda sobre esses eleitores que não são obrigados a votar, mas fazem questão de exercer a cidadania por meio do voto, estão 1.030.563 jovens entre 16 e 17 anos; 8.784.004 idosos entre 70 a 79 anos; e 4.658.495 idosos de 80 a 99 anos.

Vereadores Progressistas de Pinto Bandeira sugerem medidas de combate ao Coronavírus

Um dos temas da próxima sessão legislativa que será realizada no dia 22/12 terá medidas de combate ao Coronavírus em Pinto Bandeira.
Entre as sugestões, indicação dos vereadores progressistas, Adair Rizzardo, Gerson Odorcik e Silvana Ceccon Burlini, assim que disponível destine o recurso financeiro do exercício de 2020 que será devolvido pela Câmara Municipal para aquisição de vacinas ao combate do COVID-19.
Segundo o Presidente do Legislativo, Adair Rizzardo, haverá a expectativa da devolução de recursos no valor de R$229.000,00.

Assinados contratos da Lei Aldir Blanc em Pinto Bandeira

Os contratos contemplados pela Lei Aldir Blanc foram assinados no dia 07/12 na Prefeitura de Pinto Bandeira. Os selecionados apresentaram projeto por meio do edital de Chamada Pública disponível no site da prefeitura. Quatro projetos foram selecionados para receberem o dinheiro, são eles: Espaço Felicitta (histórias que contam); Grupo Ricordo Del Paese (Filó Italiano- A casa da nona); Jeverson Carelli (Programa Trilhos) e Nelcir Carelli (Hino à Pinto Bandeira). Diante do momento de pandemia da Covid-19, todos os projetos serão apresentados por meio das plataformas Youtube, Facebook ou Instagram, para todos poderem acompanhar.  Os horários e dias das apresentações serão comunicados pelas redes sociais da prefeitura e dos selecionados posteriormente.

Lei Aldir Blanc
A Lei nº 14.017, de 29 de junho de 2020, carinhosamente denominada Lei Aldir Blanc, foi criada com o intuito de promover ações para garantir uma renda emergencial para trabalhadores da Cultura e manutenção dos espaços culturais brasileiros durante o período da pandemia do Covid‐19

Campanha dos Sindicatos Regional Serra entrega prêmios

Na terça-feira, dia 15/12, em Garibaldi, ocorreu o sorteio dos prêmios da Campanha dos Sindicatos Regional Serra. Os prêmios foram entregues pelo Presidente Cedenir Postal.
Os premiados foram:
Prêmio de R$1.000,00 – Evanir Colle, Linha Armênio, Monte Belo do Sul
Prêmio de R$500,00 – Paulo Festa, Linha Leopoldina, Bento Gonçalves
Prêmio de R$500,00 – Avelino Varnier, Linha 40 da Graciema. Bento Gonçalves.
São 22 sindicatos que todos os anos sorteiam dois prêmios de R$ 500,00 para cada sindicato e mais cinco prêmios entre os 22 sindicatos.

Vinhos Nacionais é a maior loja de rótulos brasileiros

Portfólio ultrapassa 800 rótulos ‘brazucas’ de seis estados brasileiros. Meta é ter exemplares de todas regiões produtoras para conversar com o novo consumidor

Foto: Diivulgação

De gaúchos, a Vinhos Nacionais nasceu física há 10 anos e desde o ano passado passou a contar com loja virtual. O vinho brasileiro se tornou o cerne do negócio ainda em 2018, mas a virada de chave aconteceu mesmo na metade de 2019, quando a marca entrou para o mundo digital. A escolha já demonstrava que não poderia ter sido melhor, e este ano, com a pandemia, os sócios viram saltar de 30% para 90% a venda de vinhos e espumantes brasileiros. Hoje, são mais de 800 rótulos de 73 vinícolas localizadas em seis estados brasileiros, sendo eles: Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.
Mas o trabalho de garimpar novos rótulos não para, ainda mais quando o desafio é ter opções também do Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso e Pernambuco, onde também há produção de vinhos e espumantes. “Rodamos o mundo inteiro e seguimos apaixonados por vinhos nacionais. Nos tornamos ativistas do vinho brasileiro, tanto que a nossa loja virtual só tem rótulos nacionais. E a pandemia está permitindo que os consumidores descubram, percebam e aprovem a qualidade e diversidade dos rótulos daqui”, destaca Leonardo Curra, que divide a empresa com o irmão César, a mãe Eloisa e o pai Julios. “A Vinhos Nacionais é um lugar de liberdade. Aqui abrimos garrafas e mentes”, ressalta.
Administrador e sommelier, Léo, como é conhecido, explica que a mudança de comportamento do apreciador de vinhos gerada pelo Coronavírus, também influenciou na escolha do rótulo. Hoje, a preferência recai sobre produtos com maior valor agregado. “Os mais procurados são vinhos com valor acima de R$ 100. Antes da pandemia a realidade não era essa”. Léo relata que este ano já foram vendidas 60 mil garrafas, enquanto todo ano passado foram 33 mil e em 2018, 20 mil. “A procura pelos vinhos nacionais vem aumentando, consideravelmente, e isso nos deixa muito felizes. Acertamos na escolha, mas acima de tudo, vemos que o brasileiro já tem a percepção de que o nosso vinho tem qualidade, diversidade de estilos e excelente relação custo-benefício”, comenta.
Antes da pandemia, a loja chegava a ficar com um vinho nacional de R$ 300 parado por mais de 2 anos, o que não acontece atualmente. Com rótulos de vinícolas de pequeno, médio e grande porte, a Vinhos Nacionais tem como regra conhecer todas as vinícolas, degustar os produtos e ter uma política de negociação capaz de oferecer ao consumidor final preços justos. “Nenhum rótulo entra para o nosso portfólio sem antes ser degustado e aprovado por nós, safra a safra”, garante. A loja opera com rótulos com preços que variam de R$ 29,90 a R$ 799, com entrega em todo o país, sendo que São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul são os grandes mercados de atuação. Além de vinhos, espumantes e sucos de uva, a loja também vende azeites de oliva do Brasil.

