Grupo ‘Baixos Canoas Brasil’, realizará encontro de carros rebaixados em Monte Belo do Sul

Em visita à Prefeitura Municipal de Monte Belo do Sul , representantes do grupo ‘Baixos Canoas Brasil’, com sede em Canoas-RS, apresentaram ao Poder Público pedido para realização de um encontro de carros rebaixados no município.
O evento será realizado no próximo domingo, dia 10, das 10h às 16h, nas proximidades do Estádio Municipal Primo Agosto Consoli. A promoção arrecadará donativos (doces e brinquedos) em alusão do Dia das Crianças. Todo o material arrecadado será destinado à Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social.
Na ocasião, estiveram presentes o vereador Eder Zaffari, o prefeito Adenir José Dallé, o representante do grupo Edson Zaffari e o vice-prefeito Jorge Benvenutti.

Produtores têm surpresa ao coletar mel azul

Fato aconteceu com apicultores de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul

Fotos: Divulgação redes sociais

A coloração do mel está intrigando apicutores do Norte gaúcho. O apicultor Naor Kümpel ficou surpreso ao abrir as 25 caixas de abelha para fazer a colheita do mel e encontrar o produto com a cor azul. Ele relatou que o mel não pode ser consumido por ter cheiro forte e ter espessura semelhante a óleo.
Agora ele aguarda o que fazer com os 150 kg coletados. O produto não pode ser comercializado por não atender as exigências do Ministério da Agricultura.
Por meio de sua rede social o produtor ainda disse que o fato já havia ocorrido no ano passado. A primeira suspeita dos produtores é de que as flores das plantas que fazem a cobertura de solo de uma propriedade vizinha estejam sendo ‘visitadas’ pelas abelhas. Com a polinização dessas flores, que podem estar contaminadas por pragas, a substância fica mais escura. Outros dois criadores de abelhas vizinhos também relataram o mesmo problema. Uma análise deve identificar a causa da coloração diferente do produto.
Apicultores franceses já haviam encontrado mel azul em seus favos em 2012. A explicação é que as abelhas haviam se alimentado de resíduos de doces com esta coloração de uma fábrica próxima.

Mais vinícolas e muito mais amostras

12º Concurso do Espumante Brasileiro encerra inscrições superando todas as edições anteriores. Degustações acontecem nos dias 13 e 14 de outubro, em Garibaldi

Imagens: Jeferson Soldi

Desde 2001, quando foi realizada a primeira edição do Concurso do Espumante Brasileiro, o número de amostras inscritas não parou de crescer, assim como as vinícolas. Num aumento contínuo, o evento acaba de bater novo recorde confirmando a inscrição de 425 amostras de 93 vinícolas de seis estados (Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), além do Distrito Federal. O concurso será realizado de 13 a 15 de outubro na Capital do Espumante Brasileiro, em Garibaldi (RS), numa realização da Associação Brasileira de Enologia.
O incremento no número de espumantes foi de 13%, mostrando a representatividade e a aposta do setor vitivinícola brasileiro no produto. Com expectativa superada, agora a ABE intensifica os trabalhos para a degustação, que seguirá normas internacionais estabelecidas pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). As sessões serão realizadas às cegas no Centro de Eventos do Hotel Dall’Onder SKI com a participação de mais de 45 técnicos, entre eles enólogos, sommeliers e jornalistas especializados, divididos em seis júris.
Para o presidente da ABE, enólogo André Gasperin, depois de ter superado os números de 2019, agora a expectativa se volta para a qualidade dos espumantes. “A evolução do espumante brasileiro vem surpreendendo os jurados a cada edição. Esperamos que este ano esta constatação se repita ao final do evento”, destaca. Na edição passada, 125 espumantes foram premiados com notas superiores a 88 pontos. Destes, 14 conquistaram Grande Medalha de Ouro superando os 92 pontos. “O Concurso do Espumante Brasileiro é uma janela para o mundo, expõe nossos melhores espumantes tanto no mercado interno, quanto externo, sendo referência de pesquisa para quem busca apreciar rótulos diferenciados”, complementa o presidente.
O concurso avalia espumantes naturais, provenientes de uvas vitis viníferas, obtidos a partir dos diferentes métodos, que estejam sendo comercializados normalmente pelas empresas nas categorias: espumantes de segunda fermentação (charmat e tradicional) e espumantes de primeira fermentação (moscatéis). Serão premiados os espumantes melhores classificados por categoria, respeitando o limite de 30% dos inscritos conforme normas internacionais.

