Caixa Forte: O Valor da Cooperação na Aurora

Cooperativa formada por descendentes de italianos é a maior Vinícola do Brasil. Uma história que foi construída por famílias ao longo de 85 anos

Cérgio Ferro, 69 anos é agricultor. No município de Monte Belo do Sul junto com a esposa Ereni, 64 anos e os dois filhos Michel, 34 anos e César 38 anos, ele dá sequência à tradição herdada dos pais: produzir uvas. Uma família inteira envolvida na produção da fruta. Toda a produção da família vem diretamente para a cooperativa Aurora, empresa que processa mais 60 toneladas de uvas e tem 1.100 famílias associadas.

“A Cooperativa Aurora é nossa segunda família. Somos cooperados que preservamos o lastro familiar. Temos orgulho e honra em fazer parte da empresa. É uma cooperativa que une as famílias e valoriza os associados. Passamos por dificuldades, como tudo na vida” resume o produtor.

Cérgio conta que no começo os produtores traziam o vinho para a Aurora de bigunço. “Eu tinha um caminhão Ford F350, naquela época era muito trabalhoso e sofrido”. Todo esse trabalho dos nossos antepassados ajudou para que a Aurora não se transformasse apenas em uma cooperativa, mas se misturasse com a história das pessoas. Ereni se sente realizada e tem orgulho de seus dois filhos seguindo e aprendendo com pai.

O sentimento exposto pela família vai muito além da gratidão. Assim como ele, muitos agricultores sabem que a base da filosofia cooperativista está na aliança onde cada um faz a sua parte: o agricultor entrega a sua produção na cooperativa e em troca conta com um canal de produtos e assistência técnica.

“O grande desafio da Aurora agora é que os jovens continuem o que seus antepassados começaram. A maioria dos cooperados tem mais de 60 anos de idade. A cooperativa é muito forte e tem alma, e os jovens precisam amá-la tanto quanto os mais velhos. Sabemos que a tentação de ir embora é muito grande. Penso que este é o momento de recebermos bem esses jovens e mostrarmos para eles que não só a qualidade de vida, mas o próprio ganho financeiro na produção da uva reserva um futuro mais promissor. Por isso queremos valorizar o nosso produtor e incentivá-lo a ficar na propriedade rural” diz o presidente da Aurora, Itacir Pedro Pozza.

Produção

Até o momento, cerca de 20 mil quilos de uva da variedade Pinotage e Riesling foram colhidos. A projeção do agricultor é somar, até o final da safra, 200 mil quilos em 9,5 hectares. “A uva está boa este ano” — garante Cergio, que terá ajuda de familiares e safristas nas próximas semanas para intensificar a colheita.

Fotos: Marlove Perin

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.