Bebendo Liberdade
O reposicionamento da Vinhos Nacionais vem para conversar com o consumidor que, como a empresa, encontrou nos vinhos brasilieros um mundo novo, um ato de transformação e de liberdade para o consumo da bebida. Assim, além de contar agora com novo logotipo, que valoriza a intensidade, a clareza e as linhas orgânicas, a empresa assume um novo posicionamento institucional: Bebendo Liberdade.

Goles de história
A loja física da Vinhos Nacionais nasceu há 10 anos em Flores da Cunha. Em 2016, mudou-se para Caxias do Sul e no ano passado entrou para o mundo digital. A direção geral da empresa cabe ao pai Julios César Curra, que tem a esposa Eloisa Viapiana Curra como Diretora Financeira. Os filhos, César Curra, Sommerlier Internacional e Diretor de Compras, e Leonardo Curra, Especialista em Vinhos e Diretor Comercial, atuam mais diretamente com o mercado. A loja física está localizada na rua Bento Gonçalves, 2.921, no bairro São Pelegrino, em Caxias do Sul. O endereço da loja virtual é www.vinhosnacionais.com.br.

Cooperativa Vinícola Garibaldi reafirma excelência de produtos com coleção de reconhecimentos

Em 2020, marca conquistou 67 distinções em concursos pelo mundo

Fotos: Cassius Fanti

Nos últimos anos, os produtos da Cooperativa Vinícola Garibaldi experimentaram uma forte tendência de internacionalização. A presença em concursos mundo afora veio coroada por um grande número de premiações – 67 somente neste ano –, alavancando a imagem da marca no Brasil e no mundo, com produtos de qualidade certificada internacionalmente.
Mas como uma vinícola de forte presença comunitária consegue obter tamanho alcance global? A resposta está no fazer bem feito. “Gostamos de empregar paixão em todas as partes do processo que envolve elaborar um rótulo. É o manejo no campo, o constante contato com o associado, o cuidado na colheita e nos métodos de vinificação”, aponta o presidente da cooperativa, Oscar Ló.
Depois de ter sido pelos últimos dois anos seguidos a vinícola brasileira mais premiada, a marca gaúcha voltou a registrar em 2020 um desempenho performático em conceituados concursos mundiais. Foram distinções em países-ícones da produção vitivinícola – Itália e França – e também em nações que importam grande quantidade de vinho, caso da Inglaterra.
Na Itália, a vinícola estreou no exclusivo 5StarWines – The Book 2021, guia internacional organizado pela Vinitaly, a maior feira de vinhos do país. E com dois produtos, Garibaldi Prosecco Rosé Brut – o único do Brasil e o Espumante Garibaldi Moscatel. Na França, o feito foi com o Espumante Garibaldi Chardonnay, eleito o melhor do Brasil entre os participantes do concurso Citadelles du Vin, enquanto o Garibaldi Espumante Prosecco Rosé, o Garibaldi Espumante Moscatel e o Garibaldi Espumante VG Extra Brut saíram medalhados do Decanter World Wine Awards, na Inglaterra.
Outro destaque foi a medalha conquistada no mais antigo concurso de vinhos da Ásia, o Japan Wine Challenge, realizado em Tóquio, no Japão. O Espumante Moscatel Amaze, produção exclusiva para o mercado internacional, saiu do certame com medalha, a única de uma vinícola brasileira na prova.
Mas as quase 70 premiações alcançadas neste ano também tiveram a contribuição de conquistas obtidas no Brasil. Por aqui, por exemplo, o Riesling Granja União concedeu à casa o título de melhor vinho branco não aromático da Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020. A vinícola também saiu do Brazil Wine Challenge com o maior número de espumantes premiados do certame – oito no total.
Com esse retrospecto obtido tanto nos certames internacionais quanto nos nacionais, a Cooperativa Vinícola Garibaldi reafirma as estatísticas como uma das vinícolas brasileiras mais premiadas no mundo – título do qual foi bicampeã em 2018 e em 2019. Mas reforça, principalmente, as peculiaridades de seus produtos, assinados pelo talento de quem está há quase 90 anos fazendo o que mais sabe: engarrafar qualidade em cada rótulo.

Monte Belo do Sul ganha espetáculo natalino drive-in neste sábado

Neste sábado, dia 19, Monte Belo do Sul terá atração de Natal, a partir das 19h30min, na Praça Padre José Ferlin em formato drive-in, ou seja, as famílias deverão acompanhar e permanecer dentro dos veículos. Serão exibidos videoclipes de artistas locais e apresentação do Grupo Acordes, do projeto “Monte Belo: Música, Canto e Dança”. Em seguida, o Papai Noel irá distribuir presentes às crianças da cidade. A programação também será transmitida pelo Facebook Visite Monte Belo (fb.com/visitemontebelo).
A Prefeitura Municipal salienta que estará seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19 e pede a colaboração e cuidados da comunidade para vivenciarmos um momento especial, de alegria e celebração.