Até o final deste mês deve ser definido o preço mínimo da uva

Devido ao não acordo entre representantes dos produtores rurais e da indústria, o preço mínimo da uva comum deve ser definido até o final de novembro pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)

O desacordo entre as propostas se deu devido aos produtores rurais reivindicam o valor de R$ 1,05 o quilo, enquanto a indústria propõe-se a pagar o mesmo preço praticado em 2017 (R$ 0,92 o quilo). Já as cooperativas apresentaram o valor de R$ 0,92 o quilo mais a inflação do período, calculada em 4,6%, totalizando assim o valor de R$ 0,96 centavos ao quilo.

Crédito: STR de Garibaldi, Boa Vista do Sul e Coronel Pilar

De Márcio Ferrari, Coordenador da Comissão Interestadual, a Comissão Interestadual da Uva realiza o seu próprio levantamento do custo de produção da uva há mais de trinta anos, sempre com o objetivo de de defender os interesses dos agricultores viticultores. O levantamento realizado por eles é feito com base técnica e com informações prestadas pelos agricultores, logo para eles, o valor de R$1,05 por quilo da uva Isabel de 15 graus é justo. Lembrando apenas que o valor não cobre os custos totais dos agricultores, apenas os custos varáveis, ficando de fora as depreciações dos parreirais e os custos com investimentos na propriedade.

Para Luciano Rebelatto, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Garibaldi, Boa Vista do Sul e Coronel Pilar, é necessário atingir o valor defendido pelo sindicato, pois muitos dos custos se elevaram por serem precificados em dólar, retirando boa parte da margem de lucro dos agricultores.

Entendendo o valor desejado pelos agricultores
Para a safra 2018/2019, segundo o manual de custos de Produção da Uva Comum, os custos de produção para cada hectare é de R$ 27.869,69, considerando a produtividade de 20 mil kg/ha. Dentro destes gastos estão diversas despesas como: mão de obra, máquinas agrícolas e implementos, transportes, financiamentos, gastos com insumos e Proagro. Já a depreciação de máquinas e da área plantada, os juros de empréstimos para investimentos na propriedade não constam nestes cálculos.

Crédito: STR de Garibaldi, Boa Vista do Sul e Coronel Pilar