Cooperativa Aurora faz a diferença na vida das famílias associadas

“Antigamente dizia-se que a Aurora era formada por associados, hoje se diz que ela é uma família”, afirma o produtor de Pinto Bandeira, Rizzardo

Uma história de dezesseis famílias de produtores de uvas que com muito trabalho se transformaram em 1.100 famílias associadas à Cooperativa Aurora, produzindo em média 60 milhões de quilos de uvas. Nesta trajetória construída com trabalho e união, exaltando sempre os princípios do cooperativismo que a família dos irmãos Roberto, Rosalino, Rene e Adair Rizzardo, de Pinto Bandeira, está integrada.

Com reconhecimento do legado deixado pelo patriarca da família, Silvestro Rizzardo, um dos primeiros conselheiros da Cooperativa, o filho Rizzardo exalta o trabalho visionário do pai, que deu início a uma história de sucesso. “Nosso pai foi um dos grandes responsáveis pela concretização do sonho de crescimento das lavouras vitivinícolas da família e de levar adiante os valores da cooperação e do compromisso com o desenvolvimento local da comunidade, sempre junto com a Aurora”.

Obstinado com o desenvolvimento e acreditando na força do trabalho e da união da Cooperativa, os filhos: Rene, Roberto e Adair ao atingir a maioridades eram incentivados a adquirir o talão do produtor, como uma forma natural de adquirir conhecimento na produção e garantia no escoamento da safra, na Cooperativa. “A Aurora faz parte da vida do associado ao propiciar segurança na produção e retorno garantindo na comercialização. Antigamente dizia-se que a Aurora era formada por associados, hoje se diz que ela é uma família”, ressalta Rizzardo.

“Meu pai foi a base. Ele começou com uma pequena plantação de uvas. Com o passar do tempo as condições de trabalho foram mudando. Os maquinários foram nos ajudando no trabalho mais pesado e hoje temos mais condições” lembra o filho mais velho Roberto.

Na propriedade de 5,5 hectares da Linha Buratti são cultivadas as variedades Isabel, Isabel Precoce e Niágara. Para manter o nível produtividade e qualidade da safra, a família de produtores conta com apoio dos técnicos da Cooperativa. Neste ano, ainda não o é possível fazer uma previsão de como será a próxima safra, já que a planta depende do clima “Estamos no período de brotação das parreiras e pelo o que se vê até o momento, teremos bons volumes de produção. Porém, isso depende do clima, se continuar assim, nossa safra 2018 será excelente” afirmou Rosalino.

Fotos: Marlove Perin