Técnicas de controle biológico de insetos na vinicultura

Com tantas mudanças ambientais acontecendo por todo o mundo, o efeito no campo é inevitável. Dentre tantas ações necessárias para um desenvolvimento mais sustentável, é urgente repensar as técnicas de controle de insetos, o que hoje, na maioria das vezes, é realizado através de pesticidas. Diante dos fatos, e buscando alternativas, um manejo que vem crescendo a cada dia é o controle biológico de insetos. Este método consiste na regulação de insetos-praga por inimigos naturais, podendo ser eles predadores, parasitóides e patógenos.
A utilização de predadores e parasitóides na vinicultura vem crescendo à medida que as técnicas de criação massal vão melhorando e os produtores obtêm o conhecimento sobre a eficiência destes pequenos artrópodes no controle de pragas. Hoje temos vários casos de sucesso envolvendo estes grupos, como os Crisopídeos e o Trichogramma spp.
Há poucos anos foi publicado um trabalho com a liberação de Trichogramma em uvas na região do Vale do São Francisco, para controle da traça-da-videira, Lasiothyris luminosa. Como resultado em campo, houve redução de 62% dessas lagartas e, também, de 60% da traça-dos-cachos, demonstrando assim o potencial de parasitismo desta espécie. Outro destaque é o predador Chrysoperla externa, que se alimenta de trips, pulgões e ácaros, que podem ser utilizados no MIP (Manejo Integrado de Pragas). Esses agentes biológicos são dispersados pelas cartelas protegidas em estufas, em áreas pequenas ou por drones, que fazem a liberação em escala maior, garantindo
a eficiência do controle biológico.
O controle biológico está chegando ao mercado para ficar e, a cada novo estudo, os manejos e a tecnologia de aplicação abrirão espaços para uma produção mais justa e ambientalmente correta. Os produtores que se atentarem a essas mudanças e buscarem conhecimento para se adaptar, sairão à frente nessa corrida por alimentos com menos ou zero resíduos de agrotóxicos.

AGRICULTURA 4.0: Conjunto de tecnologias digitais

Há décadas, a tecnologia tem contribuído com soluções disruptivas que modificaram os processos nos mais diversos setores da economia. E o agronegócio não poderia ficar de fora. O trabalho rural passou por muitas evoluções e agora estamos na chamada Agricultura 4.0. Já ouviu falar?

O agro é muito mais sustentável quando utiliza as ferramentas corretas disponíveis. Um exemplo disto é a utilização crescente dos drones que têm trazido maior precisão e menor probabilidade de erros Foto: Criativittá Web Studi

A Agricultura 4.0 refere-se a um conjunto de tecnologias digitais de ponta integradas e conectadas por meio de softwares, sistemas e equipamentos capazes de otimizar a produção agrícola, em todas as suas etapas. Junto com a agricultura de precisão o produtor pode agora ter mais exatidão nos processos de preparo, aplicação, plantio e colheita, reduzindo os custos de produção, além de poder contar também com a utilização de insumos adequados a nova realidade do campo.
O uso de drones na viticultura contribui para a produção de frutas mais limpas de resíduos a partir do acompanhamento mais detalhado de pragas e doenças, melhores stands de plantas, sem falhas, equilibradas nutricionalmente, sem déficit hídrico trazendo melhoras na produtividade e na qualidade da safra. Esse processo já é realidade em várias culturas como, por exemplo a da cana, da soja, do milho e do arroz não só no Brasil mas ao redor do mundo, principalmente em áreas de cultivo intensivo, onde se torna difícil verificar cada talhão com periodicidade.
São vários os benefícios do uso de drones de pulverização, tais como:
– Maior agilidade, precisão e qualidade nas aplicações;
– Aplicação em áreas de difícil acesso, declives e próximas a áreas de preservação;
– Reduzido risco de exposição dos aplicadores aos produtos utilizados;
– Economia com aplicação somente em áreas com real necessidade.
A GPDVet Pulverizações Especiais, braço da GPDVetquimica e prestadora de serviços de pulverização por drones, traz para o produtor da Viticultura a possibilidade de utilizar drones durante todo o período de produção de cada safra. Além da pulverização de insumos químicos, a GPDVet também pode pulverizar insumos sólidos, micro e macro-biológicos. Em linha com as regulamentações e normas legais brasileiras (ANAC, MAPA, DECEA), a GPDVet leva ao mercado produtor tudo o que é necessário para a realização de serviços de pulverização.
Ao mesmo tempo, considerando a busca do mercado por novas soluções sustentáveis para o controle de pragas, aproveitando os benefícios da revolução biotecnológica e ao mesmo tempo oferecendo uma ferramenta econômica e tecnicamente viável para o controle deste ambiente, a GPDVetquimica junto com o grupo Vittia traz ao mercado a linha de produtos micro e macro-biológicos.
Uma vez que suas formulações dependem de logística diferenciada para transporte, armazenamento e aplicação (por drones ou cartelas), a Vittia e a GPDVet deixam o produtor da Serra mais próximo da Agricultura 4.0. Acesse o site www.gpdvetquimica.com.br ou entre em contato pelo telefone (54) 3046.9200 para saber mais sobre nossos produtos.

