Rumo ao centenário, Vinícola Aurora aposta na sucessão rural com programa para jovens filhos de cooperados

Projeto é um incentivo para a permanência no campo e está auxiliando no aumento do quadro associativo e na implantação de melhorias na produção de uva

Jéssica Bellé consolidou no Aprendiz Cooperativo vontade de permanecer no meio rural Crédito: Simone Pegoraro Bellé

A Vinícola Aurora, que completou 90 anos em fevereiro, está empenhada na continuidade da atividade rural e na ampliação do número de associados. Uma das ações desenvolvidas é o programa Aprendiz Cooperativo do Campo, que desde 2017 capacita jovens de 14 a 24 anos incompletos, filhos de associados da cooperativa, para que permaneçam na viticultura, com ênfase no cooperativismo e na gestão das propriedades. Desenvolvido em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande Do Sul (Sescoop/RS), o programa já capacitou 60 jovens.

Giovani Sonaglio participou do primeiro grupo Aprendiz Cooperativo da Vinícola Aurora Crédito: Divulgação /Acervo pessoal

O viticultor Renê Tonello, que preside o Conselho de Administração da Cooperativa Vinícola Aurora, enaltece o programa como uma ferramenta importante para a continuidade de muitas famílias na atividade. Tonello, que também vem de família produtora de uvas há três gerações, destaca que a formação dos jovens vem ao encontro da busca constante por modernização e pela valorização das mais de 1,1 mil famílias associadas.
“O programa é um grande incentivo para que esses jovens possam dar continuidade ao trabalho da família e, além disso, ajudar na profissionalização das propriedades. Estamos há uma década do centenário da Aurora e sempre focados na melhora constante da matéria-prima e dos produtos”, resume.
Filha de cooperados, Jéssica Bellé, 20 anos, viu no Aprendiz Cooperativo a oportunidade que estava buscando de ter contato com outras pessoas da mesma faixa etária, de dividir seus anseios e de consolidar a vontade de permanecer no meio rural. Jéssica, que mora na Linha Buratti, em Bento Gonçalves, deu continuidade à sua formação e, hoje, cursa Agronomia no Instituto Federal do Rio Grande do Sul.

Programa foi a ponte principal para Amanda Lerin se associar à Aurora Crédito: Divulgação / Acervo pessoal

“Quando saí da escola em 2018 não tinha muita certeza do que queria fazer da vida, aí recebi o convite para ser um Aprendiz e isso acabou despertando em mim uma paixão muito grande pela agricultura. Comecei a pensar mais seriamente na questão da sucessão rural familiar, na qualidade de vida que temos trabalhando com a viticultura e decidi realmente me aprofundar nesta atividade”, conta Jéssica.
A jovem agricultora cita as aulas de cooperativismo e de gestão como fundamentais para o trabalho que desenvolve com os pais na propriedade.
“Tenho orgulho de dizer que, hoje, eu também sou associada à Aurora e que no futuro muitos destes jovens estarão muito bem capacitados para assumirem funções na direção da cooperativa. Acredito que esse seja o maior legado deste programa”, finaliza.
O também filho de cooperado, Giovani Sonaglio, 20 anos, conta que participou do primeiro grupo Aprendiz Cooperativo da Aurora e que levará as lições do programa para a vida inteira. Ele destaca que as disciplinas do curso ajudaram na decisão de fazer da viticultura e do cooperativismo uma profissão e um modo de vida.
“Tive a honra de fazer parte dessa história com outros jovens, tivemos a oportunidade de aprendizado que pode ser usado tanto na propriedade rural como na própria vida. Minha experiência no curso complementou a minha decisão de continuar na propriedade e me associar à Aurora, pois pude ter acesso ao funcionamento de uma cooperativa de uma forma mais detalhada. Fico muito feliz por esse projeto ter dado certo e ter continuidade. É uma oportunidade para todos que fazem parte dessa grande família que é a Cooperativa Vinícola Aurora”, acredita.
Ponte para o cooperativismo
A jovem Amanda Lerin, 19 anos, que mora em Pinto Bandeira, na Linha Palmeiro, na comunidade de São José da Busa, relata que o Aprendiz Cooperativo do Campo foi a ponte principal para ter se tornado associada à Vinícola Aurora. Filha de cooperado, ela também cita o apoio que sempre recebeu da família para que a tão proclamada sucessão rural virasse realidade.
“Dentro do programa aprendi muito mais do que poderia imaginar: todo o funcionamento da cooperativa, a parte financeira e administrativa para a minha propriedade, outras maneiras de diversificar a produção e de aproveitar tudo que minhas terras têm a oferecer. No programa pude enxergar o real valor da propriedade, contando com o constante incentivo que o programa dá para a permanência na viticultura e na atividade agrícola como um todo”, pontua.
Amanda garante que, hoje, consegue colocar em prática o que aprendeu no programa tanto na propriedade como na cooperativa, fazendo parte das decisões em assembleia, entendendo sobre as prestações de contas, opinando e fazendo valer a responsabilidade de ser associada.

