Família Perin: Uva como alternativa de renda na propriedade rural

A produção de uvas sempre foi a principal atividade da família Perin desde quando chegou a Monte Belo do Sul. Entre os produtores da fruta, está o cooperado da Vinícola Aurora Gilberto Perin, de 47 anos, que vive com a família, na Capela São Pedro e cumpre muito bem essa função cultivando quatro hectares das espécies: Isabel, Processo, Egiodola, Coder 13, Niagara, Moscato, BRS Cora e Lorena. Com ajuda do cunhado Renato Damiani, 43 anos, e da irmã Gilda, 42 anos, eles tocam a propriedade. Uma família inteira envolvida na produção de uvas.

“Meu pai foi a base. Ele começou com uma pequena plantação. Com o passar As condições de trabalho mudaram da água pro vinho. Hoje tem técnica, tem maquinário, mais facilidade” relembra Gilberto.

“Os trabalhos diários não são fáceis, trabalhamos em uma empresa de céu aberto, dependemos do clima para tudo. É preciso dedicação, planejar o trabalho e ter cuidado com a planta, pois se a planta não está bem a qualidade da uva não atinge sua totalidade. Para isso contamos com orientação dos técnicos, acompanhamento continuo e apoio da cooperativa” comenta Gilberto. Para eles, assim como para as outras famílias da região, o bem mais precioso é ser agricultor cooperado. ““Temos orgulho da Aurora”.

Neste ano, ainda não é possível fazer uma previsão de como será a próxima safra, já que a planta ainda está em brotação, algumas em floração. A maior parte ainda não formou o cacho, avalia o produtor. “É muito cedo para saber, mas, a grosso modo, é uma safra normal, mesmo com as adversidades de poucas horas de frio” comenta Gilberto.

O pico da colheita ocorre entre janeira a de março, algumas variedades mais precoces ficam prontas já a partir do final de dezembro, em regiões mais quentes. É entre dezembro e fevereiro que a família de Gilberto deve colher a uva.

Fotos: Divulgação