RETROSPECTIVA

 

Visitas ganham em qualidade e aumentam rentabilidade no enoturismo

Embora em menor número, turistas estão gastando mais na Cooperativa Vinícola Garibaldi

Degustação e taça personalizada na experiência “Uma História para degustar”. Crédito Augusto Tomasi

A pandemia ainda representa obstáculos para a plena recuperação do enoturismo. Mas a flexibilização nos protocolos de saúde, em virtude do avanço da vacinação, tem permitido a vinícolas como a Cooperativa Garibaldi vislumbrar um 2021 com números tão bons quanto aos do período pré-pandêmico. Principalmente em receita.
Face ao ainda cauteloso movimento de visitantes ao Complexo Enoturístico da casa, quem aparece por lá está gastando mais. No primeiro semestre do ano, os 14 mil turistas que visitaram o lugar gastaram R$ 98 de ticket médio, valor 201,5% maior do que os 58 mil visitantes despenderam no mesmo período de 2019 – em relação à igual intervalo de 2020, o valor é 145% superior.
Isso coloca o setor de enoturismo da vinícola em rota de recuperação, segundo o responsável pelo setor, Maiquel Vignatti, já que o primeiro semestre responde por cerca de 40% do fluxo e 38% do faturamento do complexo. Para ele, o patamar elevado do ticket médio se manterá até o final do ano, garantindo promissores resultados. “Devemos ter o mesmo faturamento de 2019, o que representaria um crescimento superior a 50% em relação a 2020”, projeta Vignatti sobre as cifras que devem ultrapassar os R$ 4,5 milhões.
Embora o fluxo turístico deste ano deva ter uma redução de 65% em relação a 2019, a projeção é crescer 150% no comparativo com 2020, desconsiderando os meses de janeiro e fevereiro. Esses dois meses, por exemplo, ajudaram a vinícola a atingir 30 mil visitantes no primeiro semestre de 2020, pouco mais do que o dobro do contabilizado no mesmo intervalo de tempo deste ano (14 mil) – em 2019, esse número foi de 58 mil.
Ainda assim, de acordo com os prognósticos da vinícola, até o final do ano devem passar pela casa um total de 52 mil visitantes. Eles encontrarão atrações iguais às de 2019, porém dotadas de melhorias. É o caso de Uma História para Degustar. Nessa experiência, realizada em meio às pipas de madeira da cantina histórica, o visitante conta com uma seleção de rótulos mais ampla em espumantes e leva para casa uma taça personalizada da marca – ao custo total de R$ 15.

Degustação à cegas. Crédito Augusto Tomas

É neste embalo de retomada que a Cooperativa Vinícola Garibaldi já pensa em 2022, quando, ao lado do incremento no faturamento, espera também registrar crescimento no fluxo de visitantes. Razões para acreditar nisso não faltam. “Teremos um cenário de imunização contra a covid completo, com o público mantendo o interesse pelo turismo interno, aumento do potencial de compra, busca por experiências marcantes e novos estilos de vinho”, acredita Vignatti.
Por essas circunstâncias, a vinícola já está se preparando para novidades. “Estamos trabalhando para promover ainda mais experiências e, ao mesmo tempo, atuando para requalificar todo o Complexo Enoturístico, com novidades que ainda não podem ser divulgadas”, diz Vignatti.