Pastorello afirma que o programa incentivou que fizesse melhorias na atividade vitícola Crédito: Divulgação / Acervo pessoal

“Me orgulho de fazer parte dessa Cooperativa, que traz o sustento para minha família há muitos anos e incentivo outros jovens a fazer parte dessa história”, diz.
Guilherme Pastorello, 19 anos, também mora em Pinto Bandeira, na Linha Brasil, e já havia se associado antes mesmo de participar do programa. Vindo de família de viticultores cooperados – pai e o avô são sócios – ele diz que aos 16 anos buscou a emancipação e no ano seguinte entrou no quadro associativo.
“Desde pequeno sempre tive muito claro que queria continuar na agricultura. Não há valor que pague a vida que temos aqui. Quando comecei a fazer o programa tive ainda mais certeza de que esse é o futuro, com as amizades que se criaram, com todo o aprendizado, são grandes incentivos para a continuidade deste trabalho na viticultura”, destaca.
Pastorello afirma que o programa incentivou que fizesse melhorias na atividade vitícola, com uso de implementos agrícolas e modernização cada vez maior de todos os processos: “Na prática, isso possibilita uma qualidade maior da uva e, por isso, um retorno financeiro muito melhor”, garante.

Pesquisador Adeliano Cargnin é o novo chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho

Pesquisador Adeliano Cargnin é o novo chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho (crédito: Viviane Zanella)

O pesquisador Adeliano Cargnin é o novo chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves, RS). O mandato será de dois anos, prorrogável pelo mesmo período por mais duas vezes, por decisão da Diretoria da Embrapa, podendo chegar a seis anos no total. A data da cerimônia de transmissão e posse, que acontecerá em formato virtual, ainda será marcada pelo Gabinete do Presidente da Embrapa, mas o pesquisador já passa a exercer oficialmente o cargo a partir do primeiro dia de maio de 2021.
Desde janeiro de 2018, Cargnin estava à frente da Chefia de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Embrapa Uva e Vinho. Ele substitui o chefe-geral da Unidade, José Fernando da Silva Protas, que, a pedido da Diretoria Nacional da Embrapa, ocupou o cargo interinamente desde março de 2019. Protas retorna para as suas atividades como pesquisador na área de Socioeconomia, após mais de quatorze anos em cargos de gestão na Unidade.
Integrando a equipe de gestão, o pesquisador João Caetano Fioravanço assume a Chefia de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, e seguem na chefia Marcos Botton, à frente da Transferência de Tecnologia, e Joelsio José Lazzarotto, na Administração.

Trajetória e perfil
Adeliano Cargnin possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2003), mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (2005) e doutorado em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (2007). Ingressou na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária em abril de 2007, como pesquisador na Embrapa Cerrados (DF), na área de Recursos Genéticos e Melhoramento Vegetal.
Já em seu primeiro ano de empresa estava envolvido na gestão. Além de integrar o comitê gestor e a vice-liderança do Projeto de Agroenergia, foi supervisor substituto do Núcleo de Produção de P&D em produção vegetal e membro substituto do Comitê Técnico Interno (CTI), estrutura tanto deliberativa como consultiva, que acompanha a correta condução de todos os projetos, desde a concepção até a apresentação de resultados.
Em junho de 2010, foi transferido para a Embrapa Trigo (Passo Fundo – RS). Na unidade assumiu a liderança e a gestão do projeto em Rede “Bancos Ativos de Germoplasma de Cereais”, além de atuar diretamente em projetos de melhoramento genético de trigo e também ser membro do Comitê Técnico Interno (CTI).
Desde 2014 está atuando na Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves – RS). Liderou o projeto Seleção de clones de variedades viníferas visando maior qualidade dos vinhos de Indicações Geográficas, que já está na fase II. Em janeiro de 2018 assumiu a Chefia de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação
Saiba mais sobre o pesquisador Adeliano Cargnin acessando seu currículo Lattes.

