Emater fecha em R$ 6,6 milhões o balanço de perdas na agricultura da Serra

Mais de duas mil toneladas de caqui foram perdidas

Mais de duas mil toneladas de caqui foram perdidas Foto: Divulgação

O prejuízo com o temporal de granizo que atingiu a Serra Gaúcha no sábado (13) chegou a R$ 6,6 milhões na agricultura, segundo a Emater. A entidade finalizou o balanço na terça-feira (16), após levantamento em propriedades de Caxias do Sul, Garibaldi, Bento Gonçalves e Farroupilha.
As maiores perdas foram nas lavouras de caqui, com prejuízo de R$ 3,22 milhões. A área atingida foi de 225 hectares, provocando a perda de 2,1 mil toneladas. Segundo a Emater, isso representa quase um quarto da produção que ainda resta a colher, que seria próximo de 10 mil toneladas. Cerca de 30% do total, das 14 mil toneladas de caqui previstas para esta safra na Serra, foram colhidos até agora.
O segundo maior prejuízo na região foi por danos em coberturas plásticas, somando R$ 1,9 milhões, valor que já havia sido apurado em levantamento preliminar na segunda. O balanço de impactos no kiwi também foi mantido em relação à apuração preliminar, com perda de 65 toneladas e prejuízo de R$ 162,5 mil. Já o impacto na maçã Fuji foi atualizado para R$ 1,35 milhão em 45 hectares, com perda de 625 toneladas.
Conforme o agrônomo especializado em fruticultura da Emater/Serra, Ênio Todeschini, o impacto do granizo não foi maior ainda na agricultura da região porque a maior parte das variedades já havia sido colhida. No caso da cebola e do alho, ainda não chegou a época de implantação desses cultivos na região.
Além dos danos diretos, há os problemas indiretos, como a perda de folhas e os machucados nos ramos das árvores de variedades que já foram colhidas neste ano, incluindo a uva e o pêssego. A perda das folhas pode prejudicar o armazenamento de energia das plantas para o período de inverno, enquanto que os machucados nos ramos podem trazer doenças para as plantas. O relatório da Emater também pontua os estragos em estradas vicinais e internas das propriedades, como prejuízos indiretos ao produtor rural.