Classificação da Emater/RS-Ascar inicia preparativos para safra da cevada

A Emater/RS-Ascar realizou capacitação dos técnicos classificadores da Gerência de Classificação e Certificação (GCC) que irão atuar junto à Companhia Brasileira de Bebidas – Filial Maltaria Passo Fundo (Ambev). O encontro, que aconteceu em Passo Fundo no início do mês, serviu para nivelar orientações e procedimentos para prestação de serviços no recebimento de cevada na safra que se aproxima.
Para esta safra (2021) está prevista a produção de 129.934 toneladas de cevada, 11,45% a mais do que a safra passada (2020), em 40.773 hectares de área (-2,76), alcançando uma produtividade média de 3.187 kg de cevada por hectare, ou seja, 14,64% a mais do que a safra anterior.
A já tradicional parceria que data de mais de 20 anos entre a Emater/RS-Ascar e a Ambev inclui atividades de assessoria técnica na inspeção e classificação das cargas. “Essa parceria faz com que nossa credibilidade, comprometimento, ética, integridade e a qualidade de nossos serviços seja a cada dia mais visível entre as empresas do setor”, avalia Salete Frare, gerente adjunta da GCC, ao afirmar que toda a cevada produzida no RS é classificada pela Emater/RS-Ascar.
Durante os dias de trabalho, além da Gerência de Classificação e Certificação e dos técnicos classificadores, participaram representantes dos setores de segurança e qualidade da Ambev. Foram abordados temas relevantes, para que a estrutura operacional-técnico-administrativa esteja pronta a atuar no processo de recebimento da safra 2021/2022 de cevada.
A rotina dos classificadores da GCC é composta de ações como análise de amostras prévias coletadas em lavouras determinando o ponto certo de colheita; coleta de amostras da cevada diretamente nos caminhões com determinação de parâmetros de qualidade, como micotoxinas e poder germinativo; e trabalho apoiando a pesquisa de novas cultivares de cevada além de análise do malte cervejeiro.
Foto: Divulgação Emater/RS-Ascar