Em Santa Catarina, estudantes criam criam projeto para irrigação de hortas

Como uma alternativa sustentável para a irrigação das hortas na cidade, em Florianópolis (SC), cinco estudantes do 6º ano do Centro Educacional Marista Lucia Mayvorne utilizaram o processo de dessalinização da água do mar para irrigar as hortas.

Foto: A água dessalinizada pode ser usada para a irrigação das hortas em Santa Catarina // Créditos: Pixabay

Batizado de “Pane no Sistema”, o projeto foi desenvolvido durante a oficina de robótica, realizada uma vez por semana como iniciação científica, após o horário escolar, fruto de um estudo do solo e a qualidade da água na região. O protótipo que faz uso da robótica para solucionar um problema da comunidade, é combinado com o modelo do dessanilizado.

O dessanilizador, inspirado no projeto do pesquisador Galdino Santana de Limas, de Laguna (SC), é feito com uma garrafa plástica, uma torneira e bambu, que serve para equilibrar o sal na hora da irrigação. Se usado em excesso, o sal pode comprometer o solo, ao invés de equilibrar. Ele também ajuda a síntese de glucose e também controla a pressão osmótica das células da planta, resultando na utilização mais eficiente da água.

Foto: Estudantes do 6º ano apresentando o projeto para a comissão avaliadora do festival nacional de robótica // Créditos: Divulgação

Com a ajuda da professora de ciências, os estudantes conectaram o protótipo a um robô, que ao ser acionado por um controle é capaz de avaliar se a água está dessalinizada e em boas condições para irrigar a horta.

O projeto “Pane no Sistema”, após alguns testes realizados pelos alunos, foi apresentado no Festival Marista de Robótica, em Porto Alegre (RS), e premiado com o segundo lugar na categoria livre em setembro deste ano.

Foto: Estudantes operando o projeto na arena do festival nacional de robótica // Créditos: Divulgação

A segunda etapa do projeto agora é começar a implementá-lo na região, e para isso será necessários mais alguns testes e apresentar o produto final a comunidade. O projeto tem como abjetivo auxiliar na manutenção da horta escolar, além de ajudar na comunidade, sendo introduzido no Parque Natural Municipal do Morro da Cruz, que fica próximo à escola.

O reconhecimento do projeto está incentivando outros educandos a participar das oficinas de iniciação científica da escola.