Marca de vinhos Reservado Marcus James, da Vinícola Aurora, apresenta duas novas versões

Cabernet Fran e Rosé já estão no mercado e atendem à demanda cada vez maior por vinhos jovens e pela explosão de consumo na categoria de produtos rosados. Crescimento nas vendas da linha supera todas as expectativas e previsões

Lançamento do MJ Rosé atende a um mercado que passou de um para cinco milhões de litros em quatro anos Crédito: Eduardo Benini

Os apreciadores dos vinhos de uma das marcas que são top 10 entre as mais lembradas no Brasil passam a ter mais duas opções. Já estão no mercado o Reservado Marcus James Cabernet Franc e o Reservado Marcus James Rosé, que se juntam aos demais 7 produtos da linha da Vinícola Aurora. A novidade deverá impulsionar ainda mais o crescimento nas vendas dos vinhos Marcus James, voltadas exclusivamente para o varejo.
Com preço médio de R$ 25, os rótulos podem ser encontrados em todo o país e atendem à demanda de consumidores de que buscam vinhos jovens e frutados. O lançamento do Reservado Marcus James Rosé foca ainda na fatia de mercado que tem crescido de forma acentuada. Segundo dados da Ideal Consulting, entre 2014 e 2018 ocorreu uma verdadeira explosão no consumo, passando de um milhão de litros para mais de cinco milhões de litros no país, entre vinhos rosés nacionais e importados.
O enólogo-chefe da Vinícola Aurora, Flavio Zilio, afirma que o lançamento do Cabernet Franc visa oferecer mais uma opção de vinho seco entre os rótulos Marcus James, que já conta com o Tannat entre os produtos da linha. O profissional acrescenta que a variedade escolhida tem crescido bastante em qualidade e expressão na Serra Gaúcha.
“É uma ótima opção para quem aprecia esta variedade, e com um exemplar que expressa muito bem as suas características. Procuramos unir este crescimento com o que o consumidor busca, com um preço bastante atrativo”, garante.
Sobre o Reservado Marcus James Rosé, Zilio lembra que ele completa o portfólio que já conta com um vinho Reserva e também com um frisante. Ele diz que tanto o Cabernet Franc como o Rosé são voltados para consumidores que procuram por produtos mais leves, frutados, sem passagem por barricas.
“Assim como os demais produtos desta linha, o Cabernet Franc e o Rosé são fáceis de beber e com muitas opções de harmonizações, sem contar o ótimo custo-benefício que já é característica destes vinhos”, reforça o enólogo.
Da já considerada história safra de 2020, o Reservado Marcus James Cabernet Franc é um vinho seco, de coloração rubi, com aromas de frutas vermelhas, lembrando ameixas. Com boa estrutura e corpo, macio e equilibrado. Fresco e frutado, é extremamente agradável ao paladar. Para harmonização, as sugestões são carnes vermelhas grelhadas, espaguete à bolonhesa e risoto de açafrão.
Elaborado 100% com a variedade Merlot, da safra 2021, o Reservado Marcus James Rosé é um vinho muito versátil. Tem uma coloração rosada viva e brilhante, seguido pelo aroma destacado de frutas vermelhas frescas. No paladar apresenta um frescor agradável e final de boca leve. É uma excelente escolha para harmonizar com pizza de frango com catupiry, filé de frango grelhado, queijos e massas com molhos suaves e delicados.