Sobre a Embrapa Uva e Vinho:
A Embrapa Uva e Vinho é uma unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Sua sede está localizada no município de Bento Gonçalves, RS, principal região produtora de uvas e vinhos do Brasil, onde estão os setores administrativos, de transferência de tecnologia e de pesquisa. Conta ainda com duas estações experimentais: de Fruticultura de Clima Temperado, em Vacaria, RS, região dos Campos de Cima da Serra e de Viticultura Tropical, em Jales, SP. A Unidade conta com um quadro de pessoal composto por 144 colaboradores com capacitação e experiência em diferentes áreas do conhecimento, dedicados à pesquisa, desenvolvimento e inovação, das cadeias produtivas da vitivinicultura e das fruteiras de clima temperado.

Cooperativa Vinícola Garibaldi traz sugestões de receitas para saborear no Dia das Mães

Dicas de pratos são da Dona Odete Bettú Lazzari, que dirige o restaurante Osteria Della Colombina

Amor de mãe não se compara, não é? Por isso, a Cooperativa Vinícola Garibaldi foi buscar os conhecimentos gastronômicos de uma chef matriarca amorosa para deixar o Dia das Mães, além de carinhoso, muito saboroso.
Dona Odete Bettú Lazzari, 71 anos, é mãe de quatro filhas e dirige o conhecido restaurante Osteria Della Colombina, no interior de Garibaldi. O lugar é referência na Serra gaúcha por servir pratos típicos regionais de maneira original e com afeto: o restaurante fica no porão da residência dos Bettú e, ao final das refeições, os comensais são brindados com colombinas, um pãozinho em formato de pombinha.
Esse carinho dispensado aos clientes é o mesmo que dona Odete dedicou às filhas Rosângela, Raquel, Roselaine e Raíssa, todas envolvidas com o restaurante. Viúva aos 47 anos, ela precisou criar sozinha as meninas e administrar uma propriedade de 13 hectares. Em 2001, depois de apostar no turismo rural alguns anos antes, abriu a osteria servindo pratos com gastronomia afetiva. No caso, um afeto que vem estimulado há gerações. Algo que está, de certa forma, ensinado nos cadernos de receitas da mãe de dona Odete, guardados há anos por ela.
Para esse Dia das Mães, ela sugere um cardápio completo. O prato principal é a tradicional “suca con el pien”, ou abóbora recheada, na tradução do talian. Para a sobremesa, uma receita retirada especialmente dos cadernos da mãe de dona Odete: pudim de laranja.
Em vídeo, Dona Odete explica o passo a passo das receitas. Para deixar o prato principal do jeitinho dela, a cozinheira não se furta em ensinar segredos repassados por sua mãe. “Para um bom recheio, ela me ensinou, precisa duas porções de pão ralado e uma de queijo parmesão ralado”, diz, emendando: “o segredo do recheio é a noz-moscada”, entrega.
Para saber como fazer sua casa se transformar, ainda que por um dia, na Osteria Della Colombina, basta seguir as receitas abaixo ao pé da letra. E para não errar na harmonização, a Cooperativa Vinícola Garibaldi sugere o espumante Garibaldi Pinot Noir, por sua intensidade de sabor, para o prato principal, e o Moscatel Garibaldi, com seu teor de açúcares residual mais elevado, para acompanhar a sobremesa. E, claro, a garotada pode participar dessa comemoração afetiva com o saudável suco de uva integral da cooperativa. O brinde e o afeto estão garantidos!
“La Suca Con el Pien” ou Abóbora Recheada com o Pien

