Cultivares da região apresentam maior produtividade com o uso de produtos do Grupo Vittia

Melhor nutrição e maio qualidade da produção da videira são alguns dos resultados

Márcio Ritter, supervisor de vendas na Serra Gaúcha, Grupo Vittia com o produtor Jocimar Rigon Fotos: Marlove Perin

A serra gaúcha é responsável por 85% da produção de vinhos no Brasil e os produtores vêm enfrentando desafios crescentes relacionados às mudanças climáticas, novas exigências trabalhistas e novo código florestal, entre outras, o que resultou numa significativa redução na produtividade. Com esse cenário adverso no campo, o Grupo Vittia fertilizantes especiais e inoculantes possui defensivos biológicos Biovalens que ajudam no aumento da produtividade, melhor nutrição e maio qualidade da produção das cultivares, em especial da videira. A nutrição mineral é um componente chave do manejo do vinhedo e tem o potencial de influenciar vários aspectos da produção da videira.

O produtor Jocimar Rigon, morador da linha 28 de Pinto Bandeira faz uso dos produtos do Grupo Vittia a três anos, entre eles em especial o Bio Power Gold e Bio-Imune, além do K35Top, Aminomax CaB, Spraysense e Phosphorus-K

O produtor Jocimar Rigon, morador da linha 28 de Pinto Bandeira faz uso dos produtos do Grupo Vittia a três anos, entre eles em especial o Bio Power Gold e Bio-Imune, além do K35Top, Aminomax CaB, Spraysense e Phosphorus-K. O resultado da pesquisa apontou maior produtividade na uva. Jocimar fez o experimento com o produto Bio Power na variedade tannat. Foram feitos testes em fileiras de sete em sete. “Nas sete primeiras fileiras colhemos 14 bins (sem aplicação do Bio Power. Nas outras sete, com tratamento, colhemos 19 bins. Achei a diferença grande, colhi então mais sete, e deu 18,5 bins. O produto é bom” diz Jocimar. A família, cultiva nove hectares de pêssego e seis de uvas, das variedades: violeta, isabel, melort, trebiano e tannat.
O Bio Power Gold (Ascophyllum nodosum), é um modulador hormonal, extrato de algas que pode ser utilizado em qualquer fase da planta, capaz de estimular a autoprodução de hormônios naturais, garantindo maior produção e qualidade nos frutos. Além disso, o produto tem efeito antiestresse, fortalecendo a planta e protegendo os frutos de intempéries como geadas e secas. No caso do pêssego maior padrão de fruto e no caso da uva maior padrão e uniformização de cacho, explica Márcio Ritter, supervisor de vendas na Serra Gaúcha, Grupo Vittia.
Já o do produto Bio-Imune, fungicida e bactericida biológico de amplo espectro, possui substâncias que fortalecem as plantas, tornando-as mais sadias e produtivas. “O Bio-Imune foi desenvolvido a partir do isolado BV02 da bactéria Bacillus subtilis, exclusivo da Biovalens. Ele atua sobre a parede celular de fungos e bactérias, formando uma camada de proteção na superfície foliar das plantas, protegendo-as contra o ataque de patógenos”, explica Márcio.
O Grupo Vittia reúne quatro empresas do setor, holding das empresas Biosoja, Samaritá e Granorte.