Tecnovitis 2017, 0 Maior Encontro do Setor Vitícola do Brasil

A 2ª edição da Feira de Tecnologia para a Viticultura, será realizada Bento Gonçalves no mês de dezembro

A região da Serra Gaúcha é referência nacional na vitivinicultura e Bento Gonçalves é reconhecida como uma das mais expressivas produtoras de vinhos do país. Para traduzir em números, estamos falando de aproximadamente 15 mil áreas produtoras de uvas no Estado e, segundo o Cadastro Vitícola, pouco mais de 10 mil estão concentradas na Serra Gaúcha. São mais de 40 mil hectares de áreas de vinhedos produtivos. Até o último estudo, publicado no ano de 2015, são mais de 160 cidades produtoras de uvas no Estado. Na safra de 2017, foram processados mais de 753 milhões de kg de uvas no RS. “Nossa expectativa é muito positiva, estamos trabalhando para receber cerca de 20 mil visitantes, pois o evento será de integração, comercialização e muito conhecimento aos nossos viticultores do estado e outras regiões do país”, destaca Elson Schneider, o presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha, promotor e realizador do evento.

Sobre a feira

A feira acontece de 06 a 08n de dezembro de 2017, das 10h às 18h, em uma área superior a 25 mil metros quadrados, no coração da região produtora e em uma das regiões vitivinícolas mais conhecidas do país, o Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves – RS. A visita, em um fluxo orientado, inicia pela área coberta, com fornecedores de pequenos materiais, equipamentos e a produtores da agroindústria familiar. Seguindo para a Área 2, chamada de Parreiral Demonstrativo, onde serão apresentados os tratamentos realizado nos vinhedos, além de um modelo para o depósito de defensivos agrícolas. Na Área 3, além das entidades parceiras, o espaço de alimentação, descanso e sanitários. Na Área 4, visita ao Parreiral Modelo, seguido do espaço de exposição dinâmica de máquinas e implementos. Por fim, a Área 5 terá a concentração maior de expositores, com máquinas e equipamentos, casas agrícolas e demais fornecedores da cadeia de cultivo da uva. O evento é gratuito e não requer cadastro antecipado. Informações adicionais pelo site: www.tecnovitis.com.br, pela página da feira no Facebook/Tecnovitis, ou pelo e-mail contato@tecnovitis.com.br.

Seminários Técnicos

A participação nos Seminários Técnicos se dará mediante inscrição antecipada, em link específico para tal, no site Tecnovitis 2017 (www.tecnovitis.com.br). Os seminários serão realizados no Centro de Eventos do Villa Michelon, nos dias 06, 07 e 08 de dezembro, iniciando às 8h a recepção e encerramento previsto para as 10h30min, nos três dias. Ao todo, serão três seminários, com estimativa de 300 pessoas por evento, totalizando 900 participantes.

1º – Seminário Técnico

06 de Dezembo de 2017, Quarta-Feira

Tema Central: Legislação

Vinho colonial – Registro

Simples Nacional

Mudanças recentes na legislação da Vitivinicultura

A arte da elaboração de vinhos está presente na cultura brasileira e gaúcha, desde o início da colonização do Rio Grande do Sul. O plantio de uvas e a elaboração de vinhos propiciaram o surgimento de inúmeras vinícolas que hoje respondem por mais de 90% da produção nacional de vinhos. Porém a legislação para o registro de pequenas vinícolas seguia a mesma legislação das grandes indústrias. Com o esforço de várias entidades ligadas a agricultura familiar, foi possível criar uma legislação específica para o registro das Vinícolas Familiares, que será apresentada nesta palestra. Também serão abordados os temas do imposto, com o Simples Nacional e as mudanças recentes na legislação da vitivinicultura.