Ingredientes:
½ kg de carne de gado moída
½ kg de carne de frango (coxa e sobrecoxa)
3 xícaras de pão ralado (pão dormido)
2 xícaras de queijo parmesão ralado
1 colher (café) de noz moscasda ralada bem fina
3 ovos inteiros
4 colheres (sopa) banha
1 abóbora cabotiá de 1,5kg
6 cravos da índia
Salsa, cebola, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo do Pien:
1. Numa panela, refogar a cebola na banha e cozinhar a carne moída, adicionando os condimentos, até ficar bem soltinha. Ir adicionando pequenas quantidades de água para a carne não grudar na panela. Fazer o mesmo processo com o frango, separadamente. Cozinhar bem e moer o frango.
2. Colocar as carnes num recipiente para deixar amornar.
3. Misturar as carnes, o pão, os ovos levemente batidos com um pouco de sal. Por fim, adicionar o queijo, a noz-moscada e a salsa picada. Amassar com as mãos até que a massa fique bem homogênea e firme. Dependendo do tamanho dos ovos, às vezes se faz necessário adicionar um pouquinho de água morna para que a massa fique na devida consistência.

Modo de preparo da Abóbora Recheada com o Pien:
1. Lave bem a abóbora, depois faça quatro cortes na parte do cabo da abóbora, retire o quadrado, e com auxílio de uma colher retire todas as sementes e raspe bem o interior dela, deixando-o bem liso.
2. Após, coloque o pien, preenchendo totalmente o interior da abóbora. Tampe a abóbora com o quadrado/tampa que foi retirado.
3. Leve ao fogo uma panela, coloque 2 colheres de sopa de banha bem cheias. Coloque a abóbora, uma colher de sopa de sal por cima dela e uma cebola grande em vários pedaços, além de umas ramas de salsa (não picadas) e 6 cravos-da-índia distribuídos por cima da abóbora. Caso prefira, adicione um dente de alho.
4. Com fogo baixo, vire a abóbora seguidamente e não a deixe secar, acrescentando um pouco de água. A panela deverá estar sempre bem tampada, para o vapor ajudar no cozimento. Este cozimento leva em torno de 2h. A abóbora deve ficar levemente macia.

“Pudim de laranja”

Ingredientes
4 ovos
8 colheres (sopa) de açúcar
colheres (sopa) de farinha de trigo
Suco de duas laranjas
2 xícaras (chá) de leite

Modo de fazer
1. Bata bem os ovos. Após, coloque o açúcar e mexa bem para dissolver.
2. Após, ainda mexendo, incorpore a farinha de trigo.
3. Siga mexendo e despeje o suco de laranja.
4. Por fim, coloque o leite e mexa. Reserve.
5. Coloque um pouco de açúcar para caramelar uma fôrma de pudim.
6. Feito esse processo, despeje o líquido reservado na fôrma.
7. Cozinhe em banho-maria por cerca de 30 a 35 minutos.
Acesse mais fotos e os vídeos com o preparo das receitas neste endereço: https://bit.ly/330Cutu

Saif lança produtos orgânicos para limpeza

Saif lança produtos orgânicos para limpeza

Novidades incrementam portfólio da marca que espera ampliar em 10% a participação no mercado gaúcho e expandir seus negócios para além dos estados da Região Sul
O portfólio da Saif acaba de ganhar novas soluções especialmente desenvolvidas para atender uma parcela relevante de consumidores: aqueles que priorizam produtos orgânicos na hora das compras. Estendendo esse cuidado também para a limpeza doméstica, a marca apresenta duas novidades: o limpador multiuso com vinagre e álcool na fórmula e o limpador multiuso com bicarbonato de sódio e álcool.
Ambos são desenvolvidos com ativos orgânicos, menos agressivos à natureza, biodegradáveis e livre de cloro e petroquímicos em sua composição, o que os torna uma alternativa mais natural para manter a higiene dos ambientes. No quesito eficiência, as opções não deixam nada a desejar no comparativo com as versões tradicionais. O limpador com vinagre e álcool é indicado para eliminar odores, ideal para ambientes como pets, tendo, também, ação desengordurante. Já o limpador com bicarbonato e álcool é eficiente pela ação tripla: limpa, desengordura e perfuma. Isso graças ao poder do bicarbonato, ingrediente natural muito utilizado na limpeza doméstica pelas suas propriedades bactericidas, capacidade de eliminar odores e ação efervescente que dissolve gorduras e sujidades.

