Granizo causa grande prejuízos na agricultura da Serra em pelo menos 14 municípios

Os parreirais estão entre os mais prejudicados pela chuva

Pelo menos 14 municípios tiveram suas lavouras atingidas pelo temporal que ocorreu a partir da meia-noite da terça-feira (30). Os parreirais de uva estão entre as culturas mais afetadas pela chuva de granizo, pois muitos já estavam com cachos de uva e/ou em período de brotação.

Antônio Prado, Ipê, Farroupilha, Monte Belo do Sul, Bento Gonçalves, Pinto Bandeira, Monte Alegre dos Campos, Nova Roma do Sul, Nova Roma do Sul, Campestre da Serra, Bom Jesus, Flores da Cunha, São Marcos e Caxias do Sul também registraram prejuízos graves na agricultura.

De Monte Belo a Campestre da Serra
Os números das perdas ainda estão sendo calculados pela Emater Serra, mas de acordo com o engenheiro agrônomo Enio Ângelo Todeschini, esta tempestade foi a maior registrada desde 2010, quando também ocorreram grandes estragos devido ao granizo e ao vento. Na época grande parte da produção agrícola foi perdida na região. O engenheiro explica que a área atingida pelo temporal começou no município de Monte Belo do Sul e terminou em Campestre da Serra.

Caxias do Sul
Os prejuízos também estão sendo contabilizados, mas o presidente do Sindicato de Trabalhadores Agricultores Familiares, Rudimar Menegotto, informa que o temporal atingiu, principalmente, a localidade da 6ª Légua e os distritos de Fazenda Souza e Santa Lúcia do Piaí (com perdas de 100% em algumas culturas).

As culturas mais atingidas foram as frutas com caroço, devido ao tamanho que se encontravam no pé, como a ameixa e o pêssego. As frutas encontram-se ou no chão ou batidas. Já as lavouras de cebola e tomate em Santa Lúcia também teriam sido atingidas, mas o seu estrago ainda não foi totalizado pelos produtores atingidos. Neste momento é preciso que os agricultores que têm seguro acionem as empresas responsáveis.

Monte Alegre dos Campos
O município de Monte Alegre dos Campos, nos Campos de Cima da Serra também sofreu grandes estragos por causa da chuva. O prefeito Hildebrando de Almeida (PP) estima que de 60% a 70% dos produtores tiveram perdas próximas de 100% da safra da uva. De acordo com o prefeito, a cidade deve decretar estado de emergência nos próximos dias para proteger os produtores em relação ao seguro ou conseguir algum tipo de renegociação dos bancos para quem tem financiamento. O decreto deve ser protocolado ainda nesta quinta-feira (1).

Pinto Bandeira

Maior parte da produção de pêssegos foi afetada na cidade
Foto: Daniel Pavan / Divulgação

Daniel Pavan, secretário de agricultura e vice-prefeito do município, calcula que 70% da produção de pêssegos tenha sido atingida pela chuva de pedra. O pêssego, em fase de maturação, é especialmente suscetível ao granizo.

A estimativa é que pelo menos 240 produtores da fruta no município tenham sofrido prejuízos em suas plantações. A safra da fruta, que tinha previsão para mais de 18 milhões de quilos, deve ser bastante prejudicada. Algumas propriedades perderam 100% da safra da fruta.

Pinto Bandeira também é responsável por uma produção expressiva de uvas, e segundo o secretário de agricultura e vice-prefeito do município, até 40% dos proprietários podem ter sido atingidos pela tempestade.

Bom Jesus

Granizo cobriu a plantação de alho em propriedade do município
Foto: Marcelo da Silva Nunes / Divulgação

O Sindicato Rural da cidade recebeu relatos de perdas na fruticultura — pêssego, uva, maçã e ameixa — além de danos na lavoura de alho e batata. Em algumas propriedades, o cultivo de alho teve perda total, assim como parte da produção de maça, que não tinha cobertura contra geada.