Pimentas tradicionais e fáceis de plantar para você cultivar na quarentena

3 variedades têm manejo simples e se adaptam até mesmo a pequenos espaços

Condimento usado em diversas receitas da culinária brasileira, a pimenta dá um toque de sabor e aumenta a ardência dos pratos. Utilizada de diferentes formas – como molho, em pó, em grãos e até de maneira ornamental, a pimenta pode ser plantada em pequenos espaços e é fácil de ser cultivada em casa ou no apartamento.Diante do período de quarentena pela pandemia de coronavírus, rês sugestões de pimentas para você plantar em casa de maneira acessível e simples. Reserve o espaço, separe as ferramentas e mãos na terra!

Pimenta vermelha

Por ser sensível a baixas temperaturas a pimenta deve ser cultivada nos meses de calor (Foto: Pixabay)

Como alimento, a pimenta tem seu lado nutritivo: contém vitamina A e é excelente fonte de vitaminas C e B, além de possuir boa quantidade de magnésio, ferro e aminoácidos. O gosto forte do condimento está presente no caroteno, pigmentação que dá a cor vermelha à planta. Com solo leve, fértil e bem drenado, a pimenta pode ser plantada até em vasos e prefere clima quente. De notório sabor picante, utilizado para realçar receitas culinárias, a pimenta vermelha (Capsicum) também está ganhando fama entre as plantas ornamentais. Cultivada em pequenos vasos,a planta tornou-se objeto de decoração de interiores muito apreciada.
Seu uso como condimento é o principal mercado, mas o interesse pela pimenta como ornamentação vem fazendo diferença nas floriculturas. Uma de suas belezas está na mudança de cor durante o amadurecimento, que vai do verde, passa por tonalidades de laranja e se reveste de vermelho vivo.
A pimenteira se adapta muito bem aos climas quentes. É sensível a baixas temperaturas e não tolera geadas. Por isso, deve ser cultivada nos meses de calor.Há várias espécies de pimenta, com cores, formatos, tamanho e intensidade de sabor diferentes. Podem ser encontradas na forma alongada, arredondada, triangular e quadrada. Algumas chegam a ser adocicadas. Mesmo em vaso, o plantio pode ser para consumo próprio.Como alimento, a pimenta tem seu lado nutritivo. Contém vitamina A e é excelente fonte de vitamina C e B, além de possuir boa quantidade de magnésio, ferro e aminoácidos. Ela também tem efeito emagrecedor ao acelerar o metabolismo do organismo de quem a consome.
Mas o motivo de adicioná-la como tempero nas refeições, sanduíches e salgadinhos, é mesmo pela ardência que provoca ao ser mastigada O gosto forte do condimento está presente no caroteno, pigmentação que dá a cor vermelha à planta.
As mais cultivadas no país são pimenta-de-bode, malagueta,de cheiro, cumari, dedo-de-moça e pimenta-do-reino. Para a ornamentação, escolha variedades de menor porte e cor vermelha. Os melhores solos para o cultivo da pimenteira são os profundos, leves, férteis e bem drenados. Quando plantada no campo, faça em sulcos de 30 a 40 centímetros de largura e 20 a 25 centímetros de profundidade, com uma distância de 80 centímetros. Para o plantio em vasos, a dica é comprar mudas de produtores experientesCOVAS – Há a necessidade de covas apenas para os cultivos nos quais não são feitos os sulcos. O tamanho delas varia de acordo com o tipo de embalagem – bandejas ou saquinhos – da muda, mas um padrão de medida utilizado é 20 x 20 x 20 centímetros.
Assim que as mudas apresentarem cinco folhas, ou atingirem dez centímetros de altura, pode ser feito o transplante para o campo ou vaso. Deve-se ter cuidado para não ferir as raízes ao retirá-las da embalagem. Após esse processo, irrigue regularmente as mudas, mas evite o encharcamento. Na escolha de variedades, dê preferência às mais resistentes. Elas são uma das alternativas mais eficazes no combate às doenças que atacam a pimenteira. Uso de proteção nas mudas, controle adequado das plantas daninhas e aplicação correta de fungicidase bactericidas registrados também ajudam a evitar doenças. As mesmas medidas podem ser utilizadas para impedir a presença de pragas na cultura. Faça a poda após o período de frutificação e no caso de colheitas contínuas. A prática deve ocorrer logo que a produção tenha cessado. A poda estimula o rebrotamento e a produtividade da planta. A pimenteira pode produzir por vários meses, mas isso depende de condições favoráveis, como temperatura, fertilidade e variedade da espécie utilizada. Em geral, a colheita leva de 50 a 55 dias após a floração. Em locais de temperaturas mais elevadas, o desenvolvimento da pimenta é mais rápido.