Outras novidades no mix
Na leva de novidades, a Saif também apresenta ao mercado o Limpador Multiuso de Secagem Rápida na versão squeeze, mais econômica para as tarefas diárias. Recomendado pela Anvisa, tem ação bactericida comprovada, eliminando até 99,9% das bactérias – é a solução ideal para higienizar e proteger os ambientes inclusive em dias úmidos, já que sua fórmula, com álcool, tem secagem rápida. Outro lançamento é a solução específica para a limpeza das máquinas de lavar roupa. Em pó, o produto elimina odores e remove resíduos sem danificar o equipamento, uma vez que não contém cloro.
O conjunto de lançamentos faz parte das ações estratégicas da Saif para ampliar em 10% seus negócios no mercado gaúcho e expandi-los, também, para além dos estados da Região Sul, fortalecendo-se em São Paulo e Minas Gerais. Atuando em um novo parque fabril na cidade de Bento Gonçalves (RS) desde o segundo semestre de 2020, a Saif tem capacidade para quadruplicar sua atual média de produção, podendo chegar à marca de 1 milhão de quilo/litros de produtos de limpeza fabricados por mês. Hoje, as vendas da Saif estão concentradas em supermercados de médio e pequeno porte na Região Sul do país, que respondem por 80% do faturamento da empresa.

Uma receita da “xepa” de dar água na boca

 

Foto: Divulgação

Os brothers e sisters da casa mais vigiada do país costumam dizer que quem está na xepa, tem fome. Porém, os alimentos disponíveis para os que não estão no Vip são consumidos e apreciados pela maioria da população brasileira. São fáceis de encontrar e têm preços acessíveis. Com um pouco de criatividade é possível preparar delícias. É o caso da língua braseada na cerveja preta com legumes da feira que os chefs e docentes do Senac Bento Gonçalves prepararam para deixar qualquer um com água na boca. Surpreenda-se! Confira a receita e mãos à obra!
Língua braseada na cerveja preta com legumes da feira
Tempo de preparo: 2 horas Rendimento: 8 porções Ingredientes:
Uma receita da “xepa” de dar água na boca
2 latas de cerveja preta malzibier
Ervas a gosto (louro, alecrim, tomilho e salsa)
1 limão
200 ml de vinagre de álcool
150 gramas de cebola
150 gramas de cenoura
100 gramas de tomate
100 gramas de chuchu
100 gramas de abobrinha
30 gramas de tomate cereja
100 gramas de farinha de trigo
200 gramas de brócolis
50 gramas de batata inglesa
50 gramas de açúcar mascavo
30 gramas de manteiga
Alho a gosto
800 gramas de língua bovina
Pré-preparo:
– Deixe de molho a língua na água e no vinagre por 10 minutos.
– Lave e reserve.
– Ferva por 30 minutos com mais 20 ml de vinagre, 2 litros de água, alecrim, sal, louro e grãos de pimenta do reino
– Reserve.
– Tire a pele da língua com uma faca e corte em medalhões de 1 cm.
Preparo dos legumes:
1 – Corte, em cubos, o tomate, a cenoura, a cebola e metade do alho.
2- Corte os outros legumes no tamanho que preferir, passe rapidamente na água
fervente e depois coloque em um pote com gelo para manter uma boa textura. 3 – Reserve em uma travessa com alho e azeite, sal e pimenta do reino para finalizar no forno.
Preparo da língua:
1- Sele os medalhões em uma panela com manteiga e adicione os legumes em cubos.
2- Adicione 30 g de farinha de trigo para selar juntamente com os legumes.
3- Adicione a cerveja e coloque as ervas a gosto e um pouco de sal também.
4- Coloque a mesma quantidade de água e cozinhe na pressão por 40 minutos. 5- Depois desse tempo, deixe cozinhando em fogo baixo até a língua chegar no ponto desejado.
6- Você pode coar o molho e deixar bem liso ou servi-lo mais rústico.
7- Asse os legumes no forno e sirva com os medalhões de língua.
8- Ao final, se precisar, acerte o sal, pimenta do reino e dê um toque de açúcar mascavo e limão
Você pode cozinhar a língua sem a panela de pressão lentamente, por umas 4 a 5 horas.