Vinho Colonial – Registro

Palestrante: Thompsson Benhur Didone – Ascar/Rs – Emater

Apresentar o Projeto Piloto de Registro de Vinícolas Coloniais, coordenado pela EMATER/RS-ASCAR, em algumas propriedades familiares de Bento Gonçalves e região, que objetivou nivelar os procedimentos com as entidades ligadas à orientação, registro, fiscalização e responsáveis técnicos.

– Relatar as experiências no Registro das Vinícolas Coloniais do Projeto Piloto e os procedimentos que serão sugeridos nos futuros registros.

Simples Nacional

Palestrante: Romulo De Jesus Dieguez De Freitas – Advogado

Sancionado em 25/07/2016, o Simples Nacional inclui o setor vitivinícola e entra em vigor em 2018, ampliando o limite de faturamento de R$ 3,6mi para R$ 4,8mi e cria as Empresas Simples de Crédito para facilitar o acesso ao crédito para as micro e pequenas empresas. O limite de faturamento para os microempreendedores individuais passa de R$ 60 mil para R$ 81 mil. As empresas optantes pelo Simples Nacional passam a pagar um tributo único que varia conforme a faixa de faturamento, é preciso uma análise de cada caso para avaliar se compensa o enquadramento do produtor.

Mudanças recentes na legislação da Vitivinicultura

Palestrante: Kelly L. Bruch – UFRGS e IBRAVIN

A Legislação vitivinícola sofre alterações com frequência, o objetivo desta palestra é informar os viticultores e vinicultores sobre as mudanças ocorridas nos últimos dois anos. Alguns exemplos: Revogação da obrigação de uso do Selo de Controle Fiscal para vinhos, IN Receita Federal 1.583 de 31/08/2015; Publicação de Decreto nº 8.471 de 22/06/2015 e IN n º 17 de 23/06/2015, que permite o registro, junto ao MAPA de produtor de vinho apenas com a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) para agricultores familiares; Padrões de Identidade e Qualidade de vinhos e derivados; Publicações da ANVISA para controle de alergênicos e rastreabilidade de produtos.

2º Seminário Técnico

07 de dezembro de 2017, quinta-feira

Tema Central: Boas Práticas na Viticultura

Depósitos de agrotóxicos/defensivos agrícolas

PAS UVA – Rastreabilidade

Produção Integrada de Uvas para Processamento (PIUP)

Uma viticultura moderna e competitiva não pode abrir mão do uso de tecnologia, desde o preparo do solo e da aquisição da muda quando da implantação do vinhedo até o transporte da uva para a vinícola. Em cada etapa, as chamadas “Boas Práticas” precisam ser aplicadas pelo produtor, para reduzir os riscos de perda de produtividade, qualidade e segurança do alimento. Boas Práticas são procedimentos que podem ser resumidos como o uso das melhores técnicas, aplicadas na hora certa e da maneira correta. Esta é a abordagem do Seminário: de forma prática e dinâmica, expor a produtores, técnicos e lideranças algumas das iniciativas que integram as boas práticas na viticultura e que, se bem aplicadas, permitirão ao produtor obter uma uva de melhor qualidade e um maior retorno do seu trabalho e do seu investimento.

Depósitos de Agrotóxicos/Defensivos Agrícolas na propriedade

Palestrante: Luciano Gebler – Embrapa Uva e Vinho

Quais os princípios que devem orientar a gestão dos resíduos de agrotóxicos na propriedade vitícola?

Esta palestra tem por objetivo apresentar esses princípios e as tecnologias desenvolvidas para orientar o produtor de modo a reduzir a contaminação ambiental por agrotóxicos.

PAS Uva para Processamento

Palestrante: Janine Basso Lisboa – Ibravin

Conceitos, práticas adotadas e orientações aos produtores que desejam aderir ao programa, que já contempla diversas vinícolas e produtores de uvas no sul do Brasil. O PAS Uva para Processamento é uma das iniciativas de maior sucesso na aplicação de boas práticas na viticultura e será detalhado nesta palestra.