Festival ExpoBento traz programação com nativismo, sertanejo e funk

Baitaca, Fernando & Sorocaba e MC Kekel se apresentam no dia 15 de junho, em comemoração a 30ª edição da maior feira multissetorial de compras e entretenimento do país, que ocorre em Bento Gonçalves

Fernando & Sorocaba fazem show comemorativo aos 15 anos de carreira

A celebração da 30ª edição da maior feira multissetorial de compras e entretenimento do país ganha mais uma nova atração para comemorar com toda região a passagem desse momento especial: o Festival ExpoBento, circuito de shows com atrações musicais nativistas, sertanejas e funk. Na noite de 15 de junho, três artistas sobem ao palco do pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves: o gaúcho Baitaca, a dupla paranaense Fernando & Sorocaba e o paulista MC Kekel. As apresentações estão programadas para ocorrer às 22h, 0h e 2h, em sequência.
Quem abre a proposta sonora é o gaudério Baitaca, cantor e compositor raiz que já apresenta no seu hit “Do Fundo da Grota” um pouco do seu jeitão galponeiro: “Eu me criei xucro e bagual/Honrando o sistema antigo/Comendo feijão mexido/Com pouca graxa e sem sal”, canta o missioneiro de São Luiz Gonzaga. O estilo simples, direto e campeiro do taura, cuja guaiaca ainda traz sucessos como “Quando Chego num Rodeio” e “Destrinchando o Bagualismo”, conquistou o Brasil. “Do Fundo da Grota” ganhou projeção em todo o país, virou meme na internet e acabou na graça de vários artistas, entre eles, justamente a atração que se apresenta depois de Baitaca.Fernando & Sorocaba foram um dos que regravaram a música do gaúcho, e apresentam no palco da ExpoBento um show comemorativo aos 15 anos de carreira que completam em 2022. A apresentação deve contemplar sucessos do início da carreira, como “Bala de Prata” e “Madri”, além de hits atuais, como “Só Não Divulga” e “Amor da Despedida”. A dupla oriunda de Londrina é uma das principais do país, contabilizando mais de 1,2 bilhão de visualizações de seus vídeos no YouTube, cujo canal tem 2,5 milhões de inscritos. Além disso, somam cerca de 3 milhões de fãs no Spotify e mais de 6,4 milhões de ouvintes mensais na plataforma, na qual os cantores estão entre os cinco artistas mais ouvidos com o hit “Só Não Divulga”, que teve participação especial de Tarcísio do Acordeon.A noite encerra com um show referência no estilo funk romântico. MC Kekel despontou em São Paulo com “Quer Andar de Meiota?”, em 2016. Desde então, tem construído uma carreira de sucesso, com músicas como “Namorar pra quê?”, com quase 300 milhões de views no You Tube, e “Amor de Verdade”, parceria dele com a MC Rita, cujo vídeo tem 725 milhões de views na mesma plataforma. MC Kekel também faz sucesso nas redes sociais. No Instagram, o funkeiro contabiliza quase 6 milhões de seguidores.
Os ingressos para o Festival ExpoBento começam a ser comercializados a partir das 20h do dia 14 de abril pelo site (os preços do primeiro lote variando entre R$ 50, para pista, e R$ 4 mil para camarote – veja detalhes abaixo.). Os shows são uma realização da 30ª ExpoBento, em parceria com a produtora Cola Aí.
Ingressos para o Raça Negra também começam a ser vendidos
Outra atração marcante da 30ª ExpoBento, a apresentação do Raça Negra, na noite de 11 de junho, também está com os ingressos à venda. A aquisição pode ser feita pelo site com valores especiais para o primeiro lote.
Um dos grupos mais icônicos do samba romântico brasileiro, o Raça Negra despontou nos anos 1990 invadindo as rádios brasileiras com enxurradas de hits. “Cheia de Manias”, Cigana”, “Doce Paixão” e “É Tarde Demais”, música mais tocada num único dia no mundo, com 600 reproduções no dia 20 de julho de 1995, conforme registros no Guinness Book.
Quem quiser maratonar as duas atrações – assistindo ao show do Raça Negra e ao Festival ExpoBento – pode adquirir os ingressos de forma combinada, com preços especiais. O passaporte para a pista sai por R$ 80; o VIP por R$ 230 e o camarote individual por R$ 450 (valores do primeiro lote), permitindo acesso a ambos os dias.
Para os fãs que desejarem conferir as atrações da ExpoBento antes dos shows, será necessário comprar o ingresso para a feira – R$ 8 (dias de semana) e R$ 15 (finais de semana e feriados). Já quem for diretamente para o Pavilhão E, basta ter em mãos o ingresso para o show de sua preferência. Todo o consumo de bebida e comida, mesmo para quem adquirir ingressos para camarote, setor VIP ou área de bistrô, será cobrado à parte.