Pimenta-do-reino

O plantio da pimenta-do-reino é incentivado pela Embrapa (Foto: Thinkstock)

A pimenteira-do-reino é adaptada ao clima tropical e subtropical, onde encontra condições ideais para seu desenvolvimento. Com solo bem drenado, profundo, fértil e rico em matéria orgânica, a pimenteira pode ser plantada em pequenos espaços, mas exige um cuidado permanente. Adaptada ao clima tropical e subtropical daqui, onde encontra condições ideais para seu desenvolvimento, a pimenteira-do-reino ainda tem seu plantio incentivado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Por meio de um trabalho de transferência de tecnologia, a Embrapa tem o objetivo de aumentar a produtividade e a qualidade da pimenta-do-reino, cultura típica da agricultura familiar, com a maioria das áreas de cultivo inferior a 3 hectares.
Os pipericultores experientes já adotam técnicas que favorecem a produção da pimenta-do-reino, que gosta de iluminação solar direta ou sombra parcial. A planta é beneficiada, por exemplo, em sistemasagroflorestais, onde pode ser consorciada com maracujá, acerola, cupuaçu, milho, cacau, mogno, açaí, citros, feijão-caupi, mamão, mandioca, melão e coco.
Trepadeira perene, a pimenteira-do-reino é conduzida a atingir 3 metros de altura em plantios comerciais. Gera de uma a duas vezes por ano pequenos frutos agrupados em espigas e do tipo drupa – polpa carnosa com uma semente –, que são classificados de acordo com o grau de maturação e o tratamento que recebem. No varejo, são vendidas em grãos ou em pó as diferentes versões de pimenta-do-reino, como a tradicional, também chamada de pimenta- preta e pimenta-redonda, além da pimenta-branca ou pimenta-verde.
De clima tropical, quente e úmido, é o preferido da pimenteira-do-reino, que tem bom desenvolvimento em regiões com temperaturas que oscilam entre 23 ºC e 28 ºC durante o ano inteiro, com chuvas regulares e umidade relativa do ar alta – acima de 80%. Mas a planta também tolera cultivos em locais onde a temperatura mínima mantém-se em 15 ºC ou em estufas climatizadas.

Receitas culinárias podem ser transformadas com uma pitada de pimenta-do-reino (Foto: Thinkstock)

Tutor: Vivo da leguminosa gliricídia (Gliciridia sepium), tecnologia desenvolvida pela Embrapa Amazônia Oriental e utilizada por agricultores da região, é o mais recomendado para o pequeno produtor, por reduzir em 28% o custo de implantação do pimental e melhorar a condição do solo, além de outras vantagens. Primeiro, faça uma área matriz degliricídia, usando covas de 50 centímetros de profundidade e espaçamento de 2 por 2 metros. Plante as estacas de 1 a 1,5 metro de comprimento no início da estação das chuvas e, por 40 dias, não extraia os brotos para que o tronco se enraíze e engrosse. Após esse período, retire os galhos e os brotos, deixando três ou quatro galhos acima do tronco. Entre o fim de dezembro e o começo de janeiro, corte todos os galhos do tutor vivo, deixando-o mais ereto. Realize nos meses de fevereiro e março a primeira poda e a retirada dos galhos e brotos, mantendo o tutor com 2,5 a 3 metros de altura, e a segunda, em abril ou maio, deixando de dois a quatro galhos eretos por planta de gliricídia. Das mudas de pimenteira-do-reino deve ser realizado em janeiro e fevereiro, em dias nublados ou chuvosos, em solo bem drenado, fértil, profundo e com pH entre 5,5 e 6. Utilize covas de 40 por 40 por 40 centímetros e com cerca de 15 centímetros de distância do tutor. Para aclimatação, cubra as mudas com folhas de palmeiras por 15 dias e amarre-as às estacas com fitas de plástico ou barbante. Corte os fios quando ficarem apertados, devido ao engrossamento do tutor, o que ocorre após seis meses. Em seguida, amarre novamente. A produção ocorre  de dois anos após o início do plantio e atinge carga máxima a partir do terceiro ano, seguindo até por 20 anos em cultivos bem conduzidos e com boas práticas, com capacidade ainda de gerar duas colheitas anuais em regiões de clima apropriado e com irrigação. De julho a novembro, a colheita dos frutos é realizada manualmente em sacos de aniagem.

 

Pimenta ornamental
A pimenta ornamental (ou pimenta de vaso) e seus frutos foram selecionados para a decoração de ambientes. Pode até ser consumida, mas, em geral, é muito picante e pouco saborosa. O cultivo pode ser feito com adubo químico ou sólido na formulação NPK mais micronutrientes. Ficar atento à luz direta e à rega em horas de temperaturas mais amenas é fundamental.A pimenta ornamental ou pimenta de vaso e seus frutos foram selecionados para a decoração de ambientes. Pode até ser consumida, mas, em geral, é muito picante e pouco saborosa.
Para o cultivo, pode ser utilizado adubo químico ou sólido na formulação NPK mais micronutrientes, que é vendido em lojas de produtos agropecuários e floriculturas.Siga as instruções na embalagem sobre a dosagem correta. Mantenha a planta em local que receba luz direta, pelo menos uma parte do dia, pois pimentas gostam de luminosidade. E, como não toleram solos encharcados, as irrigações devem ser em quantidade suficiente até ocorrer o gotejamento na parte inferior do vaso. Regue em horas de temperaturas mais amenas, como início da manhã e final da tarde

(Foto: Reprodução/Pixabay)