Caberne Franc é mais uma opção e vinho seco na linha Reservado Marcus James Crédito: Eduardo Benini

Linha exclusiva para o varejo
Os vinhos da linha Marcus James Reservado são vendidos exclusivamente em atacados, supermercados, mercearias e mercados. O Cabernet Franc e o Rosé somam-se aos demais vinhos finos tintos Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, Pinotage, Pinot Noir e aos brancos Chardonnay e Riesling.
A linha Marcus Marcus James está desde 1986 no portfólio da maior cooperativa vinícola do Brasil. Em 2019, apareceu entre as 10 marcas mais lembradas do Brasil na categoria vinhos pela empresa de pesquisa e marketing Wine Intelligence. Os rótulos da linha MJ estão entre as 13 marcas da Vinícola Aurora, compondo os 220 itens do portfólio da empresa, e são vendidos em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. A Vinícola Aurora conta com a dedicação de 1,1 mil famílias associadas, em 11 municípios da Serra Gaúcha, e o engajamento de mais de 500 funcionários divididos em três unidades em Bento Gonçalves e uma em Pinto Bandeira, no Rio Grande do Sul.

Vinhos são voltados para consumidores que apreciam vinhos jovens e frutados Crédito: Eduardo Benini

Aprendizado em casa: Senac Bento Gonçalves oferece 11 cursos técnicos em diversas áreas  

Segundo a Catho Educação, o aumento nas matrículas para cursos na modalidade EAD foi de 70% entre 21 de março e 6 de abril de 2020, enquanto o interesse pelos cursos remotos aumentou em 45%. No mesmo ano, os cursos técnicos a distância do Senac tiveram um crescimento de 33% no número de novos alunos, passando de 20,1 mil novos alunos no ano.
Diante desse cenário, realizar uma capacitação EAD, além de ser uma boa e rápida forma de inserção profissional, é uma das opções para quem quer ingressar no mercado de trabalho. Por isso, o Senac Bento Gonçalves está com inscrições abertas para cursos técnicos na modalidade a distância. São 11 cursos nas áreas de Gestão, Design, Informática, Ambiente, Segurança e Comércio.
Os interessados podem se matricular até o dia 18 de outubro, pelo site www.ead.senac.br/cursos-tecnicos e, também, ter acesso ao conteúdo programático e a metodologia de ensino, além da política de descontos oferecida pelo Senac.
Uma das facilidades oferecidas pelo Senac EAD é que o aluno pode acessar uma Experimentação da Sala de Aula Virtual. O acesso é disponibilizado para todos os alunos inscritos até a data de início das aulas.
Adequados às exigências do mundo profissional, os cursos técnicos estão focados em proporcionar rápida inserção no mercado de trabalho, além de garantirem flexibilidade para que o aluno estude onde e quando quiser. É o comprometimento com a melhor experiência quando o assunto é ensino a distância. Mais informações podem ser obtidas pelo WhatsApp do Senac Bento Gonçalves (54) 99161-3507.

Confira os cursos com inscrições abertas:      
Técnico em Administração
Técnico em Design de Interiores
Técnico em Informática para Internet
Técnico em Logística
Técnico em Meio Ambiente
Técnico em Qualidade
Técnico em Recursos Humanos
Técnico em Secretariado
Técnico em Segurança do Trabalho
Técnico em Transações Imobiliárias
Técnico em Contabilidade

Sobre o Senac EAD       
A metodologia de ensino a distância do Senac é centrada no aluno, enfatizando o desenvolvimento de competências valorizadas no mundo do trabalho, como organização, proatividade e responsabilidade, além de apresentar menor custo com deslocamento e a possibilidade de conciliar os estudos e a vida profissional. Os materiais didáticos estão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem e são compostos por podcasts, vídeos, animações, simuladores, games, objetos de aprendizagem, e-books e recursos tecnológicos. Os recursos em mídias diversas estimulam diferentes formas de aprendizagem, que possibilitam ao aluno se envolver com conhecimentos abordados no curso e sentir a prática virtual em qualquer local e horário.

Visita do Secretário Juvir Costella em Pinto Bandeira


O Secretário De Logística e Transportes do Estado do RS e também Deputado Juvir Costella esteve no dia 30/09 em Pinto Bandeira. O prefeito Hadair Ferrari, munícipes, autoridades municipais e figuras empresariais da região recepcionaram o secretário no Salão da Comunidade da Linha Busa, Costella. Na pauta agradecimento a obra de recapeamento de aproximadamente 4km da VRS 855. Juvir Costella   também passou por Coronel Pilar, Garibaldi, Feliz e Alto Feliz.