Serviço dos shows
Show do Raça Negra
Quando: 11 de junho, às 22h (abertura dos portões às 20h)
Onde: Pavilhão E do Parque de Eventos
Quanto: primeiro lote a R$ 50 (pista), R$ 130 (VIP), R$ 250 (camarote individual), R$ 1.200 (bistrô bronze 6 pessoas), R$ 1.400 (bistrô prata 6 pessoas), R$ 1.600 (bistrô ouro 6 pessoas) e R$ 4.000 (camarote 15 pessoas).
Pontos de venda: pelo site

Festival ExpoBento com Baitaca, Fernando & Sorocaba e MC Kekel
Quando: 15 de junho, às 22h (abertura dos portões às 20h)
Onde: Pavilhão E do Parque de Eventos
Quanto: primeiro lote a R$ 50 (pista), R$ 130 (VIP prata), R$ 180 (VIP ouro), R$ 250 (camarote individual) e R$ 4.000 (camarote 15 pessoas).
Pontos de venda: pelo site

Serviço da Feira
O quê: 30ª ExpoBento e 17ª Fenavinho
Quando: de 9 a 19 de junho
Onde: Parque de Eventos, em Bento Gonçalves
Quanto: R$ 8 (dias de semana) e R$ 15 (finais de semana e feriados)
Estacionamento: R$ 15 (dias de semana) e R$ 20 (finais de semana e feriados). Para motos, R$ 5 e R$ 10, respectivamente
Informações: site e e-mail expobento@expobento.com.br

Ferramenta digital permite registro gratuito de máquinas agrícolas

A plataforma foi implementada para adequar as máquinas agrícolas à legislação de trânsito vigente no Brasil

Fonte: Massey Ferguson/divulgação

Produtores rurais de todo o Brasil poderão realizar, sem custo, o registro oficial de tratores e equipamentos agrícolas por meio da nova Plataforma Digital de Registro e Gestão de Tratores e Equipamentos Agrícolas (ID Agro). A ferramenta foi lançada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Instituto CNA.
O ID Agro é um sistema que interliga fabricantes, revendedoras autorizadas, proprietários, Sistema CNA/SENAR e o Mapa para o registro de propriedade de tratores e demais equipamentos destinados à execução de atividades agrícolas.
A nova plataforma atende a Lei 13.154/2015, que dispensa o licenciamento e o emplacamento e obriga o registro, sem ônus, junto ao Mapa para aqueles que possam transitar em via pública, diretamente ou mediante convênio.
A plataforma foi implementada para adequar os equipamentos agrícolas à legislação de trânsito do Brasil. Dessa forma, o registro permitirá o trânsito destes veículos em vias públicas, sem risco de cobrança de multas.
É importante ressaltar que, além do registro via ID Agro, para transitar com trator agrícola em via pública, o veículo deve estar em conformidade com as dimensões estabelecidas pela Resolução 454/2013 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Ou seja, altura máxima de 4,40 metros, largura de até 2,80 metros e comprimento de até 15 metros, além de o condutor possuir carteira de motorista tipo B, C, D ou E.
Outros benefícios do sistema para o produtor são segurança e facilidade para processos de contratação de seguro, financiamento e acesso a crédito.
Ainda, a ferramenta trará mais segurança em relação a roubos e furtos, uma vez que a própria plataforma conta uma central de mensagens e será integrada com o sistema de segurança pública.

Como funciona o registro
Para obter o registro, o produtor deve fazer o download do aplicativo ID Agro, disponível para iOS e Android, e realizar seu cadastro a partir da inserção de dados pessoais (nome, CPF, endereço, e-mail e telefone).
No caso de veículos usados, o produtor deve informar os dados do bem a ser registrado, como número de chassi ou de série, tipo do veículo e marca. Feito isso, basta procurar uma concessionária autorizada, com os documentos originais do proprietário e nota fiscal em mãos, para análise do veículo. Somente as agências autorizadas poderão fazer o registro. Caso o equipamento seja novo, a própria concessionária faz o registro e o vincula ao produtor que comprou.
Após o registro via aplicativo, o produtor tem acesso ao documento do Registro Nacional de Máquinas Agrícolas (Renagro) – equivalente ao Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) dos demais.
O produtor também recebe um QR Code de uso opcional, que pode ser colado no veículo para facilitar as fiscalizações.
Caso o trator ou outra máquina agrícola esteja transitando em via pública e não tenha o Renagro, estará sujeito às mesmas medidas administrativas aplicadas aos veículos de passeio que transitam sem o CRLV. Além do acesso ao documento, o aplicativo do ID Agro possui algumas funcionalidades, como ficha completa dos veículos registrados (proprietário, características, números identificados, localização e histórico de proprietários), central de mensagens e comunicação de sinistro.