Produtores têm surpresa ao coletar mel azul

Fato aconteceu com apicultores de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul

Fotos: Divulgação redes sociais

A coloração do mel está intrigando apicutores do Norte gaúcho. O apicultor Naor Kümpel ficou surpreso ao abrir as 25 caixas de abelha para fazer a colheita do mel e encontrar o produto com a cor azul. Ele relatou que o mel não pode ser consumido por ter cheiro forte e ter espessura semelhante a óleo.
Agora ele aguarda o que fazer com os 150 kg coletados. O produto não pode ser comercializado por não atender as exigências do Ministério da Agricultura.
Por meio de sua rede social o produtor ainda disse que o fato já havia ocorrido no ano passado. A primeira suspeita dos produtores é de que as flores das plantas que fazem a cobertura de solo de uma propriedade vizinha estejam sendo ‘visitadas’ pelas abelhas. Com a polinização dessas flores, que podem estar contaminadas por pragas, a substância fica mais escura. Outros dois criadores de abelhas vizinhos também relataram o mesmo problema. Uma análise deve identificar a causa da coloração diferente do produto.
Apicultores franceses já haviam encontrado mel azul em seus favos em 2012. A explicação é que as abelhas haviam se alimentado de resíduos de doces com esta coloração de uma fábrica próxima.