Últimos dias para aproveitar condições do primeiro lote de inscrições da Sparkling Night Run

Com novidade da premiação em dinheiro aos vencedores, tradicional corrida noturna ocorre no dia 27 de novembro com largada e chegada no Parque de Eventos de Bento Gonçalves

Quem quiser aproveitar as condições especiais para participar da mais charmosa corrida noturna da Serra Gaúcha precisa se apressar: o primeiro lote de inscrições da Sparkling Night Run 2021 encerra dia 30 de abril. Até essa data é possível efetivar a participação ao custo de R$ 79 (mais taxa de inscrição).
A sétima edição da Sparkling Night Run ocorre no dia 27 de novembro, com programação a partir das 18h30. As atividades têm como ponto de concentração o Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Mantendo as modalidades individuais de 5 km e 10 km, a 7ª Sparkling Night Run chega com novidades à 2021. A principal delas é a inédita premiação em dinheiro aos vencedores da corrida em cada uma das duas distâncias, nas categorias masculino e feminino – serão bonificações de R$ 1.000, R$ 800, R$ 600, R$ 400 e R$ 200.
Além de disputar a premiação, quem se inscrever recebe um kit para disputa da prova composto por: número de peito; camiseta manga curta; medalha de participação; uma taça de acrílico – para brindar, depois da prova, com os espumantes da região, que inspira a temática da corrida –; um vale biscoito e um ticket para degustação de massas, em ação comemorativa alusiva ao Dia Mundial do Macarrão, promovida pela Orquídea, patrocinadora do evento.


Caminhada e kids
Também é possível participar da 7ª Sparkling Night Run inscrevendo-se para a modalidade caminhada, com trajeto de 5 km da corrida – valor de R$ 40. Para os pequenos, hverá a programação Kids, com subdivisões etárias de 3 a 5 anos, serão 50m percorridos; de 6 a 11, 100m; de 12 a 13, 200m; e, por fim, jovens com 14 e 15 anos percorrerão 500m. Para os pequenos, a inscrição também é de R$ 40. Os trajetos infantis serão traçados dentro do Parque de Eventos do município – onde ocorre a largada e a chegada da corrida.

Inscrições seguem abertas
A partir do dia 1º de maio, iniciam as vendas do segundo lote: o valor da inscrição passa a ser de R$ 89 por atleta (mais taxa de conveniência), com os mesmos benefícios garantidos. Equipes com mais de dez atletas e associados ao Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (entidade promotora do evento) ganham 10% de desconto. As modalidades caminhada e kids permanecem no mesmo valor. As inscrições podem ser realizadas no site www.sparklingnightrun.com.br. Mais informações pelo fone (54) 2105.1999 ou pelo e-mail contato@sparklingnightrun.com.br.

SERVIÇO
O quê: Sparkling Night Run 2021
Quando: 27 de novembro
Onde: ruas de Bento Gonçalves (RS)
Modalidades:
– Kids (de 3 a 15 anos)
– Caminhada 5 km
– Corrida 5 km e 10 km
Valores: 1º lote no valor de R$ 79 (mais taxas) até 30 de abril; 2º lote por R$ 89 a partir de 1º de maio
Promoção: CIC-BG
Inscrições: no site www.sparklingnightrun.com.br

Faça sua make e cuide de sua pele em casa

Confira as dicas de maquiagem e de skin care de docente da Senac Bento Gonçalves


O uso de máscaras segue obrigatório e os olhos continuam em destaque. A docente do curso de Maquiador do Senac Bento Gonçalves Jéssica Cogo preparou algumas dicas para quem quer seguir valorizando a área dos olhos. A especialista também ensina uma receita caseira e fácil de máscara para a pele. Para a maquiagem dos olhos, Jéssica explica que as sombras em tons de marrom mais quente quase nunca saem de moda e combinam com praticamente todos os tipos de olhos. “Para quem não gosta muito do marrom, a dica é apostar também no iluminador nos olhos”, disse.

Aproveite para ficar confortável e veja como hidratar a pele em casa Foto: Divulgação

Já para aquela reunião on-line de trabalho, Jéssica propõe uma make mais leve. “Nada muito carregado. Usar corretivo nas olheiras e manchinhas ou uma base de cobertura leve. O blush, a correção de sobrancelhas, muito rímel e gloss vão dar um ar de saúde”, explica.
Para finalizar, a docente dá uma dica de skin care caseiro para proteger a pele nos dias mais frios que vêm por aí. Confira:
Faça uma esfoliação com farinha de milho e qualquer hidratante no rosto com movimentos de dentro para fora e depois lavar com água fria.  Após a esfoliação, é hora da máscara feita em casa. A receita é misturar argila com um pouco de água. Se tiver algum óleo essencial em casa pode misturar uma gotinha na argila. “Pronto! Rapidamente está pronta uma ótima máscara anti-inflamatória e hidratante. E lembre-se que qualquer hidratação da pele vem de dentro para fora. Então, beba aproximadamente 2 litros de água por dia”, indica.