 

“Uber dos ônibus” começa a operar no RS

Viagens do Interior para a Capital serão gratuitas até 30 de outubro Buser/Divulgação

A “Uber dos ônibus” chegou ao Rio Grande do Sul. Na segunda-feira (4), a empresa Buser começa a operar no Estado, utilizando um sistema que promete reduzir o preço das passagens em até 60%. Inicialmente, a Buser transportará viajantes entre Santa Maria, Caxias do Sul, Pelotas, Farroupilha, Rio Grande e Porto Alegre.
Os trechos operados serão gratuitos até o dia 30 de outubro nas viagens que partem do Interior para a Capital. A gratuidade dessas viagens faz parte da estratégia da empresa para ingressar no mercado gaúcho com sucesso. A expectativa da empresa é transportar aproximadamente 100 mil passageiros entre cidades gaúchas no próximo ano.
A Buser já atuava pelo modelo de marketplace, em que a plataforma vende passagens em parceria com viações tradicionais, que atuam nas rodoviárias. A novidade é que, a partir de agora, a empresa passa a atuar dentro do Rio Grande do Sul usando o modelo de fretamento colaborativo, modalidade em que os passageiros reservam lugar no ônibus e dividem o valor final. A empresa vai operar nesse novo modelo apenas com ônibus leito ou semi-leito. Segundo o diretor de operações da Buser, Thiago Zanetti, a empresa pretende oferecer uma nova e atrativa possibilidade de transporte rodoviário ao público gaúcho. “Estamos levando um transporte mais acessível, confortável e seguro aos passageiros que estão no Rio Grande do Sul. A Buser foi fundada em 2017, e já atua em todos os estados brasileiros, sempre com qualidade, segurança, preços baixos e um enorme respeito com nossos usuários”, afirma Zanetti.
No modelo operado pela Buser no Rio Grande do Sul, os ônibus parceiros, que pertencem a empresas de fretamento, dispõem de todas as licenças necessárias, além de fazer o recolhimento de tributos em dia. Todos os veículos utilizados devem também ser regularizados, modernos e com a manutenção adequada.
“Trata-se de um modelo ainda novo no País, que de fato está revolucionando o mercado de viagens rodoviárias, tanto pela questão do preço quanto pela experiência que proporcionamos. Nosso objetivo é unicamente beneficiar a população, tornando o transporte mais acessível. Por isso, agradecemos aos parceiros que estão entrando conosco nessa missão”, conclui Zanetti. A Buser hoje conecta mais de 550 cidades no Brasil, e planeja continuar expandindo suas operações e chegar a 1.000 cidades até o final do ano, incluindo tanto o serviço de fretamento quanto o de marketplace. Atualmente, a empresa conta com mais de 400 parceiros entre fretadores e viações maiores, utilizando aproximadamente 1.200 ônibus. Ainda, já conta com mais de 4 milhões de pessoas em sua plataforma digital. Para saber mais informações sobre as operações, é possível acessar o website da empresa (www.buser.com.br).

Vale dos Vinhedos terá complexo turístico de R$ 300 milhões com resort e parque temático

Projeto ficará em uma área de 60 mil metros quadrados Wyndham Bento Gonçalves Resort & Spa Bewine / Divulgação