Produção Integrada de Uvas para Processamento (PIUP)

Palestrante: SAMAR VELHO DA SILVEIRA – Embrapa Uva e Vinho

Características e potencial de ganho para produtores de uvas e vinícolas, ao utilizarem este sistema de produção. A Produção Integrada é uma política pública, coordenada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com foco na produção, certificação e rastreabilidade de alimentos. A PIUP é a aplicação da Produção Integrada (PI) para a cadeia vitivinícola e já proporcionou excelentes resultados na fase de pesquisa e validação.

03 – Seminário Técnico

08 De Dezembro De 2017, Sexta-Feira

Tema Central: Orgânicos

Insumos e Produção Orgânica em parreirais cobertos

Experiências (cases)

Viticultura Biodinâmica

Manejo na Cobertura

A produção orgânica de uvas, especialmente para suco e de mesa (em cobertura) tem, a cada ano, ampliada a área de produção e o número de produtores na Serra Gaúcha. A abordagem trará preciosas informações para quem está interessado em iniciar a conversão para este sistema de produção.

Insumos e Produção Orgânica em parreirais cobertos

Palestrante: Luís Carlos D. Rupp – IFRS

Apresentará as tecnologias e os principais insumos utilizados para o cultivo de uvas orgânicas em área coberta.

Experiências (cases)

Família de Jorge Salton e Gilberto Salvador

A família de Jorge Salton, de Faria Lemos, em Bento Gonçalves – RS, possui a maior área de uvas conduzidas sob manejo orgânico da Serra Gaúcha. Desde 1998, cultivam cerca de 10 hectares com uvas Isabel, Bordô e Zeperina, além de outros cinco hectares com uvas de mesa em sistema coberto. O Agrônomo Gilberto Salvador, do escritório municipal da Emater, assessorou esta família desde o início. Salvador apresentará o potencial de trabalho do sistema orgânico

Viticultura Biodinâmica

Leandro Venturini

O enólogo e coordenador do Centro Ecológico de Ipê tem mais de 20 anos de experiência com produção orgânica e apresentará os resultados alcançados até o momento pelo Grupo de Trabalho em Viticultura Orgânica e Biodinâmica do Ibravin.

Manejo na Cobertura

Ao final das três apresentações, os participantes poderão conhecer os vinhedos conduzidos organicamente, na área do Complexo Hotel Villa Michelon, de Niágara Rosada em sistema protegido e Bordô.

Palestras Técnicas

As Palestras Técnicas serão realizadas em pavilhão de lona, simultâneas à realização da feira, em intervalos de 30 minutos, durante todo o período do evento. Parte das abordagens será realizada pelos expositores , as demais serão realizadas por palestrantes técnicos.

Assuntos das Palestras – Quarta-Feira, 06/12

Erros mais comuns na Pulverização da Videira

-Otávio Dias Machado da Costa – IFRS

Serão abordados os erros que ocorrem no processo de pulverização da cultura e suas implicações na qualidade do tratamento fitossanitário. Para cada procedimento, será descrito o cenário que vem sendo encontrado no campo pelo Projeto Tecnologia de Aplicação, desenvolvido desde 2010. Os problemas serão abordados nos aspectos qualitativo e quantitativo, sendo apresentados os caminhos para a evolução técnica dessa importante operação.

Modernização da Colheita e da Logística

– Embrapa e Fecovinho

Esta palestra tem como enfoque a conscientização dos produtores, transportadores e vinícolas sobre os cuidados com a adequada colheita e transporte, desde a propriedade até a vinícola, de modo a reduzir as perdas e evitar danos à qualidade do produto final. O produtor trabalha para obter uma excelente uva, mas se não forem adotados os cuidados corretos, parte importante da qualidade perde-se após a colheita.

Segurança do Trabalho no campo

– Ildomar Engroff dos Santos – Embrapa Uva e Vinho

O viticultor é um profissional que precisa realizar as suas atividades com cuidado para preservar a sua saúde, em primeiro lugar. A palestra abordará a atenção que o produtor precisa dar aos aspectos que vão desde a ergonomia (postura corporal e esforço repetitivo), até o adequado manejo de máquinas e equipamentos.