Especialista dá dicas de maquiagem para evidenciar os protagonistas da temporada outono/inverno

Mesmo com a realidade atual, com a máscara e o face shield como elementos básicos da nossa rotina, a maquiagem também pode estar presente para quem gosta de experimentar novas combinações de tons e realçar os seus melhores traços. As principais revistas do mercado da Moda e Beleza, como Vogue, Harper’s Bazaar e Pure People já previam, no início do ano, que os olhos continuariam sendo os protagonistas da estação outono/inverno.
Diferente do verão, no qual o risco de derretimento da make é maior, o período de frio é perfeito para ousar com as melhores produções e se destacar ainda mais durante o dia a dia. Neste sentido, a docente de Beleza do Senac Bento Gonçalves, Jéssica Paola Cogo, reforça que apostar nos olhos seguirá forte este ano. Para quem quer se destacar durante a temporada, a especialista separou algumas orientações e ainda deixou duas dicas de make. Confira:

Aposte nos olhos
Olhar destacado: especialista dá dicas de maquiagem para evidenciar os olhos e utilizar bastante do rímel são uma opção, além de deixar as sobrancelhas bem marcadas. Aposte nos tons terrosos, como marrons mais quentes, pois nunca saem de moda.

Não podem faltar na pré- produção
A temporada de frio demanda alguns cuidados a mais antes de aplicar qualquer maquiagem, portanto lembre-se de hidratar a pele e não exagerar na aplicação da base. Desta forma a pele ficará com aparência natural e hidratada, mesmo nos dias mais frios.

Os essenciais
Para a especialista os três produtos que não podem faltar para complementar a make são o protetor solar com cor, para uniformizar a pele e dar um ar de naturalidade, o rímel, responsável por dar destaque aos olhos e o corretivo para corrigir imperfeições que possam aparecer (espinhas, olheiras, entre outros).

Bonita noite e dia
Para o dia, a dica é apostar no protetor solar com cor, bronzer e rímel. Os olhos podem ser destacados com uma sombra marrom para dar um fundo no olhar. Já para o período noturno invista no pó compacto e no corretivo. Para as zonas que devem ganhar destaque, utilize o iluminador e, para os olhos, acrescente um tom preto na sombra. Se preferir, pode utilizar um delineador para dar mais destaque aos olhos.

Curso Técnicas de Maquiagem no Senac Bento Gonçalves – Para quem se interessa pelo assunto, o Senac Bento Gonçalves oferta diversos cursos na área da Beleza, entre eles o curso de Técnicas de Maquiagem. O curso tem por objetivo qualificar profissionais para trabalhar na aplicação de diferentes técnicas de maquiagem, respeitando as características faciais do cliente, considerando as necessidades dele e as tendências da moda. Mais informações no site www.senacrs.com.br/bento ou pelo Whatsapp (54) 99161-3507.

Safra 2021 será comentada por nove enólogos e agrônomos dia 29

De forma inédita, ABE promove curso online gratuito para falar da qualidade, diversidade, desafios e curiosidades da última colheita da uva em todo o Brasil

