Atenção, agora o agrônomo passa a ser responsável por misturas de agrotóxicos

O Ministério da Agricultura anunciou acordo com entidade que representa os profissionais de agronomia

Da esquerda para a direita: Luís Rangel, secretário de defesa Agropecuária; Blairo Maggi, ministro da Agricultura; Joel Krüger, presidente do Confea (Foto: Paulo Lázaro/Mapa)

Agora, todos os engenheiros agrônomos do país passaram a ser responsáveis pelo receituário de produtos a serem aplicados em suas lavouras, além das misturas nos tanques de aplicação. É o que garante uma acordo de cooperação técnica entre o Ministério da Agricultura (Mapa) e o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

De acordo com o Ministério da Agricultura (Mapa), o acordo significa um “empoderamento” para o agrônomo. pois antes o mesmo deveria seguir a risca as bulas dos produtos emitidas pelo fabricantes.

Valendo por quatro anos, o acordo poderá ser renovado por outros quatro e a entidade ficará responsável pela fiscalização do exercício profissional do agrônomo.

Para o secretário de Defesa Agropecuária, Luís Rangel, regulamentar a responsabilidade do agrônomo sobre a mistura dos tanques tira do produtor rural o peso de uma “irregularidade involuntária”. Para o Confea, o acordo nivela as informações sobre a utilização e a fiscalização dos agrotóxicos.