4º Tecnovitis congrega setor vitivinícola e supera mais de 8 mil visitantes

A combinação de novidades para a cadeia produtiva junto a oportunidades de qualificação foram um marco para os mais de 8 mil visitantes que passaram pela 4ª edição da Tecnovitis – Feira de Tecnologia para a Viticultura – realizada de 1 a 3 de dezembro, no Complexo Villa Michelon, Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves.
Lançamentos, exposições de máquinas e itens para melhores resultados no meio rural atraíram a atenção dos produtores que puderam conferir um amplo portfólio oferecido por marcas nacionais e internacionais.
Para o presidente do Sindicato Rural da Serra Gaúcha (SRSG), entidade realizadora da feira, Elson Schneider, foi “a consolidação do setor e além da expectativa, pois tínhamos a preocupação com os protocolos de segurança e buscamos todos os cuidados para seguir a proposta do nosso evento”, salientou.
A Tecnovitis foi o palco de importantes momentos em nível nacional, afinal, sediou Audiência Pública da Frente Parlamentar de Apoio à Vitivinicultura da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado Afonso Hamm, e pela Frente Parlamentar da Vitivinicultura e Fruticultura da Assembleia Legislativa, que tem como presidente o deputado Elton Weber. Do encontro, será elaborada a Carta Tecnovitis e encaminhada ao Governo Federal.
Entre algumas pautas, a busca de revisão da tributação do vinho para melhor condição de competitividade da cadeia, até incentivos e mecanismos que possam auxiliar na garantia de insumos para a vitivinicultura.
Ainda o reajuste de 19% no preço mínimo da uva, de R$ 1,10 para R$ 1,31, foi considerado uma conquista depois de diversas interlocuções da Comissão Interestadual da Uva, Farsul (Federação da Agricultura do RS), representantes dos produtores e da Frente Parlamentar.


“Temos que valorizar porque conseguimos sensibilizar o Governo Federal e isso representa um avanço porque a matéria prima é nobre e precisamos estimular o produtor”, afirmou o deputado Afonso Hamm.
A Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Viticultura, Vinhos e Derivados também realizada na feira, trouxe ainda pautas que continuam em discussão, como a atualização do Cadastro Vitícola e Vinícola Nacional em fase de elaboração para aplicação no País; o autocontrole das empresas fiscalizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; recomendações para o aprimoramento do marco legal das Indicações Geográficas etc.
A Farsul – apoiadora da Tecnovitis – foi outra entidade que definiu a feira como local para um encontro de seus dirigentes. A legislação ambiental para a agricultura e segurança jurídica foram os assuntos abordados.
O caráter internacional ganhou força com a presença do cônsul geral da Itália no Rio Grande do Sul, representando as marcas de fora do Brasil que estiveram na Tecnovitis. Roberto Bortot disse que o órgão esteve ao lado desta edição como apoiador e garantiu o patrocínio para a próxima edição.

Palestras Técnicas
No Salão de Eventos do Hotel Villa Michelon palestras técnicas movimentaram os três dias da Feira. Cases de startups com soluções para a viticultura ainda atraíram o público. No estande do Senar-RS outro momento envolveu oficinas de drone na agricultura e tecnologia de aplicação.

Realização
A 4ª edição da Tecnovitis teve a promoção e realização do Sindicato Rural da Serra Gaúcha (SRSG), com apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) -, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Governo Federal, Emater/RS, Prefeitura de Bento Gonçalves, Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS Campus Bento Gonçalves), Fetag-RS, SEGH (Sindicato Empresarial da Gastronomia, Hotelaria da Região Uva e Vinho), Embrapa, Farsul, Senar e Sebrae -, embaixada italiana em Porto Alegre, BRDE, além da Sociedade 8 da Graciema.