A cidade de Bento Gonçalves terá um complexo turístico com hotel, resort e parque temático. O empreendimento foi lançado pela rede de hotéis Wyndham Hotels & Resorts em parceria com a empresa Bewine. O investimento inicial das empresas é de R$ 300 milhões.
O complexo ocupará uma área de 60 mil metros quadrados no Vale dos Vinhedos. O hotel será em formato de multipropriedade, quando os apartamentos são comprados por diferentes donos. Segundo Rafael Antonio Zardo, CEO da Bewine, a expectativa é de que o valor geral de vendas alcance R$ 3,9 bilhões.
O hotel, que terá gestão da Wyndham, contará com 421 apartamentos. Todas terão terraços privativos. Alguns terão até piscina e sala com lareira. Entre os detalhes curiosos, haverá o que a empresa está chamando de “a maior piscina com borda infinita e cascata do mundo” e elevador inclinado com atrações holográficas, além de centro de eventos e heliponto.
Já o parque temático terá dois quilômetros de extensão e será focado na experiência da produção de vinho. Pelo complexo, será possível desfrutar de experiências como as diferentes umidades do ar, que mudam de acordo com cada microrregião vinífera, até contato com tecnologias 7D. Entre as atrações previstas para o parque, estão uma adega vertical, museu com tecnologia imersiva, chafariz com águas dançantes, universidade do vinho, restaurante e jardins suspensos, passeios panorâmicos de helicóptero e uma praça de shows com capacidade para até 6 mil pessoas.
A obra será feita em três fases distintas. A primeira será entregue em três anos. A segunda, em quatro anos e a última, em seis anos. A expectativa é de que 2,4 mil pessoas sejam empregadas direta e indiretamente.

Monte Belo do Sul participara do encontro do Parlamento Regional de São Marcos

Nove dos 24 municípios estiveram representados durante a reunião Foto: Marlove Perin

O Presidente do Legislativo de Monte Belo do Sul, Luciano Bombassaro participou da reunião do Parlamento Regional do mês de setembro realizada em São Marcos, na quinta-feira (30) e teve como pauta principal a Privatização da Corsan.
Estiveram representando o município o Presidente do Legislativo São-Marquense, Antônio Luiz Brochetto, que compôs a mesa junto com o Presidente do Parlamento Gilmar Peruzzo, de Nova Prata e o Prefeito de São Marcos, Evandro Carlos Kuwer.
O presidente do SINDIÁGUA/RS, Arilson Wünsch, foi convidado para explanar no encontro que teve o objetivo de esclarecer aos parlamentares sobre as consequências de uma possível privatização da Corsan, e discutir a respeito dos aditivos contratuais entre governo do estado e municípios, necessários após aprovação do PL que autoriza a privatização da estatal.
Arilson destacou que os municípios superavitários serão os mais procurados, pois são as maiores cidades. “O nosso maior objetivo nesse trabalho é mostrar para os municípios grandes que eles não podem aderir a esse aditivo, propondo diálogo e levando informação”, destaca o presidente.
O Presidente do Sindiágua-RS, Arilson Wünsch, apresentou argumentos defendendo que a Corsan não é deficitária e pode cumprir as metas de melhorias exigidas pelo marco regulatório. Salientou as perdas que a população poderá sentir caso a entidade passe para o setor privado, como o aumento da tarifa e a queda na qualidade do serviço, por exemplo.
Além disso, os vereadores receberam um convite da Assessoria de Desenvolvimento Regional da Universidade de Caxias do Sul (UCS), da professora Maria do Carmo Quissini, para participar do I Fórum sobre Aceleração Municipal à Inovação e Empreendedorismo, que deve acontecer no dia 23 de novembro. O objetivo desse evento é discutir a elaboração, aperfeiçoamento e aplicabilidade da legislação municipal que envolve ecossistemas de inovação e propiciar a discussão ampliada do tema.
O encontro entre presidentes de Câmaras Municipais ocorre desde 2017 e tem como objetivo debater de forma conjunta a região serrana. Nove dos 24 municípios estiveram representados durante a reunião, os parlamentos: Antônio Prado, Flores da Cunha, Feliz, Monte Belo do Sul, São Marcos, Nova Prata, Nova Bassano, Carlos Barbossa e Gabijú.
O mandato de presidente do Parlamento Regional tem duração de um ano e as reuniões são mensais, em municípios alternados. A próxima encontro está marcada para o dia 11 de novembro, em Nova Prata.