Gabriela Potter Fotos Arquivos pessoais

Um vinhedo leva umas três safras para começar a produzir, assim como um vinho precisa de meses e até anos para ser elaborado. Com a pandemia do Coronavírus, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) precisou se reinventar para seguir seu trabalho de qualificar enólogos e promover o vinho brasileiro. O Brazil Wine Challenge, o Dia do Vinho Brasileiro e a surpreendente Avaliação Nacional de Vinhos, que chegou na casa de apreciadores de 24 estados brasileiros no ano passado, são exemplos dessa nova atuação. Com os desafios, avistaram-se novas oportunidades e pela primeira vez a entidade estará reunindo nove enólogos e agrônomos de diferentes regiões produtoras para falar do desempenho da Safra 2021. Será no dia 29 de abril, às 20h, no canal da ABE no Youtube. É o curso Direto do Vinhedo.
O presidente da ABE, enólogo André Gasperin, conduzirá o papo que poderá ser acompanhado por qualquer pessoa interessada no assunto. “Queremos mostrar um Brasil Vitivinícola que muita gente não conhece. Falar das características de cada terroir, do que vem sendo feito em cada região, das variedades que melhor se adaptaram, das boas surpresas, dos desafios, enfim, de como se comportou a Safra 2021 em cada um desses lugares”, destaca.
Os outros oito enólogos e agrônomos convidados pela ABE para participar deste encontro são Ana Paula Barros (Agreste, Chapada Diamantina e Vale do São Francisco), Átila Zavarise (Serra Catarinense), Carlos Abarzúa (Serra Gaúcha – Espumantes), Dirceu Scottá (Serra Gaúcha – Vinhos Tranquilos), Gabriela Hermann Pötter (Campanha Gaúcha), Isabela Peregrino (Minas Gerais e São Paulo), Marcos Vian (Distrito Federal, Goiás e Paraná) e Silvano Michelon (Campanha Gaúcha e Serra do Sudeste). Eles vão compartilhar suas experiências junto ao vinhedo, relatando o comportamento em cada estação do ano e os reflexos do clima na produção da uva. A proposta também quer mostrar como o Brasil evoluiu em tecnologia, especialmente na área enológica e de viticultura, e como isso reflete diretamente na qualidade dos vinhos.
Um dos assuntos que ganhará atenção na pauta dos profissionais é o manejo nos vinhedos, além da compreensão de cada terroir, determinantes para garantir uma safra de qualidade e com grande volume. Se por um lado a iniciativa troca experiência no meio técnico, por outro dá subsídios aos consumidores, antecipando tendências e tipos de produtos que irão chegar ao mercado com qualidade superior.

Dirceu Scottá | Fotos Arquivos pessoais

SERVIÇO
O que? Curso Direto do Vinhedo
Quando? 29 de abril de 2021, das 20h às 21h
Onde? Canal da ABE no youtube
Participantes:
Enólogos e regiões
Ana Paula Barros – Agreste, Chapada Diamantina e Vale do São Francisco
Átila Zavarise – Serra Catarinense
Carlos Abarzúa – Serra Gaúcha (Espumantes)
Dirceu Scottá – Serra Gaúchas (Vinhos tranquilos)
Gabriela Hermann Pötter – Campanha Gaúcha
Isabela Peregrino – Minas Gerais e São Paulo
Marcos Vian – Distrito Federal, Goiás e Paraná
Silvano Michelon – Campanha Gaúcha e Serra do Sudeste
Mediação: André Gasperin, presidente da ABE

Agroindústrias começam a receber rótulos adequados aos padrões legais


Seis das 11 agroindústrias familiares que participam do Projeto de Extensão “Análise dos rótulos de estabelecimentos cadastrados no Programa de Agroindústrias Familiares do Município de Bento Gonçalves”, receberam, na semana passada, de forma individual e online, os resultados das análises realizadas. Esse trabalho é desenvolvido pelo IFRS – Campus Bento Gonçalves, juntamente com a Emater/RS-Ascar, parceira da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), com a colaboração das secretarias municipais da Saúde e de Desenvolvimento da Agricultura.
Além de beneficiar os estabelecimentos com a verificação e adequação dos rótulos à legislação vigente, o projeto também vai contribuir para a formação dos alunos da Tecnologia em Alimentos do IFRS. “Isso era uma necessidade que a gente tinha, até porque a questão legal é bem complexa, e é preciso fazer uma análise muito criteriosa e que é diferente para cada atividade, seja farináceos, doces, produtos de origem animal ou bebidas, então esse projeto traz uma grande contribuição”, explica o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Neiton Perufo.
Segundo ele, o trabalho teve boa aceitação e as agroindústrias que receberam os resultados estão dispostas a fazer as adequações, sendo que algumas vão substituir os rótulos e outras irão mantê-los, mas fazer as correções.
As agroindústrias contempladas no projeto são: Rossi Produtos Caseiros, Janete Produtos Coloniais, Agroindústria Familiar Gemille, Ovos Polônia, Nossa Horta, Piccola Cantina, Vinhos Porão do Vale, Vinhos Speranza, Geleias Ivani, Casa Rebello e Casa da Serra. A proposta do grupo de trabalho é que após o encerramento com a entrega de todos os resultados o projeto tenha continuidade, beneficiando outras agroindústrias do município. Atualmente, Bento Gonçalves conta com 37 empreendimentos inclusos do Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) e Selo Sabor de Bento.