Como fazer Enxertia Verde

– Daniel dos Santos Grohs – Embrapa Uva e Vinho

A enxertia verde ou herbácea é uma prática que vem aumentando o uso pelos viveiristas e produtores para obter mudas com maior qualidade e uniformidade, originando vinhedos mais produtivos. A palestra abordará as principais orientações e cuidados que o produtor deve ter ao utilizar esta tecnologia.

Assuntos das palestras – quinta-feira, 07/12

Preparo de Caldas Orgânicas

– Gilberto Luiz Salvador

O preparo de caldas orgânicas era uma tradição utilizada pelos imigrantes Italianos no cultivo das videiras, que foi praticamente esquecida com a introdução dos agroquímicos. O objetivo desta palestra é a retomada das técnicas no seu preparo e sua utilização, que é muito eficiente e mais de menor custo.

Qualidade de mudas e Doença do Tronco

– Marcus André Kurtz Almança – IFRS e Daniel Grohs – Embrapa

A produção de mudas com qualidade é uma das principais ferramentas para o sucesso na implantação de vinhedos. Além disto, esta ferramenta é fundamental para a redução na disseminação de fungos relacionados a Doenças de Tronco e para a redução de morte e declínio de plantas. O principal foco da palestra é apresentar técnicas relacionadas à produção de mudas com qualidade e o impacto destas técnicas na implantação/manutenção de vinhedos.

Manejo em Ambiente Protegido

– Henrique Pessoa dos Santos e Leonardo Cury – IFRS

A produção de uvas de mesa em ambiente protegido, por ainda ser considerado um “novo sistema produtivo”, apresenta muitos desafios e mudanças na forma de manejo de ambiente e planta ao comparar com a produção de uvas para consumo in natura no sistema convencional. Nesta palestra vamos apresentar os conhecimentos fundamentais referentes ao manejo de produção em ambiente protegido, alterações microclimáticas da planta e sua correlação com a fenologia e a produção, irrigação e qualidade do fruto produzido, custos de implantação, assim como expor aos participantes, os principais materiais e técnicas utilizadas para estruturar e cobrir os vinhedos destinados a este sistema de cultivo.

Assuntos das Palestras – Sexta-Feira, 08/12

Adubação na reconversão de Vinhedos

– George Wellington Mello – Embrapa Uva e Vinho

A adubação é um dos itens de maior importância na reconversão do vinhedo, tanto para estimular o desenvolvimento de plantas, quanto para obter vinhedos nutricionalmente equilibrados. Esta palestra terá como principal abordagem as recomendações de adubação orgânica e mineral, calagem e redução dos impactos da contaminação por cobre, quando da conversão dos vinhedos.

Como reconhecer e evitar as viroses nos vinhedos?

– Thor Vinícius M. Fajardo – Embrapa Uva e Vinho

Vírus são causadores de grandes prejuízos à produção e qualidade da uva. Para reduzir o impacto das viroses, é preciso saber identificar os sintomas e conhecer as formas de implantar e manejar os vinhedos, para que se mantenham sadios e produtivos. Essa palestra dará enfoque na identificação das principais viroses encontradas na viticultura brasileira, bem como ênfase nas orientações técnicas de diagnóstico e redução da disseminação dos vírus causadores.

Acúmulo de Cobre no Solo

– Diovane Freire Moterle – IFRS-BG

O uso da calda bordalesa para o controle de doenças fúngicas na videira causa o acúmulo de cobre no solo. Em áreas com altos teores de cobre, é preciso utilizar estratégias de manejo de solo que minimizem o efeito deste metal sobre o desenvolvimento das plantas. O objetivo desta palestra é apresentar orientações de manejo de solo para que o agricultor possa conviver com este problema.

Fotos: Divulgação