Dois últimos ursos são resgatados no Nepal

Animais sofrem com traumas psicológicos após viverem anos de abuso e receberão cuidados especiais

Com os dentes removidos, os narizes perfurados com uma barra quente e amarrados, os dois últimos ursos que eram obrigados a se apresentar para espectadores no Nepal foram resgatados. O macho Rangila, de 19 anos, e a fêmea Sridevi, de 17, eram mantidos na cidade de Iharbari. A polícia rastreou os celulares dos proprietários do local onde estavam os animais e os encontraram em um estado que classificaram como “angustiante”. A ideia é futuramente transferir Rangila e Sridevi para um santuário da vida selvagem na Índia. D’Cruze tem esperança de que os ursos possam se recuperar dos maus-tratos sofridos.

Segundo Neil D’Cruze, da ONG Proteção Animal Mundial, contou ao “Huffington Post”, que os ursos dançarinos são ilegais no Nepal de acordo com a Lei de Proteção da Vida Selvagem de 1973. Ele disse ainda que essa prática centenária foi encerrada em países como a Grécia, a Índia e a Turquia. E acrescentou que os grupos internacionais de proteção animal tentam acabar com ela no Paquistão.

“Ambos os ursos (Rangila e Sridevi) estão em condições psicológicas péssimas, mostrando sinais de comportamento estereotipado, incluindo chupar as patas e balançar constantemente a cabeça, além de agressividade, devido ao treinamento cruel e constante que sofreram no cativeiro”, disse D’Cruze.

Os ursos foram levados para um parque nacional no Nepal. De acordo com a “National Geographic”, os dois dos homens que os possuíram foram temporariamente contratados para cuidar deles no parque. A medida visa a ajudá-los financeiramente para que não dependam mais da dança do urso para seu sustento.

Fotos: HANDOUT / AFP

0 respostas

Deixe uma resposta

Comente este artigo
Descreva sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze + 16 =